O Clube dos Garotos Bonitos

O Clube dos Garotos BonitosPT

Victor Pacheco   concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
25Capítulos
930leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Pedro nasceu fora dos padrões beleza, e o mundo não o perdoou por isso, sendo a vida toda alvo piadas mau gosto, o que ninguém esperava é que ele acabaria conquistando o coração Júlia, a mais bela e popular da escola, contudo ficar ele significa abrir mão toda sua popularidade, a colocando em um dilema entre seguir seu coração ou continuar sendo a rainha da escola. Para complicar ainda mais a história há Tulio e Tiago, dois gêmeos idênticos, no qual o primeiro se apaixona perdidamente por Pedro e o segundo por Júlia. Um romance ágil, divertido e sobretudo emocionante, o qual te fará pensar porquê a opinião dos outros nos afeta tanto?

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
25 chapters
Capitulo 1
        Pedro deu mais uma olhada no espelho e tratou de convencer a si mesmo que estava bonito, não era uma tarefa fácil visto que nunca se sentira dessa forma, contudo visto que iria ingressar em uma nova escola, uma das melhores do país a qual ele conseguira através de fazer uma pontuação perfeita em um difícil processo seletivo, se tornara aluno do Instituto George, prestes a conhecer pessoas desconhecidas, havia decidido que tentaria mudar aquela situação e todas as outras que lhe oprimiam.     Seguindo o conselho de sua mãe de se adequar optou por fazer um relaxamento em seus cachos e retirar boa parte de sua barba, o uniforme alinhado combinava com a suave fragrância do perfume da sua mãe; o qual ele despejou um pouco em si mesmo, colocou um pouco de seu pai também, com a ideia de agradar todos os públicos, treinou um pouco seu sorriso de apresentação, no entanto concluiu que seus dentes tortos poderiam dificultar sua
Ler mais
Capítulo 2
As vezes mandamos nosso sexto sentido calar a boca, e continuamos acreditando em nosso coração. Pedro fizera decidir acreditar no pedido de desculpas de David.   O que mais doera não foi de fato o cartaz que David colou as suas costas enquanto lhe abraçara, cujo continha a cara de Pedro colada a uma imagem de um peixe morto, o que doía era que chegara a confiar nele, ainda que por um pequeno período de tempo, e isso lhe fazia sentir um idiota.    Trancara-se em uma das cabines do banheiro; chegara a ignorar o odor nojento que emanava de uma das privadas entupidas. Só queria chorar, e esquecer o quanto fracassara em sua tentativa de ser aceito, sua tentativa de ser normal. Perdido em seus pensamentos ele nem sequer notou que o horário da próxima aula se aproximava, e somente se lembrou de ir para a aula de gramática quando o sinal havia tocado. -Não po
Ler mais
Capítulo 3
Pedro acordou animado, "acordar" era uma palavra forte para quem praticamente nem dormiu, tamanha era a ansiedade que ficara boa parte da noite imaginando como as coisas iam ser.   Chegou a fantasiar como seria o dia dos dois juntos, imaginou como puxar assunto e como iria surgir pouco a pouco intimidade entre eles, já havia sonhado tudo antes mesmo de acontecer; do primeiro olá até o primeiro beijo que dariam, depois de duas semanas de muita conversa e romance a moda antiga, pobre criança iludida!    Havia preparado um lanche para quando ela chegasse e agradecia a Deus por nenhum de seus pais estarem em casa, não gostaria de passar a vergonha de ter Júlia presenciasse uma discussão de ambos.     Seguindo seu cronograma fez faxina na casa e prendeu Edward, seu lindo porém ciumento cão, no cercadinho e depois rumou para o banheiro, onde tomou um banho e se arrumou
Ler mais
Capítulo 4
- O que achou do filme?-Perguntou ele-Maravilhoso, cheguei em algumas partes.-Falou ela.-Você chorou?-É proibido agora? kkkkk-Não, é que geralmente não é lágrimas que se espera ao assistir um filme do Quentin Tarantino kkkkkk.-Qualquer um que assistiu aquele filme e não chorou é oficialmente sem coração, a cena que ela espancada grávida não te comove? Ou ainda quando ela reencontra sua filha?-Tá eu posso admitir que lacrimejei em algumas partes kkkk-Admita que chorou boy.-Tá, talvez um pouquinho.-Viu só? Eu sabia, aquele filme é uma novela mexicana com dedo no c* e gritaria junto.-Concordo kkkk-Queria saber lutar de espadas igual a Lucy liu.-Eu queria saber lutar.-Porquê não tenta aprender? As artes marciais nunca saem de moda.-Se eu soubesse l
Ler mais
Capítulo 5
CAPÍTULO CINCOPorquê doía tanto? Era a pergunta que Túlio fazia a si mesmo, e não conseguia responder, na verdade já sabia a resposta o problema era que não gostava da resposta que recebeu.    Já fazia tempo que notara quanto pensava em Pedro, a vontade de ficar próximo a ele e o abraçar, as vezes que se pegou imaginando como seria sentir os lábios dele nos seus, ser excluído por seu amigo era doloroso, no entanto era pior quando se estava apaixonado pelo mesmo.    O alarme tocou avisando que estava  na hora de ir para a escola, como sempre Tiago já havia acordado antes e o esperava pronto na sala, seu pai se encontrava falando ao telefone com alguma namorada, soava atencioso e romântico, contudo todos ali sabiam que aquilo não iria durar, Alessandro ainda estava preso no século passado, e assim que levasse aquela mu
Ler mais
Capítulo 6
-Você só pode estar de brincadeira com minha cara.-Falou Túlio ao ouvir toda a história de Pedro, e perder a paciência, se jogou em sua cama e suspirou antes de continuar.-Você vai realmente se sujeitar a isso?-Pedro se sentiu envergonhado e pensou em não responder, no entanto o fez.-Não é tão ruim quanto parece.-Ele quis mais do que nunca ser a pessoa que sabia dar respostas certeiras, mas para sua infelicidade era mais do tipo que pensava na resposta perfeita dois dias depois da discussão ter acabado.-Isso é humilhante Pedro.-O tom dele fora mais dolorido que ríspido.-Eu gosta dela porr*.-Gritou abruptamente.-Eu não posso evitar o que eu sinto, e se essa for a única forma de estar perto da garota que eu gosto eu farei.-O tom dele foi firme, no entanto Túlio o olhava como o maior dos idiotas.- Estou chocado com sua falta de dignidade.-Disse co
Ler mais
Capítulo 7
Apesar de todas as críticas e competição, era bom estar com suas amigas, assim como quando tinha doze anos de idade vez ou outra faziam festa do pijama.     Essa festa era na sua casa, com suas duas melhores amigas, Isabela, Patrícia e Ellen, por consequência d puro clichê eram as garotas mais populares da escola, Isabela sua amiga mais próxima e inseparável, era parecida com ela tanto em personalidade quanto fisicamente, Patrícia era a garota mais narcisista e livre que já conhecera, se destacava por seu estilo descolado e alternativo ao mesmo tempo, Ellen era uma garota elegante e séria, soava mais como garota difícil e inacessível, a qual era desejada, porém só ficava com quem a mesma escolhia, ninguém ousava se aproximava dela primeiro.     Eram um contraste á beleza clássica e convencional que Júlia e Pr
Ler mais
Capítulo 8
-Você tem exatos sessenta segundos, para nos explicar porquê está de conversa com o maior nerd da escola.-Disse Patrícia enérgica.-É uma vingança.-Disse Júlia em sua defesa.-Como assim?-Disse Ellen perplexa, Patrícia seguia com seu olhar de desconfiança.-Bom todas sabem que eu me ferrei por causa daquele otário não é mesmo?-Todas assentiram.-Agora mesmo que eu gabarite a prova, o que provavelmente vou, terei de ouvir dos meus pais e ficarei de castigo.-Eu me lembro de você ter mencionado algo sobre.-Disse Isabella em concordância.-Então, eu vou usar o sentimentos daquele idiota, fazer ele se iludir e depois o chutar da pior forma possível.-Enquanto falava uma dor no peito lhe preencheu, e ela se deu conta do quão injusta havia sido por ter julgado Pedro por sua aparência, suas amigas gargalharam e fizeram gestos euf&o
Ler mais
Capítulo 9
     Pedro não se lembrava da última vez que acordara sorrindo, após se esforçar um pouco lembrou-se, fora da vez que sonhou encontrar uma maleta cheia de dinheiro, tinha uns cinco anos de idade na época, se lembrou de ter caído no choro em seguida, pois havia percebido que tudo não passara de um sonho.     Naquele dia em questão após acordar ele prosseguiu sorrindo, chegou a arrancar alguns comentários interrogativos de seus pais, contudo tudo o que fizera foi sorrir em resposta, estava feliz e era tudo o que importava, era diferente dessa vez, seu sonho começava assim que abria os olhos, e se levantava da cama, todos os dias alguns minutos antes de dormir ele separava uns minutos para relembrar como fora seu dia com Júlia, e relembrava cada beijo, cada toque, e eventualmente como fizeram amor, relutavam contra o sono e seguiam conversando at&e
Ler mais
Capítulo 10
Júlia driblou o sistema do hospital, um pouco de dinheiro sempre resolvia qualquer coisa, logo se moveu para o quarto de Pedro, o mesmo ainda dormia, e permaneceria assim por algumas horas.    Ela pousara as mãos sob os cabelos dele, e lhe acariciou ternamente, lágrimas escaparam de seus olhos e o sentimento que invadiu seu peito, foi de ódio de si mesma.   Ouvira de um dos médicos que não havia sofrido nada grave, mas que precisou fazer uma pequena cirurgia no nariz, visto que havia fraturado o mesmo com a queda, e por isso teve que ser sedado.    Sabendo que a mãe de Pedro chegaria em breve, decidiu apressar-se e sair, balbuciou a palavra "perdão" antes de ir.    No entanto assim que virara a maçaneta, se deparara com um rosto feminino extremamente parecido com o de seu amado, logo concluira que se tratava de sua mãe. -V
Ler mais