Minha vida é tua

Minha vida é tuaPT

Regina Alcântara  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
51Capítulos
928leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Sílvia é uma mulher doce que desde muito cedo aprendeu sobre a dor, sobre como era ser odiada, subjugada e maltratada por alguém que devia ser sua proteção, aprendeu sobre o amor onde menos se espera. Este livro conta a história de uma mulher forte, que não fugiu da dor por meios sombrios, mas a enfrentar tudo por aqueles que amam.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
51 chapters
Prólogo
Ando pela viela da comunidade, passos ligeiros, pernas finas, minhas sandálias gastas não são suficientes para impedir que meus pés toquem a água suja de esgoto a céu aberto que escorre dos barracos de vários moradores, ratos disputam espaço com cachorros, crianças, eu sou mais uma no meio de tantas, a cada passo o coração acelera nos ouvidos, a cada passo me aproximo do inferno, eu preferia não ter nascido ou ter nascido em outra família, mas quem protegeria meu pequeno se eu não existisse? Talvez esse seja meu propósito na vida, impedir que meu irmão passe por tudo que estou passando, ou pelo menos evitar parte do seu sofrimento.O Tum... tum... tum... do meu coração não impede que eu escute o choro das crianças dos barracos, a música funk que a Jucélia escuta todos os dias, os gritos de socorro da vizinha que apanha do marido bêbado, mas da mesma forma que para mim, o socorro não vem para ela também.Meu corpo tem algumas marcas, porém poucas superficiais, o negro da
Ler mais
Capítulo 1
Minha mão pequena bate no vidro escuro do carro, que brilha ao sol do meio-dia, um homem de sorriso maldoso e olhar malicioso, cabelos brancos bem penteados, aparece na janela. — Te dou tudo que quiser... É só entrar...Te dou até um banho, pra ficar...Com o tempo eu aprendi o que cada olhar significava, observando os homens que apareciam lá em casa então eu corro para o mais distante possível, mas quando percebo meus passos estão me levando de volta para o inferno não tenho nem como me arrepender, pois ouço gritos desesperados do Báh, sinto a sua dor. Estou em frente à porta que se abre com violência..."Sinto meu corpo sacolejar, e acordo suada, perdida, eu já deveria ter me acostumado, aos pesadelos vívidos em minha memória, que estão sempre lá, esperando um momento, um cochilo então ela invade meus sonhos e os transf
Ler mais
Capítulo 2
Mais uma vez a vida é uma cadela comigo, nunca vou me achar digna de ser feliz, pois ela me arranca tudo de bom que aparece em minha vida e mais uma vez me arrasta pela lama, aquela mesma lama fedida daquele barraco, não sei quantas rasteiras vou ter que levar para desistir de vez. Incontáveis, esses são os números de rasteiras que essa puta barata me deu. Quantas vezes tenho que me lembrar de suas últimas palavras para não voltar para a escuridão, me agarro a elas sempre que fraquejo, sempre que minhas pernas travam e meus pés tentam parar, quando eu só quero ficar em minha cama e nunca mais sair, eu me lembro.“Você é forte, Sil, nunca vi nada e nem ninguém mais forte que você, estarei lá por você aonde quer que esteja, levante-se e olhe sempre para a frente.“— Serei forte e Sil, aguentarei o máximo que puder, por vocês, meus fi
Ler mais
Capítulo 3
Chego em casa da faculdade, e passo direto para o escritório do meu pai, um espaço amplo onde ele põe em dia seus estudos, preciso conversar com ele, tenho que arrumar um emprego e também quero procurar um lugar para morar, afinal sou uma mulher de vinte e dois anos, não posso ficar a vida inteira em sua aba, e também sinto que estou atrapalhando seu namoro com a Andréa, ela sempre que me vê torce o nariz como se sentisse um mau cheiro, sei que ele está lá esse horário, mas antes de bater à porta escuto uma conversa alterada entre ele e a Andréa.— Você não pode continuar sustentando essa mulher John, isso não tem cabimento!Escuto a voz zangada do senhor John e me encolho diante dos gritos da sua resposta que não escuto bem.— Enquanto ela era menor, tudo bem... se ela fosse realmente sua filha eu até poderia aceitar, mas ela é uma mulher e está mais que comprovado que ela não é sua filha! — ela diz indignada.— ELA É MINHA FILHA SIM! — ele grita. — E ENQUAN
Ler mais
Capítulo 4
Ian MassarovNão importa quantas pessoas eu salve, não importa quantas já salvei, isso não vai me tirar a culpa, o peso que eu carrego, mesmo que eu extermine da face da terra todos os carniceiros que entram na vida das pessoas para destruí-las, nada disso me faz sentir mais digno. Não fui capaz de salvá-la, ela era só uma criança, sem proteção, à mercê do poderio de um homem adulto, se é que aquilo pode ser chamado de homem, quando me lembro da cena meu estômago se revolta e a bile sobe. "Melhor sair daí''. Meu subconsciente aconselha, estou pilotando minha envenenada, uma PGM V8, ganho velocidade e meu coração acelera com a alta carga de adrenalina, não tenho lar, vivo no mundo, mas minha última parada é sempre o Brasil.Entro na casa, um clube que eu frequento em Los Angeles, tenho uma casa em Long Beach, a ver
Ler mais
Capítulo 5
Pés descalços, saltam uma, duas poças de lama, como se brincasse de amarelinha, mas em minha vida não há espaço para brincadeiras, meu corpo inteiro dói, já me acostumei a dor, feridas nos joelhos já não são mais uma novidade, procuro por algo que não sei o que é, num instante o cenário muda, ainda estou procurando algo, olho embaixo da pequena cama que um dia teve espaço para comportar meu corpo inteiro, hoje sou maior que ela, tenho que me encolher ao máximo para dormir nela, ouço a porta da frente se abrir num baque, seguida por um grito.— Sílvia, cadê você sua ratinha! Espero que tenha ido atrás do meu dinheiro, se eu não tiver um pouco de sossego você também não terá...Sua voz enrolada me diz que ela bebeu e fumou, sempre que ela fuma aquela coisa fedida ela me castiga até se cansar, ela me castiga até cansar mesmo nas poucas horas que está sóbria. Saio devagar do meu esconderijo, me arrependo assim que sinto duas mãos pegarem meu pescoço...— Acorda sua rat
Ler mais
Capítulo 6
Hoje estou mais ansiosa que os outros dias, é o dia da audiência do processo contra a doutora Andréa, por isso tive uma noite de cão. Cubro minhas olheiras com maquiagem, calço meu salto alto, já vestida, aviso meu pai que já chegou que estou descendo.— Bom dia filha, ansiosa para o que está por vir?! — Ele nem imagina que eu não dormi a noite inteira.— Bom dia pai, sim estou muito ansiosa, desde ontem para ser sincera.Ele me conforta— Vai dar tudo certo, você vai ver, estou do seu lado, a justiça está do seu lado, não há o que temer. Ela será julgada não só pela discriminação racial, mas também por desacato à autoridade, enfim a Rute também está cuidando disso. — ele fica vermelho ao falar da Tenente Rute, isso traz um sorriso aos meus lábios. &
Ler mais
Capítulo 7
Estou sentada no banquinho do bar observando a louca da Andressa, suada dançando com um cara alto e forte, ela rebola e se esfrega no rapaz que não fica para trás e aproveita para passar a mão em seu corpo, desvio minha atenção para outro casal que se agarra num canto do salão, permaneço no lugar, mas sou logo arrastada pela Andressa que tenta me ensinar os passos de uma dança, eu fico dura e não me solto.— Espera aqui que eu vou buscar uma pílula de coragem pra você, você vai se soltar rapidinho... — Ela grita no meu ouvido e sai empurrando as pessoas, minutos depois ela volta e antes que eu negue ela me olha com uma careta, tomo coragem e engulo a bebida que desce rasgando. Parece que ficou mais fácil dançar minutos depois de tomar aquela bebida, estou sorrindo à toa, e já aprendi alguns passos com a Andressa, não sei como ela
Ler mais
Capítulo 8
Abro os olhos, sinto que estou em uma cama muito confortável, estou em minha cama, abraço os travesseiros, mas percebo que não estou em casa assim que abro meus olhos, assustada me sento rapidamente, uma leve vertigem me faz fechar os olhos.— A bela acordou, espero que goste dos seus novos aposentos... — Me assusto com a voz masculina marcante. Olho para o dono da voz, calada estava, muda fiquei.Um homem ruivo, com uma regata masculina estilo exército, na cor preta, calça jeans azul, tatuagens em um dos braços, não tive coragem de olhar em seus olhos, ele é grande... O que eu estou fazendo? Saio da cama como se ela estivesse pegando fogo, corro em direção à porta, mas não chego nem perto, bato de frente a uma parede de músculos, levanto meu rosto e sinto o ar faltar, seus olhos são inacreditáveis de tão verdes, em conjunto com seus cabelos vermelhos poucas e pequenas sardas dão a ele um ar místico, nem parece real, seu olhar é diferente, é quente, mas também vejo um tr
Ler mais
Capítulo 9
Assim como fora ordenado, três dias após a conversa com meu superior, parti para o Brasil com minha equipe, aqui não é como os filmes de ação que um agente se faz de todo poderoso e sai a procura do inimigo, aqui quem trabalha sozinho elimina a si mesmo. Antes mesmo de vir para o Brasil eu contatei uma agente da polícia brasileira, que estava seguindo a pista do Harrisson e descobrimos que ele estava de olho nas universitárias, eles escolhem jovens aparentemente muito sozinhas, sem família para reclamar um desaparecimento. Hoje é o aniversário dos gêmeos, estou em frente ao espelho, penteio meus cabelos com as mãos, coloco um relógio, abro dois botões da camisa, passo meu perfume, para uma festa infantil estou muito bem. Alguns minutos aqui e já sinto o açúcar correr em minhas veias, é tanta doçura, as crianças são lindas, o amor deles é lindo, meu telefone toca. — Boate Night Life's.— É uma boate que a maioria do público são jovens un
Ler mais