Meio Ano de Liberdade

Meio Ano de LiberdadePT

Cleonara Dantas  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
24Capítulos
472leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

para Ivy o sonho de ser livre sempre foi algo muito distante. Sua vida era milimetricamente programada pela condessa de Dorset, sua mãe, para quem seu espírito aventureiro e linguajar atrevido, eram inadmissíveis. Seu último suspiro de liberdade estava se aproximando cada vez mais, conforme a sua carruagem se aproximava do internato para moças, pra onde fora enviada de forma disciplinar. Cumprir a rígida rotina do lugar, sem receber visitas pelos próximos seis meses, seria o seu castigo por ter se portado mau, mais uma vez, durante o baile dos Cumberland. Mas, será que esta audaciosa mocinha aceitará de bom grado, um destino tão desesperador? Ou seu plano para transformar sua prisão em meio ano de liberdade dariam certo?

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
24 chapters
01
– Lady Dorset, minha família é, de fato,  um exemplo de honra e respeito em toda Londres, jamais deixaríamos de cumprir a nossa parte do acordo, firmado a tanto tempo entre nossas casas. – disse a condessa de  Cumberland, após tomar mais um gole do seu chá favorito. – acontece que, como todo acordo, este também possui duas partes e, se a que lhe cabe, não for cumprida como se deve, me verei livre de qualquer obrigação com a sua família.– Oh, Lady Cumberland, eu estou imensamente envergonhada pela situação, mas, não vamos agir por impulso. Sim? Minha filha está muito arrependida, chorou a noite inteira de tanto arrependimento. Isso nunca mais irá se repetir, não é Ivy?O último lugar onde Ivy Sackville gostaria de estar
Ler mais
02
Para Ivy, ir para o internato passar os próximos seis meses de sua vida, estava fora de cogitação. Para sua sorte, sua dama de companhia era, assim como ela, uma jovem ousada, audaciosa e muito corajosa, que nunca dispensava uma boa aventura. A essa hora, ela já deveria estar de volta, o coração de Ivy pulava em seu peito de tanta ansiedade. O plano era muito arriscado, mas, se desse certo, os próximos seis meses seriam muito diferentes do que a sua mãe planejou.– Ivy, querida, já está pronta? A carruagem está nos aguardando.– disse a condessa, entrando no quarto da filha.– Eu estou, mamãe, mas a Lunna foi se despedir de alguns parentes e eu prometi que daria uma carona para sua prima também, até a cidade de Luton. Já que eu vou ficar trancada como uma prisioneira, minha dama de companhia pode ter uma folga para visitar a família com sua prima.– Querida, eu disse que a acompanharia pessoalmente, e realmente gostaria muito de pode
Ler mais
03
– Olá, a senhora deve ser a acompanhante da senhorita Sackville, senhora Jhonson, não é? Eu sou Vivienne, assistente da diretora.– disse a senhorita Hamlets, enquanto sorria para a governanta da família Sackville. – A partir de agora, ela estará segura aqui conosco, será uma honra instruí-la de alguma forma pelos próximos meses. Estamos muito agradecidos pela preferência da família.– Levarei seus agradecimentos à condessa de Dorset, obrigada senhorita.– Aqui está a carta assinada pela diretora, desejamos uma boa viagem de volta. A senhorita Sackville já foi encaminhada aos aposentos dela e em seguida irá conhecer as dependências do lugar. A partir de agora, ela já não terá nenhum contato com alguém de fora.– Obrigada mais uma vez, partiremos então.– Disse surpresa e ao mesmo tempo satisfeita com a rigidez daquele lugar. Era tudo o que a senhorita Sackville precisava.De posse da carta assinada pela direto
Ler mais
04
O clima estava maravilhoso na primeira manhã a bordo do Savannah, o moderno navio a vapor onde viajavam. Para Ivy, este era um presságio de que tudo correria bem. Infelizmente, as duas amigas não puderam explorar o navio como gostariam. O acesso da terceira classe era limitado apenas aquele piso, e como distração, além de olhar o mar, tinham apenas um salão de jogos e um salão comum, onde as pessoas se reuniam falando alto, cantando e contando piadas. O refeitório também era separado apenas para aquela classe. Possuía longos bancos de madeira, onde vários passageiros ocupavam a mesma mesa. Segundo ouvira falar, isso era considerado um luxo para a classe econômica, que as companhias de viagens passaram a adotar, pois, em outros tempos a terceira classe tinha que levar os próprios alimentos.Na cabine, além das camas e um pequeno armário para guardar os pertences, havia uma pia, onde poderiam se lavar, mas, a casa de
Ler mais
05
O navio demorou muito mais do que o previsto na Espanha, só seguiram viagem à noite, daquele mesmo dia. Deveriam chegar à Itália em três dias, se tudo corresse bem e as paradas não fossem tão longas.Os dois dias que se seguiram foram tranquilos e as noites, como sempre, bem animadas, na área coletiva da terceira classe. Ivy realmente se divertia e se sentia livre naquele ambiente, festejando com aquelas pessoas e conhecendo um lado diferente da vida. Seria hipócrita se dissesse que não sentia falta de todos os luxos que tinha e de todos os privilégios que a sua posição social proporcionava, no entanto, a liberdade de agir e se comportar alí, era algo que desejava provar a muito tempo.Era a sua última noite a bordo do Savannah, no dia seguinte desembarcariam na Itália e aproveitariam ao máximo a estadia por lá. Tudo exatamente como sonhou durante os últimos anos.Estava dançando com um rapazote italia
Ler mais
06
Aquela foi uma noite bem longa para Ivy, ela não saberia explicar o motivo, mas, sempre que fechava os olhos a imagem daquele olhar de fogo a devorando, vinha em sua mente perturbá-la, e também podia ouvir as vozes da sua cabeça que sussurravam perguntas que ela jamais poderia responder."E se tivesse ficado?""E se não tivesse corrido como uma criança com medo?"Não era do seu feitio correr ou fugir de qualquer desafio, pelo contrário, sempre fora julgada por sua ousadia e atitudes, consideradas indevidas para uma dama. No entanto, naquela noite, de forma nada planejada, estava agindo com medo e até timidez. Ler mais
07
"Ele também estava olhando pra mim."Era essa a frase que permanecia na cabeça de Ivy, enquanto ela se afastava, no balanço das águas. Por mais que ela estivesse em uma cidade tão encantadora, cercada por todo luxo e liberdade que só seria possível para um cavalheiro, o único pensamento que vinha lhe roubando os sentidos era exatamente esse. Após o episódio no barco, pelo restante do caminho e durante o resto daquela noite em que mal pregou os olhos, não havia outra coisa na qual conseguisse se concentrar. Os olhos de gelo, de um azul tão profundo, o cabelo escuro que realçava ainda mais o seu olhar, o tamanho e a personalidade imponentes. Tudo naquele homem a atraía, de uma forma que jamais imaginou ser possível.Sempre havia idealizado a sua vida livre e independente. Sabia que chegaria o momento em que teria que se casar com alguém, os seus pais, com certeza, se certificariam disso. No entanto, nunca se imaginou feliz
Ler mais
08
– Milady, a senhorita perdeu o juízo de vez! – disse Lunna, assim que Ivy retornou ao quarto luxuoso que as duas dividiam e lhe contou o que havia acontecido e o que haviam combinado para o dia seguinte.– Meu coração já ficou tão aflito hoje, ao vê-la partir com ele, sozinha, e agora me diz que pretende fazer o mesmo amanhã?– Calma, Lunna. Eu não pretendo ir sozinha, você irá comigo dessa vez. Eu não quero passar impressões erradas nesse primeiro encontro oficial. Amiga, eu sei que isso tudo parece loucura, mas, é algo que não dá pra explicar, eu só sinto que preciso viver isso antes de voltar para o faz de conta da minha mãe. É a minha única chance real de fazer o que eu realmente quero.Ivy caminhou até a cama e se jogou nela, imaginando como tudo seria no dia seguinte.– Você está apaixonada por ele? – perguntou Lunna, afinal, nunca tinha visto a sua lady se comportar daquela maneira com um cavalheiro.–
Ler mais
09
Quando desceu do seu quarto para encontrar-se com Andrew, Ivy sentiu aquele familiar frio na barriga, que antecedia todos os encontros entre os dois. Sempre achou que a esta altura já estaria longe de Veneza, que toda aquela empolgação já teria ido embora, que um homem experiente e viajado, como Andrew aparentava ser, não deveria dedicar tanto tempo assim a uma simples serva, que sequer saía a sós com ele. No entanto, pelo decorrer dos acontecimentos, estava completamente enganada. Nos últimos dias, mal se separavam e ela já se via ansiosa pelo próximo encontro. Ele, por sua vez, sempre estava lá na tarde seguinte, elegante e gentil, com os olhos de gelo que sempre faiscavam quando a viam chegar e a derretiam por dentro, um pouco de cada vez.– Milady, está especialmente encantadora esta tarde– falou ele, assim que a viu chegar. – E a senhorita Evans?– Lisonjeiro como sempre, milorde. Infelizmente a senhorita Evans se s
Ler mais
10
Como uma tarde que deveria ter sido a mais maravilhosa de sua vida, estava se tornando tão desastrosa? Em um momento estava completamente envolvida em um beijo avassalador, em outro estavam discutindo sobre o futuro que não poderiam ter. O que mais ele queria que ela dissesse? Já não era esperado que em um determinado tempo ela tivesse que partir? E, o que, de fato, ele estava disposto a lhe oferecer?Se perguntava Ivy, enquanto navegavam de volta para Veneza. Se sentia culpada, acima de tudo, afinal, acabara de o rejeitar. Entretanto, o que ele queria dizer, quando lhe pediu para abrir mão de sua vida e ficar em Veneza? Voltou a subestimá-la como uma serviçal desonrada e sem dignidade, apenas por não ser abastada? Ou pior, seu próprio comportamento desajustado o levaram a subjugá-la dessa maneira, como já acontecera antes, em Londres, com outros cavalheiros? Neste caso, só lhe restava descobrir o que verdadei
Ler mais