O Professor Sedutor

O Professor SedutorPT

aly  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
30Capítulos
6.0Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Quando sua casa e carro vão a leilão, devido uma dívida de seu pai, Olívia Campbell se vê obrigada a se mudar para Londres e deixar o Texas e seu melhor amigo para trás.No auge dos seus dezoito anos, a garota conhece Connor Wood. Um professor de Artes, tatuado, sarado e misterioso, que deveria estar em qualquer lugar, menos em uma sala de aula. Aluna e Professor. Será que Olívia irá descobrir o que há por trás de todo aquele ar misterioso que seu professor tem?

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
30 chapters
Um
— Você que perde nosso dinheiro e eu que tenho de sofrer com isso.— Olívia olha o tom de voz. — papai rosna.— Mas pai...— Quantas vezes terei de dizer que não adianta reclamar? Nossa casa foi para leilão, o carro foi penhorado. Só temos um ao outro e as nossas roupas.Suspiro e entrelaço nossos braços.

Ler mais

Dois
Após aquela apresentação um pouco estranha, eu vou até a única cadeira vazia, dentre umas vinte e quatro e me sento.Pouso a bolsa em cima da mesa e fico olhando para o incrível professor de artes. Jasmine jamais me ouviria dizer aquilo.— Esse é o bimestre da criatividade. — diz. — Vamos trabalhar com tintas de várias formas. Sejam elas latas de spray ou em gel.A turma começa a falar em uníssono, enquanto eu fico quieta e olhando diretamente par
Ler mais
Três
No momento em que chego à cantina, estou ofegante e super envergonhada. E mais que isso, estou com raiva.— Oli? — olho na direção de Daniel. — O que foi? Ele não te devolveu o celular?— Devolveu.— Então...? — Jasmine balança a cabeça.Suspiro e largo a bolsa na mesa em que eles estavam.

Ler mais

Quatro
Assim que nós entramos no ônibus, Daniel grita por nós, lá nos fundos.— TEM LUGARES PARA AS MAIS GATAS AQUI!Eu queria enfiar a minha cara no chão. Por que ele tinha de ser tão escandaloso?Jas apenas ri e agarra a minha mão. Ela me puxa para o fundo do ônibus e logo se joga do lado de Daniel.— BOM DIA! — ele grita novamente.— Posso te fazer uma pergunta? — pergunto, me sentando no banco do lado direito.— PO...— POR QUE VOCÊ NÃO PARA DE GRITAR?Todas as cabeças se viram para trás e eu me sinto envergonhada.— Você que gritou.Desisto de dar atenção para aquele garoto e pego meu celular da bolsa. Conecto os fones de ouvido e dou o play em Counting Stars.One Republic era uma das minhas bandas favoritas. Assim como The Fray.Durante o ca
Ler mais
Cinco
— O que você disse? — pergunto.A lata caiu da minha mão, fazendo um barulho chato e contínuo. A fala do professor, havia me pegado de surpresa.— Que eu não quero que você vá.— E por...— Tenho muito que te ensinar! — diz e caminha na minha direção. — Principalmente bons modos.

Ler mais

Seis
— Tenho que ir para a aula.Caminho pelo corredor e passo por ele.— Você não vai entrar. — eu paro. — Está atrasada. Ninguém aqui deixa entrar depois do sinal batido.— Você me deixou entrar.Ler mais
Sete
Levanto sem precisar ser chamada. Jasmine ainda dormia, então aproveito e vou tomar meu banho.Eu havia sonhado com Connor. No sonho, a gente se encontrava pelo corredor da escola e ele me beijava. Na frente de todo mundo. Eu o questionava, perguntava o porquê de ele estar fazendo aquilo. E ele dizia que me amava.Solto uma risadinha e lavo o meu cabelo. Eu queria estar bonita hoje. Mais do que já sou. E era para ele. Meu cérebro feminista estava querendo explodir, por eu estar fazendo algo por um homem.Assim que termino o banho, seco-me e me enrolo na toalha. Depois que escovo os dentes, ligo o secador e seco meu cabelo. Ele estava bem liso e lindo. Quando eu estava saindo do banheiro, dei de cara com a Jas. Ela segurava suas roupas da escola.— Não acreditei quando te vi fora da cama. — diz, sonolenta. — Fez o cabelo?— Sim.— Por quê?— Eu preciso ter um m
Ler mais
Oito
Por ter saído antes do fim das aulas, precisei pegar um táxi para voltar. Mesmo com a minha indicação meia boca de onde era meu endereço, o cara conseguiu achar.Pago a corrida e desço do carro. Ando até a porta e só então, me lembro de que a chave ficava com a Jasmine.Toco a campainha e fico no aguardo. Questão de segundos, até minha avó abrir a porta.— Oli? — ela franze o cenho. — O que faz em casa cedo?Eu não queria dar muita informação.— Não estou me sentindo bem.— Oh...— Vou... deitar um pouco.Beijo o rosto dela e subo.Assim que entro no meu quarto, largo a mochila no chão e tiro os saltos. Vou até a minha escrivaninha e largo a polaroid destruída ali. Suspiro profundamente e me deito na cama, em posição fetal.Sabia que
Ler mais
Nove
Eu voltei pra casa com o sorriso mais idiota do mundo. Meu pai ficou pegando no meu pé, me chamando de gamadinha.Voltei a responder as mensagens de Connor e ficamos falando sobre coisas bobas. Na verdade, ele ficou parte do tempo me chamando de ciumenta e dizendo que achava aquilo fofo. Acabei por dormir com o celular na cara.O final de semana se arrastou, pois Connor teve de desmarcar a nossa saída. Mas ele havia prometido que iriamos sair na segunda sem falta.

Ler mais

Dez
— Sei lá! — exclamo, brincando com o seu cabelo. — Talvez você deva fazer algo... mais feliz. Sem ofensas a sua história de vida.— Não fico ofendido. Na verdade, ninguém havia lido o script. Bem... nem há um. — ele ri. — Eu apenas pensei em fazer assim. Claro que eu não irei atuar, mas...— Por que não?— Sou um professor. Os alunos é quem deve atuar.Ler mais