Paixão abaixo de zero

Paixão abaixo de zeroPT

Luciola Mattos  Em andamento
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
46Capítulos
1.2Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Ela é uma aventureira, se joga em qualquer situação que possa lhe dar um pouco de adrenalina, se entrega a paixão com facilidade. Ele não quer saber de adrenalina menos ainda de paixão. Seu negócio é administrar o hotel de caça que seu pai deixou, uma vida solitária no em meio ao deserto gelado. Mesmo depois de cinco no exército sua maior batalha era resistir a mulher que veio como uma promessa devastadora.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
46 chapters
1. Alaska
Eu não poderia vir no meio da temporada de caça porque isso atrapalharia minhas notas na faculdade, o que era prioridade para meus pais. Eu não me importo muito, não estou fazendo um curso que me interessa, menos ainda vai ser a profissão que seguirei.Meu negócio é viajar pelo mundo, conhecer pessoas, cidades, culturas. Turismo era meu sonho... Segundo meus pais, turismo nem deveria ser um curso de faculdade. De qualquer forma fico feliz que minhas viagens nunca foram problema desde que mantivesse boas notas, e isso, eu fazia questão de ter.Um mês de frio extremo, experiência com caça e sobrevivência. Segundo Ana eu deveria ser proibida de ver canais como Discory."Garotas de vinte anos querem ir às Ilhas Gregas, a Paris, a Disney que seja! Não ao Alasca. O que vai encontrar lá além de frio e animais selvagens?" - foi o que minha melhor amiga e pior apoiadora disse.Não que me importasse com a opini
Ler mais
2. Caçar
Jammes disse que sairia para caçar, segundo ele a temporada de caça acabou mas ele precisa caçar para comer. Pelo que parece toda a proteína que esse homem come é fruto do seu trabalho, ou caça. É sexy com certeza!Acordei no meio da madrugada e fui com ele caçar. Já estive em algumas aulas de tiro, mas nunca tinha colocado minhas mãos em um rifle, por isso não dispensei a tarefa de atirar.Esse era meu terceiro dia e o senhor seriedade se quer falou comigo direito. Percebi seu olhar cheio de deboche quando fui até uma parte do terreno onde havia algumas madeiras para virarem lenha. Foi uma tarefa difícil e a senhora Ross se divertiu com meu mau jeito.Mesmo assim me diverti em cortar a lenha. Quero fazer isso, quero aprender e viver como eles vivem. Foram apenas dois troncos, suficientes para me deixarem cansada e as minhas mãos que não estão acostumadas a pegar num machado ficaram feridas.Estamos indo para
Ler mais
3. Aquecedor queinado
Estava tremendo de frio, nada parecia conseguir me aquecer. Mesmo com muitas roupas e cobertores. Não tive outra escolha a não ser bater na porta ao lado._O que foi? - ele diz meio sonolento._Meu quarto está muito gelado, estou morrendo de frio. Você pode me ajudar por favor. Sei que está tarde e... Me desculpa._Tudo bem... - ele responde meio confuso.Fecha a porta do seu próprio quarto e vai até o meu. Ele se senta ao lado do aquecedor e verifica algumas coisas. Se levanta e sai sem me dizer nada. Algum tempo depois está de volta, tem neve no cabelo e acredito que isso seja um sinal que ele saiu da casa.Ele abre o aparelho e troca alguma coisa._Vai esquentar o quarto agora. Está fazendo trinta graus negativos lá fora, seu aquecedor queimou. Eu já troquei fusível. Vai esquentar logo, logo. Precisa de mais alguma coisa?_Não... - Respondo analisando seu rost
Ler mais
4. Golpe baixo
Acordo com Jammes deitado ao meu lado, ele dorme tranquilo, admiro sua beleza um pouco, me levanto, me visto ainda com olhos presos nele. É uma sensação diferente sair em silêncio deixando um homem nu na cama. Saio de vagar, abro só um pedaço da porta que dê para passar. O frio me recebe e quase me arrependo de estar saindo quando poderia ficar com o calor do corpo forte desse homem lindo.Eu deveria voltar me deitar naquela cama e usar o corpo daquele homem novamente, o problema é que me faltou coragem. Eu gostava de provoca-lo e intimida-lo, depois de todo calor até o momento de estar juntos na cama, então a coragem faltou.Estava tímida, com vergonha.Meu caminho de volta ao hotel, ou casa principal é feita com muitos pensamentos, um deles é que talvez tenha cometido um erro. Abro a porta querendo voltar, um cheiro delicioso de bolo me recebe e sorrio feliz._Onde esteve mocinha? - a senhora pergunta parece
Ler mais
5. Pesca no gelo
_ Não vamos montar acampamento! Vou fazer as armadilhas cobrir com neve e vamos voltar. Amanhã eu voltou e pego o que encontrar nas armadilhas. Nana está ficando com uns parafusos a menos para ter a ideia de você vir! - reclama emburrado como uma criança de três anos._Tudo bem, eu só estou dizendo o que ela me disse... me desculpa! - cara chato! Eu gostaria de acampar parece legal apesar do frio._São vinte quilômetros... Não tem porque acampar. - ele volta a reclamar.Nem parece que transou a noite, amargo desse jeito!_Vamos em outro lugar. - ele diz virando a moto.Permaneço em silêncio e só deixo que me leve para onde ele quer, não tenho muita escolha também. Ele para a moto e caminha por entre as árvores. A imagem é linda e surpreendente._O gelo pode estar fino então espere. - ele diz se aproximando do rio congelado.Fico parada olhando hipnotizad
Ler mais
6. Cicatrizes
Jammes CooperAcho que só percebi o quanto Melany ferrou com a minha mente quando me  deparei com a linda jovens de cabelos castanhos claros. Quando Nana me disse que uma jovem estava vindo conhecer o Alasca, eu ri. Pensei que fosse um desses nerds de grandes óculos de armação redonda metidos a ambientalista, quem sabe alguma ativista do greenpace.Fiquei chocado com a menina a minha frente, ele tinha os traços delicados e olhos curiosos. Não parecia uma nerd e menos ainda uma ativista. O que ela estava fazendo ali perdida?Eu não lembro a última vez que estive com uma mulher. Depois da morte do meu pai eu pedi para ser dispensado das forças especiais e vim tocar a propriedade que ele me deixou. O lugar sempre fora bem cuidado, mesmo depois de todos esses anos.Foi ideia minha construir algumas cabanas de caça espalhas pelas terras. Na temporada de caça
Ler mais
7. Tanto faz
_Eu te machuquei? - ele pergunta algum depois de se jogar ao meu lado._Não. - me limito a responder._Você... - ele começa e eu o corto._Cara, foi bom, de verdade, não me machucou. Agora vamos dormir, preciso  dormir um pouco para conseguir acordar e voltar com você ao rio._Pode ficar, não precisa ir. - ele diz me olhando. - É perigoso._Eu quero ir. - digo com humor na minha voz._Ok... Eu posso precisar de ajuda ou de um corpo quente para me aquecer. - ele parece querer se confortar com a brincadeira._Vamos dormir. - me viro no meio dos cobertores e sou surpreendida por um abraço._Está muito frio hoje. - ele diz como para se justificar pelo fato de ficar.Sorrio achando engraçado do que ele diz.O dia não tinha amanhecido direito quando saímos. Jammes disse que devíamos ir e voltar logo, fomos em uma úni
Ler mais
8. Eu estou com medo.
Jammes_Tire a roupa. - eu digo a ela, estamos dentro de um iglu, é pequeno e desconfortável, mas é melhor do que me arriscar a voltar a andando e sermos atacados por algum animal. A iluminação é precária, mesmo assim consigo ter um vislumbre da expressão de espanto e indignação._Eu não vou tirar a minha roupa Jammes e não vou transar com você! - ela diz, eu caio na gargalhada sem conseguir me conter._Eu também não quero transar com você princesa - lhe dou um sorriso maldoso - até quero algo de você... - deixo no ar a informação só para ver sua reação - eu quero o calor do seu corpo porque preciso me aquecer._Eu não vou ficar nua. - ela fala cheia de si e eu solto uma risada anasalada._ Se não quer ficar nua tudo bem, não tem nada que eu não tenha visto e posto a boca aí. - digo só para provoca-la._Você... - tampo sua boca com a minha para não ser
Ler mais
9. Tiros e desespero
Pela manhã estávamos cansados, dormimos mal e revezamos entre dormir e vigiar. Quando abri meus olhos Jammes me deu o mais lindo dos sorrisos saímos da casa de gelo com cuidado olhando ao redor a procura dos nossos amiguinhos famintos. Por sorte eles não conseguiram entrar e nem estavam ao nosso redor naquela manhã.O homem deu a volta pela estrutura de gelo cobriu os lugares onde os bichos fizeram buraco. Caminhamos até o rio e conseguimos por sorte dois peixes grandes. O sol brilhava no céu azul, infelizmente ele não era capaz de aquecer o frio tenebroso._Vamos fazer uma fogueira e derreter esse gelo para termos água e cozinhar._Fazer uma fogueira como!? Isso é gasolina congelada? - zombo fazendo careta e apontando para o branco sob nossos pés._Você é muito gostosa... Pena que falta inteligência. - o babaca Cooper diz como se me desse bom dia._ Rá, rá... - imito uma risada. - Quero dizer
Ler mais
10. Sangue
Tudo acontece muito rápido o gelo ao redor de Jammes começa a trincar, ele e eu eu nos afastamos um do outro, me deito como ele pede para fazer, assim o peso se espalha e o risco de rachar completamente é menor. Me arrasto o mais rápido que posso ainda olhando vez ou outra ao redor.Ainda estou com medo...Chegamos a margem em segurança, nos colocamos de pé e outro Jacob bonitinho sai de não sei onde pulando em cima do homem. No susto e quase que por impulso eu atiro três vezes no animal e Jammes também o acerta logo depois.O lobo consegue atingir Jammes que pisa em falso e torce o pé, caindo e rasgando o braço em algo que não consigo ver._Caralho! - grito ao ver o sangue verter por seu braço. - Você está bem? - Olho em volta a procura de mais uma pelúcia do mal. - Isso parece ter sido fundo..._Eu estou bem... - ele diz enquanto seus olhos me examinam. - Você está bem? Parece tensa.
Ler mais