Eu estava aqui o tempo todo

Eu estava aqui o tempo todoPT

Paula Albertão  En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
45Capítulos
2.1Kleídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Sarah e Sam são melhores amigos, quase como irmãos, e estão sempre juntos em tudo. Certa noite, ele a convence a ir em uma festa, por mais que ela deteste esse tipo de ambiente, e Sarah conhece Muriel, o garoto rico e dono de toda aquela bagunça que a está irritando. Depois de um começo conturbado, os dois começam a sair juntos e, por mais que algumas coisas estranhas aconteçam e Sam comece a se afastar com desculpas nada convincentes, Sarah resolve ignorar tudo e ir adiante, se envolvendo cada vez mais. Ela só não poderia imaginar que sua vida iria virar de cabeça para baixo repentinamente.

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
45 chapters
1 - Uma festa idiota
                As luzes brilhando estavam me incomodando profundamente, bem como a música excessivamente alta naquela casa imensa e desconhecida.                O que, diabos, eu estava fazendo naquele lugar? Por que eu tinha que ter cedido as suplicas de Sam? Eu nunca mais ia cair nas lamentações dele na minha vida!                Percebi um movimento ao meu lado, um garoto movendo os lábios, mas eu não conseguia ouvir uma única palavra por causa daquele som insuportável. Olhei para ele com a testa franzida, e ele riu abertamente.                - Oi? – ele se inclinou para falar diretamente no meu ouvido.     
Leer más
2 - Surpresa na sorveteria
               Abri os olhos, repentinamente desperta, e encarei o teto do quarto. A noite passada parecia um sonho distante e confuso. Mais uma vez jurei que jamais voltaria para uma festa daquele tipo em toda a minha vida.                Me sentei, ainda me sentindo um pouco mau humorada, e observei Sam dormindo no colchão no chão, de boca aberta e barriga para baixo. Como é que aquele babaca sempre me convencia a ir naqueles locais que eu odiava?                Taquei um travesseiro na cara dele com força.                - O quê? – ele gritou, desperto e assustado.              &n
Leer más
3 - Encontro
                - Você vai aceitar sair com ele? – Sam perguntou, deitado na minha cama e com as pernas para o alto, apoiadas na parede.                - Não sei. – respondi abrindo meu guarda roupa e observando minhas roupas – Acha que eu devo?                - Não sei. Ele era atraente? – ele começou a jogar uma bola de tênis contra a parede.                - Para dizer a verdade, era sim. – respondi pensando em seus olhos escuros, na maciez dos lábios.                Sam se sentou e me observou empurrar os cabides de um lado para o outro mecanica
Leer más
4 - Mesma cama
                - Pensei que estava num encontro. – Sam abriu a porta da casa usando apenas uma calça de moletom.                - Está acompanhado? – perguntei olhando através dele.                - Não, mas você não deveria? – insistiu.                - Sei lá. – respondi passando por baixo do seu braço.                - O que aconteceu? – Sam me seguiu, muito sério e preocupado – O que ele fez?                Me joguei no sofá da
Leer más
5 - Batidas na janela
                 Enquanto eu estava suada, ajeitando algumas caixas que estavam fora do lugar nos meus últimos dez minutos, meu celular apitou. Retirei ele do bolso e constatei que Muriel havia me mandando uma mensagem.                “Oi. Como você está?”                Sério? Só isso? Revirei os olhos e terminei o que estava fazendo.                “Só queria dizer que adorei nosso encontro ontem.”                Sentei numa cadeira e fiquei encarando a tela. Será que eu deveria responder?       &n
Leer más
6 - Encontro romântico
               O dia seguinte passou incrivelmente devagar, mas sem clientes excessivamente chatos para acabar com clima do trabalho.                Eu estava ansiosa por saber que encontraria Muriel, e minha mente teimava em se afastar da realidade o tempo todo. Onde iriamos? Será que dessa vez acabaria sem um clima estranho? Passaríamos mais tempo nos beijando do que da outra vez? Isso me dava um frio na barriga...                Quando finalmente fui para casa, gastei um bom tempo no banho e depois ajeitando o cabelo e a roupa e, quando finalmente fiquei pronta, meus pais estavam sentados na sala apenas esperando que eu aparecesse.                - Você está linda, quer
Leer más
7 - Noite de cinema
                 - Acho que ele está jogando com você. – Sam disse depois que acabei de contar tudo que tinha acontecido.                      - Jogando como? E por quê? – insisti, deitada ao seu lado.                - Sei lá, Sarah. Alguns caras são muito babacas. – seu tom era levemente hostil – Ele queria... você sabe, algo mais.                - Sim. E eu disse não e ele parou. – concordei.                - Isso não é nada além do mínimo, você sabe. – ele virou o ro
Leer más
8 - Sentimentos
                Sam apareceu apenas na quinta à noite, enquanto eu estava arrumando meu quarto bagunçado.                - Resolveu aparecer? – perguntei, irritada, assim que ele passou pela porta.                - Você não quer realmente brigar comigo, quer? – ele retrucou numa voz cansada.                - Não. – me virei para olhá-lo – O que foi?                - Nada. – negou rapidamente – Só cansaço.                Andei até onde ele e
Leer más
9 - Constrangimento
               Assim que Muriel me deixou em casa, decidi ir até a casa de Sam, sem nem mesmo entrar na minha. Era um pouco tarde, mas como não havia trabalho ou faculdade no dia seguinte, não teria problema.                Acelerei o passo nas ruas escuras e logo cheguei ao meu destino, sem cruzar com nenhuma outra pessoa durante todo o caminho, e só então percebi que não poderia simplesmente bater porque acordaria os pais dele.                “Sam, estou na sua porta.” – enviei.                “Sam, por favor.” – mandei dois minutos depois.            &n
Leer más
10 - Briga entre amigos
                - Sarah? – escutei Sam me chamando, mas estava tão confortável que apenas afundei um pouco no colchão – Sarah? – ele insistiu tocando meu ombro.                - O que é? – rolei para ficar de barriga para cima, mas cobri o rosto com o braço.                O colchão se moveu e senti o corpo dele ao lado do meu.                - Acorda. – falou no meu ouvido.                - Já acordei. – reclamei – Mas é sábado e eu queria dormir até mais tarde.      &n
Leer más