Não a deixarei ir

Não a deixarei ir PT

Taynara Isaura  En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
23Capítulos
825leídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Fama,dinheiro e sucesso, Alyssa conseguiu tudo o que queria aos 27 anos, mas porque não se sentia completa? Depois de ser vítima de um golpe, ela acaba perdendo tudo e sua única saída é voltar para sua cidade natal, Sant Louise, mas ela esta preparada para enfrentar aquele que foi o motivo de suas várias noites em claro, Hugo O'Connel, seu melhor amigo de infância? Hugo se culpo por anos pelo rompimento com sua amiga e por não ter dito o que realmente sentia, mas agora ela está de volta e eles tem a chance de mudar isso, quanto tempo o amor espera?

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
23 chapters
Capítulo 1
20 anos atrás Estou sobre a grama chorando enquanto os garotos mais velhos riem de mim e rasgam meu lindo gorro que mamãe me deu. Não consigo reagir as implicações dos meus mal feitores que continuam a zombar de mim e me chutarem, sou muito fraca e covarde e por isso continuo chorando. _ Ei vocês!- alguém grita de longe- Deixem ela em paz idiotas!Os garotos param de me bater e prestam atenção em um garoto que está gritando._ O que está procurando aqui O'Connel? De o fora antes que eu lhe dê uma surra- o líder do grupinho fala para o garoto que tira a mochila que tinha nas costas e pega um taco de beisebol de dentro dela._ Eu disse pra deixa-la em paz, Roger- o garoto diz e joga a mochila no chão- Pena que não me ouviu.O garoto levanta seu taco e vai em direção aos outros que correm desesperados gritando._Você vai ver só O'Connel, eu vou te pegar! Vamos embora!- Roger corre junto com seu grupinho. Eu ainda estou&
Leer más
Capítulo 2
18 anos atrás _ Espere por mim Hugo! Corro o mais rápido que consigo mas o sol escaldante do verão me cansa mais rápido do que eu esperava._ Ande logo Alyssa ou só chegaremos lá a noite- Ele para e olha seu novo relógio de avião - nós temos que voltar antes das 18 horas ou minha mãe nunca mais nos deixará vir aqui!_ Eu sei, eu sei!- dou um suspiro longo- podíamos ao menos parar um pouco? Acho que vou desmaiar se continuar assim..._ Tudo bem, mas você vai ter que correr mais rápido- Hugo me olha emburrado- Aqui, bebe um pouco de água._ Obrigada resmungão!- pego a garrafa que ele me estende e sorrio.Atualmente_Alô, tudo bem mãe?_ Claro que não Alyssa! O que 
Leer más
Capítulo 3
16 anos atrás O vento frio que acompanha a noite é um aviso que o inverno está próximo. Me encolho ainda mais no meu cobertor de flores e contínuo meu caminho até o banco em frente a minha casa. Hugo está sentado lá, um casaco grosso, um gorro e o cachecol verde escondem parte de seu rosto, mas mesmo assim eu vejo que ele estava chorando. Um pouco antes ele havia ligado para minha casa de um telefone público, não passava das 19 horas, mas o céu nublado passava a impressão de era madrugada. Acho que o tempo estava em sincronia com os sentimentos de Hugo. Me sentei ao seu lado e ficamos em silêncio por um tempo, ouvi algumas vezes ele soluçar baixinho e secar os olhos. O vento ficando ainda mais frio e as lágrimas de Hugo mais pesadas, ele tremia mas eu não sabia se era de dor ou frio. Abracei Hugo que afundo seu rosto em meu ombro ainda chorando, o cobertor de flores aquecendo sua tristeza e a nós dois. _ Está ficando muito frio aqui fo
Leer más
Capítulo 4
13 anos atrás _ Vamos ver, entre cookes e cupcake, o que você prefere- eu pergunto a Hugo que pensa enquanto come uma pipoca- anda não é tão difícil! _ Claro que é! – ele diz com a boca cheia- se forem os da Tia Rose é  impossível decidir entre eles! _ Está bem, não são os da minha mãe, são os da padaria, então, cookies ou cupcake?- pego mais pipoca _ Cookies, sem dúvida- ele come mais um pouco – mas por favor, não coloque a comida da Tia Rose no jogo, eu teria um treco se tivesse que decidir o que é mais gostoso.- nós rimos. Hugo e eu estamos acampando no meu quintal. Sei que parece bobo, mas só assim para que minha mãe concordasse ,”Você  não vai passar a noite no meio do mato Alyssa!” foi o que ela me disse, mas Hugo teve a brilhante ideia de ficarmos no quintal, não seria no “meio do mato" mas também não seria dentro de casa. Agora estamos deitados em um pano sobre a grama, comendo e rindo como dois bobões. Leer más
Capítulo 5
6 anos atrásEstou tão animada que literalmente dou pulinhos no meu caminho para casa, a felicidade não cabe dentro de mim, começo a correr para chegar mais rápido em casa, ansiosa para revelar a novidade para mamãe e Hugo. Encontrei ele sentado e distraído  no nosso banco em frente a minha casa. Continuo correndo e me sento ao lado dele. _ Wou!- ele coloca o que tinha na mão dentro do bolso- Que felicidade é essa? A Jaque se deu mal hoje?- Jaque era uma garota insuportável da minha turma da faculdade que vivia me perguntando coisas sobre  Hugo. _ Bem que eu queria mas não- faço uma cara de nojo por falar nela- Uma coisa muito mais importante aconteceu, na verdade é uma notícia maravilhosa.- digo balançando as mãos em completa animação. _ Então tá- Hugo segura minhas mãos que se agitavam para todos os lados- Vamos entrar primeiro, eu estou sentindo o cheiro do almoço da tia Rose e parece delicioso.- ele me solta e se l
Leer más
Capítulo 6
6 anos atrás _ Você acha que eles vão ficar juntos?- pergunto para Hugo que pega mais um pouco de pipoca _ Claro que vão,  eles sempre ficam- ele revira os olhos- É um típico clichê que pode ter a possibilidade de um quebra-clichê.- olho para ele confusa _O que é um quebra-clichê? – ele me olha com uma cara de “É sério isso?” _ Me decepciona você não saber- ele respira fundo como se estivesse sem paciência- Um quebra-clichê é quando tem um clichê, como esse, e o autor leva a história para um rumo diferente do que o clichê previa, como esses personagens,  você tem certeza que eles irão ficar juntos no final, mas o autor decide matar um deles, um quebra-clichê.- olho fascinada para ele que cora de vergonha- Mas essa tática é bem popular entre os escritores, o que torna ela um clichê também. _ Você sabe bastante sobre clichês para alguém que se sente obrigado a ver um comigo- sorrio faceira – onde aprendeu tudo isso?- ele me olha
Leer más
Capítulo 7
2 dias atrás,  Los Angeles-CARMEN!- Ramirez invade meu novo apartamento como um búfalo enfurecido- onde ela está? _ Eu não sei, não nasci grudada nela, Ai!- meu rosto ainda está inchado pelo soco da vadia- e como que você vai invadindo a casa dos outros assim? _ Olha aqui sua vagabunda- ele aponta o dedo na minha cara- é melhor você cumprir sua parte no acordo, ou eu vou espalhar todos os seus segredinhos pela cidade, aposto que aquele agiota vai ficar feliz em saber que você tirou a sorte grande- seu olhar nojento brilhando em maldade _ Não precisa me ameaçar, seu velho babão- tiro o saco de ervilhas da minha cara- ela não tem outra opção além de aceitar seu acordo, eu tirei tudo dela- sorrio vitoriosa- tenha paciência, quando você menos perceber ela vai estar na sua mão. _ Pelo seu bem, é bom que tenha razão- ele senta no sofá e acende um cigarro fedorento- Agora que tem o dinheiro, a casa e o homem da sua rival o qu
Leer más
Capítulo 8
4 dias atrás, Los Angeles_ Sr. Ramirez,  o serviço foi feito perfeitamente- eu bebo um pouco do meu whisky- o pacote foi entregue e as provas estão aqui- ele me entrega um envelope- o plano está correndo como o planejado _ E ela? Suspeita de algo?- levanto uma sobrancelha _ Não senhor, Alyssa não faz ideia do nosso plano,  ela está no seu apartamento agora mesmo- ele me entrega um tablet com imagens da câmera de segurança do prédio dela- Ela chego por volta das 5 da tarde e não saiu mais. _ Muito bem, comuniquem Carmen, daremos início a fase 3- devolvo seu tablet- também entre em contato com Malrone, preciso de novas atrações e repor o desfalque na Rubylady. O segurança confirma e sai em seguida, me deito na cadeira imaginado o desespero de Alyssa ao ver que não tem opção a não ser trabalhar para mim, ver seu espírito livre quebrado e submisso. Conheço o tipinho dela, arrogante que se faz de difícil, o meu tipo fa
Leer más
Capítulo 9
1 dia atrás, Los Angeles _ Como assim não dá mais?- Carmen grita e bate os punhos na minha mesa- Você não pode terminar comigo assim, do nada! _ Do nada?! Como você pode ser tão sínica?- também grito- você me ameaçou para que eu terminasse com Alyssa e ainda difamasse ela, ou se esqueceu disso?- ela volta para sua poltrona agora retraída _ Eu já te expliquei isso, Eri- torço a boca para o apelido ridículo- Eu também fui coagido a fazer o que fiz, tudo o que eu fiz- seu olhar de indefesa mais falso do que seu mega  hair- eu jamais iria querer prejudicar a Alyssa, ela era como uma irmã para mim.-ela começa a chorar _ Por favor Carmen- cruzo os braços- você lembrou da sua “irmã” enquanto dormia comigo- aponto o dedo para ela- esse seu teatrinho não me engana mais, eu sei que você arquitetou todo esse golpe contra a Alyssa, sei também que você tem algum dedo nesse sumiço dela.- as expressão de pobrezinha some da face de Carmen como um sopro dando
Leer más
Capítulo 10
18 anos atrás, Manifestação no centro de Los Angeles _ Atenção senhores, nosso objetivo aqui é manter a segurança de todos cidadãos nessa área- o Comandante aponta para o mapa que tem uma linha vermelha desenhada pelos pontos de Los Angeles – faremos de tudo para que essa manifestação seja pacifica, só usaremos armamento não letal e em último recurso, entendido? – um coral de “sim, senhor” foi ouvido- preparem-se, sairemos em 30 minutos. Todos saem e vão se equipar, estou colocando o colete e Molrone se aproxima de mim já pronto- Você é bem rápido Molrone- digo pegando a foto no armário e pondo no bolso do casaco _ Agilidade é essencial para sobreviver nesse lugar, não é? – ele  olha para foto- Amuleto? _ Sim- pego a pistola e coloco as balas de borracha- É um lembrete de que tenho que voltar para casa- ponho a mão no peito em cima da foto- meus tesouros esperam por mim. _Eu gostaria de ter tesouros assim- ele me entre
Leer más