The Animal Inside | Livro 1

The Animal Inside | Livro 1PT

Jaque Hartzler  Em andamento
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
32Capítulos
1.7Kleituras
Ler
Adicionado
Resumo
Índice

Samantha Woodhouse é a caçula de uma família de Caçadores de Lobisomens. Ela começa seu treinamento após seu pai castigá-la por insistir em manter um relacionamento com Chuck Fallow, filho do Lobisomem que matou sua mãe. Com uma família de Caçadores de respeito em Forest Lake, ela decide aceitar seu destino e deixar para trás quem pensava ser o grande amor da sua vida. Após um salto temporal, Samantha reencontra o passado, mas percebe que nem tudo são flores quando descobre que forças externas tem outros planos pra ela. Um amor impossível. Um rompimento fatal. Desencontros que os fazem duvidar se vale a pena continuar lutando.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
32 chapters
1 - O começo
FOREST LAKE, MISSISSIPI.2006Era mais uma das nossas noites na reserva naquele dia. Eu tinha dezesseis anos e namorava o filho do homem que meu pai mais odiava. Não sei o que me atraiu nele, quero dizer, não sei qual de todas as suas qualidades me fez amá—lo. Ele era bonito, engraçado, inteligente… Mas tinha um problema. Um simples probleminha.Ele também era um lobisomem. Mas ele não era mau. Pelo contrário. Ele era muito gentil e amigável. Exceto em suas transformações na lua cheia.Eu odiava vê—lo acorrentado quando a lua aparecia, mas era isso, ou ele me matava e o resto das pessoas que cruzassem seu caminho também. Controle não é muito o forte de predadores sobrenaturais.Chuck e eu namorávamos escondido de nossos pais, tentávamos nos manter a maior parte do tempo distante um do outro, mas
Ler mais
2 - Seguindo em frente
10 ANOS DEPOIS…Mississipi, Forest Lake.— Hey, Sammy! — Guardei minhas talas no armário e me virei em direção a Clara quando a ouvi chamar. Eu tinha acabado de terminar meu treino do dia, Tyler estava dando as aulas de agilidade hoje. De nós quatro eu era a mais rápida, talvez por ser pequena e magra. Passei despercebida por muitos lobisomens e consegui executar todos com muita eficiência.Meu pai havia se aposentado há quatro anos, por causa de um ataque de lobisomem, que o deixou sem o movimento das pernas, e desde então, Tyler fechou o Instituto Woodhouse para pessoas que não eram da família. Agora só ficávamos no subsolo da nossa mansão. Foi lá que aprendi como ser uma caçadora. Não foi fácil, precisei esquecer toda a dor do passado, tudo que passei com Chuck, tudo que ele me trouxe de bom e de ruim, todas as complicações que ele trouxe pra minha vida. Mas com a ajuda da minha família eu consegui me tornar o que sempre fui destinada a ser, uma c
Ler mais
3 - O inevitável
Dois dias depois, eu estava na academia do Instituto com Clara, estávamos colocando nossas roupas de caça. Como uma patricinha meio gótica que ela era, usava saias de couro pretas, supercurtas e soltinhas. Eu usava calça, também de couro preta, e o resto da roupa do mesmo material, com um colete vermelho, que mais parecia um corpete.Amarrei meu cabelo em um rabo de cavalo e ela não precisou amarrar pois quase não tinha o que amarrar, de tanto que mudava o cabelo de cor e diminuía o tamanho. A arma dela era o arco—e—flecha ainda, ficou cada dia melhor com a pontaria e mais potente com o tiro. Eu usava a besta do papai, mas uma versão menor dela.— As princesas já terminaram ou vão esperar até a lua cheia? — Ouvi a voz de Josh do outro lado da porta. Ele era o mais brincalhão de todos, e mais paciente, provavelmente Tyler o mandou dizer isso, j
Ler mais
4 - Que diabos?
MAS QUE DIABOS?!Chuck estava lá, vivo, e eu não sabia o que fazer, eram dez anos, dez longos anos de merda, sofrendo por sua morte, dez anos negando o meu amor por ele dentro a minha própria casa, dez anos matando lobisomens como ele. E ele estava ali, em carne e osso, ao vivo e a cores, Chuck Fallow, meu ex—namorado, o único homem que eu amei em toda minha vida, e que havia deixado um buraco no lugar do meu coração quando se foi. Ele. Estava. Vivo. Como?ONZE ANOS ATRÁSFOREST LAKE, MISSISSIPI.Fugir?Antes— Chuck, acho que deveríamos fugir. – eu disse deitando minha cabeça em seu colo.— E colocar seu pai, seus irmãos e todos os caçadores da terra atrás de nós? Eu adoraria. – Ele estava sendo sincero, eu sei que ele faria tudo por mim, não duvidava do amor dele nem por um segundo.Ele passou a manta por cima de mim, e me aqueceu, o frio de setembro me pegou desprevenida, e eu estava usando somente um vestido de pano fino. E
Ler mais
5 - Perguntas
No dia seguinte, eu não aguentava trainar, não podia sequer me levantar da cama, meu abdome doía, por causa do choro e por causa dos vômitos, eu me sentia doente, me sentia perto de me internar em algum hospital.Lembro quando fiquei assim, Chuck tinha acabado de “morrer”, eu adoeci, fiquei alguns meses sem ir para a escola, isso era como eu lidava com meu luto, mas agora não era mais luto, ele estava vivo, tanto que desejei que aquele dia não tivesse acontecido, desejei que ele voltasse, que meu pai tivesse errado o tiro.Ler mais
6 - Vamos lutar
Voltamos para casa bem, Clara tentou me convencer a deixá—la dormir em meu quarto, mas eu não quis, eu precisava pensar, chorar, e odiar, eu precisava do meu momento, da minha angústia. Ele não era a mesma pessoa, ele não era o Chuck que eu conheci há anos, ele era o Alfa agora, o Chuck morreu naquele dia. E eu não precisava sentir nada por esse Alfa.Com o coração destroçado eu me deitei em minha cama, podia ouvir sua voz daquela época, dizendo que me amava, que nunca me abandonaria, podia ouvir sua respiração fraca quando raramente adormecia antes de mim, eu me agarrei em tudo de bom que vi
Ler mais
7 - O Hóspede
Eu terminei minha faculdade, peguei meu diploma e no último mês não foi mais ouvido notícias de mortes por animais na floresta, eles haviam ido embora, a alcateia inteira. Ele finalmente havia ido embora. Eu não sei se “finalmente” seria a palavra certa… Bom… Seria… Se eu estivesse feliz com isso, mas não estou, me sinto miserável, um lixo, ele me deixou, de novo. E eu continuava gostando dele, continuava o amando. Tudo estava pior, eu não cacei mais, não saí mais, e o único lugar que eu ia, era até o bar do Pete, as vezes com Clara e as vezes sozinha. Não tinha mais falado com meu pai direito depois daquilo e não pretendia voltar a falar. Eu pesquisei algumas cidades que talvez eu devesse ir e escolhi uma que talvez me deixas
Ler mais
8 - Caras Errados
Eu podia sentir a casa tremer com o tornado passando, era pequeno, pelo que Chuck falou, mas perigoso. Estávamos todos no porão, incluindo os três empregados que vieram hoje e Tina.— Meu peito está doendo, estou me sentindo sufocado. — Disse Chuck se sentando no chão.— Agora você sabe como me sinto, idiota. — Eu disse pra mim mesma e sabia que ninguém estava me escutando. E nem Chuck, pois ele estava ocupado sentindo dor.— Ler mais
9 - Calerva
 — Encontrei… Sozinha… Ninguém… Fugido… Polícia… Depois…Eu estavam tonta, tudo o que eu via era uma luz branca muito forte, elas estavam correndo, eu ouvia uma voz de homem familiar, mas a da mulher eu não reconheci. O que estava acontecendo? Onde eu estava? Por que eu sentia tanta dor?—— Clara<
Ler mais
10 - Muita bagagem
1900GRÉCIAANTIGA MANSÃO WOODHOUSE Era dia de ação de graças quando Elizabeth Woodhouse enlouqueceu. Ela segurava uma adaga de prata que antes era usada para enfeitar uma parte da parede de sua casa, junto com o resto de antiguidades da família Woodhouse. Seu marido Alec Woodhouse, seus filhos mais velhos, Benjamim e Lorec, gêmeo
Ler mais