My Strange Robot

My Strange Robot PT

Cris  Em andamento
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
30Capítulos
620leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Um mundo diferente do qual estávamos acostumados. Agora dividimos nosso planeta com eles. Não sabíamos onde se encontravam, mas sabíamos que estavam ali.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
30 chapters
Prólogo
Meu nome é Dara Montgomery, e agora vocês vão conhecer um pouco da minha história.Eu tenho 20 anos e sou um tipo de bruxa. Mas não se enganem pensando que se existe bruxa, existe lobisomem e vampiro. Porque não existe.Eu fui criada em um laboratório.Meu "pai" cismou em me injetar um tipo de soro que ele havia inventado.Eu não tinha sentido dor alguma, mas ao acordar eu percebi que não era mais a mesma garotinha de sempre.Nessa época eu tinha 12 anos. Meu pai vendo o resultado começou a me treinar para saber usar os novos poderes que eu tinha. Eu podia fazer qualquer coisa que vocês imaginassem,  menos mudar de forma.Meu pai se chamava Augusto. Ele morreu quando eu tinha 18 anos. Seu último pedido antes de morrer foi para que eu o perdoa-se. Minha mãe tinha morrido em meu parto, então nunca a conheci.Eu perdoei na hora. Por que além do que ele fez c
Ler mais
Capítulo 1
Hoje era sábado, então não teria faculdade. Me levantei da cama e fui ao banheiro. Podia não ter faculdade, mas teria que ir trabalhar. Vesti uma roupa simples e fui para a cozinha. Peguei minha cobra e dei um beijo na mesma. Ela começou a escalar meu corpo até estar em volta do meu pescoço. Se fosse qualquer outra cobra eu teria medo, mas Zola é muito carinhosa comigo. Com os outros ela é perigosa, mas comigo é um amor. Tomei um suco de laranja juntamente com um pão na chapa e estava pronta para sair. Deixei Zola na sua casinha e fui até a oficina. Quando cheguei vi que só faltava eu de funcionária. Procurei Afonso e o achei conversando com um cliente. Eu: Bom dia paisinho - falei lhe dando um beijo na bochecha. Afonso: Bom dia, minha filha - falou com um enorme sorriso.  Ele falou que iria terminar de conversar com o moço e que já
Ler mais
Capítulo 2
Acordei no outro dia e vi que já era 9 da manhã. Me levantei e fui tomar café. Hoje o dia era inteiramente meu.Quando terminei, coloquei uma música e fui arrumar a casa.Eu sei que posso colocar as coisas para se limparem sozinhas, mas eu queria me distrair um pouco. E nada melhor do que arrumar a casa para isso acontecer.Comecei pela sala, logo após foram cozinha, quartos, banheiro, e varanda.Terminei quando estava na hora do almoço. Fiz um simples macarrão e comi.Vi um filme para fazer o quilo e peguei Zola para irmos andar pelo jardim que tinha na frente da casa.A soltei e ela começou a se rastejar feliz ao meu redor. Dei risada e me sentei na grama mesmo a observado. Escutei um cachorro começar a latir e olhei vendo o cachorro da vizinha implicando com Zola.Me levantei e me aproximei deles.Agachei em frente ao cachor
Ler mais
Capítulo 3
Coloquei a pequena esteira no chão e me deitei em cima dela, indo para debaixo do carro.Estava tudo limpo, parecia que esse carro nunca havia sido usado.Mordi inconcientemente a boca e sai debaixo dele.Dando de ombros suspirei e fui procurar a chave para levar o carro até a área de limpeza.Me dei um tapa na testa quando lembrei que esse carro era ligado por um botão.Abri a porta e me sentei no banco sentindo um cheiro de perfume masculino.Eu: O dono desse carro e cheiroso - falei sorrindo.Liguei o carro ouvindo o som do motor e dirigi até onde ele seria lavado.Deci e liguei os botões para os máquinas levarem o carro.Enquanto lavaram o carro fui buscar a cera para encera-lo.Quando voltei com o carro para a parte central da oficina comecei a passar a cera.Quando fui passar no teto tive que p
Ler mais
Capítulo 4
Ainda estava esperando ele decidir se iria ou não se deitar ao meu lado.Um longo tempo depois ele deu de ombros e se deitou ficando de barriga para cima.Me virei de costas para ele e fechei meus olhos.Eu sei que nunca podemos dar as costas para um assassino, mas hoje eu estava realmente gostando do perigo.Quando estava quase dormindo, o senti colocar sua mão na minha cintura e me puxar para mais perto.Fingindo estar dormindo me virei para ele e deitei minha cabeça na curva de seu pescoço.No outro dia, novamente estava sozinha na cama.Me levantei, me arrumei e fui para a faculdade.Logo quando pus meus pés lá, o grupo que sempre me incomodava começou a me zuar.Carlos: Tadinha, se fosse um pouquinho mais feia, viraria uma porca no chiqueiro - falou rindo.Eu iria passar direto mais Daniel, outro do grupinho se
Ler mais
Capítulo 5
Ele começou a se mecher rapidamente. E foda-se se isso não era maravilhoso.A cada estocada ele aumentava mais a força.Gemidos saiam descontroladamente da minha boca.Olhei para ele e tomei sua boca em um beijo urgente.Sua mão deceu até meu clitóris e começou a massagea-lo, me levando a um orgasmo rapidamente.Ainda não satisfeito ele me virou, me deixando de bunda para cima e começou a estocar ainda mais forte se possível.Senti quando ganhei um tapa na bunda e gemi colocando o rosto no colchão.Bryan: Você gosta disso não é - falou me dando mais um tapa.Gemi quando senti novamente sua mão em meu ponto sensível.Senti um orgasmo se formando, e inesperadamente Bryan parou de se mecher.Eu: Bryan - gritei chateada.Bryan: Fala que é minha - sussurrou em meu ouvido começando a se mecher de vagar
Ler mais
Capítulo 6
2 semanas depois Essas duas semanas que se passaram tem sido caóticas.Tem havido muitos ataques de robôs pela cidade.Não sabemos o porque, mas tem acontecido com muita frequência.Temos sim robôs que tentam impedir, mas esses estão em menor número.Isso é uma situação totalmente estranha para nós.Nessas duas semanas eu não tive notícia de Bryan. Acho que ele só queria dormir comigo mesmo. Mas não posso reclamar pois eu adorei a noite.Hoje eu acordei, fiz minhas higienes e coloquei uma roupa quente da Adidas, porque hoje estava fazendo frio.Entrei no carro e fui em direção a faculdade.Cheguei na mesma e caminhei até a sala.Quando o professor chegou, começou a dar aula. Hoje estávamos falando sobre peças.Quase na metade das aulas me deu vontade de fazer xixi. Pedi
Ler mais
Capítulo 7
No outro dia a diretora me ligou e falou que estavam fazendo um mutirão para arrumar a faculdade.Fiquei um bom tempo pensando se iria ou não. No final decidi ir, era só não importar com o que eles falassem.Tomei um rápido café da manhã e entrei no carro.Assim que estacionei o carro vi que boa parte da escola havia sido destruída.Uma pouca parte ainda estava inteira.Sai do carro e já pude notar olharem em mim. Ignorando, entrei na escola e comecei a andar sobre os destroços.Haviam muitas pedras enormes que os outros não dariam conta de tirar, então resolvi dar uma ajudinha.Com meus poderes fui tirando umas pedras do caminho e as desintegrando.Avistei a diretora andando até mim e a maioria dos alunos estava atrás.Me preparei mentalmente para as acusações.Diretora: Dara - falou me cumprimentando com a
Ler mais
Capítulo 8
Passei a tarde toda esperando Bryan voltar e nada dele.Quando sai de casa para deixar Zola andar um pouco, vi que meu carro estava na garagem.No começo estranhei. Mais depois nem liguei. Se Bryan não queria falar comigo, eu também não falaria com ele.No outro dia, arrumei a casinha da Zola e fomos para o aeroporto.É claro que eu iria levar minha cobra junto. Ela não ficaria ali sozinha, nem que eu morrece, imagina em uma viagem.Quando cheguei no aeroporto, levei meu carro para onde o embarcariam também e fui para o avião.Quando o avião decolou todos estavam me olhando estranho por estar com uma cobra no braço.É claro que tive que usar um pouco do meu poder nas comissárias de bordo para levar a cobra ali comigo, mas qualquer um faria o mesmo.Ela subiu pelo meu braço e se enrolou em meu pescoço para tirar uma soneca.Coloquei meus fon
Ler mais
Capítulo 9
Durante nossas 5 horas na Estrada, não aconteceram muitas coisas.Nesse tempo Bryan me explicou um pouco sobre como funcionava sua vida.Descobri que ele era um assassino de aluguel, que era muito rico, vivia para sempre, que nunca se cansava e que adorava me atormentar.Descobri também que tem um pequeno fetiche sexual com mecânicas sexys. Quando ele me falou isso, eu quase virei um tomate de tão vermelha. Ele havia me falado que não gostava muito de ficar na forma de carro, então decidimos que quando chegássemos na cidade, iríamos comprar um carro. Ele também havia falado várias coisas que me exitaram ao extremo, e o vagabundo sabia o efeito que tinha sobre mim. Quando chegamos na casa que era do meu pai, em um passe de mágica Bryan estava na forma humana. Ele andou rapidamente até mim e tomou minha boca em um beijo urgente. Bryan: Você não sabe o quanto é bom sentir você esfregar essa bunda gostosa n
Ler mais