Nasce Um Amor

Nasce Um Amor PT

Ninha Cardoso  Atualizado agora
goodnovel12goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
57Capítulos
2.1Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Camila Becker viu sua vida mudar de forma drástica. Ao sofrer um acidente ela escapa por pouco, porém sua vida fica de cabeça para baixo. Ela acorda com uma lesão cerebral que lhe deixa sequelas e acaba com sua carreira, a forçando a mudar seus planos. Apesar das dificuldades, ela nunca deixou de ser uma pessoa positiva e busca aos poucos recomeçar a vida. Conseguiu um novo emprego e junto com ele, um chefe que faz seu coração bater mais forte. / Mas ela sabe que Mike Reeves é um homem que precisa de uma mulher que esteja à sua altura e não de alguém como ela. E por entender isso, ela o deixa livre, para que seja feliz em seu caminho. Mike Reeves é um homem concentrado em seu trabalho, mas quando contrata Camila, ele sente algo diferente, como uma luz que irradia calor e coisas boas. Mike fica encantado não apenas com sua beleza, mas com seu jeito meigo e único de ser e acaba se apaixonando. O problema é que ele não sabe como mostrar a Camila que ela o fez sentir algo que nunca imaginou. Camila se acha inferior por causa de sua lesão cerebral, mas para Mike ela é a mulher mais perfeita que já conheceu.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
57 chapters
Prólogo
Parte 1...O céu cinzento mostra que a chuva não vai parar tão cedo. Ao longe um clarão é visto, seguido de um trovão que chega até a incomodar os ouvidos de Mike Reeves, que dirige com cuidado entre as ruas, observando as casas que passam, todas fechadas.A chuva forte cai na cidade por três dias seguidos e todo mundo procura abrigo em suas casas. O trânsito fica lento e mais perigoso, pedindo mais atenção.Mike estica a cabeça pelo vidro da janela, olhando a casa de seus pais lá fora, quase sem coragem de sair do carro. Tinha esquecido de pegar um guarda-chuva e um casaco. Agora se arrependia.Suspirou balançando a cabeça, se maldizendo por ser tão esquecido consigo mesmo. Abriu a porta e assim que seu pé tocou o chão, sentiu um arrepio de frio com o vento forte que soprou para dentro.Saiu de vez e puxou a gola da camisa para cima, olhando as árvores que balançavam de um lado para outro com a lufada de vento. Se encolheu e deu passos largos na direção da casa. Abriu o portão pequen
Ler mais
Prólogo Continua
Parte 2...Sua mãe sempre tinha sido uma ótima cozinheira, coisa que dividia com o pai, que também preparava pratos deliciosos, mas apenas em ocasiões especiais ou quando sua mãe lhe informava que não pisaria na cozinha.Era engraçado isso. Tinha boas lembranças da casa e sempre se sentia acolhido ao aparecer para ver os pais, nem que fosse apenas de passagem para saber se estava tudo bem com eles.O amor de seus pais era algo quase palpável. Mesmo quem não os conhecesse bem perceberia. Só de entrar na sala já se via um monte de fotos dos filhos, espalhadas por porta-retratos em cima da estante ou nas paredes. E em várias fases de suas vidas.Sentou e ficou observando enquanto a mãe continuava a mexer nas panelas, tagarelando um assunto atrás do outro. Era assim desde que ele se entendia como gente, quando começou a prestar mais atenção na mãe, que sempre era muito amorosa com a família que ela criara.O avental de agora já não era mais o mesmo, mas continuava cheio de coloridas flore
Ler mais
Prólogo Continua
Parte 3...Ele coçou a cabeça começando a entender.— Ela ainda é jovem, mas passa muito tempo entre pessoas velhas e precisa de um bom emprego estável - pegou a mão dele — É uma moça muito calma e carinhosa, que tem muito jeito com animais. Seria ideal para sua clínica.— Não preciso de ninguém na clínica, mamãe.— Isso não é verdade - lhe apontou o dedo — Semanas atrás você disse que estava ficando até tarde no trabalho para organizar tudo porque estava sozinho.— E qual seria o problema dessa garota, mãe?Charlotte olhou para o marido e pediu que explicasse.— O acidente causou lesões no encéfalo - Aldo começou a explicar — Os médicos a deixaram em coma por algum tempo, como medida de ajuda, mas ninguém sabia com certeza se daria certo - bateu os dedos devagar na mesa — E quando ela saiu do coma, estava com muitos problemas motores e na fala, devido as lesões cerebrais.Mike apertou os lábios, mexendo a cabeça assentindo.— Mãe, a senhora sabe que sou sócio do Derek na clínica e in
Ler mais
Capítulo Um
Parte 1...Camila agradeceu ao motorista do táxi após ele lhe dar o troco pela corrida. Estava em frente à clínica veterinária onde faria uma entrevista para um possível emprego.Um emprego fixo e estável, que lhe daria um salário.Ela puxou o ar fundo, as mãos trêmulas e começando a suar. Engoliu em seco e desceu do carro devagar, mas de forma firme. Sentiu o vento forte que soprou seu cabelo castanho escuro e segurou na saia do vestido verde que havia escolhido para a entrevista.Não era nada caro, apenas um vestido solto e com um leve florido no tecido leve e confortável. Desde que tivera o acidente ela evitava usar roupas que a apertassem. Até isso havia mudado em sua vida.Estava entusiasmada e ao mesmo tempo nervosa. Havia recebido uma chamada de Charlotte Reeves que a avisou que seu filho Mike estaria esperando por ela para uma entrevista de emprego na clínica.Ficou feliz com isso e tentou controlar o nervosismo. Depois de tudo o que havia passado, seu médico a fez prometer qu
Ler mais
Capítulo Um Continua
Parte 2...Estava tentada a se virar e ir embora, mas seria falta de consideração com Charlotte que ajeitara essa entrevista e também falta de educação com seu filho, que tirara um tempo para recebê-la. Não podia ser assim, tinha que valorizar a boa vontade das pessoas.Sentiu um arrepio passar por seus braços e não era por causa do vento frio. Era por receio do que poderia acontecer ali. Não tinha certeza se seria capaz de administrar remédios para animais e menos ainda de ser capaz de tratar feridas ou fazer procedimentos mais pesados.Não era alguém que se ligava ao fracasso antes mesmo de realizar algo, mas era honesta com relação ao seu estado físico e emocional. Sua parte psicológica estava bem, ela era capaz de compreender seus dias e suas limitações, mas e os outros? Não queria causar problemas.Por outro lado ela queria ter um emprego fixo de novo e ter mais contato com outras pessoas. Isso a ajudaria muito em sua recuperação. E ainda tinha a vantagem de estar com animais que
Ler mais
Capítulo Dois
Parte 1...Mike estava abaixado, olhando os pontos na barriga de uma gatinha que havia sido trazida pela dona às pressas. A gata não tinha raça definida, era uma vira-lata muito bonita, branca e amarela. A mulher a encontrara na rua, muito magra e a levou para casa. Agora morava em sua casa há dois anos e era muito apegada à sua nova dona e sua casa. Mas era uma gatinha muito danada e que mexia em tudo. Acabou engolindo um dos carretéis de linha que a mulher usava para suas costuras e começou a passar mal.Infelizmente foi necessário fazer uma cirugia de emergência, mas foi bem sucedida e agora a gatinha estava em recuperação. A dona poderia levá-la de volta dentro de quatro dias. Antes ela precisaria ficar em observação mais próxima e evitar fazer movimentos bruscos, então ele a colocara em uma pequena gaiola que limitava seus movimentos e também um colar cirúrgico em volta do pescoço para que não retirasse os pontos.Levantou e mexeu os ombros, sentindo a tensão do dia. Parecia qu
Ler mais
Capítulo Dois Continua
Parte 2...Não iria se sentir culpado por não ter sentido algo a mais por ela, por não ter corrido aquele arrepio gostoso na pele quando se tem uma conexão com outra pessoa. Não era um homem que embarcava em algo apenas pelo desejo momentâneo. E a clínica que só crescia lhe tomava bastante tempo de sua vida e tanto ele quanto o irmão estavam mais presos ao pensamento de fazer com que tudo corresse bem e a ideia de ambos era que se transformasse em uma referência na região e para isso eles trabalhavam muito e investiam também.Deixou a sala e foi até seu escritório para pegar a pasta de tarefas. Ele sempre revisava tudo que tinha feito antes de ir embora, para ter um arquivo de tudo o que era realizado durante o dia. Isso o ajudava a manter sua organização pessoal.Quando abriu a porta de seu escritório estancou no lugar, ao ver que havia uma garota sentada em seu sofá. Ela estava com as pernas cruzadas. Os sapatos pareciam de bonecas, em um tom leve de verde, assim como seu vestido f
Ler mais
Capítulo Dois Continua
Parte 3...Ok, isso era até um certo preconceito de sua parte, mas é o que geralmente se via. Não esperava que Camila Becker fosse uma garota assim, com esse rosto perfeito, olhos brilhantes e um sorriso suave que fez seu coração bater mais forte. E ele sabia que tinha um corpo bonito também, deu para perceber suas curvas na roupa folgada. E suas pernas torneadas lhe chamavam atenção o tempo todo, mas segurava o olhar em seu rosto ou ficaria estranho esse comportamento em uma entrevista de emprego. Então ela levantou e ele saiu de seu pensamento.— Bem, agora eu vou embora - alisou o vestido e sorriu, inclinando um pouco a cabeça de lado — D-deu pra notar... Que aqui é bem agi...tado e que o senhor pre-precisa de alguém diferente - ajeitou a bolsa no ombro.— O que? - ele franziu a testa — Não vai fazer a entrevista?Ela puxou o ar o encarando com um sorriso delicado.— O senhor sabe que eu... Eu tenho um proble...ma sério? - ele fez que sim com a cabeça — Então sabe que não posso aj
Ler mais
Capítulo Dois Continua
Parte 4...E isso o fez se sentir mal, pequeno até. Assim como ela, quantas outras pessoas não viviam por ái, espalhadas pelo mundo, sendo esquecidas pelas autoridades que não lhes dava oportunidades e mais ainda pelas pessoas comuns que se preocupavam apenas com seu próprio umbigo.Quantas outras Camila deveriam estar por aí agora, tentando sobreviver por terem a má sorte de sofrerem de alguma lesão, algum problema que as impedisse de participar de modo ativo da sociedade. Muitas com certeza eram abandonadas.— Desculpe perguntar coisas assim, mas preciso saber um pouco mais sobre você - sentiu vergonha de incomodá-la.— Não tem proble...ma. Fique à vontade. E-eu prefiro até.— Quando fica nervosa você tem uma reação mais forte, não é assim? - ela assentiu — E você consegue ler, escrever... Pegar recados... - se sentiu mal por essas perguntas ridículas.— S-sim - ajeitou a bolsa no colo — É um pouco com...plicado quando estou em... Em um dia ruim - gesticulou tentando explicar — Mi-m
Ler mais
Capítulo Dois Continua
Parte 5...— Amanhã quando vier, quero que traga seus documentos - ele pegou um bloco atrás de si e uma caneta — Vou escrever para você em letra de forma porque minha letra é péssima.— Isso é normal em um médico - ela brincou.— É verdade - ele sorriu apontado para ela — Eu acho que você vai poder ficar com a gente. Gostei de seu jeito honesto e de seu modo de expôr seu problema tão natural.— É que depois de tanto tempo, aca...bei compreendendo que não, não... - ela fez um som de impotência e ele esperou — Que minha vida é assim agora e, e... Pronto - gesticulou.Ele puxou a folha e entregou a ela com um sorriso. Ela estava lutando e isso era muito bonito. E quanto ela vinha tentando ter sucesso durante esses anos todos? Era uma pessoa de valor e ainda mantinha o pensamento positivo. Gostava disso.— Faremos assim - levantou e foi até a mesa — Vou deixar esse formulário para ser preenchido amanhã com calma - mostrou um papel a ela e prendeu com uma pirâmide de cristal ao lado do not
Ler mais