Realidades Camufladas

Realidades CamufladasPT

Elizandro Joel  En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
36Capítulos
721leídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Ao despertar mais uma vez na tumultuosa cidade de Luanda, Marie Dos Santos Anthony revê o seu diário, que serve de ponto de ignição para uma fusão temporal entre o seu presente e o seu passado, detalhado pela própria personagem. De uma maneira particular, a personagem narra tudo o que viveu na transição da adolescência para a idade adulta e descreve a arte da camuflagem humana nos mais variados contextos e demonstra que, somos autênticos mestres do disfarces.

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
36 chapters
CAPÍTULO 1
Como se tratasse de um sonho, eu acordei em uma cama de casal em um quarto enorme, e com uma poltrona junto da cômoda que me faz olhar para o meu reflexo no espelho sempre que eu me sento nela. As janelas sanfonadas deste quarto são enormes, a vista é incrível, consigo sempre ver o céu, as nuvens, o sol e uma linda avenida junto ao mar, assim que abro as cortinas. Dentro do baú está alguém que eu não vejo há muito tempo, o único que sabe tudo sobre mim, o meu diário.O céu nublado anunciou um novo amanhecer na tumultuosa cidade de Luanda. Logo ao acordar, levantei da minha cama, direcionei-me para o espelho e olhei para o meu reflexo. Ainda presa no meu reflexo, apreciei a minha pele mestiça e admirei os meus olhos castanhos. A maior parte da humanidade é refém do mito da raça ariana que originou a obsessão por olhos azuis, mas eu não me arrependo de não ter nascido com os olhos azuis, sempre amei os meus olhos castanhos como a cor do mel e o meu um metro e oitenta e dois
Leer más
CAPÍTULO 2
A vida é realmente feita de acasos. Tive a prova deste adágio quando, no meu primeiro dia de aulas no Colégio Nobre, vi o Márcio, o rapaz que conheci no Talatona, sentado na minha sala de aulas. O nosso primeiro contacto foi um simples e tímido "oi", movido pela minha timidez, timidez esta que surgia apenas quando me deparava com ele. O Colégio Nobre era o meio acadêmico mais frequentado pela alta sociedade angolana. Em outras palavras, é lá onde estudavam os riquinhos da cidade. Um facto verídico que a maioria dos pais desconhece é que escolas deste tipo costumam ser um poço de influências negativas para os jovens.  Os ricos do meu país investem em construções de escolas privadas caríssimas, com mensalidades cinco vezes superiores ao salário mínimo de um país rico e pobre instituicionalmente. O ensino nestas escolas é de qualidade, mas a futilidade mora nelas também, onde muitos vão apenas para cumprir formalidades, e outros vão para exibir as suas roupas novas. Alg
Leer más
CAPÍTULO 3
Na última sexta-feira do mês de Fevereiro daquele ano, lembro que terminamos as aulas cedo e fomos todos para a minha casa fazer o trabalho da disciplina de História. Assim que chegamos, quase todos espantaram-se com a nossa residência, quando viram obras de arte caríssimas, africanas e ocidentais, mármore por toda casa e todo o resto que compõe uma vivenda luxuosa. Todos pareciam maravilhados, excepto o Márcio que é um fidalgo nato.O término do trabalho foi acompanhado de um delicioso bolo de chocolate, daqueles que só a dona Isilda sabe fazer. Todos foram-se embora, lembro que apenas o Márcio permaneceu em minha casa, por ter ido ao quarto de banho. Minutos depois, o destino e a vida decidiram aplicar a lei do acaso, ou seja, a famosa coincidência. A dona Isilda estava na área de serviço e eu estava na sala de estar no momento em que o Márcio saiu do recinto e perguntou-me se todos já se tinham ido embora. Eu respondi que sim, sem olhar nos seus olhos, eu tentava disfar
Leer más
CAPÍTULO 4
O sono tardava a aparecer. Deitada na cama, eu rolava de um lado para o outro naquela noite cinzenta. Lembro, como se fosse hoje, que um sentimento de desconsideração se apoderou de mim e deixou-me chateada com o mundo. Parecia que o Márcio esquecera o epicentro do mês de Junho, o relógio marcava duas horas da manhã e até àquela hora da matina o meu telemóvel não tocava. Junho é o mês em que se assinala uma das datas mais importantes da minha vida, o dia do meu aniversário. Os meus dezassete anos de idade acabavam de ser atingidos e faltava-me apenas um ano para atingir a maioridade aos olhos da lei angolana.Desconheço o nativo angolano que não aprecie um bom convívio e os britânicos não ficam atrás, porém, não perspectivei comemoração alguma. Nunca fui boa a celebrar aniversários. Recebi imensas ligações, começando pela chamada dos meus avôs, que acabaram por completar o meu dia. Eles mostraram o seu amor por mim e desejaram-me as melhores coisas que existem neste mundo: paz
Leer más
CAPÍTULO 5
A minha insistência colocou o gráfico da nossa relação em declínio e, lentamente, as coisas começaram a se degradar. O meu namorado não prestava atenção em mim. Na escola, já nem ficávamos juntos a toda hora como outrora a gente viveu, o meu pobre coração entrou em desespero e aos poucos fui consumida por este sentimento. Do dia para a noite, como da água para o vinho, tudo mudou e comecei uma luta contra uma correnteza que me conduzia para cada vez mais longe do Márcio, dia após dia. Na tentativa de melhorar a situação, decidi tomar uma atitude e fiz-lhe algumas perguntas por mensagem:- Meu amor, por que tudo isso? O que se passa? Estás a gostar de outra rapariga?Com tamanho desamor, o Márcio respondeu à minha mensagem:- Estou um tanto quanto cansado do nosso relacionamento e acho melhor terminarmos ou darmos um tempo.Por mim — a frase dar um tempo — é o mesmo que terminar o relacionamento. Quando as coisas correm bem na
Leer más
CAPÍTULO 6
Sábado.Assim que despertei, a minha mãe entrou no meu quarto e de imediato convidou-me para irmos às compras. Achei estranho, primeiro porque ela nunca me convidava para sair e segundo porque não tínhamos o vínculo de amizade entre mãe e filha. Mesmo assim, concordei por sentir que a minha mãe quis arranjar uma forma de compensar o tempo perdido. Cuidei da minha higiene pessoal de forma demorada, fiquei presa ao espelho durante minutos e minutos a olhar para o meu reflexo, não conseguia parar de pensar em tudo o que havia acontecido e, de hora em hora, perguntava a mim mesma se aguentaria continuar a suportar. - Marie, despacha-te! – gritava a minha mãe. - Já vou, mãe! Dá-me só mais um minuto. Passaram-se alguns minutos, coloquei a roupa e encontrei-a na cozinha. Estava sem fome, mas a minha mãe exigiu que eu comesse uma fruta. A fome se vai quando a tristeza invade a alma e o coração.No Angola Shopping Center,
Leer más
CAPÍTULO 7
Chegara o dia de ver os resultados finais. Muito cedo fui despertada pela minha mãe, larguei o conforto da minha cama e em seguida tratei da minha higiene pessoal. Não tive tempo de me alimentar, de tão nervosa que estava. Com o senhor Jacinto ao volante, dirigimo-nos ao Colégio Nobre o mais rápido que podíamos e, chegando à escola, saudei todo mundo.- Bom dia! Desculpe por lhe interromper, tia, vim cá ver os meus resultados finais.- As pautas estão no andar de cima, menina, sou senhora secretária e não sua tia.- Ok. Peço desculpas, senhora secretária, não foi minha intenção faltar-lhe com o respeito. Tratei a funcionária da Secretaria por tia, porque a minha mãe sempre me disse que é um bom costume angolano respeitar as pessoas mais velhas, sendo parente ou não, desde que seja uma pessoa mais velha devemos tratar por tio/a e fui maltratada por ser educada.Ansiosa e bastante receosa, vi o meu nome e constatei que fui ao recurso. I
Leer más
CAPÍTULO 8
Terça-feira.Um novo dia e uma nova motivação. Fazer bem o último exame era o meu principal objectivo do dia. A determinação de transitar e atingir as novas metas era o que me deixava motivada. Despertei ao meio da madrugada, o enorme medo de desapontar os meus pais assombrava-me a cada minuto. Agarrei-me aos cadernos e apenas deixei de olhar para a matéria quando já estava quase a atrasar-me para o exame. Fiz a higiene pessoal. Rapidamente desci, comi apenas um pedaço de bolo e fui endiabrada para a escola.- Bom dia, senhor Jacinto! Como está?  - Estou muito bem. E a menina Marie, como está?- Estou bem e totalmente pronta para a prova. Podemos ir. Por favor, acelere. Não me posso atrasar.- Está bem, menina.Mesmo no carro, eu não parava de ler a matéria de Geografia, a enorme pressão que estava sobre mim fazia-me ser dura comigo mesma. Eu não tinha um minuto de descanso sequer, pois aquele era o resultado da minha
Leer más
CAPÍTULO 9
No dia seguinte, acordei com uma excelente disposição. Abri os olhos da Evandra com o intuito de tirar-lhe o sono, mas mesmo assim ela não acordava. Usei um dos vários métodos para acordar alguém, e gritei bem alto. - Vá, acorda, dorminhoca!Ela não se demorou, acordou e atirou-me com um travesseiro. A seguir, começamos uma guerra de travesseiros que nos tornava cada vez mais crianças. Até a minha mãe subir para o meu quarto e gritar bem alto.- Meninas, parem já com isto! Vocês são crescidas demais para este tipo de brincadeiras.As palavras da minha mãe deram-me a prova de que a mente da maioria dos pais é demasiadamente complexa, pois quando as crianças agem como adultas, os pais reclamam e alegam precocidade, e quando finalmente agem como crianças, também reclamam. Ficamos em silêncio na presença da minha mãe e, quando ela saiu, matamo-nos de rir. As amizades femininas são tão íntimas que a minha melhor amiga e eu tomávamos banho jun
Leer más
CAPÍTULO 10
20 de Dezembro, o dia da partida.Nos dias anteriores, passei quase todas às noites em branco a estudar imenso para os exames, e na noite anterior o sono perdera moradia na minha cama por causa da minha ansiedade de viajar o quanto antes. Saímos de casa com o senhor Jacinto rumo ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro. Lembro que ao longo do trajecto eu me despedia da minha Kianda aos poucos. No Aeroporto, a ansiedade continuava a exercer um tamanho domínio sobre mim, enquanto aguardávamos pela hora de partida do nosso voo. De hora em hora, consultava o relógio e contava os minutos para a nossa viagem. Três horas antes, já estávamos no aeroporto, porque a pontualidade é uma das principais aliadas do meu pai. Passadas algumas horas, ouvimos a chamada de embarque para o nosso voo, porém não adiantava estar mais ansiosa, pois muitos são os quilômetros que separam Luanda de Londres.8 horas de viagem, suscitaram um enorme cansaço em mim, adormeci durante a viagem e des
Leer más