Bandeira Branca

Bandeira Branca PT

Momede  En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
41Capítulos
2.5Kleídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Inspirado em um romance real, Luísa e Júlio César narram de forma dramática e angustiante como após quinze anos se reencontram através de um acidente de carro. O romance cujos, protagonistas viveram faz do livro Bandeira Branca uma história cheia de amor, paixões avassaladoras, mentiras e perdão.

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
41 chapters
Capítulo 1
ESSE LIVRO FOI TOTALMENTE REVISADO E SE ENCONTRA NO FORMATO FÍSICO PELO I***A: @MONIQUEMM18                                                              ...  O alarme do relógio tocava insistentemente. Estiquei o braço para desligá-lo, porém a única coisa que consegui foi derrubá-lo junto com o abajur em cima da cabeceira, ao lado da cama. Minha cabeça latejava e o gosto ruim na boca provocava um embrulho no estômago. Assim que meus pés encostaram no chão, olhei para a unha vermelha, que mesmo com todo o esforço para não borrá-la após a manicure, tinha sido em vão. Além dis
Leer más
Capítulo 2
Assim que entrei na padaria, o cheiro do cappuccino preenchia todo o ambiente refrigerado e senti que definitivamente estava no paraíso. Nas caixas de som acopladas nas paredes de gesso, uma banda de jazz tocava ao fundo, tornando o ambiente agradabilíssimo, além de confortável. O volume da música, o cheiro dos pães saindo do forno, as tortas na vitrine, as nozes ensacadas, as frutas expostas para serem transformadas em sucos da preferência do cliente e as geladeiras repletas de frios e manteigas, davam requinte ao lugar, assim como o buffet do café da manhã servido em uma extensa mesa colorida que complementava o local de forma majestosa. Os atendentes eram extremamente simpáticos e afáveis. O bom humor que girava em torno de todos na loja, inclusive dos consumidores que escolhiam seus quitutes, era de dar inveja. No entanto, direcionei-me para os pães onde uma fila com três pessoas já se formava e passei os olhos rapidamente na geladeira avistando
Leer más
Capítulo 3
                                                      JUNHO DE 2013 — Oi Luísa... Já resolveu o que vai fazer no seu aniversário? Eu estava com dezessete anos e a poucas semanas alcançaria a minha tão sonhada maioridade e ao contrário de muitas meninas que conhecia da minha idade, eu não faria uma grande festa ou ganharia de presente uma viagem para fora do país. Estava em ano letivo. O ano que decidiria o que seria do meu futuro, a escolha da tão almejada profissão e a conclusão do último ano do segundo grau, ou seja, um período extremamente estressante, de muito estudo e imensas responsabilidades.

Leer más

Capítulo 4
A noite saía exatamente como planejada. Ela era longa, cheia de músicas, passos sincronizados, beijos na boca, drinks e uma possibilidade real de terminar com um nascer do sol na beira da praia, o que fazia meu corpo todo vibrar de excitação. Era a noite mais feliz da minha vida eu me sentia livre, capaz de qualquer coisa e totalmente segura de que coisas boas estavam reservadas para mim a partir daquele momento. Eu dançava no meio da pista sem me importar com absolutamente nada, quando de repente alguém pegou meu braço, puxando-me para longe do DJ. — Luísa!!! Bricie chegou!! — gritou Renata em meu ouvido. Olhei ao redor e Bricie estava acompanhado por um amigo que reconheci na hora, era Júlio, um dos meninos da nossa turma. Apesar de nunca ter falado com ele nos intervalos das aulas, sempre me pareceu ser gente boa e estava sempre na dele. Não se misturava com qualquer um e andava com um grupinho de três meninas, da qual uma
Leer más
Capítulo 5
O chão começava a esquentar debaixo de mim e eu não conseguia mexer nenhum membro do meu corpo. Para a minha infelicidade, Júlio ainda não tinha me reconhecido. Ele se aproximou, a sua testa sangrava e sua respiração ofegava. Suas mãos estavam trêmulas e seus olhos pareciam perdidos no meu corpo, avaliando o meu estado. Procurou alguma coisa no bolso da calça, mas não encontrou, enquanto as pessoas em volta falavam palavras ofensivas para ele. — Você avançou o sinal!!— Não mexa nela!— Ele está sangrando! Muita gente falava ao mesmo tempo e eu só conseguia pensar que bem na minha frente estava o meu querido Júlio. Eu ti
Leer más
Capítulo 6
— E então, o que pretende fazer daqui pra frente? — perguntou Júlio mostrando interesse na minha resposta. — Eu ainda não sei. Ainda não me decidi...— Qual a dúvida? — insistiu. — Eu ainda não sei... Ainda não me decidi... — repeti a frase, dessa vez mais desanimada, o que fez com que ele tirasse o quarto copo de bebida da minha mão. — Acho que você já bebeu um pouquinho demais, aniversariante. Não acha?— Eu não sei.... Ainda não me decidi... — Renata, Bricie e Júlio agora davam gargalhadas do meu estado e senti pela primeira vez que o álcool provocava dentro de mim, um efeito oposto da alegria que me contagiava horas antes. Pela primeira vez, todas as minhas frustrações, dúvidas, medos e inseguranças eram instigadas, o que consequentemente me deixava deprimida.  &n
Leer más
Capítulo 7
Senti uma mão quente no meu rosto e abri os olhos cuidadosamente. Era Júlio com o semblante preocupado e cheio de culpa. — Não durma, por favor... Mantenha-se com os olhos abertos. Mantenha-se acordada — ele pedia angustiado. Ahh se eu conseguisse falar... Diria para que não se preocupasse, pois não dormiria mais. Pretendia ficar ali em seus braços, olhando para seu rosto aproveitando cada segundo de seu toque. As pessoas que antes pronunciavam palavras acusatórias, agora mantinham-se longe. Apenas um burburinho era ouvido ao fundo. Júlio que estava ajoelhado ao meu lado, sentara no chão colocando uma camisa enrolada embaixo do meu pescoço, protegendo minha cabeça do asfalto que esquentava rapidamente devido ao calor. Olhei para aquele homem tomado por adrenalina, querendo que soubesse tudo o que eu estava sentindo e o modo como o buraco dentro do meu coração com nosso término estava sendo preenchido novamente de boas recordações,
Leer más
Capítulo 8
As sextas-feiras nunca mais foram as mesmas. Eu, Renata, Bricie e Júlio estávamos sempre no Vulgar, que passou a ser nossa parada obrigatória e tendo Júlio como o único motorizado do quarteto, assumiu a responsabilidade de nos levar para casa no final da noite. Eu passei a ter uma grande admiração pelas sextas. Tudo era muito divertido, engraçado, além de minha paquera sempre entreter-me com assuntos interessantes. Durante a semana na escola, passamos a sentar juntos e conversávamos por horas sem perceber o tempo passar. As aulas, pela primeira vez, estavam interessantes e mais produtivas, pois ele agora me ajudava em química e biologia e eu o ajudava em redação. Apreciava tudo que vinha de Júlio, principalmente o fato dele me ver de forma diferente dos demais. A ânsia de conhecer o que o rodeava exigia de mim uma dedicação em tempo quase integral e a recíproca também era verdadeira. O trio de meninas que antes o cercava nos intervalo
Leer más
Capítulo 9
Uma sirene alarmou a todos. O barulho vinha de longe e ficava cada vez mais perto. — Está chegando... aguente firme — disse Júlio tentando manter-me acordada A verdade é que não importava quanto tempo a ambulância levasse até a mim, pois eu apenas desfrutava da única coisa que desejei a vida inteira: Estar novamente perto de Júlio. Eu poderia jurar que todas as minhas dores físicas seriam indiferentes ao que acontecia. Nem mesmo a fome que me consumia minutos antes incomodava mais, embora eu ainda fizesse um esforço sobre-humano para continuar com os olhos abertos e atenta ao que acontecia ao meu redor. Júlio, por sua vez, também participava ativamente do cabo de guerr
Leer más
Capítulo 10
Após a primeira crise na casa de Júlio que quase culminou no nosso término, finalmente tínhamos conseguido superar o ocorrido. Ansiava por falar com Mayara que tomou parte na discussão com Sandra e quando conseguimos enfim nos rever, fomos almoçar na casa de Renata, que achou importante ficarmos em um ambiente mais íntimo e somente de meninas.- Mayara... Me desculpe pelo o que aconteceu na casa de Júlio. - Deixa de ser boba. Não tem que me pedir desculpas por nada. - Ela disse com seu jeito descontraído.- Claro que tenho... - Insisti.- Luísa... Acho que ninguém podia imaginar que aquilo
Leer más