O Melhor amigo Gay

O Melhor amigo GayPT

Artemis Cassana  En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
18Capítulos
1.6Kleídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Clara Dunsley se sentiu insegura quando soube que ficaria sozinha em seu quarto na Universidade, mas a companhia de Nathan Zanford caiu melhor do esperava, mais o que ela não esperava era que ele fosse Gay, assim como não esperava que se apaixonaria por ele depois de três anos dividindo um quarto universitário. Para sua felicidade, ela iria descobrir que Nathan não era tão Gay como ela pensava, e que ele era mais homens dos que os jogadores do time de Baseball que ela tanto gostava.

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
18 chapters
1
Mais um dia. Mais um dia chegava ao fim e nenhuma ligação, nenhuma! Talvez não tivesse sido uma boa ideia morar em um apartamento tão grande e sozinha... A culpa, na verdade, era de seu pai, que tirou todo o dinheiro de sua poupança de um dia para o outro, sem deixar um único centavo para sua sobrevivência. “Sério que você achava que ele iria ajudar?”, perguntou-se e revirou os olhos com seu pensamento irônico.Suspirando e apoiando-se com as duas mãos à mesa, Clara Dunsley fitava fixamente a chuva descer pela janela e ficou assim, tentando ignorar os próprios pensamentos, algo impossível em seu atual estado. Em dois dias, ela teria que pagar o aluguel do apartamento e seu dinheiro não chegava nem a metade da quantia total. Na verdade, chegava exatamente ao meio, porém isso significaria ficar sem comida na geladeira.Ah, como ela sentia raiva de seu
Leer más
2
— Calma! — viu-o sair do quarto e voltar minutos depois com um embrulho lilás com detalhes brancos. — Feliz “três anos de amizade”!Clara riu e o rapaz sentou-se na cama novamente, sorridente. A Dunsley saiu da cama e, quando viu que ele iria reclamar, colocou o indicador na boca do amigo, deixando em silêncio. Em seguida, foi para seu closet e esticou-se para pegar na prateleira de cima o presente do melhor amigo. Voltando, riu da expressão de surpresa dele e sentou-se de frente para o mesmo, colocando o presente sobre as pernas cruzadas.— Pensou que só você compraria, é?— Claro, você vive esquecendo o meu aniversário — apontou Nathan e ela corou.— Foi só uma vez e mal nos conhecíamos! — rebateu e bufou, entregando o embrulho alaranjado. — Feliz “três anos de amizade”, Nathan.Ele entregou
Leer más
3
Quando abriu os olhos, Clara estranhava estar no quarto de Nathan, principalmente todo escuro. Sim, ela já havia estado lá e, sim, ela já havia dormido ali, contudo, não se lembrava de ter ido para lá. Ouviu a porta de o banheiro ser aberta e fechou os olhos rapidamente, ouvindo passos leves e um suspiro ao seu lado da cama. Sentiu os lábios de alguém sobre sua testa e, na hora, soube que era Nathan, por isso abriu os olhos. Viu-o sorrir sem mostrar os dentes e foi para o outro lado da cama, deitando-se e apoiando-se contra a cabeceira desta.Foi durante os minutos de silêncio que eles tiveram que se lembrou dos últimos momentos antes do desmaio: a chegada de sete estranhos em sua casa, um desses estranhos chamou-a de prostituta e, para protegê-la, seu amigo gay falou que ela era sua namorada. Ah, e também que esse mesmo amigo, que deveria gostar de homens, deu-lhe um selinho.— Nathan&nbs
Leer más
4
Alguns dias atrásNo último domingo antes de voltar para as faculdades, Clara sentiu-se totalmente indisposta para sair com os amigos de Nathan. Na noite passada, eles foram para uma balada noturna e, quando Nataly e Jonas saíram para dançar e Nathan e Alan foram comprar as bebidas, Anastacia e Helena ficaram conversando e falando mal dela de forma maldosa, como se ela não estivesse por ali. Ouviu que seu corpo era feio, sua carinha de santa era falsa, seu vestido era de mau gosto. Após a volta do “namorado”, ela encolheu-se nele e ficou a noite toda em silêncio. Mais legal foi que, quando voltaram para casa, Nathan nem perguntou se havia algo errado; só beijou sua testa e foi dormir.Por isso, quando ele chamou-a para ir a um restaurante, recusou educada e falou a desculpa que mais funcionava com as mulheres: cólica menstrual.Encolhida no sofá, comia um hambúrguer que Loren
Leer más
5
No shopping, um grupo de amigos andava lentamente, observando as lojas, após terem saído da sala do cinema e todos estavam extremamente animados, comentando o filme recém-visto... Bem, todos, menos um rapaz.Com as mãos nos bolsos da calça jeans, Nathan não sabia se deveria sentir-se irritado ou preocupado com Clara. Irritado, pois ela o deixara sem ao menos se despedir e pediu para Nataly passar que estava indo para a casa de uma amiga, Tamara; preocupado, pois a rosada havia reparado que, quando se esbarraram, a outra estava pálida e muito abalada...Será que havia ocorrido algo? E, se tivesse, por que não foi falar com ele? Após a amiga ter sussurrado isso ao sentar-se no lugar da “namorada”, o filme perdera toda a graça e só não foi atrás dela por causa dos amigos que logo voltariam para Los Angeles.— Nathan — chamou Nataly e levantou o
Leer más
6
Alguns anos atrás...O pequeno anel era reluzente e de ouro branco, o metal que a namorada mais gostava. Girando-o entre os dedos, Nathan tinha um sorriso sonhador no rosto só de pensar qual seria a reação de Helena com o pedido. E quando colocasse o anel no dedo dela? Seria a expressão que mais marcaria sua vida.— Nada vai me impedir de ficar com você, Helena — sussurrou confiante e seguiu para casa. — Nada, nem ninguém!Já havia pedido para os pais dela e eles relutaram um pouco, afinal, ambos tinham apenas dezoito anos, muitas situações ainda os aguardavam. Mesmo com essa relutância, o jovem mostrou todo o seu amor pela namorada e os pais dela acabaram por ceder. Também comentou com seus pais e eles tiveram a mesma reação.O seu pedido seria no dia seguinte, dia que a formatura deles acontece
Leer más
7
O barulho do copo sendo colocado com força no balcão era nada comparado à música que fazia o seu tímpano zunir. Sorrindo para o barman, pediu outra bebida que já havia esquecido o nome e, para sua felicidade, o rapazinho sabia de qual se tratava, enchendo o seu copo novamente.— A senhorita não bebeu demais? — perguntou-a e, pelo tom de voz, ele deveria estar preocupado.Algo que uma Clara bêbada nem notou.— Q-que naaada! — riu da expressão séria do moço e bebeu mais um pouco de sua bebida. — Não se preocupe... Sou grandinha para beber!— Não é o que parece... — o barman suspirou e foi atender outro cliente, visto que aquela ali não tinha jeito.Olhou ao redor e achou uma boa ideia dançar na pista de dança, seguindo cambaleante até esta. A música era eletrônica, ou seja,
Leer más
8
Nathan já deveria ter passado por todos os lugares que Clara teria ido. No telhado da universidade que ficava estudando, no café que gostava de ir, na praça que ia para ficar sozinha, no bar que frequentava com os amigos da faculdade, na boate que iam juntos.Ele já não sabia aonde ir e aquele pensamento deixava-o desesperado. E se ela tivesse fugido da cidade? Voltado para a casa dos pais, onde ele não sabia aonde era?— Vou achá-la, preciso achá-la — sussurrava para si, tentando não ser levado pelos seus pensamentos negativos. Tirou o celular do bolso e foi para o acostamento. Estava prestes a ligar para Tamara de novo quando recebeu uma mensagem de texto...“Achei Clara. (...)”O alívio foi instantâneo, fazendo-o respirar fundo e jogar a cabeça contra o banco. Sentiu toda a aflição, o medo, a angústia, tudo ir embora quando le
Leer más
9
“Ai”, esse é o primeiro pensamento de uma pessoa que acorda com uma ressaca daquelas. A pessoa em questão era Clara que sentia uma dor de cabeça infernal, a garganta seca e o estômago revirar como se tivesse em uma montanha-russa grande e cheia de voltas. Esperou a montanha-russa estomacal parar para não vomitar e sentou-se na cama lentamente, temendo que, se fizesse algum movimento brusco, seu crânio pudesse explodir.Como pudera beber de forma tão descontrolada quando aquela? Nunca teve um porre daqueles!Estava tão concentrada em não colocar os “bofes” para fora que nem notou que não estava na sua cama, muito menos no seu quarto. Apenas quando apoiou sua mão esquerda atrás do corpo para sentar-se melhor foi que sentiu algo quente e musculoso ao seu lado, o que a fez pensar “Oh-oh, fiz merda”.Receosa, virou o rosto lentamente e soltou a respir
Leer más
10
— Ah, isso... — a curiosidade deu lugar ao entendimento.Mas espera um pouquinho...— Como assim “Ah, isso”? Você já sabia? — perguntou indignada. — Não acredito que não me contou!— Sinceramente, todos sabiam a verdade — confessou a outra arrependida e aquilo deixou a morena mais revoltada. — Clara, ele tem um bom motivo para não ter contado para você, só deixe-o se explicar.— Você é minha melhor amiga, como pode não me contar algo como isso? Você sabe... — parou e, tendo certeza que ele estava atrás da porta, sussurrou quase inaudível. — Você sabe o que sinto por ele e, mesmo assim, não me falou nada?— Clara...— Olha, Tamara, já estou magoada o suficiente e não quero ficar mais triste, então,até — desligou o celular
Leer más