Prazer, seu príncipe

Prazer, seu príncipePT

Roseanaautora  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
115Capítulos
4.7Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Ela nasceu princesa, herdeira do trono de um dos últimos lugares ainda existia monarquia. Seu desejo era liderar de forma grandiosa e deixa seu nome na história de Avalon. Seu único pedido foi o mundo fora do castelo antes do casamento por conveniência com uma príncipe que ela jamais viu, mas aceitava como seu destino enquanto realeza, pelo bem da nação. Mas a vida como uma garota normal não era exatamente como ela pensava. Era ainda melhor. E jamais passou pela sua cabeça que encontrar o amor era algo que ela não podia impedir. Satini Beaumont seria capaz de abrir mão de ser rainha para viver uma vida normal? Ela seria capaz de sobreviver a todas as trapaças e perigos nos quais o destino a colocou?

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
115 chapters
Prólogo
Avalon, vinte e três anos antes.Emy Beaumont era a herdeira legítima do trono. Mas todos sabiam que seu único irmão, Stepjan Beaumont fazia de tudo para que a irmã não assumisse, pelo fato de ela ser mulher. Emy nasceu sabendo de suas responsabilidades enquanto princesa, bem como quando se tornasse rainha. Então, não tinha nenhuma intenção de abrir mão de seu reinado, principalmente pelo fato de ter sido treinada e preparada a vida inteira para assumir aquele papel, tendo inclusive abdicado de várias coisas ao longo de sua existência pelo fato de ser futura rainha de Avalon.Embora fosse forte e decidida, Emy Beaumont era uma mulher sensível e tinha uma grande vontade de fazer a diferença em Avalon. Não que não concordasse com a forma de reger de seus pais, mas ansiava por modernidade e negócios com países de primeiro mundo e
Ler mais
Capítulo 1 - Hoje é domingo
Domingo era o dia que eu tinha que almoçar junto de meu pai. Não importava o que houvesse, naquele dia da semana nos reuníamos na sala de jantar real e fazíamos o desjejum e o almoço na companhia um do outro. Então ele fingia que se importava comigo e eu que acreditava.Tomei um longo banho e procurei algo para vestir. Iniciar a manhã no desjejum com meu pai era sempre um pouco tenso. Eu tinha que estar impecável. Não que durante os outros dias eu não tivesse cuidado com minha aparência, afinal, eu era a princesa de Avalon. Mas se ele visse qualquer coisa que não estivesse de acordo com o que esperava de mim, eu era punida. A punição não era física, mas com aulas e qualquer coisa que ocupasse ainda mais o meu tempo para aperfeiçoar o que ele julgasse que não estava perfeito.Enquanto eu olhava para minhas centenas de roupas penduradas no closet c
Ler mais
Capítulo 2 - Qual seu pedido, Satini Beaumont?
Andei ereta junto de Mia até o salão de jantar onde eu faria a primeira refeição do domingo com meu pai, o rei Stepjan Beaumont. O lugar onde nos encontrávamos no final de semana e que eu a maioria das vezes fazia as minhas refeições sozinha era um dos espaços amplos e pouco arejados do castelo. A mesa em formato oval comportava somente 14 pessoas, por isso era usado somente para momentos mais íntimos. O salão de jantar das visitas era em outro local. Ainda assim as toalhas impecavelmente brancas e a decoração com várias flores naturais da estação estavam sempre ali, esperando por mim. As confortáveis cadeiras almofadadas em tom caramelo combinavam com os quadros caros e antigos que adornavam as paredes com papel adesivo. Dois lustres enormes pendiam do teto, iluminando a mesa com velas que eram usadas em ocasiões especiais, senão luzes artificiais em tons am
Ler mais
Capítulo 3 - Satini Beaumont
Quando voltei para o meu quarto, Mia veio junto de mim, falando tanto que eu nem conseguia lhe dar atenção. Eu estava ainda tentando assimilar que eu iria deixar meu reino depois que casasse com o desconhecido príncipe. E talvez eu nem recebesse um motivo plausível para aquilo.- Você ouviu o que eu falei? – ela perguntou sentando na poltrona na minha frente enquanto eu sentei na minha cama.- Não ouvi nada. – confessei.- Em que mundo você está, Satini?- Num mundo que não conheço... Você o ouviu dizendo que assim que casar deixarei Avalon?Ela se calou por alguns instantes:- Talvez ele volte atrás.- Eu não queria acreditar nisso, mas às vezes parece que ele quer se livrar de mim.- Não pense isso. Você é a única filha dele. Por mais que pareça às vezes que ele não se impo
Ler mais
Capítulo 4 - Alexander
Fiquei mais tempo do que eu previa no jardim e quando percebi já estava anoitecendo. Eu ficava tanto tempo sozinha comigo mesma que era normal aquilo acontecer: eu perder completamente a noção do tempo.Quando estava voltando para adentrar no castelo, vi Alexander vindo em minha direção e não pude deixar de observar o quão lindo ele havia ficado com o tempo.- Você está louca? – ele perguntou.- Quem você pensa que é para falar comigo desta maneira?Ele me encarou e pareceu tentar se acalmar, ficando alguns minutos em silêncio. Mas eu sentia sua respiração acelerada:- Desculpe, Alteza. – ele curvou-se, mas eu sabia que aquilo era de forma irônica.- Do que você está me acusando exatamente, Alexander?- Por que você quer sair de dentro do castelo? Acha mesmo que isso é prudente?- Meu pai pe
Ler mais
Capítulo 5 - Porque eu não choro
Deixamos os muros do castelo num automóvel simples e sem nenhuma logomarca do reino, provavelmente tudo organizado premeditadamente por meu pai e Alexander. Até a placa era comum. Creio que tenha sido comprado somente com a finalidade de nos atender pelos próximos cinco meses.Alexander dirigia e Mia foi na frente com ele. Eu atrás. Eu conhecia as ruas próximas e as grandes lojas caras da avenida principal do centro de Avalon. Mas era a primeira vez que eu saía me sentindo realmente livre.- Acho que meu coração vai sair pela minha boca. – confessei.Os dois riram e eu continuei:- Obrigada por estarem comigo.Mia virou a segurou minha mão:- Amo você, amiga.- Também te amo, Mia.- Eu estou sendo pago e muito bem pago para fazer isso. Caso contrário, não faria. – disse Alexander.- Por que você tenta estragar tudo
Ler mais
Capítulo 6 - Sexo, drogas e rock'n roll
Ele pegou as sacolas e saímos para a calçada movimentada.- Aonde vamos agora, Satini? – ele perguntou, esquecendo o “Alteza” ou “Princesa” rotineiros.Encarei-o e disse:- Eu gostaria de tomar um sorvete. Sabe que eu nunca tomei um sorvete na rua?- Podemos ir... – ele começou.- Não! – cortei o restante da sua fala. – Eu disse que gostaria, mas não com você ao meu lado, Alexander. Confesso que você conseguiu estragar a primeira parte do passeio. Mas eu não vou desistir. Temos a noite... E eu espero que você esteja um pouco mais animado, afinal, está ganhando para me acompanhar, não é mesmo?Dizendo isso eu voltei para o carro, com Mia ao meu lado. Ela não falou nada e eu entendia muito bem o motivo: ela amava a nós dois por isso não podia intervir e nem escolher um lado.Sentei no banc
Ler mais
Capítulo 7 - O do meio
Se eu me importei de ficar na fila? Óbvio que não. Eu só queria entrar naquele lugar e meu coração dava saltos dentro de mim. Mas depois de esperarmos uns dez minutos, Alexander pegou minha mão e Mia veio atrás de nós. Ele falou algo com o segurança e entramos, deixando todo o pessoal para trás.- Como você fez isso? – perguntei. – Eu não me importava de esperar. Não é justo passarmos na frente.- Tenho meus contatos. E lhe garanto que não sou só eu. Muita gente aqui também tem.O lugar era enorme por dentro e luzes coloridas piscavam por todos os lados. Tinha tanta gente que eu nem conseguia contar. E vestiam tudo que era possível: desde vestidos colados até jeans rasgados. E viva a moda! Eu era a única vestida de “jeans duro” e camiseta. Look errado, Satini. Na próxima sexta você vir&aac
Ler mais
Capítulo 8 - Me apaixonei...
Eu despertei quando Alexander estava me jogando na minha cama, sem nenhum tipo de delicadeza ou cuidado.- Eu odeio você. – falei.- Acho que você já me disse isso umas dez vezes. Vou sobreviver com seu ódio, não se preocupe.Ele foi saindo e eu levantei, cambaleante. O quarto estava na penumbra. Cheguei na porta antes dele e não o deixei passar. O encarei.- O que você quer? Me trancar aqui com você, sua louca? Acha mesmo que pode ficar na rua e não me dar satisfações?- Pare de falar e me beije. – eu ordenei.Ele me olhou confuso e surpreso e percebi que ficou sem jeito. Passou as mãos pelos cabelos e eu levantei meus pés e encostei meus lábios no dele, que em pouco tempo colocou sua língua quente dentro da minha boca, dançando com a minha, num mesmo ritmo. Passei meus braços sobre o pescoço dele, trazendo p
Ler mais
Capítulo 9 - Eu jamais me apaixonaria por você
Ele freou bruscamente e falou entredentes:- Droga! Você me assustou!Eu ri.- O que quer, Satini? Fazer uma tatuagem?- Aguardem no carro, por favor. – pedi quando vi que Mia me acompanharia.- Mas... – ela ia dizer algo, mas acabou desistindo.- Não posso deixá-la sozinha. – ele disse.Eu voltei e abaixei minha cabeça, olhando pela janela que estava com o vidro abaixado:- Deveria pensar nisso quando me deixou sozinha na boate. – pisquei e saí.Entrei no estúdio de tatuagens e piercings. Claro que atraí olhares, devido à minha forma de vestir-me e portar-me, incomum para aquele lugar.- Pois não? – o atendente perguntou intrigado.Eu lhe mostrei o pequeno brinco em formado de argola que ganhei de Estevan e disse:- Quero colocá-lo no nariz.Ele sorriu:- Tem certeza?- Absoluta.Ler mais