A Vingança de Uma Mulher Trans

A Vingança de Uma Mulher TransPT

Alycia   En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
25Capítulos
2.4Kleídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Nascida como Raphael David, transformando-se na imparável e destemida Katherine Johnson, que viu sua vida sendo arruinada pelo seu padrasto enquanto matava a sua mãe na sua frente, apoderando-se de toda a fortuna. Ela sofreu a transfobia, a rejeição, a exclusão, e também a morte de sua mãe. Então ela percorre as ruas em busca de novas formas de viver, jurando voltar apenas para fazer o seu padrasto pagar por todo seu sofrimento.

Leer más

También te gustarán

Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
25 chapters
1. O começo de tudo
 O Mundo não acaba quando a sua vida acaba, ele só está começando a se reeconstruir e a te preparar para algo maior, para um próposito determinado, para um fruto melhor. Muitos dizem que a vingança é algo errado e coisas dos fracos, mas quem diz isso é porque deve viver num mar de rosas, sem dor e sem sofrimento... nem sempre a forma mais justa de fazer o inimigo esperar é ligar as autoridades, existem crimes que as nossas mãos podem resolver por si só... e eu... Katherine Johnson, estou vivendo para trazer a justiça merecida em minha vida, nem que isso me custasse sangue nas mãos.  ********* Na vida, nem tudo é como queremos ou como sonhamos, caminhos se cruzam, tropeços acontecem, tristezas vêm a tona junto com a dor e todo sofrimento criando uma chama de ódio e rai
Leer más
2. Ódio e vingança
Tem noites que eu vou pra cama me questionando quem sou eu, ou o que estou fazendo... já faz um tempo que eu não sei quem sou, tudo que eu sei é pra onde eu vou. Talvez eu me perdi na raiva, no ódio e na vingança, talvez eu devo simplesmente superar e esquecer que nada aconteceu no passado, mas nada disso me consola. Eu devo vingar o passado, eu devo justiça pela minha mãe e por mim.  **********Se passaram anos desde que eu fui acolhida e tirada das ruas, eu cresci, aprendi e conheci muita gente no lugar que fui acolhida, não fiz laços de amizade porque cada um aqui vive focado em seus propósitos, e eu também, o nosso mentor (Takeshi Hideki) sempre nos diz " não existe vida sem propóitos, porque eles nos tornam vivos " e ele não estava errado, pois essa frase ecoava todos os dias na minha cabeça para lembrar de quem eu sou e pra onde devo
Leer más
3. Derrotada
Os combates haviam terminado e todos estavam dispensados, eu me sentia mal e com bastante raiva, não gostava de perder, mas eu tentava esconder a desilusão que eu sentia. Eu havia me tornado numa pessoa dominada pelo ódio e não sabia conter correctamente, mas eu estava em terapia comigo mesma, na esperança de reduzir esses sentimentos e receber o distintivo de liberdade para realizar o meu propósito. Decidi sair um pouco para tomar um copo num bar próximo, eu precisava apanhar ar fresco e me distrair. Entrei no bar, e me dirigi logo ao balcão e pedi um copo de whisky, e em dois minutos o empregado do bar serviu um duplo de black barrel com duas pedras de gelo. - Obrigada - agradeci dando um gole.   - Dia ruim ? - perguntou o garçom.   - Você quer mesmo saber ?   - Se não for um incomodo.   Eu ri olhando pra ele e perguntei:  - Nã
Leer más
4. Sangue
O mundo conspira a favor daqueles que lutam dia e noite para conseguir os seus objectivos e metas, e não para aqueles que só vivem esperando o dia de amanhã e fazer a mesma rotina. Quando eu tinha 9 anos, meu pai sempre me dizia "o mundo não é só dos vivos, mas pra quem é vivo " com essas palavras sábias eu pude aprender que o mundo não para os fracos... é para os fortes. Que aqui a jornada é longa, dura e árdua, que estamos sujeitos a amar, odiar... a receber e a perder quem mais amamos.   ************   Entrei para o meu dormitório e eram 11 da noite e a luz estava apagada, me sentei na cama revivendo todo o momento, tudo que aconteceu, eu vacilei, eu matei novamente, respirei fundo passando as minhas mãos no cabelo.   - Sempre pulando a cerca? - perguntou Liz que ainda estava acordada deitada na cama de barriga pra cima. Fingi que não ouvi ela, me levantei da cama e comecei a me despir para ir dar um duche
Leer más
5. Sem mortes hoje
Eram por volta das 10:30 PM, e eu fui activada para uma missão de resgate, junto com Liz, Giselle, Simon e o Gregor, parecia até ser a equipa improvável, só que ninguém falava com ninguém a não ser a Liz e o Gregor que transavam as escondidas  Simon era o mais forte e liderava a equipa, rápido, ágil, faixa preta em três artes marciais, inteligente e com bastante foco.   Giselle era o cérebro, uma boa hacker, especialista em informática, ela consegue invadir qualquer sistema e controlar qualquer usuário, embora ser muito desajeitada acaba estragando tudo por causa do seu medo.   Liz conhecida pelo seu humor sarcástico  e irónico, adora provocar a ira das pessoas, muito bem treinada e domina luta mão a mão, mas usa sempre a mente tendo cautela e nunca luta com raiva ou ódio.   Gregor, charmoso, sexy e atraente, mas n
Leer más
6. Uma saída
Estávamos completamente encurraladas, e não havia como eu dar uma de super girl, eu olhava para Giselle que estava congelada de medo e não disfarçava, eram vários homens apontando para nós, que só um milagre resolveria nos livrar de uma possível morte. - Levantem as mãos - ordenou um dos vilões, e eu agia feito uma desobediente como se não ouvisse ele, e ele repetiu mais duas vezes e honestamente eu não tinha opção e nenhuma ideia em mente, então levantei as mãos e lentamente comecei me abaixando e eu sentia cheiro de derrota se aproximando e com certeza não seria a nossa. Uma bomba de fumaça explodiu no nosso meio e eu peguei na Giselle e nos abaixamos, a fumaça começou a fazer efeito e nós não víamos nada, só começamos a ouvir disparos de um lado para o outro e parecia que tinha uma briga
Leer más
7. Reencontro
Quando era mais pequena, sonhava num futuro que na qual estaria com os meus pais, a beira de uma varanda tomando café da manhã, eu tinha uma família feliz e pais que me amavam, e eu sentia, mas infelizmente... Tudo o que é bom, não dura para sempre, mas eu pude aprender muito com os meus pais, sobre determinação e confiança, e a nunca contar com ninguém a não ser com eles ou comigo. *********** KATHERINE  Estava um dia lindo, e eu me sentia bem disposta, levantei da cama, fiz a minha higiene pessoal no balneário com todas as outras raparigas, que trocavam conversas e piadas entre elas, e eu apenas no meu canto sem falar com ninguém, de um lado estava a Liz com um grupo de meninas rindo e olhando para mim, e com certeza eu era o motivo da piada, mas na verdade eu estava nem aí, essa mulher fazia de tudo pa
Leer más
8. Meia noite
Depois de uma noite completa de prazer, nós estávamos deitados na cama, ele dormindo e eu de barriga para cima de olhos abertos, pensando em como isso foi maravilhoso, e de como eu nunca me dei a oportunidade de ter essa experiência, vivo tão obcecada por vingança que o prazer ficava no final da minha lista, foi algo único, não me arrependia mas achava isso uma distração, não podia voltar a ter uma conexão com ele, isso podia me atrasar com os planos.  Ele virou pra mim ainda sonolento e reparou que eu estava acordada e perguntou:  - Sem sono?  - Sim, acho que... já está na minha hora de partir.  - Que horas devem ser? 3 da
Leer más
9. Vulnerabilidade
- E se eu disser que sim? - Argh - eu rangi os dentes de raiva. - Eu vou arrumar esses corpos na van qué está aí embaixo - disse o Simon - eu te espero lá embaixo. - E se eu não quiser ir?  - Bem... Você fica! Mas pensa bem, se é realmente isso que você quer? Um pobre inocente na tua vida sangrenta, Kate Vingativa.  Ele pegou num dos corpos deitados no chão e colocou no seu ombro e foi levando naturalmente até a porta da saída, e ele voltaria para vir pegar os outros dois, eu fiquei sentida e com raiva ao mesmo tempo, por um lado ele tinha razão ... Eu não posso criar laços e perder o meu foco e não posso arrastar ninguém nessa vida que eu sigo e pretendo ir a fundo, e por um o
Leer más
10. A briga
- Kate? - Simon havia acabado de me chamar enquanto dirigia, eu digo Simon! Ele nunca chamou ninguém, que coisa mais estranha, estávamos no mesmo carro já a uns 30 minutos a caminho da academia, depois dele ter jogado os Vilões no meio da polícia, e ninguém falava alguma coisa, o silêncio era o nosso amigo.  - Simon? - olhei pra ele erguendo as sobrancelhas - você... acabou por chamar o meu nome. - Sim - ele dizia olhando para frente enquanto manuseava o volante - como você pensa em obter a tua vingança? - achei estranho a sua pergunta, e coloquei uma cara de despercebida, e voltei olhando pra frente. - Porquê você me pergunta isso? - Por curiosidade, por vezes sinto que mereces e outras vezes... Sinto que só fazes merda. Leer más