8 - Sob Um Olhar Lupino

8 - Sob Um Olhar Lupino PT

Cassandra Branca  Em andamento
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
35Capítulos
4.7Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Marcos tinha planeado ao pormenor sua viagem para a Serra Nevada ,ele queria deixar seu irmão Rafael e sua companheira Sara, sozinhos por uns dias na pousada. Ele sabia o quanto precisavam de privacidade para desfrutarem de uma lua de mel sem tabus e então decidira viajar por umas semanas. Mas enquanto acampava na bela floresta , se deliciando com o ar puro e a liberdade que muito ansiava seu lobo,sua própria companheira aparece a uns poucos metros dali. Seu lobo se rejubila , pois seu instinto e desejo de alcançar e caçar estava no ponto mais alto .Mas como tudo na vida,Marcos rapidamente percebe que não iria ser tão fácil assim. Sua companheira estava acompanhada e assim tinha que controlar sua possessividade pois além de capturar ser corpo ele tinha que capturar primeiro...sua alma e coração...

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
35 chapters
Capitulo 1
Realmente já estava cansada de andar. Apesar de já ser dia , Alberto esquecera que eu tinha deixado de dormir naquela noite para estar  ali, viajando de madrugada com ele ,para acampar numa  serra longínqua, onde a maioria das pessoas só a visitavam quando queriam estar  longe de tudo e de todos,o que não era o meu caso. Supunha que ele nem dava conta que estava acordada há 24 horas pois  desde que tínhamos chegado  aquela floresta densa, não tínhamos parado de  andar e  já estava quase anoitecendo. Embrenhado em seus pensamentos, com a adrenalina da eventual descoberta  de algo inacreditável,desconfiava até que se lembrasse que o acompanhava._Alberto!-Depois de sair do automóvel , começo a ficar rodeada de arvores,   sem puder conter
Ler mais
Capitulo 2
Marcos  já tinha planeado, há alguns dias , sua viagem para a Serra Nevada . Ele queria tirar férias  e viajar por umas semanas, deixando seu irmão Rafael e sua companheira Sara, sozinhos por uns dias na pousada. Finalmente poderíam desfrutar de uma lua de mel sem tabus, nem qualquer distração. Ele observa a lua brilhante no céu  escuro, escutando  somente o som de grilos e corujas. A paz era enorme no cimo daquela montanha , assim como a solidão,  Rafael sempre o acompanhara antes .Por não pertencerem a nenhuma Matilha especifica, contavam um com o  outro para tudo,  e apesar de saber que era certo deixa-lo sozinho com sua companheira, sentia falta de seu irmão. Por muitos anos foram somente os dois, tanto no trabalho , como nas caçadas, mas isso  agora
Ler mais
Capitulo 3
__ Patrícia ! – Alberto sussurrava em meu ouvido, o que era estranho, não costumava ser tão íntimo assim ultimamente.__  O que foi?? – Perguntei abrindo os olhos,  sonolenta.__ Está na hora de acordar! – Alberto soava nervoso.__Mas ainda nem amanheceu!- Protesto sentindo meu corpo todo dolorido ainda do cansaço.__ Eu sei ...- Alberto faz uma pausa olhando lentamente para os arbustos em frente . __ Mas preciso que  faças exatamente o que eu fizer... __ Alberto... - Solto uma pequena exalaçao ,me espreguiçando  languidamente . __  O que  se passa ?

Ler mais

Capitulo 4
Marcos andava de um lado para o outro, seu nervosismo á flor da pele , sua impotência colocando seu lobo em estado quase selvagem . Ele não podia esperar muito mais tempo , sua companheira poderia estar em perigo, era seu dever protege-la, com sua própria vida, se fosse necessário . Olhando a lua , rosna baixinho, seus olhos amarelos lupinos e suas presas despontadas indicavam que sua transformação estava iminente . Com sua audição mais apurada ele tenta distinguir todos os sons daquela floresta, mesmo longe, esperando Alexandre e Vasco ,sempre saberia se acontecia algo com sua fêmea.Foram somente segundos que passaram depois de Marcos ter aquele pensamento para um grito estridente soar no silencio daquela noite escura . Seu corpo congela no mesmo momento em que olha por entre as arvores, sentindo de imediato seu cora&c
Ler mais
Capitulo 5
Enquanto o seguíamos por aquele  caminho, o silencio era mortal, um ambiente  tão frio que até gelava os ossos, pelo menos os meus. Ao  notar a aproximação do covil dos lobos,  constantes arrepios invadiam meu  corpo , assim como o nervosismo e a apreensão, quando a enorme   clareia surge no campo da minha visão. Decorada  com inúmeras   fogueiras, algumas cabanas se disponham ao redor, sem  uma ordem especifica  mas mostrando aquilo que eu mais  receava, eles viviam primitivamente.  Todos os homens que me acompanhavam , pararam,  exceto o macho sombrio e seus lobos que continuaram  caminho , altivos , confiantes até entrarem em uma das cabanas .__ Camaradas !!!!Eu dou um pulo quando ouço uma voz
Ler mais
Capitulo 6
Com uma única respiração  profunda fiquei assim, sustentando a respiração enquanto observava aquele grupo de homens se aproximando de nós . Apesar do sorriso estampado no rosto enrugado do idoso que os liderava,o ambiente era tenso. Seus passos lentos, alem de seu cabelo branco ,indicavam já o peso da idade , mesmo assim seu olhar dominante que nos fitava atentamente, mostrava bem que seu poder ainda estava presente .__ Respira!- Marcos alisa suavemente a mão tremente de Patrícia com o polegar quando percebe que ela já não respirava há já alguns longos segundos . __ Tenho tudo controlado.- Sem mesmo tirar os olhos do macho que o desafiava ele tenta tranquiliza-la.__È mesmo???? - Soltando o ar que estava preso na minha garganta e quas
Ler mais
Capitulo 7
Marcos  ia em total silencio enquanto entrelaçava seus dedos nos meus. Eu continuava sem saber o que significava "me marcar",  mas no momento eu nem me dava ao trabalho de questionar, só de pensar  que pela manha, não estaria mais  no meio de lobos e sim no conforto do meu  lar ,  era o suficiente .Avançando em passos largos em direção á cabana indicada pelo líder Nacata ,ele simplesmente acena a Vasco, Alexandre e Bernardo, em cumplicidade . Pelos vistos eles ficariam ali fora , a noite toda, nos protegendo.  Logo que Marcos entra , ele fecha a porta , olhando ao redor com a mandibula apertada . __ Será que  podemos dormir  um pouco ?- Respirando fundo eu simplesmente me atiro para uma cama feita de peles de animais . Estava exausta , tanto fisica como mentalmente .Ler mais
Capitulo 8
AVISO  : Capitulo com cenas Hot__ Patrícia...!- Marcos declara, segurando as mãos de sua companheira destinada,ele impede que avance desabotoando a sua calça. Amaldiçoando por ter que parar, ele respira fundo  rosnando ao ver seus lábios entreabertos , vermelhos e inchados por seus beijos molhados .__Espera só um pouco!!!!__ O que foi?- Ofegante e completamente estimulada o encaro com perplexidade . A quimica era incrível, parecia que nossos corpos ardiam de desejo, como um íman,se grudando cada vez mais, em cada beijo trocado. Não entendia porque tinha parado.__ Aconteceu algo ?__ Não te quero marcar assim....- Frustrado ele aprecia o corpo dela , ali deitada , semi nua e completamente excitada.. __ N&a
Ler mais
Capitulo 9
Marcos observava em total silencio  sua companheira dormindo relaxada , seu  corpo  nu enroscado ao dele , em conchinha , fazia seu coração palpitar  mais forte ao sentir o calor delicioso da fêmea que já era dele por direito. Ele alisa seus lábios na pele de seu ombro, lambendo mais uma vez a ferida que a marcava como sua companheira . Sua saliva ajudava a curar,e apesar de já começar a cicatrizar , era bastante visível para quem poderia ter duvidas.__ Patrícia!- Marcos sussurra em seu  ouvido, beijando carinhosamente  seu pescoço,  sorrindo de imediato com o gemido  languido que saí de sua garganta. Mordiscando de leve sua orelha, volta a sussurrar  , desta vez a virando  no seu  abraço, seu rosto  a um palmo do dele.  __ Hora de acordar&n
Ler mais
Capitulo 10
Podia dizer que havia alguma apreensão no ambiente, apesar de Marcos sorrir para mim varias vezes enquanto  caminhávamos fora dali , percebia a tensão  nos homens que nos acompanhavam ,tanto  da Matilha Nacata como  os amigos lobos que nos davam proteção. __ Ainda falta muito...- Sussurro para Marcos não deixando sua mão. Olhando  para a frente ansiava alcançar a tal linha invisível que marcava o  fim daquele território, mas na verdade eu nem sabia onde isso era . __ Não !- Esboçando um sorriso sincero  Marcos beija a mão de sua fêmea a tranquilizando , de novo. __ Estamos quase fora daqui.   Mais alguns metros e os machos Nacata par
Ler mais