Nunca mais dizer adeus - Livro 3

Nunca mais dizer adeus - Livro 3PT

Carol Moura  En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
22Capítulos
678leídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Alex e Carter resolveram ser felizes de qualquer maneira. E se adotar era o meio para que sua família finalmente acontecesse, era exatamente o que fariam. Mas quando Caterine coloca os olhos em um garoto mais velho do que as expectativas do casal para adoção, tudo muda novamente. Simon Heyes está acostumado a ver as pessoas pelas costas. Especialmente quando elas o estão deixando para trás. Quando um jovem casal decide adotá-lo, Simon tenta se manter afastado o máximo que pode. Ele não quer se envolver, não precisa de mais uma família para explorá-lo e depois jogá-lo fora. Ele só quer completar dezoito anos, terminar o ensino médio e cair no mundo. Mas seus novos pais e uma certa garota de olhos violeta na nova escola batem na porta do seu coração e lhe dão aquilo que ele mais repudia. Esperança.

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
22 chapters
Prólogo
Não é carne da minha carne, Nem osso dos meus ossos, Mas ainda milagrosamenteMeuNunca se esqueçaPor um só minuto;Você não nasceu em meu coração,Mas dentro dele.Poema — A resposta[1]PRÓLOGO [1] O poema A resposta (a um filho adotivo) foi extraído da Fanfiction Parachute de autoria de KitsuShel e traduzido com autorização pelas tradutoras do Perva’s Place. Não foi encontrado o nome do autor e no texto de KitsuShel também não há menções de quem é a autoria do poema, desta forma registro que embora se encaixe perfeitamente em minha história, este poema, lindo como é, não me pertence. SIMON A primeira v
Leer más
Capítulo 1
SIMONPor algum motivo, acabei escapando de Lori e tendo o final de semana livre e sem qualquer castigo. Era um alívio, mas também sabia que na semana seguinte eu pagaria o preço. Lori não era má. Ela era boa para mim, o único adulto que realmente se preocupou comigo durante a minha vida toda. Eu tinha respeito e carinho por ela, mas a última parte eu dificilmente admitiria algum dia.Quando a segunda-feira chegou, Lori me chamou no escritório dela assim que voltei da escola. Eu tinha certeza que era para falar sobre as minhas notas.— Entre, querido. Sente-se. — Seu tom não era de alguém que estava bravo ou preocupado. Sentei e fiquei tentando entender o sorriso que se formava em seu rosto.­— Como tem passado, Simon?— Bem — respondi simplesmente, começando a me sentir desconfortável com o seu sorriso esquisito.Se
Leer más
Capítulo 2
ALEXANDERNo momento em que Caterine viu o garoto, a emoção em seus olhos se transformou em algo que eu não sabia identificar. Mas eu podia dizer com convicção uma coisa: Era o mesmo olhar de quando ela me contou que estava grávida. Bem, era o olhar depois que ela me contou sobre a gravidez e viu que eu não ia surtar com um bebê.O mesmo do dia em que nos casamos.Não tinha outra alternativa.Nós tentaríamos adotar um menino de dezessete anos.— Onde paramos? Ah! Sim, as crianças até cinco anos voltaram e... — Lori voltou a falar, mas Caterine continuava me fitando com aquela expressão determinada e apaixonada.— Na verdade, Lori — Interrompi. —, gostaríamos de saber mais sobre Simon, é possível? — Lori olhou para o menino por um momento e olhou para nós com certa dúv
Leer más
Capítulo 3
SIMON As visitas se fizeram muito mais fáceis depois que descobri que os H. tinham uma parede enorme de livros em sua casa, passávamos a maior parte do tempo falando sobre os livros que gostávamos. Contei que gostava de fantasia e terror.— Quais livros você tem? — senhora H. perguntou entusiasmada.— Eu não tenho muitos — respondi sem graça.— Ah! — disse também sem graça. — Você lê na escola, então?— E às vezes vou à livraria e sento lá para ler os livros. — Dei de ombros, como se não fosse grande coisa. Depois disso, os Hartnett passaram a aparecer com sacolas de livros. Lori chamou a atenção deles, dizendo que não era saudável e podia ser interpretado como suborno para eu aceitar ir com eles. Mas a senhora Hartnett tinha algo nela que fazia as pes
Leer más
Capítulo 4
SIMON A casa dos Hartnett ficava em Tribeca. Era um bairro legal. Bem diferente dos lugares que eu havia frequentado.Os H. são ricos? Pensei comigo enquanto olhava para os prédios e ruas bem cuidadas do bairro.Eles moravam em um loft, era impressionante, para ser honesto, parecia casa de revista. Era grande e com decoração legal. Tinha uma cozinha imensa, sem contar o número de janelas.— Vamos subir, depois você vê tudo com calma — senhora H. disse pegando a minha mão e subindo para o segundo andar comigo sendo praticamente arrastado por ela. Eu podia ouvir o seu marido resmungando e rindo atrás de nós, mas não consegui entender bem o que ele dizia. Ela parou em frente a uma porta e engoliu em seco, quando me olhou, percebi que havia uma pontada de tristeza em seus olhos, mas rapidamente se apagaram e a tristeza deu lugar ao entusiasmo. E no
Leer más
Capítulo 5
SIMON  A primeira semana de aula foi ignorada por mim e os Hartnett, eles alegaram que queriam que eu me familiarizasse com o novo lar antes de ingressar, então durante a semana Alexander e Caterine trabalharam em casa, enquanto eu lia e passava tempo com eles. No final de semana iríamos a Jérsei para eu conhecer toda a família. E na próxima semana seria sujeitado à tortura do High School [1] para mauricinhos.Pela manhã, sempre havia café na mesa para nós três. Ao menos não foram servidos na janela, embora eu tenha gostado de comer lá na primeira noite.A mesa era sempre repleta de waffles, pães variados, iogurte, cereal e panquecas. Caterine e Alexander se esforçavam ao máximo e eu conseguia ver aquilo. A preocupação deles em me incluir, em preencher o ambiente com conversa toda vez, contar sobre sua
Leer más
Capítulo 6
SIMON Na sexta-feira à noite estávamos seguindo para Nova Jérsei. Eu gostei do carro dos H, eles geralmente usavam apenas táxis para andar por Nova Iorque, o que era totalmente compreensível, mas quando iam para Jérsei, Alexander tirava seu Jeep maneiro da garagem.Eles passaram um bom tempo falando do caso em que Alexander estava trabalhando, o caso Hoffman. Foi um caso que o senhor H. aceitou quando ele e a senhora H. passaram por uma crise, eu não sabia detalhes, mas KitCat, como eu gostava de chamar Caterine, me contou sobre o caso e deixou escapar que foi no meio de um momento complicado para os dois. Tinha pelo menos um ano que ele trabalhava neste caso na promotoria. Caterine trabalhava em casos muito menores e era em defesa e não na acusação como o seu marido, mas era maneiro ouvi-los falando sobre os casos.— Alex, essa música é digna de fazer qualq
Leer más
Capítulo 7
SIMON — Mas eu quero dormir com Simon. — Joselie chorou enquanto Josh a pegava no colo.— Mas você não vai, Jo. — Revirou os olhos. —  Dá para acreditar? Nem um dia inteiro e ela já está apaixonada pelo Simon aqui.Josie esteve pendurada em mim a noite toda até que finalmente deixou escapar que me amava e que se casaria comigo. Eu engasguei com o refrigerante na minha boca e todos os outros riram da situação, eu era bom com crianças, mas não tinha ideia de que era um destruidor de corações de nove anos de idade.Quando Jojo finalmente se entregou ao sono, Josh voltou.— Agora os homens da casa irão tomar uma bebida forte e conversar sobre coisas de homem no jardim, senhoras — anunciou forçando uma voz autoritária para todos na sala.— Papo machista! — Mary provocou.Leer más
Capítulo 8
SIMON Meu estômago estava pulando para fora do meu corpo no momento em que Carter me deixou em frente à escola Warden High School. Olhei nervosamente para a entrada da imponente escola onde vários alunos já subiam a escadaria e entravam no prédio, mas não saí do carro, nem me movi.— Quer que eu entre com você? — Caterine perguntou devagar, como se estivesse testando o meu humor.— Não, tudo bem, eu consigo. Obrigado. — Engoli nervoso, tentando convencer a mim mesmo que conseguiria.— Não há necessidade de ter medo, querido. Alex e eu já providenciamos tudo — avisou, dando um tapinha no saco marrom do lanche que havia preparado para mim. Eu quase ri lembrando daquela manhã quando ela preparou o sanduíche de peito de peru para o meu almoço e o entregou para mim. Alex havia sido, com
Leer más
Capítulo 9
ALEXANDER — É bom falar com você também, Mel. Mande meus cumprimentos a Bennett, por favor. Diga que nos encontramos em breve para o julgamento.— Claro, diga a Carter que enviei as fotos que ela me pediu e que mandei um abraço para ela e parabéns novamente pelo novo membro na família, aguardo fotos de Simon.— Enviaremos. Até mais, Mel!Desliguei o telefone e me joguei na cadeira tentando descansar. Os últimos acontecimentos estavam me deixando exausto. O caso Hoffman estava tomando boa parte de meu tempo e eu queria dar atenção para Simon, precisávamos que ele entendesse que estávamos nessa para valer. Conhecendo o seu histórico, era compreensível que ele estivesse reticente conosco. Parte dele se recusava a acreditar que não seria abandonado. Esta parte estava se preparando para ir embora na primeir
Leer más