Índice
25 chapters
01. O Plano "Infalível"
Parecia que estávamos ali há séculos, mas tinha apenas uma semana. Uma longa e cansativa semana. Talvez mais longa e cansativa para mim, pro Alexis, o Tales e a Thalisa do que para qualquer outro que estivesse por ali. Estávamos de guarda no porto, esperando o ataque que havia sido previsto para breve. Iríamos por em prática o plano que havíamos criado há algum tempo. Esperava não ter que utilizá-lo. Não apenas por Monterra, mas por conta do cansaço que eu me encontrava. Tínhamos criado um sistema de revezamento, mas há dois dias que eu, Alexis, Tales e Thalisa estávamos sem descansar direito. Cosmo, Neandro e Nicardo ficaram no castelo, caso algum imprevisto acontecesse. Talvez eles estivessem mais descansados do que nós. Eles seriam mais úteis aqui do que no castelo. Levinda e Camila também estavam no castelo por motivos de segurança. Tentava manter o foco a todo custo. Era difícil, mas estava conseguindo. Andar de um lado para o outro e jogar copos de água
Leer más
02. Sonhos e Discussões
Chegamos a casa de Neandro quase que desmaiando. Estávamos todos muito, mas muito cansados. Neandro e Levinda tiveram que carregar Thalisa até o sofá. Eu e Alexis estávamos bem próximos de chegar aquele extremo de não se aguentar em pé. – Mas o que houve com vocês? – Levinda perguntou preocupada. – Tudo que não poderia acontecer! – Alexis respondeu ofegante. – Vocês andaram do porto até aqui a pé? – Neandro perguntou assustado. – Sim! – respondi também ofegante – Não havia cavalos. Os que estavam com nosso grupo acabaram sendo levados para o castelo. Eles não chegaram? – Não.  – Neandro respondeu confuso. – Eu vou pegar uma jarra de água. Não, duas. Vocês estão horríveis! – Levinda estava desnorteada. Deveríamos estar muito horríveis mesmo. – Conte o que aconteceu? – Neandro perguntou. – Poderia nos dar um tempo para recuperarmos nossas forças? – Alexis já estava fechando os olhos – Iremos contar tudo, prometo.
Leer más
03. Estranhos Conhecidos
Corremos imediatamente para o castelo de Nebro. Como se não bastasse todas as coisas ruins que nos aconteceu nos últimos dias, ainda acontece isso. Eu estava com tanta pena do Alexis. Nunca gostei de ver ninguém sofrendo, ainda mais alguém que amo.Estávamos sem cavalo, por isso demoramos mais tempo para chegar ao castelo. A ferida tinha parado de crescer, mas metade da mão de Alexis estava cheia de ferimentos pequenos, enquanto o ferimento inicial tinha estacionado pouco depois do fim da mão.Alexis não tirava os olhos dos ferimentos e, consequentemente, eu também fiquei olhando sua mão de minuto a minuto. Estava com tanto medo de que Alexis pudesse perder o braço. Ele ficaria péssimo se isso acontecesse.O castelo parecia bem mais triste agora do que da primeira vez em que o vi. Eu não sei dizer quando ele começou a parecer mais sombrio. Neste momento desejei muit
Leer más
04. Amadeus
Eu havia visto aquele rosto apenas uma vez, mas já era o suficiente para gravá-lo para o resto da vida. Aqueles cabelos loiros, os olhos esverdeados e o porte de nobreza faziam dele uma pessoa única. Ainda usava um brinco na orelha, mas já havia abandonado a velha e gasta armadura dourada que o vi usando da primeira vez. – Você conhece esse jovem? – Rei Célio perguntou. – Não exatamente. – falei aproximando-me do rapaz – Nós nos conhecemos na época em que fui presa em Koram com o Nicardo. Ele não é uma pessoa ruim. Deixem que entre. – Tem certeza? – Alexis perguntou desconfiado. – Acho que sim. – minha resposta não o agradou. Rei Célio fez um sinal com a mão permitindo que o jovem entrasse. O que ele queria? Como esse rapaz havia me encontrado? Eu não me lembrava das coisas que conversamos, mas tinha quase certeza de que não havia dito nada que o fizesse chegar até aqui. Mas isso agora não importava. Fomos para a sala do trono e Alexis
Leer más
05. Explosões
Já estava começando a ficar com raiva de não poder ter mais um segundo de sossego. Qual era a intenção de Leone? Nós deixar loucos? Se for ele está conseguindo. Essa guerra estava ficando cada vez mais complicada. – Nós temos que verificar isso imediatamente! – Alexis não pensou duas vezes. – Sim, vão e tomem cuidado. – Rei Célio parecia ficar muito triste por não poder ajudar nas batalhas. – Eu vou também! – Amadeus se prontificou a nos ajudar. – Mas não vai mesmo! – Alexis começou a implicar. – Alexis, achei que já tínhamos resolvido isso. – falei irritada. – Não resolvemos não! – Alexis gritou – Você e meu pai decidiram isso, mas os outros do grupo nem sabem da existência dessa pessoinha. Se for para ser justo... – Que justo? Justo o que? – perguntei – Por favor, Alexis... – Eu não quero! – Alexis bateu o pé feito criança. – Alexis cresça! – briguei. – Isso não é questão de ser ou não ser infantil – A
Leer más
06. Medos
Amadeus contou toda a sua história a Neandro. Alexis fez questão de ressaltar os pontos que ele achava absurdo ou fictício. Mas Neandro não pareceu se deixar levar por Alexis. Ele parecia estar tão convencido de que Amadeus era quem dizia ser quanto seu pai. Claro, Alexis ficou furioso. – Eu achei que você teria um pouco mais de juízo! – ele gritou. – Eu não entendo o motivo de você não conseguir acreditar nessa história. – Neandro parecia tentar achar traços familiares em Amadeus. – Você quer que eu escreva? – Alexis debochou – Mas vou logo avisando que a lista é grande. – Alexis! – falei alto – Será que, por apenas um minuto, você não poderia ficar calado? – Vocês estão brigando de novo? – Neandro sorriu. – Estamos! – Alexis ficou emburrado. – Como é bom ver isso – Neandro achou graça. – Bom? – Alexis e eu gritamos juntos. – Claro. – Neandro sorriu debochado – É o único vestígio dos bons tempos de paz e tranqu
Leer más
07. Acordando Com Lobos
Minha cabeça doía muito. Era como se alguém tivesse me dado uma paulada. Sentia que havia feito um galo e tentei encostar, mas minhas mãos estavam presas. Abri os olhos e reparei que estava em um lugar que nunca havia visto na vida. Eu estava deitada em um tipo de caixão de vidro, o que me fez sentir a própria Branca de Neve, e estava com os braços e pernas amarrados ao caixão. O lugar era tão suspeito quanto à situação. O local parecia ser uma sala redonda e eu deveria estar no meio dela. A sala era toda feita de barro e havia vários armários embutidos na parede. No teto havia um lustre. Um lustre grande o suficiente para esconder uma pessoa. Concentrei-me e deixei que a energia do local fizesse o trabalho por mim. Não demorou muito e consegui fazer com que as amarras que me prendiam quebrassem. Mas não sai do caixão tão rapidamente. Ouvi barulhos e resolvi fingir que ainda estava desacordada. Entraram duas pessoas na sala. Ouvi passos me rodeando e
Leer más
08. Caminhos Que Não Levam A Nada
Saímos da salinha e fomos para outra sala, desta vez maior. Max abriu um baú e pegou um pedaço de papel enrolado, parecendo um pergaminho. Ele desenrolou e olhou bem para o pedaço de papel e depois olhou para mim e assentiu com alguma coisa. — Veja! — ele se aproximou. Peguei o pedaço de papel e desenrolei. Era uma pintura minha. Uma pintura perfeita. Se não fosse pelo cabelo preso em coque e o vestido de rainha, poderia dizer que alguém muito talentoso estava me observando e resolveu me pintar. — Mas é incrível! — admirei — É realmente incrível! — E tem mais. — Max estava todo animado — Veja o que está escrito em baixo. Olhei a frase que estava escrita no final da pintura. Uma frase estranha e perturbadora demais para ser verdade. — "Vida longa a Rainha Beatriz I, a imbatível." — estava chocada — Onde vocês conseguiram isso? — Roubamos há uns 100 anos atrás. — Ali respondeu — Na época em que o avó do Rei Célio governava.
Leer más
09. Decisão Arriscada
Não precisei procurar muito por Alexis. Ele estava poucos metros de onde eu sai, amarrado dos ombros aos tornozelos em uma corda grossa, feita de um material que eu desconhecia e parecia bem forte. — Finalmente apareceu alguém! — Alexis gritou assim que nos viu chegar — Pensei que ficaria aqui igual a um carneiro posto para sacrifício. — Que exagero! — disse em tom de deboche — Carneiros não são sacrificados desta forma. — Engraçadinha. — ele fez língua — Agora me tirem daqui! — Você está muito arrogante para uma pessoa que está completamente imóvel. — resolvi brincar um pouquinho e fiquei rodeando a árvore. — Quer parar! — Alexis gritou — Você vai ficar dando voltas ou me tirar daqui? — Depende. — sorri maliciosa. — O que foi desta vez? — Alexis bufou. — O de sempre. — continuei sorrindo — As famosas palavrinhas mágicas que demonstram que, além de educação, você tem um pouco de humildade. — Então agora vai ser
Leer más
10. Lendas
A semana passou feito vento de tão rápida. Eu esperava que eles mudassem de plano e que não fosse mais preciso invadir Koram. Mas tudo ocorreu como eles esperavam. Tales não quis participar da missão. Ele iria continuar cuidado dos homens que se feriram e não quis que nenhum de deles fosse à missão. Preferiu espalhá-los pelo porto e nos arredores do castelo. Cosmo também ficou. Ele seria mais útil no castelo. Agora que a frota de submarinos estava pronta, ele e sua equipe estavam começando a desenvolver um armamento novo, para aqueles que não sabem usar magia. Quando a coisa pegasse fogo mesmo teríamos que ter todo o tipo de reforço possível. Todos nós ficamos a semana criando as estratégias de ataque. Tales e Cosmo, apesar de não participarem da ação, ajudaram a bolar o plano. — Você não acha que seria um pouco arriscado? — Tales questionou uma sugestão de Alexis. — Ganharíamos tempo. — Alexis se defendeu. — Mas os riscos de serem peg
Leer más