A CAVERNA DAS ROSAS

A CAVERNA DAS ROSASPT

CARMEM AP. GOMES  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
12Capítulos
2.7Kleituras
Ler
Adicionado
Resumo
Índice

Sinopse

Misterio

A HISTORIA SE PASSA NUM SITE DE PESQUISAS,ONDE PESQUISADORES E CIENTISTAS SÃO SURPREENDIDOS PELO O SOBRENATURAL NUMA CAVERNA DE ROSAS.

Ler mais
A CAVERNA DAS ROSAS Download gratuito de Novelas Online em PDF

Último capítulo

Você também vai gostar de

Livros interesantes do mesmo período

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
12 chapters
O MAL TEM TRÊS CORES
  O homem evoluiu e junto com ele altas tecnologias, indústrias, fabricas, necessidades de muitos produtos para satisfazer os caprichos da humanidade moderna que se esqueceu de zelar do planeta e de preservar a sua historia. A natureza foi ficando enfurecida, a sua fúria contra o homem moderno trouxe catástrofes, mortes, prejuízos, tristezas, fome e milhares de desabrigados. Infelizmente nenhuma tecnologia avançada foi capaz de cessar a fúria da natureza que só obedece aos comandos do ser soberano, obedece às ordens do maior cientista de todos os tempos, Deus. A lua clara no céu foi à única testemunha de um terremoto que abalou as ruínas Maias em 2030 abrindo um grande cânion. A grande cratera trouxe aos olhos dos cientistas, pesquisadores e jornalistas do mundo todo uma enorme caverna localizada no final da imensa e pavorosa cratera cuja medida de sua profundidade aproximou-se de 60 km de fundo, a largura capaz de engolir cidades. Pesquisadores
Ler mais
CONTATO MENTAL
  O sol nasceu radiante com sua cor laranja sobre o sitio de pesquisa, seus raios sobre o sorriso de Devil fazia tudo parecer lindo e natural, somente o sol invadia aquele local sem receio do desconhecido. Ao nascer do dia o silencio era quebrado pelo despertar dos pássaros e dos zumbidos das abelhas atraídas pelo o perfume forte das rosas, o colorido das asas de milhares de borboletas completava o cenário de mistério. Numa barraca todos os pesquisadores faziam o desjejum e estudavam uma maneira de tirar do sorriso de Devil a ‘bela adormecida’. -Doutora Alegra, chegaram os resultados do laboratório. Alex fala degustando uma fruta. -E o que temos? Alegra pergunta analisando fotos da ‘bela adormecida’. -Jay teve falência de todos os órgãos. A causa foi um veneno forte ainda desconhecido. A própria substancia completou o seu trabalho transformando Jay no mesmo instante em uma múmia. -E o resultado dos exames no liquido do cau
Ler mais
ORIGEM DA PERFEIÇÃO
  Alegra não consegue pegar no sono naquele lugar cercado de tantos mistérios e acontecimentos sem explicação. A cientista relutava em acreditar que estava falando com uma pessoa sacrificada há muitos anos, décadas, quem sabe séculos e que havia sentido vida em seu ventre. Pensando em como revelar para seus colegas o que estava acontecendo, poderia correr o risco de ser afastada das pesquisas acusada pelos os outros cientistas de louca. Alegra levanta-se no meio da noite vai até a barraca onde esta Zayla. Descobre Zayla bem devagar e senta-se ao seu lado. Começa a fazer carinho em sua barriga e logo sente os movimentos do bebê de Zayla e Ashilal. -Meu Deus! Não pode ser! Como pode o bebê ter vida no útero de uma múmia? Mesmo estado ela bem conservada... É inexplicável! -Será que a mãe a faz movimentar para me impressionar ou de certa forma para me manipular... Ou assustar... -A doutora não pode duvidar de
Ler mais
AS MENSAGEIRAS
 Os raios alaranjados do sol deitaram-se sobre o sorriso de Devil, todos do sitio de pesquisa estão reunidos discutindo uma nova ordem que acabou de chegar.-Pessoal, não vamos embora para casa ainda. Alegra fala aos outros que começam a falar ao mesmo tempo.-Esperem! Vamos deixar a doutora falar. Alex pede aos outros que estão agitados.-Eu sei que todos estão com saudades de casa, mas não vasculhamos todo o sorriso de Devil. O chefe da nossa equipe suspeita que pode haver mais corpos e que o sorriso de Devil seja um cemitério de pessoas sacrificadas. Alegra fala com os outros que se mostram mais calmos e escutam com atenção.-Eu concordo. Nós ficamos entusiasmados com a nossa bela adormecida e o príncipe e não buscamos mais nada dentro da grande cratera. Alex completa.-E ate mesmo aqui na superfície. Vocês que ficaram a
Ler mais
OFERTA DE ALMAS
  O dia amanheceu e dessa vez o sol não banhou com seus raios o sorriso de Devil e sim uma terrível e inesperada tempestade de vento que desmanchou todas as barracas no sitio de pesquisa, a única que ficou como se nada tivesse acontecido foi a barraca que então estava Zayla e Aschilal. -Corre! Corre! Entra num dos carros! Alex e Alegra grita com os outros que estão correndo no meio de nuvem de terra e galhos de arvores. O vento era tão forte que movia os carros de lugar. -Meu Deus! Vai levantar o carro! Alex grita desesperado. -Ninguém não nos avisou dessa tempestade. Alegra fala com as mãos no rosto. -Não deu tempo de salvar os corpos. Se acontecer algo com eles estamos com o trabalho todo perdido. Alex se queixa. -Fique tranqüilo... Tenho certeza que eles se salvarão... Alegra fala tentando enxergar algo pela a janela do carro. -Como tem certeza? Alex questiona. -Não tenho certeza... Tenho esperança. Alegra disfa
Ler mais
EQUILÍBRIO ENTRE LUZ E ESCURIDÃO
  No sitio de pesquisa após tantos acontecimentos ruins e sinistros os dias parecem não terminar e as noites são infinitas. Tive tantas opções que não a d vir para cá nesse fim de mundo. Eu queria muito, mas parece que fui arrastada para esse lugar por uma força inexplicável. É como se eu fosse à escolhida. Ser escolhido para algo bom é o sonho de todo ser humano, mas para se comunicar com múmias adormecidas há séculos não acho que sai no lucro. Se comparar o sitio de pesquisa, o sorriso de Devil quando chegamos e agora sua semelhança é de um cenário de filme de terror. Não posso me abrir com ninguém, corro o risco de ser acusada de louca. -Doutora? Doutora Alegra? A doutora esta bem? Alex pergunta e ao perceber que Alegra não esta escutando coloca a mão no seu ombro. -Ai que susto! Alegra se assusta e fica com a respiração ofegante. -Calma! Desculpa eu lhe assustar... Vou pegar água para a doutora. Alex se afasta e logo
Ler mais
O RETORNO
  Numa noite mal dormida com pesadelos e sonhos com personagens sinistros Alegra o tempo todo ouviu gemidos ou imaginou ter ouvido. Alegra despertou antes de o sol banhar aquele lugar de maldições e caminhou ate a barraca de Zayla e Ashilal, o vento gelado parecia zunir entre as arvores, para completar o cenário amaldiçoado o vento balançava as lonas das barracas. -Tenho a sensação de que o vento quer me dizer algo. Bobagem! Eu estou estressada e impressionada com tudo o que vem acontecendo comigo. Alegra fala para si mesma caminhando com os braços cruzados para se proteger do frio. Ao aproximar da barraca de Zayla e Ashilal Alegra ouve choro de bebê. Alegra para não acreditando no que esta ouvindo. -Não pode ser! Alegra corre e ao entrar na barraca depara-se com o bebê de Alegra e Ashilal deitado entre os seios de Zayla. Alegra aproxima e toca o bebê que mais se parece com um anjo de tão inocente e indefeso.
Ler mais
SEGREDO MACABRO
  Alegra não esperava reencontrar a artesã da primitiva aldeia “Madre Inocência”, mas o que percebia era que cada vez menos era dona de suas vontades. Alegra chega, estaciona o jipe naquele lugar misterioso, pega o bebê e caminha rápido ate a porta da casa da artesã. -Olá!! Olá!! Alegra grita batendo desesperadamente na porta da artesã. A porta abre um pouco fazendo um rangido de madeira velha. -Você outra vez? O que quer? A velha artesã fala enfurecida ao ver Alegra. -Abra, por favor! Alegra implora. -Não tenho nada para falar com você. E eu tenho certeza que não voltou por causa de minhas esculturas. A velha artesã completa. -Eu imploro... Alegra bate na porta e começa a chorar com Ângelus II nos braços. -Alegra insista, faça-a abrir a porta e diga que Ashilal esta dizendo que o tempo dela aqui nessa dimensão está no fim no primeiro dia de lua cheia dessa semana, ela será devorada por uma criatura. Agora,
Ler mais
LÁPIDES DE OURO
  Ao amanhecer, os raios do sol banhando o site de pesquisa e o vento balançando as arvores. -Nossa que dor de cabeça! Alegra queixa ao acordar. Alegra pega uma pílula nos seus guardados e procura água para tomar. -Preciso entrar em contato para comunicar a deserção e pedir que envie outros pesquisadores. Rápido. Alegra fala consigo mesma. -Eles não são desertores. Zayla fala com Alegra. -Você sabe o que aconteceu? Alguém esteve aqui? Alegra questiona. -Não importa. Vamos falar das lapides de ouro. Zayla continua. -Lapides de ouro? Alegra questiona colocando a mão no rosto. -Antes de nós existira uma civilização percussora das lapides de ouro. Talvez você possa desenvolver uma pesquisa sobre a origem das lapides de ouro. Zayla fala para Alegra tentando distrair a cientista. -Não estou entendendo. Hoje você quer fazer piadas sobre pesquisas? Alegra fica zangada. -Não.
Ler mais
O CIENTISTA
    Alegra acorda com o barulho do helicóptero pousando, ela sai da barraca para verificar quem esta chegando. Alegra se protege do vento forte da hélice, um homem alto, cabelos negros e barba bem feita desce e caminha em sua direção. -Bom dia! Doutora Alegra? -Bom dia! Sim, sou Alegra. Alegra responde ainda confusa. -Vim para continuar o trabalho nas pesquisas. -Quem o enviou? Alegra questiona. -Doutor Ashilal. Disse que todos desistiram e que a doutora estava só aqui no sitio de pesquisas. -Doutor? Ashilal? Alegra fala com dificuldade em respirar. -Sim. Onde está o doutor Ashilal? Me pareceu um ótimo profissional e uma excelente pessoa. -Meu Deus! Eles dominaram tudo... Eles sabem onde estão os outros. Malditos!! Maldita hora em que viemos desenterrar a morte, o fim... -Calma! O que esta acontecendo doutora Alegra? Prazer meu nome é Rumer. Sou
Ler mais