O Segredo de Finigans

O Segredo de FinigansPT

Luiz Valença  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
14Capítulos
771leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Enquanto Arthur se divertia com seus amigos, sua vila situada em uma densa e perigosa floresta é invadida por um implacável exército de mercenários, cujo alguns integrantes possuem poderes fantásticos: um lendário druida celta, um semideus nórdico e o berserker mais famoso do mundo. Agora Arthur e seus amigos precisam fugir pelas suas almas. Utilizarão seus segredos, desconhecidos até mesmo por seus companheiros.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
14 chapters
1- Adeus Antiga Vida
Com o corpo debruçado em uma árvore e o braço tapando a própria visão, Arthur começa a contar em voz alta - “1, 2, 3, 4…” Ele falava cada número com firmeza, quase gritando. Ao mesmo tempo, o menino sentia o cheiro peculiar de natureza naquela árvore. A alguns metros dali, todas as crianças de sua vila corriam juntas na mesma direção, fugindo de Arthur. Carregavam alegria e inquietação pela brincadeira. Entreolharam-se ao correr, dividindo a simpatia da animação. Wilhelm era um dos meninos mais novos do grupo, tinha apenas 10 anos. Seu cabelo era castanho claro. Por ser o mais novo e mais lerdo, no início da brincadeira, ele sempre tinha a mesma visão das costas das outras crianças correndo em um campo cercado de árvores paralelas, formando um corredo
Ler mais
2- Crianças
Arthur e sua irmã percorrem o Caminho do Bosque na carroça lentamente, evitando fazer barulho. Ainda próximo do início, encontram Marlon caminhando.O que aconteceu? Por que estão na carroça de Weller?Venha com a gente. Eu te explico no caminho. Marlon sobe na carroça que volta a se mover.O que está acontecendo? Escutei um barulho alto e estranho.A vila foi invadida. Precisamos encontrar os nossos amigos e nos agruparmos no final desse caminho. Meu pai e Cleuziou est&ati
Ler mais
3- Os quatro
Você está me dizendo que a vila foi dizimada por um exército estrangeiro que ainda está lá?Sim.Por que só o seu pai sobreviveu?Renan, eu não vi tudo. Fugi!Isso é impossível! Vivemos no meio do nada! Não temos contato com o mundo exterior. E ainda é perigoso andar por aqui. Todo mundo sabe que há muitos lobos do lado de fora da vila.Não sei o porquê o ataque aconteceu. S
Ler mais
4- Almas de ouro e almas divinas
Sempre quis matar um semideus - comenta um outro homem parrudo, com ossos e cabeça larga. Suas bochechas rosadas eram chamativas, em contraste com seus olhos, que pareciam se esconder, baixos e fechados. Ele se diferenciava do restante da tropa. Seu cabelo era um loiro transparente avermelhado.Ninguém matará nenhum dos quatro aqui, Egil! Humberct, cuide do barba escura! Se Igvar não pode com ele, só você poderá! Acerte-o com força em regiões não letais: pernas, braço e barriga - diz um homem montado a cavalo, com sua voz imponente. Ele era o único em cima de uma cavalo. Egil se irrita com o comando de Whaldar. Observa Cleoziou. Reconhece que é um sujeito forte. S
Ler mais
5- O Solitário e o Estranho
Fazem 6 horas que Wilhelm cava com o galho na terra. Ele parou apenas algumas vezes para trocar a forma de pegar no galho, pois sentia dor em seu pulso. Sua dedicação e foco eram sustentados pelo medo. Era uma criança sozinha em um buraco totalmente escuro no meio da mata. Inconscientemente, prendia sua respiração - uma atitude instintiva para não chamar atenção. O medo estava presente nos seus pulmões e nas suas mãos. Cada movimento era ligeiramente discreto.Um raio clareou rapidamente o céu, fazendo-o suspirar. Fez-se um silêncio, seguido de um estrondoso trovão! Começava a chover. Wilhelm respirou fundo. Estava exausto! A criança baixou a cabeça, sentindo tontura. Parou para sentar. No descanso, logo apreciou o cheiro da terra molhada. Gostava desse cheiro. Sempre lhe remetia às brincad
Ler mais
6- A Guilda
Ainda era escuro, prestes ao amanhecer, quando o irmão mais velho saiu de casa com Renan em seu ombro. Sua irmã balança a cabeça fazendo uma careta de reprovação, como reação por não ser ouvida. Quando eles se afastam, ela corre atrás, os alcançando. Caminharam lado a lado por cerca de dez minutos, passando pelas ruas íngremes, até finalmente chegar em uma enorme casa curiosa. Suas paredes eram de pedras. Mas não pedras de formato uniformes como das outras casas. Variam entre cores de creme claro, quase branco, a tons avermelhados. Suas formas e tamanhos também variam. Umas quase poligonais - triangulares, quadrangulares, etc. Já outras, totalmente disformes. Contudo, impressionantemente, todas encaixando umas nas outras, parecendo um quebra-cabeça de pedras
Ler mais
7- O Presente Ruim
Na noite anterior, a quilômetros de distância, sob o céu escuro, coberto de belas estrelas, Wilhelm escuta um uivar ecoando na floresta. Seus nervos se travam. O medo contrai o seu corpo, tornando a sua pele numa espécie de sensor sensível, conseguindo sentir a mínima brisa da noite com extrema precisão. Ele não sabe o que fazer. Resolve escalar as pedras próximas da cachoeira. No alto, deita no chão encolhido. Fica até a madrugada de olhos fechados, mas acordado, apenas desejando não ser visto, nem cheirado. Na manhã seguinte, Wilhelm acorda com o corpo duro e dolorido. Percebe o malefício que é dormir em cima de pedras. Desce-as ainda com medo. Atento, observa o ambiente em sua volta - muitas árvores, a queda d'água com seu barulho contínuo, e o riacho alimentado pela
Ler mais
8- O Resgate
Ao pôr do sol, Wilhelm corre veloz por uma estrada coberta de folhas secas - que são levantadas pelo rastro do vento de seu corpo veloz. O caminho é cercado por um corredor de árvores. A fada voa acima de seu ombro, o acompanhando.Lá -  a fada aponta para um conjunto de casas de pedra branca no alto de uma pequena colina. - Pare! O menino faz uma parada brusca, levantando poeira. Franze os olhos para observar.Que casas estranhas! São bonitas, mas estranhas - afirma o garoto.Agora é hora de irmos devagar. Não podemos chegar tão rápido. Ir&aa
Ler mais
9- Tudo ou Nada
Mais uma vez, Wilhelm acorda pela manhã atrás da estátua. Ele verifica pela fenda se há alguém por perto. Depois, se levanta, e vai na direção de seu novo emprego. Passa a maior parte do dia trabalhando. Ordenha leite de vacas gordas, brancas com manchas, ou escuras. Enche garrafas de leite. Alimenta galinhas com grãos de ração dura. Mais uma vez, recebe três coxas de frango e um copo de leite no almoço. Mas hoje, ele guardou as três coxas, bebendo apenas um pequeno copo de leite. Depois do almoço, entregou garrafas de leite a todos os clientes. Na volta, parou no caminho, e deu uma coxa de frango para a senhora que pedia esmolas.Olá! Por quê estás no chão, e não trabalhan
Ler mais
10- A Aula
Com um saco de pano preto cobrindo a sua cabeça, o garoto via apenas a escuridão. Sua respiração tornava o ar mais quente e abafado. Sentia a necessidade de coçar o nariz. Mas, suas mãos estavam amarradas para trás das costas. Nervoso, ele recolhe o polegar ao centro da palma da mão, reduzindo a largura do punho. Faz força para escapar da firme corda áspera. Se concentra na tarefa. Subitamente, o som do trinco metálico é produzido, seguido de um bater de porta, que ecoa em todo o ambiente. Sons de passos se aproximam. O garoto paralisa junto ao repentino silêncio.Dedos gelados tocam o pescoço de sua nuca. Em surpresa, o saco de sua cabeça é arrancado. A luz incomoda os olhos de Wilhelm - foram muitas horas vendo a escuridão. Quando ele se acostuma com a claridade, percebe que está e
Ler mais