Índice
38 chapters
Mensagem enviada
Natasha Entrei acompanhada de Francisco no salão. Estava nervosa, Gregory estava ali, pois tinha acabado de falar com Raquel na sala. Ela tinha me dito que veio com ele. Estava radiante, nunca vi Raquel tão feliz na vida.Meu estômago estava embrulhado. A mensagem da festa foi passada? Ele desistiria de mim ao se dar conta do luxo que me cercava? —Você está tensa. O que foi? —A fala de Francisco, me fez perceber que eu o procurava com o olhar.Eu encarei Francisco, passando minhas mãos levemente trêmulas no vestido.— Eu? Não, estou bem. —Forcei um sorriso.Francisco estava um pouco diferente desde a última vez que eu o vi. Mais cortês, retraído, como se pisasse em ovos comigo. Isso não me incomodava, de maneira nenhuma.—Fiquei surpreso quando resolveu dar essa festa. Nunca pensei que gost
Leer más
Vai jogar fora o que sentimos?
Gregory Estendi minha mão para ela, que indecisa olhou por um momento, como se estivesse com medo de tocar. Logo senti sua pele macia contra a minha. Antes que ela se arrependesse eu a puxei, sentindo uma corrente elétrica atravessar meu corpo.No meio do salão a envolvi nos braços, tocava uma música que eu gostava muito, Heaven, de Brian Adams.—Foi golpe baixo me puxar para dançar.Eu que estava com o rosto enfiado nos cabelos cheirosos dela me afastei e a fitei com um sorriso irônico:—Por quê? Pensou que ia me assustar com sua linda mansão, com sua festa glamorosa, com esse colar que deve ser brilhantes?Aquele rubor atraente se formou em seu rosto, e ela me encarou séria. Eu desci meus olhos para aqueles lábios pensando se a beijo ou não.—Há um abismo entre nós, não percebe? &mda
Leer más
Eu, grávida?
—O que está acontecendo com você Natasha? Ainda não melhorou do estômago? Você não está grávida está? —Lucinda disse abrindo com força as cortinas e a janela do meu quarto para que a luz entrasse. Eu fechei os olhos e coloquei o travesseiro na cabeça.Eu ri, parecia piada de mau gosto.—Essa é boa mamãe! Eu, grávida? Com a vida que eu tenho? Isso só aconteceu uma vez na história, onde uma mulher engravidou sem transar.Ela riu.—Então levanta dessa cama, já passa das três horas da tarde. Quando me disse que iria levantar tarde, não pensei que fosse essa hora.—Eu não dormi direito à noite.Ela se sentou nos pés da minha cama e me encarou.—Um monte de gente perguntou de você.Apenas sorri como se aceitasse essa preocupaç&atil
Leer más
Duas semanas depois...
NatashaLucinda entrou no meu quarto com a expressão preocupada. Ela estava elegantemente vestida, com um vestido verde escuro, os cabelos negros arrumados em um coque.— Filha, você não está sem fome de novo? Você está doente?Afastei um instante os sentimentos tão ruins que me rodeavam. Estava tentando me esquivar de todos. Com os pensamentos longes apenas a encarei.Mamãe se sentou na beirada da cama, e me encarou.—Desde que veio da festa de Raquel está estranha. Eu deveria ter ouvido seu pai. Você não deveria ter ido.O pior que ela estava certa, maldita hora que fui àquela festa, agora eu sentia como se meu coração fosse rasgado por dentro.— Mamãe. Eu me sinto muito ociosa. Muito fechada nessa casa.—E o curso de Francês que está fazendo?—Você acha
Leer más
Reencontro
No dia seguinte acordei resoluta a mudar minha condição. E mentalmente preparada para enfrentar meu pai, pois ele não ia gostar nada de eu sair para trabalhar. Um dia tivemos uma briga feia por causa disso, ele tinha me dito que era humilhante para ele ver sua filha arrumar emprego em alguma empresa sendo que tínhamos a empresa da família. Ele sempre me segurou com esse argumento, mas agora chega!Depois de descer e tomar café, eu voltei para o meu quarto e comecei a cadastrar o meu currículo nas agências. Na parte experiência deixei em branco, morrendo de vontade de inventar alguma mentira sobre o estágio, que eu "não tinha feito."A tardezinha, eu estava tentando ler um livro na biblioteca.—Natasha, você ainda não se trocou? Francisco vem te pegar, filha. —Mamãe me perguntou logo que entrou.— Eu vou assim mamãe.Lucinda me olh
Leer más
Não me julgue
Natasha — Natasha?Eu abri meus olhos.—O que houve? Por que ficou tão abalada ao vê-lo? Você gosta desse rapaz? Ele parece mais do que um primo de sua amiga para você. —Francisco me encarava como se pela primeira vez tivesse me visto.Eu enxuguei rapidamente, uma lágrima que desceu. Num misto de sentimentos, preocupada, ansiosa, triste, procurei Gregory com os olhos e não o encontrei.Voltei minha atenção para Francisco que me estudava. O ar parecia carregado, cheio de uma névoa escura.—Eu o amo. Mas como viu, ele não pertence ao nosso mundo e meu pai não o aceitaria. Com medo de represarias, eu o afastei de mim. —Eu disse com voz fraca.Ele se recostou mais na cadeira, pensativo.—Foi por isso saiu da sua festa daquele jeito. Você tinha acabado de terminar com a relaç&atild
Leer más
Deus, por favor, me ajude!
O carro entrou e depois avançou na rua de Raquel.— Deus, por favor, me ajude! —Falei para mim mesma quando vi o carro de Gregory estacionado em frente à casa dela. Roger parou atrás dele.—Obrigada Roger. Eu te ligo, pois não sei a hora que sairei daqui. —O dispensei, com fé que tudo iria dar certo.—Está certo, senhorita.Desci do carro alisando meu vestido. Resolvi ir mais feminina. Tinha optado por um vestido branco com estampas delicadas amarelas e pretas. Uma sandália de couro cru e uma pequena bolsa preta, onde estava minha carteira, batom e meu celular. Deixei meus cabelos negros soltos.As horas tinham se arrastado, graças a Deus, mamãe não tinha voltado ainda, então saí tranquila de casa.Roger deu ré no carro e com um aceno foi embora. Abri o portãozinho e entrei no jardim. Depois liguei para o celular de
Leer más
Não sou sua propriedade!
Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura.Friedrich Nietzsche Eu já andava meio chateada. Tinha mandado tantos currículos e nada. Nunca pensei que fosse tão difícil conseguir um emprego, emocionalmente eu me desesperava e isso era só o começo da luta que eu ia enfrentar ao lado de Gregory. Não queria passar essa imagem de dondoca inútil. Depender dele, sabendo de sua condição financeira.Era horrível! Gostaria de estar trabalhando quando eu fosse morar com ele. Crescer profissionalmente ao lado dele era o meu objetivo.Afastei meus pensamentos quando Roger estacionou em frente à casa de Raquel.Raquel sempre que me recebia, tinha aquele olhar crítico.Não sei por que ela se incomodava tanto com tudo isso?O problema era meu! Eu o amava e
Leer más
Fiz tudo errado!
Natasha Eu abri os olhos, aérea. Olhei tudo confusa. O meu quarto estava iluminado com o abajur. Eu me sentei e me lembrei da discussão na sala, tonta, me sentindo dopada, estranha, caí nos travesseiros novamente. Tudo rodava.Uma senhora surgiu, estava de branco.Uma enfermeira?— Olá Natasha. Eu sou a enfermeira Ronda Smith, eu estou aqui para cuidar de você. Você precisa de alguma coisa.— Por que eu estou me sentindo tão estranha?— Depois que você desmaiou, seu pai chamou um médico. Ele tranquilizou seu pai, disse que você teve um mal-estar passageiro. Mas como você anda muito nervosa, você está sob efeito de calmante.Eu sentia minha bexiga cheia.— Preciso ir ao banheiro.A enfermeira me ajudou, me pegando pelo braço. Quando caminhava percebi que estava de cami
Leer más
Não abrirei mão da minha vida. Gregory é a minha vida.
Natasha Fazia uma semana que eu tinha ligado para Gregory, desde esse dia não tinha conseguido mais falar com ele. Mas hoje a sorte estava do meu lado. Percebi isso, quando entrei no quarto de mamãe e vi o celular dela no criado-mudo. Na ponta dos pés caminhei até o banheiro, pela fresta da porta a vi esparramada na banheira com pepinos nos olhos.Sorri.Com o celular na mão saí do quarto dela e fui até o meu. Fechei a porta e ansiosa, liguei para Raquel.O que meu pai pensava?Que o fato de me proibir sair, ou fazer ligação, ou qualquer coisa que eles fizessem, arrancaria Gregory do meu coração?Não, estavam redondamente enganados. Gregory era a minha vida, e eu não ia abrir mão dela.O celular dela tocou três vezes.—Alô.— Raquel?&md
Leer más