Asan Quo, Guardiões Reais: Odisseia

Asan Quo, Guardiões Reais: OdisseiaPT

Mitch Prieto  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
34Capítulos
1.2Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Após a divisão da equipe Asan Quo em Belácia, enquanto Joel lidera o resgate dos sobreviventes na Terra, Rick segue em busca dos Enrakes, os Objetos Reais e das pedras mágicas em Ghore. No decorrer da aventura, flashes do passado desfeito vêm à tona e o maior desafio é mudar o curso do presente para que o futuro exista. Seus maiores desafios e batalhas os aguardam em diversas aventuras de mundos com criaturas que jamais imaginaram conhecer. A equipe Asan Quo descobrirá que travam uma batalha não somente contra Fragor e seus correligionários, mas também contra o tempo.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
34 chapters
Nós Estamos Deixando a Terra
Uma espécie alienígena invadiu o planeta Terra. A princípio achamos que conseguiríamos derrotá-los com nossas próprias armas. Descobrimos tarde demais, que éramos supersensíveis a uma substância em seu organismo, que chamamos de Paralyton.— DEZ — Inicia-se a contagem regressiva pelo computador de bordo.A substância entrava rapidamente na corrente sanguínea e nos paralisava.— NOVE —Lutamos e enfrentamos os mortons por quatro anos, até restarem poucos de nós sobreviventes espalhados pelo mundo.— OITO —Os mortons trouxeram com eles algumas criaturas e plantas de seu planeta, o que diminuiu muito nossas possibilidades de esconderijo e resistência a eles.— SETE —Johnson, nosso engenheiro espacial, mais conhecido como Gorilla, junto com a ajuda da bióloga Ami Funjoy projetaram e
Ler mais
Para o Buraco de Minhoca
A arca de Funjoy iniciou sua decolagem sem obstáculos, saindo do abrigo subterrâneo pela plataforma gigantesca que se abria sobre nós. Mortons que sondavam o local começaram a nos atacar de suas naves. Eles não queriam que deixássemos o planeta com vida. — Gorilla! Eles acertaram um dos propulsores traseiros! Estamos perdendo potência! — notifiquei apreensivo. — Saeed! Acione os propulsores auxiliares! — orientou Gorilla rapidamente, — Nós vamos sair sim! — Acionando propusor auxiliares em treis, dois, um! — respondeu o garoto Saeed com agilidade. A nave assim retomou a potência necessária. — Segurem firme! A turbulência será pesada! — informou Gorilla, ao sentirmos iniciar a trepidação da nave em passagem pela camada de ozônio. — Eles está recuando! Não vai tão longe para pegar nós... — observou Saeed ao findar da turbulência. — Ótimo. Não teríamos condições de combatê-los com a Arca em decolagem — evidenciou Gorilla.
Ler mais
As Hibernações
Ponto de vista de Saeed. — Esse é meu trinta vídeo-diário. A rotina sempre a mesma, e isso já tá entediante... — disse sentado em frente à câmera, articulando e gesticulando com uma bolinha de pano e areia nas mãos — ganhei essa bola de Al’ab. Ele diz que vai me ajudar com tédio e stress. Aquela idéa de ser o primero a fica acordado não parece mais legal. Lea não é má companhia, ela só não tem muito assunto para conversa com Saeed, e quando conversa ela diz não me entende muito bem por causa do meu sotaque árabe. Por todo tempo tem prestado atenção no espaço e não vejo a Terra mais, faz já uma semana... Pensar que dexamos nosso planeta atrás é triste, mas sabemos que não tem muito de ser feito. É isso pelo hoje, desligando.— Gravan
Ler mais
As Hibernações (parte 2)
Ponto de vista da Léa. — Olá novamente! Este, bem provavelmente, será meu último vídeo-diário antes da hibernação, então vou aproveitá-lo para dar algumas orientações... Essas são para Lisa: Dirceu, o cavalo marrom está doente. Não sei bem o que ele tem, mas tenho o medicado de acordo com os sintomas. Cuide dele, por favor, ele é muito bonzinho. Você não terá dificuldades para os exercícios diários, então mande ver! — após uma pequena pausa, prossegui — vou deixar uma nota para você, escrita em papel, o velho e antigo, que ainda nos serve bem — disse seguido de risos — essa informação é para você Lisa! E, Hector, não se intrometa! — disse franzindo a testa. — Acredito que seja só iss
Ler mais
As Hibernações (parte 3)
Ponto de vista de Isabela. — Lisa! Lisa, sua vagab... Ahn? Ela entrou na sala das câmaras. — disse Hector após notar a porta forçada.— Eddie! Isa? Despertaram tão cedo? — disse Hector ao vê-los despertando ainda, com voz arrastada como a de um bêbado.— Hector? — disse Eddie entre tosses e gemidos — onde está Lisa?— Ela estava indisposta e preferiu hibernar antes que despertassem — disse ele em tom contestável, após olhar para sua câmara.— Suponho que você fosse logo em seguida, não Hector? — questionou Isa duvidosamente.— Não. Tenho alguns assuntos para resolver aqui ainda. — disse Hector deixando a sala.— Eddie, algo está errado! Vamos atrás dele. — disse caindo de minha câmara, voltando a mexer meu corpo lentame
Ler mais
Para Onde Agora Capiton?
Cinco anos e oito meses depois... Ponto de vista de Rick. Este era finalmente o último turno desta nossa jornada. Depois de passarmos por aquele portal nossas vidas teriam destinos inimagináveis. Confesso que isso me preocupava muito, não saber o que estaríamos fadados a passar, nem onde estaríamos indo. As vidas daqueles humanos, e provavelmente últimos de nossa espécie estavam sob minha direção, sob minha responsabilidade. Eles não somente acreditavam em minhas palavras, eles confiavam em mim. Não poderia falhar, nem desperdiçar sua fé.— Rick, com todo esse tempo aqui no espaço ainda não enjoei de admirar as estrelas e esse vasto universo... — falou Ami contemplando a grandeza do sol a anos luz de nós.— Isso é bom, Ami! — disse com sorriso
Ler mais
O Mesmo Velho Gorilla
Ponto de vista de Joel, Terra, pouco depois da divisão de equipes em Belácia.   — Isabela! Suba até aqui! — gritei. — A caminho Joel! — concordou ela. Para que chegasse até mim ela teria que escalar três andares de construção demolida com um tigre vermelho, mas para aqueles dois não parecia haver dificuldade alguma. Eles formavam de fato uma dupla muito habilidosa. — Joel, pra qual lado? Eles estão logo atrás de nós! — questionou ela apreensiva ao aproximar-se de mim. Montei em Volt junto com Isabela e rapidamente prosseguimos na subida prédio demolido acima. Após alcançarmos o topo da construção avistamos algumas sucatas de aeronaves mais à frente e para lá cavalgamos sobre Volt. — O sinal do GPS aponta para esta direção, Isabela. Vamos! — orientei-a apressadamente. — Foi mais fácil do que imaginávamos... — comentou ela com a cabeça na lua. — O que foi tão fácil? — indagu
Ler mais
A Arca de Funjoy
— Frank! Mena! Mais sobreviventes? — perguntou ele ao se aproximar.— Sim Gorilla, mas não do tipo que encontramos por aí geralmente... — respondeu Frank cheio de animo.— Rum... — Gorilla parou próximo de Isabela e pôs-se a analisa-la.— Você me lembra de alguém que não vejo há muito tempo, menina... — disse Gorilla medindo a garota milimetricamente.— Seu irmão, talvez? — atreveu-se Isabela.— Rick... Rick?! Rick Price?! O que?! Você é Isabela Price?! Não pode ser! — falou Gorilla surpreso — Aquele canalha não está morto?! Há tantos anos o procuro... Nem que seja somente seu corpo para enterrar... — emocionou-se ele. — Venha cá menina! Dê-me um abraço apertado! — descontraiu-nos com seu jeitão extravagante. — E onde est
Ler mais
O Templo de Zokirathre (parte 1)
Ponto de vista de Rick. [Algum tempo após a partida da equipe de Joel á Terra. Sistema Solar Ghore, Planeta Tracozull]. — Então este é o Templo de Zokirathre... — comentou Danton admirando a entrada rochosa, milenar e um tanto sombria.— Aparentemente sim. — respondi — Pelo menos é aqui que Glenzer nos indicou. — Ele faz breve som concordando com minhas palavras. — O conselho é o mesmo... Olhos bem abertos e atentos... — lembrei-os.— Vamos Lumiá. Vamos iluminando o local. — adiantou-se Elgie.A porta do Templo tinha pouco mais de quatro metros de altura e aparentemente estava abandonado. Ele era inteiramente construído com um tipo de rocha escura, parecida com gabro, não aparentava haver mais que um andar e tinha mais de dois quilômetros de e
Ler mais
O Templo de Zokirathre (parte 2)
— Como chegamos ao baú? — perguntou ele.Observamos ao redor e notamos que havia barras de ferro que saiam de quatro pontos específicos das paredes como escadas e seguiam pelo teto até o centro do salão, ou melhor, até o baú.— Aquele é o caminho... — indicou Danton.— Vamos ver quem chega ao baú primeiro Rick?! — Danton sugeriu uma competição.— Claro! Já está perdendo, Danton! — falei escalando pelas barras mais próximas à minha direita.— Você que pensa espertalhão! Sou mais ágil... — disse ele partindo rapidamente para as barras à esquerda de sua saída.Enquanto as meninas aguardavam lá embaixo, Danton e eu tentávamos chegar ao baú em um tipo de competição. O danado era de fato mais rápido que eu, mas n&atil
Ler mais