Aluga-se um padrinho (Livro 1)

Aluga-se um padrinho (Livro 1)PT

Maíny Cesar  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
48Capítulos
2.3Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Helena é uma mulher caseira que dedica a maior parte de seu tempo ao trabalho, mas se vê em um grande impasse quando sua vida pacata se torna conturbada ao receber um convite inesperado para ser madrinha do casamento de sua prima de primeiro grau. Sabendo que não pode recusar o convite de sua quase irmã, é obrigada a aceitar por mais que seus pensamentos e coração grite para recusar. O grande problema é que Helena tem apenas três meses para arrumar um padrinho digno de ser apresentado a sua família como namorado, já que o último, além de aproveitar da fragilidade de seu coração pela morte do seu noivo, a traiu descaradamente. O que ela não esperava era conhecer um CEO mal-educado, arrogante e mesquinho que torna os dias de sua vida completamente conturbados e caóticos.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
48 chapters
Prólogo
A vida não é tão simples quanto parece.As coisas não saem como planejamos e o desespero faz parte do seu dia te enlouquecendo a cada tic tac do relógio assim que você coloca os pés no chão para iniciar mais uma manhã.Sim, para os que pensou que a vida adulta fosse fácil... Se enganou meu caro. Abra os olhos e aceite os fatos, pois quando você acha que está tudo bem é aí que você se engana.Minha semana estava ótima e a vida parecia florir como nunca antes, já estava pronta para o trabalho e até mesmo organizei minha agenda para que nada desse errado no meio do caminho, mas de repente o universo resolve te pregar peças engraçadas.Sim, quando a vida quer te sacanear meu querido, ela faz isso com honra.Concluo meus pensamentos observando a linda caixa de madeira branca em minhas mãos com pequenos detalhes
Ler mais
Capítulo 1
2 meses depois. - Eu não acredito que você ainda está com essa ideia absurda de arrumar um namorado para o casamento da sua prima Helena. Para de ser boba, chame um amigo ou um de seus primos.  -Brenda repreende pela quinquagésima vez.-Você não entende. -Nego indignada. -Preciso provar que sou capaz, afinal eles vivem falando que depois da morte de Rafael me fechei para o mundo e além disso o traste do André estará na festa. -Massageio minhas têmporas na tentativa de amenizar a dor de cabeça que estava me matando.-Provar? Você com essa história novamente. -Diz indignada. -Você não tem que provar nada para ninguém, nem para sua família e nem para o traste do André que te traiu, tem apenas que dizer a sua prima que não encontrou ninguém e ponto final.-Poderia fazer isso, mas não
Ler mais
Capítulo 2
Acordo assustada com uma movimentação estranha ao meu redor, demoro um pouco para me localizar antes de ver minha mãe e meu pai ao meu lado.-Helena. -Eles se levam e me abraçam apertado enquanto um filme do que aconteceu se passa em minha cabeça.-Mãe eu matei um homem. -Grito em desespero deixando que as lágrimas rolem por meus olhos.A dor em minha cabeça era tanto que a qualquer momento parecia que iria explodir.

Ler mais

Capítulo 3
Apesar do susto do dia anterior as coisas estavam fluindo bem na empresa de advocacia. Como eu tinha uma audiência em poucos minutos deixo Brenda encarregada das minhas coisas enquanto seguia para sala do Juiz Vasconcelo.Sempre fazíamos isso, quando uma tinha uma audiência a outra se encarregava de cuidar dos pertences enquanto a audiência não acabava, afinal Vasconcelo era exigente com a questão de aparelhos celulares em suas audiências e isso era um verdadeiro saco.- Vou aproveitar para ir no centro buscar aquele vestido que te falei semana passada. -Brenda sorri retocando seu batom vermelho que combinava bem com sua pele morena claro.-Tudo bem, mas não se atrase, você sabe que Rogério odeia quando atrasamos para entregar os relatórios.-É rapidinho, já deixei separado na loja, só havia esquecido meu cartão.Concordo analisando mais uma vez os p
Ler mais
Capítulo 4
Jonathan -Essa garota me irrita. -Trinco os dentes sentindo meu maxilar estalar.-Pare de ser carrasco pelo menos uma vez na sua vida John.- Eu não sou carrasco, só não gosto de toda essa falsa bondade destinada a mim quando sei que é puro fingimento.-Como pode afirmar que é fingimento se você nem conhece a moça? -Eric nega com a cabeça. -Depois que papai morreu você se fechou em uma bolha paralela ao mundo e ninguém te suporta.-Não estou pedido para você me suportar, só estou falando que não caio nessa armação e pinta de boa moça. -Dou de ombro com os braços cruzados no peito.-Quanta implicância, talvez devesse dar uma chance a ela. Moça gentil e legal, ela é linda e eu bem vi como seus olhos correu descarado pelo corpo dela.-Cala boca Eric,
Ler mais
Capítulo 5
HelenaApós sair do hospital volto para o escritório e antes mesmo de chegar na porta da minha sala tenho um sobressalto com o susto que Brenda me dá me empurrando para dentro.-O que foi isso? -Pergunto com a mão no peito.-Eu quero saber tudo sobre o padrinho de aluguel. -Fala erguendo as sobrancelhas. - Ele é bonito?-Padrinho de aluguel Brenda? -Balanço a cabeça em negativo. -Está mais do que na cara que é garoto de programa. -Enfatizo as últimas palavras.-Já disse que detalhes a parte Helena, pare de ser chata. -Se joga na poltrona suspirando. -Achei que ele iria responder, mas que droga viu. Essa era a solução dos nossos problemas. - Diz chateada.-Meus problemas. -Afirmo.-Se são seus são meus também mal-agradecida. -Faz um bico me fazendo rir.-Você sabe que eu te amo.-Ama nada.
Ler mais
Capítulo 6
-Mas que homem. -Brenda se abana com uma mão enquanto come o brigadeiro da colher sentada no sofá da sala.Permanece sentado no chão com o braço apoiada em cima do sofá espiando a foto como posso.-Não dá para negar que ele é lindo.-Se você tentasse tamanha afronta eu te levaria a um ocultista neste exato instante. -Me empurra com o pé me fazendo rir.-Exagerada. -Pego mais uma colherada de brigadeiro.-André vai roer as unhas quando ver esse homem ao seu lado e aquela piranha da Bruna vai ficar vermelha igual uma pimenta. -Brenda ri alto.-Para de ser boba, já faz meses que eles estão juntos, devem se amar de alguma forma.-Helena, para, pelo amor de Cristo. Todos nós sabemos que ele está com ela porque o pai dela tem um bem aqui e ali que ele quer herdar.-Você não tem piedade. -Comento rindo.-Fala s&e
Ler mais
Capítulo 7
Desconhecido: Aguardarei a senhorita as dez horas da manhã no Levisky Gourmet.Releio aquela mensagem pela centésima vez e a cada leitura o nervosismo me consome.Tudo parecia engraçado demais até não se tornar sério demais e era exatamente isso que estava acontecendo.Me encontrar com um homem que nunca vi e ainda por cima pagar para me acompanhar a um casamento?! É o fim do desespero de uma pobre alma solitária.Sorrio nervosa olhando a tela do celular mais do que deveria.Depois disso minha dignidade nunca mais será a mesma eu tenho certeza.Tento não focar os pensamentos naquele fatídico fato, mas o nervosismo começava a mexer com cada célula do meu corpo me deixando agitada e desesperada.Eu não sabia disfarçar, nunca soube, se algo me incomoda fica explícito na minha cara e isso é uma v
Ler mais
Capítulo 8
Agarrada ao corpo de Brenda choro copiosamente envergonhada. Não deveria estar assim eu sei, mas simplesmente não consigo me levantar.Me sinto fraca, frustrada e chateada, me sinto um nada nesta terra e talvez sejam pelas palavras tão reais de Jonathan. Isso vai além da solidão... Tenho vontade de rir e se a dor não fosse tão sufocante faria.Suas palavras trouxeram gatilhos que custei a superar e agora me vejo caída sobre uma cama envolta a uma bolha de depressão.É errado, sim é, mas quem explica isso e convence minha mente do contrário?Quem arranca o vazio do meu peito?Quem aplaca o desespero e a angústia do meu coração?Ninguém.Chorar pelo menos alivia e diminui o nó que aperta minha garganta.-Amiga você precisa levantar desta cama, tomar um
Ler mais
Capítulo 9
HelenaPassei o domingo na casa dos meus pais e confesso que estava com saudades deles, aproveitei para ajudar meu pai a replantar as roseiras da mamãe e curti cada segundinho que pude dos meus velhos, afinal durante a semana quase não nos vemos.A segunda já começou alvoroçada com Rogério gritando ordens e passando clientes para cada um de nós. O que é maravilhoso, não vamos reclamar do pão nosso de cada dia.Uma pequena batida na porta me chama atenção.-Entre.-Helena, tem um homem querendo falar com você. -Carolina a recepcionista diz.-Quem? -Pergunto franzido as sobrancelhas já que não tinha nenhum horário marcado para agora.-Disse apenas que precisava falar com você. - Ela balança os ombros.- Você deve perguntar o nome das pessoas antes de vir até nós Carol, as
Ler mais