UMA SEREIA NA MINHA VIDA

UMA SEREIA NA MINHA VIDAPT

Silmar Kolcenti  concluído
goodnovel12goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
19Capítulos
718leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Ele não acreditou que aquela linda mulher de corpo escultural loira de olhos verdes apareceu na sua vida. E disse que nunca havia beijado outro homem! Como assim nunca beijou ninguém? Ela ficou perturbada quando viu uma cena de beijos no cinema que ele havia levado ela. Seria ele um homem de sorte ser o primeiro homem na vida dela? Quando na verdade ela era uma sereia que surgiu misteriosamente na vida de Gabriel mudando a vida dele radicalmente. Um milionário desiludido com a vida e decepcionado com todas as mulheres que ele tivera...

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
19 chapters
Capitulo 1
Diziam ser uma sereia, mas o fato é que ela existia mesmo! Segundo um índio chefe de uma aldeia próxima, ouviu falar que há vinte anos, lá pelo ano de 1945 durante a Segunda Guerra Mundial um casal alemão fugiu da Alemanha para refugiar-se no sul do País passando pela guarda argentina através de um navio. E, segundo a lenda, foram descobertos pelas autoridades que o prenderam por suspeita que eram nazistas. E junto traziam uma menina linda de olhos verde loirinha com um ano? Por medo que a guarda costeira fizesse algo de mal a criança. E deixaram a menina dentro de uma sexta artesanal de taquara que ganharam de uma tribo de índios antes deles embarcarem no navio. E, esta tribo ficava na fronteira da Argentina com o Brasil. Mais adiante houve uma forte tempestade que naufragou o navio. E com isso a sexta que guardava a criança desapareceu misteriosamente de dentro do navio. Uns diziam que a menina foi roubada pela tribo, out
Ler mais
Capitulo 2
No dia seguinte ele iria interrogar a misteriosa sereia que caiu na sua rede. Encantado com a estranha mulher nua e selvagem, e linda, olhos verdes. Como não tinha roupas femininas, já que era casado e tinha dois filhos que moravam na capital Porto Alegre. E, sua esposa nunca aparecia na sua casa da praia. Estava ansioso para interrogar a bela mulher que estava enlouquecendo ele de vez. Amanheceu o sargento levantou e tomou seu café, não dormiu direito, e com olhos cansados pela noite mal dormida. Comeu pão, e tomou uma xícara de café com leite de vaca que havia nas redondezas em que uma família de agricultores costumavam vender leite e queijo para o sargento que gostava de morar sozinho. Embora por vezes fosse para a capital ver sua esposa que se chamava Luciana. Uma professora que ensinava o idioma inglês e francês. Mas como seu trabalho era estar sempre em campos de treinamentos passava maior te
Ler mais
Capitulo 3
— Bom, o que posso dizer! A casa é sua, quanto a isso não posso fazer nada.          — Ela é sua também se esqueceu do que combinamos. A propósito, pode me explicar porque está mantendo aquela mulher presa no porão? — Renato ficou chocado ao descobrir que seu primo viu a tal mulher. E, não tinha saída, teve que revelar detalhes com ele a respeito de sua experiência científica, mas escondeu estar apaixonado pela misteriosa mulher selvagem. Então por ordem de seu primo já que a casa era dele. A misteriosa mulher foi libertada das correntes e deixou no quarto de hóspede, e para a surpresa dos dois ela começou a brincar com as roupas de Renato e de Gabriel como se fosse uma criança. Para ela tudo era estranho, estava num mundo desconhecido. Enquanto ela brincava no quarto como uma criança que nunca havia visto um brinquedo em toda sua vida. Os dois voltaram à sala para colocar o papo em d
Ler mais
Capitulo 4
Não tinha noção do que estava sentindo e levaria tempo até descobrir a palavra mágica! Amor. Gabriel que se apaixonou duas vezes sabia o que era, mas o que ele estava sentindo por ela era algo muito mais forte e prazeroso que nunca imaginou sentir um dia na vida, quando havia desistido de amar alguém. E com Madalena era uma sensação mais leve e gostosa, sentindo um ar de paz e amor verdadeiro que talvez nunca soubera o que era. E certamente não abriria mão dela por nada deste mundo. Os dois estavam conhecendo um mundo que eles nunca conheceram. Madalena vindo de um lugar que nem ela mesma sabia explicar de onde viera. E como ser humano estava evoluindo rápido demais, e, confusa em relação aos seus sentimentos, porque gostava de estar ao lado dele. Mesmo gostando de Luciana, mais nova e primeira amiga, e era bem diferente, e mais confusa ficava quando se lembrava de Renato. Um sentimento de ódio e c
Ler mais
Capitulo 5
Que não parava de beijar enfiando a língua sobre a boca não deixando respirar. Gabriel estava sentindo seu corpo tremer e suar ao mesmo tempo, até que ele a convidou para ir até seu apartamento em que tinha no centro da cidade, e estava abandonado desde o dia que ele resolveu passar uns tempos em seu laboratório e não tinha previsão de quando voltaria. Madalena nem sequer olhou para a decoração, estava excitada e não conseguia parar de beijar assim como Gabriel. A excitação era enorme, quando entraram no quarto Gabriel pegou nos braços levando para o ninho do amor e perguntou:    — E agora o que vai acontecer? — Gabriel mais uma vez ficou sem ação com aquela pergunta:    — Como assim?    — Porque estou confusa, nunca estive com um homem antes, me sinto uma boba sem saber o que fazer. — Embora difícil de acreditar, Gabriel com toda paciência fe
Ler mais
Capitulo 6
E, por causa disso, resolveu ficar longe de tudo, e ficar perto da natureza, acreditando que a cidade grande corrompe as pessoas, principalmente as mulheres. E queria que Madalena não gostasse da cidade. Contratou um diretor-executivo para administrar suas empresas. E assim pôde viver sua vida sossegada com a sua amada Madalena. Renato terminou a missão de treinamento e finalmente voltou para casa onde Gabriel e Luciana Madalena Estavam hospedados. Pensava numa forma de afastar Gabriel e sua esposa da praia. E, temia que algo mais sério pudesse estar acontecendo entre Madalena e Gabriel. O que ele não imaginava que o pior estava por vir, na opinião dele Gabriel jamais se apaixonaria por uma mulher desconhecida e misteriosa e que ela também não iria se apaixonar por ele, este pensamento estava deixando Renato obcecado com a ideia de ter aquela mulher a qualquer preço. Mesmo que tivesse que passar por
Ler mais
Capitulo 7
— Porque você despreza meu primo pode me dizer o que ele fez?     — Sinceramente!     — Sim, quero que seja sincera comigo, diga o que ele fez? — Madalena sabia que Gabriel gostava muito de seu primo e que confiava cegamente e achava muito cedo para dizer que Renato não era essa pessoa que ele imaginava e precisava ganhar mais tempo para contar a verdade, ela temia em perdê-lo, já que ele e Luciana eram as únicas pessoas que ela confiava.     — Simplesmente não confio e não gosto dele, satisfeito?     — Tem algo estranho nessa história e você não quer me contar?      — Vamos dormir que estou cansada, por favor! — Amanheceu e Gabriel foi para suas pesquisas no mar de águas doce. Queria descobrir se havia mais animais mortos ou feridos para depois levá-lo ao seu laborató
Ler mais
Capitulo 8
E, ela estava percebendo isso ficava preocupada imaginando que pudesse estar apaixonado por outra mulher durante viagem na Amazônia, sem imaginar que a grande paixão, na verdade era sua amiga Madalena. Sonhava todas as noites com ela. Para matar a curiosidade do seu quarto ele fizera uma fresta na parede. E quando Luciana caia no sono ele ficava espiando o casal do quarto ao lado fazendo amor, e se torturava vendo a mulher que ele mais desejava em toda a sua vida se entregando de corpo e alma, e coração para seu maior inimigo na opinião dele, porque, na verdade Gabriel tinha outra opinião a respeito dele. Gabriel confiava cegamente nele. Além de admirar e gostar dele como amigo e irmão, tinha Renato como um ídolo, desde que se criaram juntos. Enquanto Luciana dormia num pesado sono Renato se torturava vendo aquele corpo nu de Madalena sendo bem-amado e desejado pelo homem que ela amava, ele vê aqueles seios pequenos e durin
Ler mais
Capitulo 9
— Por dentro Renato estava feliz por estar se livrando definitivamente de seu primo que odiava com todas as forças do seu coração. Gabriel entrou no quarto e sentou sobre a cama sentindo a sensação de que a sua amada estava por perto sentia o perfume dela e não esquecia as noites maravilhosas que tivera, após chorar tudo foi arrumando as malas e colocando suas roupas dentro dela quando de repente caiu uma carta do bolso de uma de suas camisas! Era de Madalena? Suas mãos tremiam, estava com medo de ler a carta destinada a ele, medo de que ela dissesse que não o amava mais. E pensou consigo mesmo.     — Deixa de ser covarde leia esta carta e pare de fugir será melhor para você! — Ele levantou-se da cama e fechou a porta caso Renato quisesse entrar ele diria querer ficar sozinho. Não queria que soubesse caso Madalena não o amava. Mas depois voltou, sentou-se sobre a cama com as mãos trê
Ler mais
Capitulo 10
Nem ele mesmo sabia se era paixão! Ou seu ego foi atingido por ser rejeitado e pelo fato dele ter muita inveja do seu primo Gabriel. E, queria tirá-lo dele para o ver ele sofrer. Era tantos sentimentos que se misturavam dentro dele. Estava bebendo ainda quando Gabriel chegou do trabalho em que costumava fazer suas pesquisas tarde da noite quando não havia mais sol. Louco de cansado e de saudade da sua amada Madalena foi entrando e deu de cara com Renato bebendo.                  — Renato, o que você está fazendo e bebendo há essa hora pode me dizer o que está acontecendo?       — Ela foi embora! Dissera ele.      — Eu sei que Luciana foi embora mais cadê Madalena?           &
Ler mais