Vida no crime

Vida no crimePT

Ana Elói   Em andamento
goodnovel18goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
14Capítulos
638leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Me casar com um criminoso não foi uma das minhas melhores escolhas na vida, mas quando se ama a gente fica "cega". Já vi o Robert, matar, roubar, sair de situações difíceis e até mesmo na beira da morte. Nada me fez deixar ele, nada me fez desistir do nosso amor. Se ele me ama? Sim, mas do jeito dele. Se já me traiu? Já não tenho dedos suficientes para contar. Se mesmo assim amo ele? Ele me deu a coisa mais linda do mundo, meu filho. Mas não ache que sou uma i****a por ter continuado com ele, eu tentei ir embora com meu filho, mas Robert nos trouxe de volta contra minha vontade. E por eu tentar fugir à família dele ficou contra mim. As coisas vêm piorando, as brigas são constantes. Eu o amo! Mas não sei até quando aguento tudo isso. Não duvido pelo que sinto por ele mesmo com outro homem em minha vida. Ah, Oliver…

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
14 chapters
Capítulo 1
Capítulo 1 – Reconquistá-lo Acordei e olhei ao redor. Mais um dia. Me sentei na cama e abracei meu próprio corpo, não faço ideia de que hora seja, mas deve ser de manhã ainda. Pela janela dá para ver que o dia está lindo. Pude escutar o barulho do chuveiro o que significa que ele ainda não tinha saído. Que milagre. A maioria das vezes que eu acordo ele já tinha saído. Eu e Robert dividimos o mesmo quarto, mesmo que não estejamos juntos de verdade, preferimos manter as aparências para outras pessoas e os empregados. Ainda mais na frente do nosso pequeno. Ouvi a porta do banheiro sendo aberta e abracei mais o meu corpo. Ele ainda tem tanto de mim e não vê. – Você está passando mal? – Ele perguntou. Gostaria que estivesse preocupado e que a resposta realmente fosse importante para ele, mas só perguntou por perguntar mesmo. - Não. – Respondi. Robert estava com a toalha envolta da cintura e entrou no closet. Não demorou muito e logo saiu usando uma cueca box. - A noite terá uma festa
Ler mais
Capítulo 2
A casa do Caleb estava super cheia, ele amava uma festa. Robert pegou na minha mão e seguimos até o dono da casa. Esse é o momento que mantemos as aparências. - Até que fim vocês chegaram. – Caleb nos cumprimentou animado. - Luiza demorou demais para se arrumar. – Robert falou. Mentiu, eu nem demorei tanto assim! Fui até rápida demais. - Sei como é as mulheres. – Caleb falou rindo. Pela sua voz, ele já está bêbado. Logo Giulia apareceu, ficamos conversando enquanto os meninos ficaram conversando entres eles. De longe eu pude ver a Laila e assim que ela me viu fechou a cara. - Não fica assim, Luh. Laila já está exagerando. - Talvez ela esteja certa... - Não! Você queria o bem do seu filho e até ela mesmo sabe que o Robert não presta. Está exagerando demais. – Giu tentava me deixar tranquila. Eu sinto falta da Laila, ela que me apresentou o Robert. Laila sempre esteve comigo, era uma dando força a outra e agora nem nos falamos mais. Não tinha como ficar bem com nossa situação.
Ler mais
Capítulo 3
P.V. LUIZAAcordei com um sorriso no rosto. Minha noite não foi das melhores, pelo menos não na festa. Agora tenho um amigo novo. E consegui melhorar um pouco a minha noite, mesmo não sendo uma das melhores companhias naquele momento.FlashBack OnPraticamente fomos o caminho todo em silêncio, eu apenas falava o caminho para ele. Eu estou meio nervosa como se eu fosse uma adolescente com seu primeiro namoro, mas não.. Sou uma mulher casada e tenho filho. Acabei rindo com o meu pensamento.- Que foi? – Perguntou risonho.- Nada não. – Respondi depois de rir.- Vai falar. – insistiu.Respirei fundo e parando de rir.- Não é nada de importante.Olhei para ele sorrindo e o mesmo estava sorrindo. Que sorriso.- Então me fala um pouco de você.Aí merda! Não posso falar muita coisa, ainda mais que sou casada com o Robert, apenas porque ele tem muitos inimigos e eu não conheço Oliver direito. Mas o que falar? Minha vida está resumida a Robert.- O que você quer saber? – Perguntei.- Hum... Q
Ler mais
Capítulo 4
Foi uma luta tirar Gustavo daquele parque, mas foi só falar que eu chamaria o Robert que ele resolveu sair. Emburrado, mas saiu. Perdi a moral com esse garoto, meu Deus.Quando Robert estacionou o carro, Gustavo já dormia no banco de trás. Enquanto Robert levou meu pequeno pro quarto eu fui para o banheiro tomar um banho, sem muita demora terminei o banho coloquei o short do pijama e um tope. Sair do banheiro e me deitei com a esperança do sonho vim.Robert entrou, passou pelo banheiro e em questão de minutos já estava deitado ao meu lado.- Vai pra casa da sua mãe, que horas?Abri meus olhos.- Não sei.- O motorista pode...- Eu tenho meu carro...- Questão de segurança...- Eu sei me defender... Você me ensinou.Ouvir ele suspirar. Raramente eu ajudava ele e os meninos a pegar uns carregamento, planejar assalto e etc. Com isso aprendi a lutar e usar uma arma.- As vezes esqueço disso.- Que horas vai amanhã? – Perguntei.- Depois do almoço. Tem certeza de que não quer ir?Tenho?-
Ler mais
Capítulo 5
Horas passaram e bem rápido coloquei uma roupa bem fresca e esperei o Oliver chegar. Sim eu vou sair com ele, minha mãe trabalha em um hospital e por ser médica teria que ficar lá hoje. Então para não ficar no tédio decidi ir sair com o Oliver, mas sem segundas intenções.Escutei barulho de carro estacionando e fui até a janela vendo Oliver saindo do carro, respirei fundo e caminhei até a porta abrindo a mesma antes dele bater.- Uau, você está linda. – Oliver falou me olhando de cima a baixo.- São seus olhos. – Sorrir.Eu estava usando um macacão preto com uma jaqueta jeans. Entramos no carro dele e conversamos numa boa, na maioria das vezes eu estava rindo das idiotices do Oliver, chegamos na lanchonete, procuramos uma mesa e logo fizemos nossos pedidos.- Então como está indo seu casamento? – Perguntou hesitando em me olhar.Estranhei sua pergunta.- Hã... Por que?- É que... Você parece mais feliz do que antes.Dei um meio sorriso e mordi meus lábios, o que eu iria falar? Não sab
Ler mais
Capítulo 6
A imagem daquele homem com a arma na cintura não saia da minha cabeça, mas preferia não pensar muito nisso. Quando sair daqui penso sobre isso. Já estou aqui, não posso me desesperar. Acho que Oliver não me machucaria. Eu acho.Oliver voltou para a sala com uma vasilha cheia de pipoca e uma garrafa de refrigerante, colocou em cima da mesinha da sala e saiu de novo logo voltando com os copos.- Então escolheu?- Sim.Olhei para a televisão e cliquei no primeiro filme que vi.- Amanhecer parte 2? – Ele fez uma careta.- Quer escolher outro?Ele riu e negou com a cabeça, eu resolvi sentar no chão e ele me acompanhou. Ficamos assistindo o filme, comemos e conversamos numa boa. Era bom estar ali com ele, eu me divertia e muito, quando chegou na parte que Bella e Edward iam transar, Oliver colocou o abraço em volta do meu ombro.- Por que naquele dia que te conheci, você estava chorando? – Ele sussurrou.Nós dois mantenhamos o olhar no filme.- Porque meu marido tinha acabado de me trair.N
Ler mais
Capítulo 7
Acordei já lembrando da noite de ontem, foi tudo tão bom, tão maravilhoso e tão inesquecível. Abrir meus olhos com um sorriso no rosto, olhei para o lado vendo Oliver deitado e meu sorriso só aumentou. Como ele pode ser tão perfeito?Acariciei seu rosto e dei um selinho nele. Quando me afastei vi um sorriso se formar no seu rosto e logo ele abriu os olhos.- Eu não importaria de ser acordado, assim mais vezes. – falou.- Desculpe, não era minha intenção te acordar.Oliver negou com a cabeça e se aproximou me abraçando e dando um cheiro no meu pescoço.- O que quer fazer hoje?- Tenho que ir para casa...- Ah, não Luiza... – Oliver se afastou um pouco e me encarou – Vai mesmo volta para ele?- Ele vai voltar amanhã, provavelmente de tarde. Tenho que está lá...Oliver sentou na cama de costas para mim, ainda estamos completamente nus.- O cara te trai e você ainda quer ficar com ele. – falou indignado.- Eu não fiz nada de diferente na noite passada. – Falei irônica.- A diferença é que
Ler mais
Capítulo 8
P.V. LUIZADepois que Oliver me deixou na casa de minha mãe, não entramos mais em contato e eu meio que agradeço por isso. Cheguei na mansão do Robert e o mesmo já havia chegado. Ouvi a voz do Gustavo me encheu de alegria.- Mamãe. – Gustavo me gritou assim que me viu.- Ai que saudades!Peguei ele no colo e o enchi ele de beijos o fazendo rir. Abracei meu pequeno bem forte fazendo ele reclamar, mas não soltei. Sentei no sofá e ajeitei o Gustavo no meu colo.- Como foi a viagem?- Foi bom.- Gostou de está com a vovó?- Sim, ela comprou um monte de brinquedos para mim mamãe. – Falou todo animado.- Mais brinquedos? Mais bagunça. – Ri.- Eu vou juntar tudinho. – Prometeu.Ri mais ainda. Sabemos que isso não vai acontecer, Gustavo junta a metade dos brinquedos e começa a enrolar para juntar o resto.- Sei. E seu pai?Gustavo ficou emburrado e apoiou a cabeça no meu ombro.- O que foi bebê?- Papai brigou comigo, mamãe.- Brigou?- Sim.- Você fez bagunça?- Não, mamãe eu não fiz. – Gust
Ler mais
Capítulo 9
No dia seguinte quando acordei Robert não estava mais na cama. Levantei e fiz minhas higienes, coloquei uma roupa e liguei para a Giu. Pedi que se o Robert perguntasse por mim, ela confirmasse que estou com ela. Giu concordou e não me fez perguntas. Agradeci mentalmente por isso. Avisei para a babá do Gustavo falar para o Robert que eu iria para a casa da Giu caso ele perguntasse. Hoje não acordei bem e sem paciência.Peguei meu carro e fui para a casa do Oliver. Tenho que decidir logo o que quero. Não posso e nem quero ficar desse jeito. Confesso que Oliver me faz sentir bem e não seria nada difícil estar com ele se não tivesse o Robert, mas também confesso que quero o Robert.Droga! Por que é tão difícil?Não posso deixar tudo isso ficar mais confuso ainda. Parei o carro em frente da mansão do Oliver e disquei o número dele, espero que ele esteja em casa. Precisa esta em casa.- Alô? – Falou rude assim que atendeu.- Hum.. está tudo bem?Silêncio.- Luiza?- Sim, sou eu. Está ocupad
Ler mais
Capítulo 10
P.V. RobertQuando resolvi sair do galpão já estava começando anoitecer, passei o dia todo fora de casa. Espero que Luiza não fique brava com isso. Como não tinha comido nada, eu e os garotos resolvemos passar numa lanchonete, antes de cada um seguir seu rumo. Antes de entrar meu celular começou a tocar, então falei para os garotos irem na frente que logo eu iria.Peguei meu celular achando que seria a Luiza me ligando para saber onde eu estava, pelo contrário, me surpreendi ao ver o nome da Viviane na tela.- Alô?- Oi Robert, tudo bem? – falou animada.- Tudo e com você?- Estou bem... atrapalho?- Não. Então o que manda?- Estou indo para São Paulo! O convite de ficar na sua casa ainda está valendo?Oh, não... A Luiza não vai gostar. Porém eu tinha falando que sim, não posso voltar atrás.- Hã... Claro, você chega quando?Talvez eu ainda tenha tempo...- Amanhã de manhã.Eu não tenho muito tempo.- Tá bom... Eu te busco no aeroporto. Me avise quando chegar.- Pode deixar, beijos.-
Ler mais