Amber

AmberPT

Terry N S de Moura  Completo
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
22Capítulos
394leídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Amber é uma jovem de dezesseis anos que vive na cidade ficcional de Granada, ao qual se localiza na região sul do Brasil. Tem poucos amigos e frequenta a escola municipal de sua cidade, sua impopularidade aumenta pelo fato de ser sensitiva, vendo assim coisas que a maioria não vê. Há algo de estranho na morte de seu pai há oito anos atrás, e nunca havia acreditado que seu pai á flor da idade havia morrido de um infarto do miocárdio. Tudo ia estranhamente e monotonamente bem até que Amber recebe uma estranha visita de uma assombração em seu quarto. E esse foi o pontapé para uma genuína aventura.

Leer más

También te gustarán

Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
22 chapters
Fragmentos do Diário
28 de março de 1997...– Querido diário adoraria saber o porquê de chover tanto hoje, aqui em Granada quase não chove, apesar do Frio rotineiro dos pampas. Parece até que a natureza se voltou contra nós meros seres humanos. Já faz dois dias que chove sem parar, era tão bom se ela cessase – Estava escrito no primeiro parágrafo de uma das páginas do diário de Amber.Havia escrito noite passada, antes de cair-se no mais profundo sono.Olhou o despertador que tilintava o alarme das seis da manhã. O atingiu com toda a força das mãos.– A hora não me importa no momento, estou só em meu quarto e ainda é manhã. Posso descansar mais um pouco antes de ir para a escola. Seis da manhã que nada, Ber e Elizabeth que tomem café da manhã sem mim, isso se Ber acordar. – Foi o que viera a seguir dos parágrafos.Redondamente enganada estava Amber, pois não teria mais paz e tampouco liberdade para continuar por mais alguns minutos em seus sonhos.Sua mãe entrou no qu
Leer más
Noite dos Sorrisos
A noite havia recaído sob a cabeça de Amber que lia em sua escrivaninha o livro "Alice no país das maravilhas" de Louis Carrol, sua mãe Elizabeth ainda não havia chegado e tampouco seu irmão Ber. E era assim que Amber passava seu tempo livre, se prendia sobre as teias soltas da literatura.– Nossa como é instigante o gato que tem a capacidade de evaporar e desaparecer acho que já vi um sorriso assim antes! Habilidades fantasiosas como esta seriam muito úteis no nosso dia a dia.As vezes Amber inseria contextos fantásticos no mundo real. Obviamente de brincadeira, mas seria interessante se suas invenções pudessem andar por aí, e claro, se todos os visse.Amber achava os livros da saga de Alice fascinantes isto porque retratavam universos paralelos, em sua maioria as resoluções vinham de algo completamente sem sentido. Mas o que a deixava mais familiarizada era o gato de sorriso debochado, ele evaporava, criava o caos e saia de fininho sem nem ser culpado por joga
Leer más
Amber, Billy e... Cadê a Mary?
Como em qualquer outro dia Amber estava na escola pela manhã. Estava sentada em sua carteira pensando na discussão da noite passada e no visitante estranho que tivera.Os outros alunos haviam saído da sala, isto devido á troca de professores, um saía e o outro ainda não chegava, então os alunos se aproveitam para perambular pelos corredores da pequena escola. Só estavam em sala ela, Filipe o seu colega geek que criava o computador como bicho de estimação, o aluno novo e Marina a aluna que até o presente inicio de segundo bimestre não fedia nem cheirava. Eis então que o aluno novo se aproxima para conversar com Amber.Por mais que estivesse cansada da noite anterior e com uma forte dor de cabeça ela procurava mostrar atenção ao seu colega e se reclinava para ouvi-lo. Esperando sua voz ser finalmente emitida.Para Amber era difícil prestar atenção no que ele dizia, sua boca se movia, mas não se ouvia nada, Amber achava impossível não correr os olhos pelos moviment
Leer más
Na casa de Amber
Amber e Billy desceram do ônibus rapidamente e entraram na casa, uma garota corajosa, mas que estava amedrontada. De fato, ela inventaria qualquer coisa para não ficar só. Mas no caso de Amber ela estava só e com um garoto se alguém visse seu nome estaria na lama, diversas garotas de sua sala eram deveras maldosas! Poderiam ser adolescentes, mas no quesito malícia eram anciãs de idade ultra-avançada.– Droga! Mas também o que podia fazer? Não ia ficar sozinha nessa casa que ultimamente anda tão estranha. Prefiro que pensem que eu e Billy temos algo... Não seria tão ruim assim, seria? – Pensava Amber.Pelo visto Samantha e as “covers das Space Girls” teriam do que falar o resto da semana. No quarto dia na escola e Billy já havera feito uma colega, hora perfeita para as maldosas fazerem muxixos! Quando Amber e Billy desceram do ônibus, já se podiam ouvir os cochichos das pessoas de dentro do automóvel – O que ele vai fazer aí? – Ele vai visitar a esquisita? – Billy fing
Leer más
Os discos, a dança e o "lovesong"
Os dois haviam entrado no escritório do falecido pai de Amber que havia ficado igual desde os sete anos passados dolorosamente. Havia muitas coisas de modo que as mãos de Elizabeth estavam atadas, não podia se livrar de algo sem ter total certeza de que não tinha valor monetário, sentimental ou histórico.Mexiam nos discos em busca do "Madcap". Ele estava lá ao lado do seu irmão mais novo o disco “Barrett", Amber pegou os dois discos colocou o disco dos besouros na capa para tocar enquanto isso remexia o outro disco, então começara a tocar a faixa favorita da garota "Love Song" "A knew a girl..." Ela então largou o disco Madcap sobre a mesa e disse – Ouça isso Billy é uma canção de puro sentimento!– É bem diferente. Nossa, me deu arrepios nos primeiros toques, e o ritmo é contagiante!Os dois dançaram a canç&atil
Leer más
Choro, ódio e Mary entrou no caso
Amber se perguntava por que sua mãe estava agindo daquela forma, ódio e choro se misturavam no seu turbilhão de sentimentos. Ela estava muito aflita com tudo, mas estava decidida. Ela iria descobrir o que aconteceu! Naquela noite ela pegou o telefone escondida e ligou para sua inseparável amiga Mary, lhe contou tudo, e por fim estava convicta disto, Mary também estava no caso, precisava de sua melhor amiga ao seu lado. Embora ela tivesse se queixado por uma ou duas vezes, pois Amber não a deixou levar o violão para onde quer que fossem.O trio agora tinha de expandir suas buscas por pistas, seu cenário não poderia somente cobrir a escola e os três concordaram em passar as tardes de outono à procura de respostas.Foram até o Dr. Paulo o médico que havia socorrido o pai de Amber naquela fatídica noite. No caminho Mary se esticava para dar uma boa olhada em Billy, ria escondida sobre os cantos da boca e pensava bobagens enquanto olhava de volta para Amber. “Tola, mil veze
Leer más
Turno da Noite
Na manhã seguinte Amber havia acordado pela primeira vez com um sorriso estampado sobre seu rosto, não havia mais um resquício de trevas.Seu pai estava tão distante, mas parecia estar sob os seus braços em presença. Mesmo que seus olhos não o vissem ela sentia algo, seu simples e puro sentimento.Seu semblante estava em sua memória e nos seus sentimentos enraizado como uma planta forte. Mesmo que não pudesse o ver ela simplesmente o sentia em sua conciência. Ia para escola pensando, tentando dar ao máximo de si a essa missão.Sabia que havia algo muito importante. Teria de descobrir o que era para seu bem e de todos. A carta e o rolo de metal com o filme eram possivelmente pistas sobre o que estava por vir.Todos os três já tinham se combinado, e Amber sabia quem podia os ajudar naquela ocasião. Havia um jovem de sua sala com quem ela conversava, até que Billy haverá aparecido e ela ficado um tanto distante dele nos últimos dias. O seu nome era Felipe, e
Leer más
Amber conheceu Fábio Coltrane
Novamente Amber estava em seu quarto. Chegou na sua casa por volta das vinte e três horas.A noite parecia longa, porém não tão sombria quanto os dias que haviam passado, ela refletia consigo mesma, pensava em seus amigos.Não tinha tantos, mas os que tinha iriam até o universo do meio por ela. Claro, se ela pedisse com “jeitinho”. Talvez fosse melhor assim concluiu. De que adianta tantas pessoas em sua vida se elas de nada lhe servem?Ela adormeceu em sua cama, estava tão confortável. Ninguém para pertubar, numa noite do declínio de maio. As árvores secas batiam os galhos livres na janela, pareciam mãos tentando agarrá-la. Ou talvez pegar de volta suas folhas que haviam recaído sob a grama?No dia seguinte, uma claridade vinha em seu rosto, o sol havia saído. Ela olhou no despertador da escrivaninha. Seis da manhã, não tinha mais sono. Resolveu se levantar. Durante a manhã Amber rabiscava num caderno de desenho, não sabia o que se tornaria ainda aquela b
Leer más
Visita na casa de Billy
Amber não costumava fazer visita a meninos, na realidade ela nunca havia visitado a um, mas a situação pedia que ela o fizesse.Quantas vezes um fantasma visita alguém e bate um papo sobre seus deveres, e ainda por ventura conta sobre parte de seu universo?É de fato a mais retórica de todas as perguntas, e por isso Amber não pensou duas vezes antes de cruzar Granada em sua bicicleta rumo à casa de seu amigo exatamente no dia seguinte do ocorrido.Uma tarefa difícil devido às colinas e ladeiras que havia na montanhosa cidade que era composta de pampas.Amber não tinha ido sequer à escola, avisou a Amnesty na manhã daquele dia que estava indisposta devido a uma gripe e deixou bem claro que a “Amarinete” teria de partir sem ela. Parando para pensar ela chegou à conclusão de que nunca havia mentido tão bem assim.Muitas verdades suas eram consideradas mentiras, e suas mentiras eram consideradas verdades. Que espécie de mundo louco é esse afinal? O fat
Leer más
Fábio Coltrane, o filho do Prefeito
Abriram a reportagem e começaram a ler:21 de dezembro de 1925...Enquanto aos povos de menores recursos a todos nós meros pobres de Granada, perdemos aos poucos nossas moedas de contos, o prefeito abastecia sua casa com banheiras de cobre mesas de mármore e talheres em puro ouro.O castigo nunca caiu sob a cabeça de quem tem culpa, com uma má gestão de Aphonsus quinto o que compensastes e devolveu ao povo seu direito não fora a compaixão de seu governante e sim o maior dos castigos a este.O povo sofria com o frio e a tuberculose vos atacava, mas dentre a maldade enramada no coração corrupto, seu filho que é atingido pelos estilhaços da doença.Falecendo exatamente a um ano desta matéria.Sua dor no peito de perder seu filho primogênito e único homem a qual deu origem o fez sentir-se podre por dentro, e assim dar ao povo o que se necessitava.Largar assim sua casa luxuosa no alto da colina, por uma mais modesta e ser tão exemplar a p
Leer más