Nove Meses

Nove MesesPT

AutoraSfanneBR  concluído
goodnovel16goodnovel
9.7
Avaliações insuficientes
46Capítulos
32.3Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Você já se viu completamente perdido e sem rumo? É assim que Derek Sant se encontra. Perdido e sem rumo desde que perdera a mulher que tanto amava e o filho que esperavam. Depois da tragédia, o jovem Derek passou a esconder-se em torno da muralha que ele mesmo construiu em torno de si, transformando-se em um homem completamente amargurado. Ele sabe que sua vida jamais será a mesma, especialmente por sentir-se culpado pela morte da esposa e do filho. As esperançosas palavras de Monnie, minutos antes de partir, martelavam diariamente em sua mente: "Cuide da nossa criança", a criança que não chegou a viver. Disposto a dar à sua falecida esposa exatamente o que ela queria, Derek decide que quer uma criança. Mas nem tudo é tão simples quanto parece ser: sem nenhum tipo de vínculo amoroso com a mulher que aceitar ser sua barriga de aluguel. Esse é o acordo. E acordos raramente podem ser anulados. Convencionalmente, o amor pode extinguir qualquer acordo. E talvez isso realmente aconteça sem que ele se dê conta tão facilmente.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
46 chapters
Prólogo
Dor.De acordo com o dicionário é uma sensação penosa, desagradável, produzida pela excitação de terminações nervosas sensíveis a esses estímulos, e classificada de acordo com o seu lugar, tipo, intensidade, periodicidade, difusão e caráter.É uma mágoa originada por desgostos do espírito ou do coração; sentimento causado por decepção, desgraça, sofrimento, morte de um ente querido.Morte de um ente querido. Aqui está o real significado de dor para Derek Sant.Aos vinte, Derek conheceu Monnie Elizabeth e, juntos, viveram aquele clichê romântico que todos estamos cansados de ouvir a respeito. Você sabe do que estou falando, certo? Aquele amor intenso com direito a respiração incidida, pernas bambas e borboletas no estômago...Ele se apaixonou por ela na medida em que ela também se apaixonou por ele. Para Derek, era difícil explicar um amor tão grande quanto esse que ele sentia por M
Ler mais
Capítulo 1
  — Barriga de aluguel? Barriga de aluguel, Derek?  A voz de Sabrina, minha irmã caçula, soa, cheia de irreverência e histeria. Enfezado, sento-me no sofá e folheio o jornal como se nada estivesse acontecendo. — Enlouqueceu de vez? Derek! Meu Deus, você enlouqueceu? Pensei que os encontros semanais com Dr. Diógenes estivessem finalmente te ajudando! Mas pelo visto...  Não estou depositando minha atenção em Sabrina, mas sei que ela revirou os olhos, aborrecida.  — Eu deveria saber que você ainda estava maluco. Tem sido assim desde que... desde que ela... Movo meus olhos do jornal para Sabrina. Imediatamente el
Ler mais
Capítulo 2
   A N T E S "— Não vale espiar, Derek, por favor! — Monnie pedia e eu só conseguia rir enquanto ela se esforçava para ficar na ponta dos pés para tapar meus olhos.  — Não vou. — asseguro. — Estamos quase lá! Mantenha seus olhos fechados, Derek Sant! Estamos... quase... agora... De repente ela se afastou e minha única reação foi abrir os olhos. O que vi, em seguida, me aqueceu o coração. Minha família e meus amigos ali, diante de mim, todos reunidos, para comemorar meu aniversário.  Todos começaram a cantarolar um alto parabéns para você, mas eu só conseguia olhar para min
Ler mais
Capítulo 3
  — Você enlouquece de vez, Derek! E você — ela apontou o dedo indicador para Damen que respirou profundamente. — Está influenciando nosso irmão nessa maluquice! — Sabrina, já que não posso fazê-lo mudar de idéia, como seu irmão, é meu dever ajudá-lo e apoiá-lo. Deveria fazer o mesmo, sabia? Sabrina soltou uma risada anasalada, carregada de escárnio. Arg! Eu odiava aquela risada debochada. — Ajudar? Você está realmente maluco, Damen! Se quer ajudar o Derek, tente colocar na cabeça dele que sua idéia estúpida de usar uma mulher qualquer para gerar um filho seu é loucura. Se ele quer um filho, faça o que um ser humano normal faria: se apaixone, se case e engravide alguém por amor ou... Ou simplesmente adote
Ler mais
Capítulo 4
  — Beth, aqui estão eles. — o grandão nos anuncia. Beth, é, de fato, uma mulher madura. As camadas de maquiagem em seu rosto conseguem esconder bem a idade que ela carrega nos ombros, mas dá pra ver que é uma mulher vivida. Em todos os sentidos, diga-se de passagem. — Ora, ora. À que devo a honra, rapazes? — ela gira a cadeira em que está sentada. — Sentem-se, por favor! Eu estava pronto para abrir minha boca e sem rodeios revelar o motivo de minha vinda até esse ambiente inadequado, no entanto Damen decidiu ser mais rápido que eu: — Senhora Beth... — Senhora, não. Jamais. — ela solta uma escandalosa risada. — Me chame só de Beth. — Beth. — Damen se corrige com um sorriso de canto de boca. &m
Ler mais
Capítulo 5
Amanda permaneceu quieta durante todo o percurso até a mansão.Enquanto Damen dirigia, vez ou outra eu a espiava pelo retrovisor.Ela estava encolhida no banco de trás, olhava para os lados, como se cada canto da cidade lhe fosse novidade. Era uma cena bonita de se admirar, para ser extremamente sincero. Amanda era como um pássaro, antes preso numa gaiola. Agora ela estava livre. — Amanda, não é? — a voz de meu irmão soa.Ela assente, quieta, sem nos agraciar com sua voz suave.— Vamos conversar sobre o contrato e sobre todos os benefícios que você receberá, certo? Fazemos questão de que você esteja ciente de tudo.— Certo. — ela murmura baixinho. — Muito obrigada! De verdade, eu nem
Ler mais
Capítulo 6
AmandaA irmã de Derek, Sabrina, me arrasta até seu quarto. Fico sentada em sua cama enquanto ela joga peças e mais peças de roupa ao meu lado. Me parece que, quanto mais roupas ela tira do closet, mais ela parece ter.— A maioria delas são novas. Quase não as usei. Você tem o corpo bem semelhante ao meu, vão ficar ótimas em você.— Não precisa se incomodar. — sussurro, constrangida. Ela ri. Aparentemente de mim.— Não é incômodo algum. Estão aí, jogadas, em desuso. Esta é a oportunidade perfeita.Sabrina finalmente para de procurar por roupas e me encara.— Sapatos. — ela diz olhando para os meus pés. — São pequenos. Quanto calça?— trinta e cinco. Ela parece maravilhada. Abre um sorriso de orelha à orelha.Ler mais
Capítulo 7
DerekEstava na sala, sentado no sofá maior, esperando Amanda para podermos, finalmente, ir até a clínica realizar os exames necessários.Estava batucando meu dedo contra o braço do sofá, quando avistei Sabrina descendo as escadas.Minha irmã estava saltitante, parecia feliz. E feliz até demais.— A roupa ficou ótima em você, Mandy! — ela berrava, cheia de orgulho. — Eu te disse que ia ficar ótima!Quando rolei os olhos, dei conta de que Sabrina estava falando com Amanda. A menina estava com um vestido mediano, bege, muito bonito. É claro que Amanda estava toda encolhida, visto que Sabrina estava deixando-a totalmente sem graça.— Bom dia, Dekinho. — Sabrina disse, provocando-me.Eu forcei um sorriso.— O que há com você? Nunca parece feliz pela manhã. — rolo os olhos.— Mandy está pronta... — ela diz, ignor
Ler mais
Capítulo 8
 Amanda Depois que o resultado dos exames saíram, tivemos a certeza de que eu estava adepta a inseminação artificial. Derek não esperou por mais nenhum segundo. Fizemos o procedimento e ficamos na expectativa. A doutora Campbell nos orientou de que deveríamos esperar por um prazo de, no máximo, quinze dias. Ela nos assegurou que este era o prazo ideal para que pudéssemos saber se havia dado certo, ou seja, se eu realmente havia ficado grávida. — Eu nem acredito que o Derek resolveu ir até a empresa. Ele não colocava os pés lá há mais de um ano.  Sabrina encheu a mão de pipoca e fez questão de levar todas para a boca. Ela era engraçada. — Por que ele saiu da empresa?Ler mais
Capítulo 9
 Derek Suspirei fundo, tentando me acalmar e assimilar o que estava acontecendo. E o que tinha acabado de ouvir de meu irmão. Olhei para o lado e Amanda estava encolhida, parecia tão surpresa quanto eu.  — Está tudo bem por aqui? — Damen insiste. Coço minha nuca e assinto. — Está, é que...  Amanda não me deixa finalizar e passa por mim velozmente.  Damen franze o cenho e rola seus olhos para mim. — O que você fez?  — Eu? — ergo o cenho. — O que te faz pensar que eu fiz algo?<
Ler mais