GABRIELA : A TRAFICADA

GABRIELA : A TRAFICADAPT

PalomaKemm  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
163Capítulos
23.1Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Em busca de uma vida melhor para sua filha de 1 ano e sua mãe, Gabriela aceita a proposta de emprego para ir para outro país. Só que chegando lá ela descobre que foi traficada e é obrigada a se prostituir , por um golpe do destino seu caminho é cruzado com Heitor o chef de toda a quadrilha.Heitor um homem manipulador, que tem tudo em suas mãos com o tempo acaba se apaixonando por Gabriela. Mas nenhum deles imaginaria oque o destino iria trazer para eles.Acompanhe essa história e descubra o destino de Gabriela.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
163 chapters
01
Gabriela narrandoEu ainda não acreditava que eu tinha caído nessa furada, eu que sempre me achei esperta para tudo. Mas eu sempre tive o sonho e a força de vontade de dar uma vida melhor para minha filha e para minha mãe, fiquei cega achando que essa era à oportunidade certa para isso. Respiro fundo e tento me manter calma, fecho os olhos e a imagem da Alana me chamando me vem na cabeça e uma lágrima desce pelo meu rosto.- Flash Black On- Mamãe - Alana dizia no meu colo enquanto eu me despedia dela. Doía muito deixar a minha filha para trás, mas eu precisava ir em busca de uma vida melhor para ela. Eu engravidei da Alana aos 14 anos de idade e o pai sumiu quando contei da gravides .- A mamãe volta rápido, eu prometo eu falo abraçando ela bem forte - A vovó vai cuidar de você - Eu encaro ela segurando as lágrimas.- Dona Zenaide prometo que vou cuidar da sua filha - Carla diz,  era quem esta
Ler mais
02
Gabi narrando Encaro o homem na minha frente que eu nunca tinha visto ele nesses dias ,ele abaixa a arma e me encara rindo.- Pode ter certeza que você não vai morrer sem sofrer - Ele diz me fazendo arregalar os olhos para ele e ele sai e fecha a porta e me deixa ali amarrada.Encaro o teto por várias horas , e ninguém entra de volta no quarto.- Gabriela Gabriela - Marcelino diz entrando junto com o homem de mais cedo  - A sua sorte é que conseguimos acalmar a Carla - Ele fala tirando a mordaça da minha boca e eu o encaro.- Agora a gatinha esta sem língua - O cara diz e eu o encaro .- Deixa ela Marcos - Marcelino diz e eu os encaro - Eu acho que vou ter que te avisar pela última vez - Ele diz mostrando o telefone e v
Ler mais
03
Gabi narrando Eu tinha 14 anos quando eu fui para um baile funk com uma amiga , lá eu me envolvi  com um cara que logo que eu contei que estava gravida me ameaçou de morte se eu voltasse lá, e desde ai minha mãe me ajudou. Meu pai eu nunca soube quem era, e minha mãe me criou sozinha, sempre fomos apenas eu e ela até Alana nascer. Ela me criou com muita dificuldade, e eu me arrependo por todos os desgosto que eu dei para ela nessa vida. Eu conseguia mandar algum dinheiro para  ela, e eles só deixavam fazer isso, para que ninguém desconfiasse de nada, aqui era cobrado tudo, comida, roupa, água, tudo mesmo e para você pagar tudo isso e conseguir enviar uma quantidade de dinheiro razoável para  o Brasil era no mínimo 4 programas por noite. O papo furado deles era que quando agente pagasse toda a nossa dívida, iriamos ser lib
Ler mais
04
#Gabi narrando- Anda desce - Um dos seguranças fala assim que chegamos, era uma casa enorme e que estava cheia de carros estacionados.- Leva ela para baixo junto com às outras - Carla diz para ele que assente- Para onde vocês vão me levar ? - Eu falo olhando para ela- Quer saber de mais - Ela fala e o segurança agarra o meu braço e eu puxo ele fazendo ele me soltar - Tá atrevida  - Ela fala fazendo sinal e os dois seguranças me seguram - Você acha que que esqueci do que você fez? - Ela diz me encarando - Chegou a hora de você pagar pela surra que me deu. - Ela diz me dando um tapa na cara.- Pelo menos eu te dei uma surra - Eu falo para ela - Já você só consegue fazer isso se alguém tiver me segurando , sua covarde - Eu falo para ela que levanta  a mão mas Marcelino à segura.- Não queremos confusão aqui agora Carla - Ele diz para ela que assente - Levem ela para baixo
Ler mais
05
#Gabriela narrandoJá estava anoitecendo e estamos todas aqui assustadas, eu estou aqui desde manhã cedo e muitas chegaram ontem e ninguém trouxe água e nem comida. Esse lugar era assustador.- Será que eles querem nos matar de fome ? - Mery pergunta.- Quase isso - Lúcia diz uma outra menina que estava ali - Eu não como faz dois dias.- Dizem que quem vem para esse leilão só come depois de ser vendida - Uma outra menina que não perguntei o nome fala e olhamos para ela.Isso aqui era mais que humilhação, isso aqui era uma tortura, a porta se abre revelando quatro seguranças e uma moça que eu vi junto com o cara que eu esbarrei no banheiro, ela olha para todas e seu olhar para em mim.- Você  - Ela diz apontando - Você mesmo - Eu olho para ela - Você vem comigo.Eu fico encarando ela e não ando nem para frente e nem para trás.- Você vai vir por
Ler mais
06
#Gabriela narrando Hoje era o dia do leilão, dois dias aqui e não recebemos comida e nem bebida, recebemos hoje cada uma um kit com algumas roupas íntimas e estamos fazendo fila para conseguir tomar banho e se arrumar, a gente sempre estava sobre olhares de seguranças armados. O nome do cara que queria me comprar eu não descobri, ele também não mandou eu subir mais,ele deve ter ficado com uma raiva enorme de mim. Estava tão nervosa e apavorada que eu não sabia oque fazer e nem como pensar, a verdade é que quando estamos em um lugar como esse a gente perde vontade própria e comando sobre a nossa própria vida. Era como se a gente não existisse mais e apenas existisse a garota que eles queriam. #Heitor narrando
Ler mais
07
#Gabriela narrando - Quero você sorrindo lá encima - Carla diz para e eu encaro cada uma que subia lá - Pensa na sua filha Gabriela - Ela tentava atormentar a minha cabeça me mostrando um vídeo de Alana brincando com uma boneca e uma lagrima desce do meu rosto e eu abaixo a cabeça - Ergue a cabeça Gabriela  - Ela diz levantando a minha cabeça com a sua mão em meu queixo. - Não se preocupe que eu vou dar o meu melhor sorriso lá encima - Falo para ela que guarda o celular e dar um sorriso satisfeito. Ja estava chegando a minha vez, tinha cinco na minha frente. E era rápido, durava menos de dez minuto, mas era os dez minutos mais longo para quem ficava ali encima sendo exposta a um bando de homens nojentos, enquanto esperava a minha vez ás lembra
Ler mais
08
# Gabriela narrandoEstava já algum tempo na aquela sala escura sentada em um sofá que tinha ali,  eu já estava passando mal de tanta fome e sede, eu também estava muito cansada e com frio. Reparo que tinha uma pequena janela aberta e já era noite e estava entrando um vento frio.Pego um banco que tinha no canto da sala e subo encima para tentar fechar a janela, fico na ponta dos pés mas eu não alcançava, eu suspiro tentando fecharbela ou olhar para fora mas não conseguia. Levo um susto quando escuto à sua voz.- Deixa que eu fecho - Heitor fala  e me desequilíbrio assim que escuto a sua voz, a sorte foi que ele me segurou.- Você poderia ter se machucado - Ele diz me colocando sentada no sofá.- Obrigada - Falo para ele que me encarava com o semblante fechado , ele era
Ler mais
09
#Gabriela narrando Não demorou muito para que o Marcos entrasse pela porta, ele deixou uma sacola com roupa, eu me arrumo e logo ele volta com dois seguranças e me leva para um carro, a onde não conseguia enxergar nada no lado de fora, eu abaixo a minha cabeça e começo a chorar. Era muito difícil descrever oque eu sentia nesse momento, era uma dor tão grande misturado com muito medo, era isso que resumia os meus dias e agora sem saber oque seria da minha vida eu tinha mais medo ainda. Ainda por cima Heitor tirou à única coisa que eu tinha para lembrar da Alana, que me dava força para continuar de cabeça erguida porque muitas vezes eu tinha vontade de desistir de tudo e acabar com todo esse sofrimento. -Fica sentada aí é nao sai&n
Ler mais
10
Gabi narrando Faz dois dias que eu estava trancada em um quarto sem ver ninguém, era um apartamento enorme pelo pouco que eu vi. Não foi nem Heitor que me trouxe nele e sim Marcos e um outro segurança e era um ou outro que acompanhava a senhora que sempre me trazia comida. Meus pensamentos sempre era minha filha e em minha mãe, quando eu estava com a Carla pelo menos eu conseguia mandar dinheiro para elas, por isso tentava fazer o máximo de programas por noite,porque pelo menos eu sabia que de alguma forma eu ajudava elas. Minha mãe não iria conseguir sozinha dar conta de tudo, comprar roupas, remédios, comida para Alana e ainda pagar água , luz e IPTU da casa.  Mas eu tinha medo de perguntar para Heitor ou pedir isso à ele, a verdade é que eu não vi mais ele depois do dia que eu che
Ler mais