Libertada pelo Mafioso - livro II

Libertada pelo Mafioso - livro IIPT

Furiosa-zahir  Completo
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
53Capítulos
14.2Kleídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Com a morte do marido, Ariel Drummond retorna para los Angeles grávida e com dois filhos pequenos. O assassinato de Arthur Drummond fez-lhe mudar radicalmente sua personalidade, tornando-se uma mulher fria e perigosa, os únicos recebiam seu amor e afeto eram os filhos e amigos. Embora cinco anos tenham se passado, Ariel jamais superou o amor que sentira por seu falecido marido, os amigo preocupado com seu estado emocional, decidem visitá-la. Contudo, em uma das saídas que fazem, um deles percebem que estão sendo perseguidos por máfias rivais dos Bratva. ️Nesse livro terá cenas de sexo explícito, violência fisica e verbal e assassinatos que podem deixar alguns leitores desconfortáveis. Proibido para menores!️

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
53 chapters
Prefácio
Arthur Markov Drummond                         Rússia 5 anos antes...Paz, a sensação de paz por ter salvado o amor da minha vida me deixa aliviado, aquela sensação era muito novo para mim. Em toda minha existência eu nunca fiz nada por ninguém, não fui um homem bom, era um desgraçado cruel, bem... Eu ainda sou. Mas algo em mim mudou quando a conheci, quando a obriguei a ser minha, quando me casei com ela, quando ela passou a viver comigo, Ariel me mudou.Quando ela foi sequestrada em um dia que para ela era muito especial, eu sabia que algo a mais iria acontecer, se eu soubesse que seria a última vez que eu a teria do meu lado, teria aproveitado cada segundo, quando o desgraçado a raptou no parque eu me vi completamente sem chão, pela primeira vez eu perdi o quase 50% por cento do raciocínio de um verdadeiro dom, era uma missão pa
Leer más
Capítulo 1
Ariel Drummond Os primeiros raios solares invadem meu quarto anunciando mais um novo dia, me movo sobre a cama espalmando meu lado vazio, vejo a camisa social do meu falecido marido, pouco a peça para mim e inalei o seu perfume, puxo todo o ar e sinto-me completa para começar um novo dia. Pego meu celular sobre o criado mudo e encaro as horas, são 6h da manhã me levanto e sobre a borda da cama eu amarro meus cabelos, estico meus braços para me despertar melhor e balanço o pescoço ouvindo os estalos, quando estava prestes a me levantar para ir ao banheiro, ouço passos idênticos de uma manada no lado de fora do quarto.— Mamãe! - ouço o coral dos dois filhos, logo, eles abrem a porta com um sorriso enorme nos lábios. — É hoje! É hoje!Suzana vem na minha direção, ela espalma minhas coxas e fica entre elas, enquanto abraça meu corpo, com seus olhos azuis escuros ela me lança seu m
Leer más
Capítulo 2
Ariel Drummond  — Cadê o beijo da mamãe? - Chamo a atenção dos três antes de passarem pelos portões do colégio. — Não vão dar ?Suzana e Estella se aproximam, beijam minha bochecha e voltar a seguirem para dentro da escola, Nikolai virou o seu corpo começando a andar cuidadosamente afim de ser livrar dos meus beijos.— Estou esperando o seu beijo, príncipe.Ele bate as mãos e volta na minha direção fazendo bico irritado, levo minhas mãos até suas bochechas e as aperto, beijo a sua testa e sua bochechas, ele resmunga e reclama do aperto, meu pequeno é tão novinho já não aceita meus carinhos ainda mais em público. Um grupo de garotos passam por nós e encaram meu filho com sorrisos, ele se af
Leer más
Capítulo 3
Ariel Drummond — Foi você quem jogou a minha boneca fora! - Suzana acusa Nikolai.— Eu não fiz isso, deve ter sido a Estella. - ele acusa a mais nova.— Isso é mentila, eu tava tomando meu suquinho. - ela se defende com a chupeta sobre a boca.Olho para ela pelo retrovisor enquanto ela observa os gêmeos discutirem, seus olhos azuis escuros se encontram com os meus no espelho do carro e cerro os olhos duvidando de sua resposta para Nikolai, logo, vejo-a sorrir cinicamente contra a chupeta na boca, não pude conter a risada.Paro o meu carro em um estacionamento de uma lanchonete, os ajudei a descer do carro e andamos em direção a entrada. Entramos no estabelecimentos e seguimos para uma mesa, ao sentarmos esperamos a garçonete se aproximar para nos atender e fazermos o pedido, depois de fazer o pedido tamanho família ficamos esperando ansiosamente para que o la
Leer más
Capítulo 3
Ariel Drummond — Foi você quem jogou a minha boneca fora! - Suzana acusa Nikolai.— Eu não fiz isso, deve ter sido a Estella. - ele acusa a mais nova.— Isso é mentila, eu tava tomando meu suquinho. - ela se defende com a chupeta sobre a boca.Olho para ela pelo retrovisor enquanto ela observa os gêmeos discutirem, seus olhos azuis escuros se encontram com os meus no espelho do carro e cerro os olhos duvidando de sua resposta para Nikolai, logo, vejo-a sorrir cinicamente contra a chupeta na boca, não pude conter a risada.Paro o meu carro em um estacionamento de uma lanchonete, os ajudei a descer do carro e andamos em direção a entrada. Entramos no estabelecimentos e seguimos para uma mesa, ao sentarmos esperamos a garçonete se aproximar para nos atender e fazermos o pedido, depois de fazer o pedido tamanho família ficamos esperando ansiosamente para que o la
Leer más
Capítulo 4
Ariel Drummond Ao passar pela porta da sua nova sala, me aproximei de uma cadeira e pus a minha bolsa nela, então quanto me aproximo da janela ouço Trevor trancar a porta para que não fôssemos interrompidos.- Por que decidiu comprar um hospital?Trevor agora possui o cargo de líder dos Bratva temporariamente até que Nikolai atinja a maioridade, ou seja, seus objetos para crescer seus negócios não seria comprar hospitais, mas sim uma empresas, hotéis, cassinos ou até mesmo bordéis.- E qual o problema? É um bom investimento, a porcentagem de natalidade é extremamente alta.- Sabe tão bem quanto eu que está mentindo, seus interesses são outros, empresas bem influenciadas pela mídia e nos negócios.Trevor se aproximou da cadeira e segurou-se, percebo a sua inquietação, eu sabia.- Para uma médica está muito
Leer más
Capítulo 5
Arthur Drummond  SHANGHAI-CHINA NOVE E MEIA DA MANHÃ..Ouço sons de carro pelas ruas que invadem meu ouvido me causando irritação, enquanto ando pelas ruas escuto choros de criança enquanto as mães puxam pela multidão, homens passam com pedaços enormes de carne nas costas em direção às bancas para vender no meio da rua, esbarro em algumas pessoas quando tento seguir o GPS. Eu vestia uma túnica preta com uma calça por baixo, os sapatos que usava eram baixos e confortáveis, nada do que estava vestindo no momento se compara com o que uso no meu dia a dia.— Eu quero um pastel de frango. - falo pausadamente para a vendedora na minha
Leer más
Capítulo 6
Arthur Drummond Escuto o sino da escola tocar informando que as aulas do dia haviam se encerrado, encaro o relógio do meu pulso verificando o horário.  Olho de um lado para o outro com um óculo de sol, estava vestido completamente de preto para que não seja reconhecido por nenhum membro inimigo. Alguns carros de pais e responsáveis esperam para os portões se abram e liberem as formigas. Os gritos de felicidade são ouvidos no lado de fora, observo a cara de velório dos pais, o ninho de formigas é solto, observo atentamente para encontrar os meus filhos, ao vê-los, eles se encostam no portão esperando a van que os levarão de volta para casa.Quando a maioria das crianças e pais vão embora, eu me aproximo dos três em passo cautelosos, assim que Suzana e Estella me encaram, abrem um pequeno sorriso, porém Nikolai, me encara com uma certa desconfiança, ao tirar os óculos Est
Leer más
Capítulo 7
Ariel Drummond No estacionamento do hospital, olho o relógio pela milésima vez, impaciente eu envio outra mensagem para Trevor perguntando onde estava, nada, o filho da mãe sequer teve a coragem de me avisar que se atrasaria. São 16h da tarde, meu expediente encerrou mais cedo por onde do meu cunhado/chefe, ele me fez sair antes do horário normal para irmos ao aeroporto esperar o Noah.Não entendi muito quando ele me deixou sozinha no refeitório e saiu, e agora, me pede para sair mais cedo do trabalho avisando que iríamos esperar a chegar de Noah da Rússia. Bato os pés no chão com as mãos cruzadas, olho novamente para a minha vaga controlando a minha raiva por meu carro não estar na onde deveria, Trevor teve a ousadia de enviar meu carro de volta para casa. Ouço uma buzina próximo de mim, encaro e veículo e vejo o infeliz balançar as mãos e me chamar com um sorriso cínico no rosto.— Está esperando por mim ruivinha?

Leer más

Capítulo 8
Ariel Drummond — Não vejo a hora de irmos para alguma boate juntos! - Noah diz com entusiasmo. — Vou te arrumar homens deliciosos.— Deus que nos proteja.. - Trevor murmura.— Eu não sei se isso é uma boa ideia.— Não esquenta ruivinha, temos muito tempo quanto a isso.— Eu não sei.. Você sabe que odeio boates.— Na primeira e última vez foi.. - Trevor interrompe Noah.— Foi terrível, faltou pouco para o Arthur acabar com a minha raça.— Eu lembro que você apareceu todo molhado na boate. - Noah sorri por lembrar. — A valente desmaiada nos braços do marido após me ver.Pouso a cabeça sobre a janela do carro tentando desligar a minha mente, tento não ouvir a conversa, mas é inevitável, são lembranças que ele fez parte, antes que uma lágrimas descesse dos meus olhos eu as enxuguei.— Lembro-me
Leer más