Um desconhecido em minha vida

Um desconhecido em minha vida PT

Nay Lisboa  Em andamento
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
23Capítulos
1.7Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

A gente nunca espera que vá aparecer alguém para nos tirar da rotina e virar os nossos dias de cabeça para baixo... Emily é uma garota de programa já acostumada a sua vida; quando num dia em que dá de cara com a morte, um desconhecido chega para salvá-la e mudar tudo! David nunca imaginou que salvaria a vida de uma mulher e a primeira vista ela seria o sol para os seus dias nublados! Principalmente que essa mulher seria uma garota de programa chamada Emily. Em apenas uma semana; a vida dos dois mudará drasticamente, será que apenas cinco dias é capaz de sarar feridas, resgatar boas memorias, curar traumas e dar a dois desconhecidos a chance de recomeçar?

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
23 chapters
Capítulo 01
Hoje, a noite era como quase todas as outras e significava que eu faria um bom trabalho e iria para casa mais cedo. Sorri para o garçom e pedi mais um copinho de vodca, assim que ele me deu, virei tudo de uma vez na boca e vou em direção à pista de dança. Quanto antes começasse antes eu terminaria. — Oi. — Ouvi uma voz conhecida em meu ouvido. — Oi Kevin. — Falei, me virando para ele com um sorriso de canto. — Trabalhando hoje? — Ele perguntou já sorrindo. — Você sabe que sim. — Falei no ouvido dele, pois a música estava alta. — Então, posso? — Ele falou, esperando uma resposta com as mãos em minha cintura. — Tudo bem. Desde que me pague, pode todos os dias. — Falei dando de ombros. — Tá! Vamos para a minha casa. — Ele disse, me puxando pelas mãos e me guiando para um lugar que eu conhecia bem.     Fizemos o mesmo de sempre e quando terminamos olhei a tela de meu celular em busca do horário, ainda eram um
Ler mais
Capítulo 02
Eu abri os olhos torcendo para que tudo aquilo tivesse sido apenas mais um sonho infeliz, mas a dor que senti em meu corpo me alertou que não era. Ajustei minha vista para uma janela de frente para o mar, estava de dia e fui tentando com um pouco de dificuldade enxergar melhor tudo ao meu redor. Eu estava em um quarto, havia um criado mudo preto ao lado da cama com a foto de um homem sorrindo e eu estava deitada numa cama enorme, do outro lado uma escrivaninha com um computador. Não sabia como tinha ido parar ali e não tinha ninguém mais no quarto, me levantei com certa dificuldade sentindo dor em cada partícula de mim, e me sentei pronta para me levantar e sair daquele lugar, pois eu precisava voltar para minha casa onde eu estaria mais segura.— O que você está fazendo? — Escutei uma voz firme masculina atrás de mim. — Você está machucada, não pode se levantar. – Ele veio rapi
Ler mais
Capítulo 03
Respirei fundo tentando entender o que estava acontecendo, ele havia me ajudado e eu sentia que ele não queria me fazer mal. Havia algo bom no David que me fazia querer ficar e isso mexia comigo.— Olha. Amanhã eu já vou estar melhor. — Falei abrindo um sorriso gentil.— Que bom, então amanhã assim que eu ver que você está melhor, eu te levo para casa. — Ele assentiu.— Não tenho roupas aqui e preciso de um banho. — Falei procurando a desculpa mais fajuta que tinha. Eu não sabia aonde estava. Realmente sentia meu corpo doer e não aguentaria ir para casa sozinha então tinha que fazê-lo me levar.— Eu tenho. — Ele deu de ombros. — Vou pegar para você.— Você não é um serial killer, É? — A pergunta simplesmente saiu, foi estúpido.— Eu acho que se eu fos
Ler mais
Capítulo 04
Eu fiquei pensando sobre aquilo, eu não podia simplesmente deixá-lo entrar assim. Eu era uma furada e todos que me conheciam sabiam disso. Ele não estava sendo coerente, como assim ajudar uma desconhecida? Mas, ele parecia ser tão sincero, ele me fazia querer ser ajudada. Aquilo reacendia uma pequena chama de esperança dentro do meu coração, o medo de que aquilo fosse me derrubar me afetou. Eu só queria sair correndo dali e voltar para minha vida de merda até o dia em que eu não aguentasse mais. Mas... Eu não sei. Algo me dizia que ele não iria desistir tão fácil assim.— Emily. — Falei quando ele se levantou.— Como? — Ele disse virando-se novamente para mim.— Emily, é o meu nome de batismo. — Falei abrindo um sorriso sem graça.— É um prazer conhecer você Emily, já é um bom
Ler mais
Capítulo 05
DAVID:Tudo havia acontecido rápido demais, num dia eu estava vivendo minha vida rotineira aprendendo a viver sozinho, e no outro tudo havia mudado com uma desconhecida em minha casa. Tudo havia sido num piscar de olhos, num momento eu havia encontrado ela sendo espancada por moleques de rua e em outro ela estava ali dando o sorriso mais lindo do mundo. Eu não sei qual o propósito para as nossas vidas, não sei o que o destino nos reserva na vida um do outro, mas tem algo! A primeira vez em que a vi machucada eu coloquei em minha mente que ela era apenas uma desconhecida, eu a deixaria num hospital próximo e iria embora. Simples assim. Mas quando ela me pediu que não a levasse para o hospital eu senti algo estranho, e do nada me vi levando uma desconhecida machucada para casa. Me vi cuidando de uma desconhecida e me sentindo no dever de protegê-la. A forma como ela se diminuía. Aquilo me doía. Desde
Ler mais
Capítulo 06
 DAVIDEu estava completamente desconcertado, não tinha como estar mais envergonhado. E vê-la só de toalha foi algo extremamente desafiador! Desviei o olhar quinhentas vezes; ela era completamente sexy, eu tinha que admitir. Não tive onde enfiar minha cara ao ver o sorriso de minha mãe, eu já sabia tudo que ela iria falar e quando ela saiu do quarto, eu respirei fundo. Queria pedir mil desculpas para a Emily, mas vê-la naquele estado não estava ajudando, eu simplesmente fechei os olhos e respirei fundo tentando dissipar a quentura que me invadiu...— Me desculpe... — Foi tudo que eu consegui dizer e antes que minha mente começasse a trabalhar mais naquela cena, eu me virei e sai do quarto. Agora a tarefa era explicar para minha mãe que ela não era minha namorada.    Quando desci minha mãe estava apoiada no balcão com
Ler mais
Capítulo 07
DAVID:Eu fiquei ali mastigando e engolindo aquelas palavras até não terem mais efeito nenhum sobre mim, mas eu ainda podia sentir todo o arrepio pelo meu corpo quando ela sussurrou em meu ouvido. Ela estava me testando, estava me provocando. Era um desafio, um desafio tentador! A minha intenção não era dormir com ela, queria ajudá-la, protegê-la e cuidar dela, mas eu também não poderia simplesmente dizer que eu não estava tentado. Deu para perceber que ouvir aquilo me excitou e quando ela simplesmente se virou e saiu eu tive vontade de trazê-la de volta, de beijá-la, de... Engoli em seco. Não. Eu não iria dormir com ela porque eu sabia que se fizesse só estaria provando que ela era realmente apenas uma garota de programa. Eu queria provar que ela era mais do que isso, e que existia um homem capaz de enxergar todo o potencial que ela tinha fora da cama. E eu
Ler mais
Capítulo 08
DAVID:Ela não falou nada, só se virou e olhou no fundo dos meus olhos. Ela parecia estar pedindo por algo mais e aquilo me deixou sem fôlego. Aquela cozinha estava pegando fogo, então ela colocou a ponta do dedo indicador sobre o meu peito e foi subindo até o meu pescoço até que eu segurei suas mãos. Que droga! Eu estava excitado! Ela percebeu e abriu um sorriso. Eu balancei a cabeça negativamente, e antes que eu pudesse fazer alguma merda simplesmente beijei sua mão, acariciei o seu rosto depositando um beijo em sua testa e a abracei.— Isso é tentador. — Eu disse com a respiração entrecortada. — Mas, eu quero mais do que isso. — Sussurrei em seu ouvido.— O que você quer? — Ela sussurrou olhando em meus olhos com a boca a centímetros da minha.— Eu não sei. — Respirei fundo. &mdas
Ler mais
Capítulo 09
— Estou limpando você também. — Ela deu de ombros. Notando que eu já tinha terminado de limpar e pegando o pano da minha mão. — Sua vez.— Eu não me sujei tanto. — Falei sentindo o fôlego escapulir do meu pulmão.— Mas, se sujou. Então, agora eu vou lhe limpar. — Ela disse decidida passando o pano pelo meu rosto carinhosamente.    Depois de limpar meu rosto ela largou o pano deixando cair no chão e acariciou o meu rosto com as duas mãos enquanto me olhava nos olhos. Coloquei as duas mãos sobre a bancada, punho fechado, tentei afastar os pensamentos perversos que rondavam a minha mente. Ela aproximou seu rosto do meu, colocando sua testa na minha e pude sentir sua respiração entrecortada, ela também estava tentando se controlar! Eu abri as mãos e as coloquei em sua cintura, acariciando-as, a sua pele era
Ler mais
Capítulo 10
DAVID:Tomamos um café da manhã bem reforçado e resolvemos, ela resolveu, que precisávamos fazer faxina na casa. Ela ainda não estava totalmente recuperada, mas como eu sabia que ela não ficaria satisfeita até me convencer de que iria fazer e ponto, decidi que enfrentaríamos essa missão. Colocamos uma musicam alta e bem divertida e partimos para o trabalho, eu nunca havia me divertido tanto. Principalmente; ao vê-la imitando os cantores e achando que sua vassoura era um microfone, e poderia ser perfeitamente! As caras e bocas que ela imitava me matavam de rir, lavamos a sala. Não sem antes escorregarmos no sabão, ela inventou de brincar de pega-pega no chão espumado o que me rendeu uma queda.— Você está bem? — Ela veio correndo tentando esconder a vontade de rir.— O que você acha? — Eu falei fingindo estar muito
Ler mais