Laços Proibidos

Laços ProibidosPT

Sara Aster  Em andamento
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
56Capítulos
7.5Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Alguns amores são mais proibidos que outros. Eu nunca imaginei que me apaixonaria por alguém, até conhecer meu meio-irmão. Ali eu soube que estava destinada a viver o inferno na terra.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
56 chapters
Prólogo
" Todos os problemas se tornariam menores se, ao invés de fugir, os enfrentássemos." Sara Aster.   Minha mãe se casara de novo, e com isso teríamos que nos mudar para a casa de meu padrasto. Não gostava do fato de abandonar meu mundo, onde minha vida acontecia, onde eu tinha aprendido a superar os problemas, e onde eu tinha que compartilhar a casa com apenas uma pessoa. Mas a felicidade da minha mãe me impedia de manifestar qualquer vontade. Sua alegria me contagiava e eu percebia que não podia acabar com ela por causa de um capricho meu. Então decidi esconder minha infelicidade dela. – Pense positivo. - falava a mim mesma enquanto colocava minhas coisas dentro das caixas de papelão – O que pode dar errado? – Tudo. – Vai ser legal! – tentei me animar. – Claro que vai ser legal, vai ser ótimo! – disse minha mãe entrando no quarto. Me perguntei até onde ela tinha ouvido e se tinha percebido meu desânimo. Parec
Ler mais
Capítulo 1 - Peças do Destino
"O destino une e separa as pessoas, mas nenhuma força é grande o suficiente para nos fazer esquecer o que sentimos por elas." Sara Aster.   Após cansar de olhar pra janela do carro, inclinei o banco e liguei meu ipod. Somente minhas músicas poderiam me confortar naquela monotonia. Sabia que tinha que ligarpra Ana, havia prometido, mas não queria falar com ela tendo minha mãe por perto. Poderia dizer algo comprometedor. Fechei os olhos e me concentrei no som que saía dos fones, mas era impossível relaxar e pensar em nada. Não sei porquê, mas algo estava me deixando ansiosa. O que poderia ter naquele lugar de tão interessante? Provavelmente nada. Fora que precisava me recordar de cinco em cinco minutos do porquê estava fazendo tudo aquilo. Meus devaneios estavam me deixando sonolenta, e eu teria adormecido se não fosse pelos cutucões da minha mãe em meu braço. – Oi. O que foi? – disse sem abrir os olhos e c
Ler mais
Capítulo 2 - Conhece-te a ti mesmo
"Quando somos amados, não duvidamos de nada. Quando amamos, duvidamos de tudo." Sidonie Colette.   -Bom meninos, agora precisamos ir. Nosso avião sai daqui a duas horas. Até chegarmos ao aeroporto e passarmos por todas aquelas revisões, nosso voo já estará pronto pra sair. - dizia Tom. Quando meu estresse não me impedia de ver as coisas como elas eram, Tom era um fofo, educado, elegante e bonito. Acho que poderia confiar minha mãe a ele. Isso é claro, se ela não tivesse uma crise de meia idade na viagem. – Tudo bem, então. Só uma pergunta: onde fica meu quarto? – Ah, sim. Desculpe por ter esquecido de falar. Seu quarto é no segundo andar, última porta, do lado esquerdo. Qualquer dúvida pergunte ao Daniel. Ele te ajudará no que precisar. – Obrigada. Vou ajeitar minhas coisas. Boa viajem. Cuide bem da minha mãe, Tom. – Fique tranquila. Não deixarei que ela faça nenhuma besteira. Voltaremos e
Ler mais
Capítulo 3 - Desafio Dantesco
"Por mais simples que sejam os momentos eles se tornam únicos e inesquecíveis se compartilhados com aqueles que amamos." Sara Aster.   Naquela noite eu não dormi. Eu me sentia parte do Cirque du Soleil de tanto me contorcer na cama. Sempre que eu fechava os olhos a imagem de Daniel sorrindovinha a minha mente e meu coração disparava, sentia um frio na barriga e um aperto no peito. Minha querida Elisa. Aquela frase ficava ecoando na minha mente. Ninguém nunca havia me dado um beijo de boa noite ou me tratado com tanto carinho. Ele era diferente e me fazia sentir diferente perto dele. Mas eu não deveria me sentir assim, deveria? Afinal, Daniel era meu irmão, um irmão que mais parecia um primo distante, mas que mesmo assim tinha o mesmo sangue que o meu correndo em suas veias. Levantei antes do Sol. Tomei um banho bem demorado esperando que assim o tempo pudesse passar. Vesti uma calça jeans já que o tem
Ler mais
Capítulo 4 - Fraternalmente amigos
“Aproveite cada dia como se fosse o último, valorize cada momento. Afinal, nunca se sabe quando sua hora vai chegar.” Sara Aster.   Não tive sonhos. Muito menos uma noite tranquila. Desde que eu havia chegado àquela casa, nenhuma noite havia sido tranquila. Minha mãe talvez chegasse no dia seguinte de noite. Imaginava como seriam as coisas após sua volta. Fiquei uns trintaminutos pensando nos últimos dias e em como seriam os próximos. Pensando em Daniel. Será que aquilo tudo era alguma brincadeira de mau gosto? Será que ele tinha percebido o escândalo que meu coração fazia perto dele? Tantas coisas, tão pouco tempo. ”Todas as dificuldades vem acompanhadas de meios para solucioná-la, Elisa ”, Ana disse uma vez, e desde então essa frase já tinha me consolado inúmeras vezes em menos de uma hora. Não podia me render à vontade de me flagelar pensando em como era errado sentir aquelas coisas estranhas quando estav
Ler mais
Capítulo 5 - Incendeia-me
“A única coisa certa do planejamento é que as coisas nunca ocorrem como foram planejadas.” Lucio Costa.   Flash back on Elisa, vá brincar na piscina com suas amiguinhas. – a professora de educação física disse. - Elas não são minhas amigas. – sussurrei. - Você precisa entrar. Como poderei avaliá-la se você não fizer o que eu digo? - Não me avalie. – disse enquanto olhava fixamente para um ponto qualquer. Meus olhos nunca encontravam os daquela mulher. Na verdade, meus olhos não encontravam os de ninguém. - Elisa, agora estou falando sério. Ou você entra ou eu pessoalmente irei jogá-la na piscina! – as crianças já começavam a me encarar. Seus olhos pareciam queimar minha pele. Eu só queria sair daquele lugar. – Elisa, estou falando com você! – Ela precisava parar de falar, a voz dela parecia explodir minha cabeça! Tapei os ouvido
Ler mais
Capítulo 6 - Um carneirinho, apenas um
"O amor muitas vezes nos confunde, muitas vezes nos ilude. Mas sabemos quando o sentimento é verdadeiro e não pode ser destruído tão facilmente." Sara Aster.   Acordei suada e ofegante. O Sol ainda demoraria a nascer e eu sabia que o sono não voltaria. Foi difícil dormir depois de um dia tão agitado. Cada vez que eu fechava os olhos tudo o que vinha à mente era o sorriso de Daniel, assim como na noite passada.Mas o que veio depois eu realmente não esperava. Eu havia sonhado com ele. E nesse sonho nós fazíamos o que não podíamos fazer: nos beijávamos. Nas minhas reflexões de madrugada, eu já havia me questionado o suficiente sobre o porquê de ter esperado um beijo em algum momento daquela brincadeira boba. Não era certo. Nunca seria. Então por que meu coração insistia em bater mais forte toda vez que eu lembrava da distância entre nós e do beijo na testa? Droga, era só um beijo na testa! Por mais que eu estive
Ler mais
Capítulo 7 - Família imaginária
“Valorize os momentos com as pessoas que se ama. Eles nunca voltam e são únicos. Sendo bons ou ruins nos trazem experiências maravilhosas.” Sara Aster.   Alguns dias depois...   Apesar de ter que lutar contra os pensamentos e as coisas que sentia por Daniel, tudo estava indo bem. Já tinha me acostumado com minha nova casa e meu celular novo fazia com que as coisas ficassem mais fáceis de se superar. Meu contato com Ana havia diminuído, toda vez que conversávamos ela perguntava sobre Daniel de um jeito mais interessado que o normal. Aquilo me fazia queimar de ciúmes por dentro, o que me deixava com uma sensação de culpa maior que qualquer coisa, principalmente porque Ana não sabia de nada. Marisa era a mais nova agregada da casa e, por incrível que pareça, conforme fui conseguindo abaixar as barreiras, ela foi se tornando mais próxima, mais... amiga. Ela era incrível! Conseguia me animar nos meu
Ler mais
Capítulo 8 - Palavras que não deveriam ser ditas
 “Algumas coisas são verdadeiras. Acreditando nelas ou não.” Cidade dos Anjos.   Tiffany me acordou antes mesmo do Sol aparecer. Estava morrendo de sono, e ela não parava de latir e andar por minha barriga. Tirei-a de cima de mim e coloquei-a ao meu lado. Olhei o visor do celular pra saber que horas eu havia sido despertada do meu sono sagrado. – Seis da manhã? Não podia ser, sei lá... umas sete ou oito horas? Vou te colocar pra dormir com Daniel. – falei para Tiffany e ela simplesmente latiu. Sabia que não conseguiria voltar a dormir, então decidi levantar e tomar um banho. Não estava afim de ficar me martirizando hoje. Passei uns trinta minutos debaixo do chuveiro. Cantei várias músicas enquanto me ensaboava, fiz vários penteados com o cabelo cheio de xampu, dancei no meio do Box, enfim, voltei a ser criança. Após terminar o banho, coloquei uma calça jeans pra ficar à vontade já que o tempo estava
Ler mais
Capítulo 9 - Uma nova guerra
“Cada dia é algo único. Procure vivê-lo intensamente!” Sara Aster.   O dia passou rápido. Arrumei minhas coisas para a manhã que seria meu primeiro dia de aula. Daniel e eu passamos a tarde juntos assistindo filmes e debatendo sobre a personalidade de cada personagem. Mas a noite passada não saía da minha cabeça. O que eu tinha na cabeça pra ter agido daquela forma? Pior, o que tinha dado em mim pra eu ter falado aquilo? Tiffany passou o dia junto conosco. Fiquei surpresa por não ter tido trabalho com ela. Percebi que o que Daniel falou sobre malteses serem medrosos e gostarem de passar a maior parte do tempo no colo de seus donos era verdade. Vimos vários filmes enquanto ela dormia sobre a minha barriga. E então segunda-feira chegou. Não dormi direito, isso é óbvio. Acordei um pouco mais cedo do que Daniel disse que eu precisaria. Queria me arrumar com calma e ainda tinha que pensar em como falar para Marisa o m
Ler mais