A Última Orquestra

A Última OrquestraPT

Artemis Cassana  En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
20Capítulos
464leídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

No fim de todo túnel havia uma luz mas não para Alaric. A leucemia não só levou os planos grandiosos para o futuro do Herdeiro Rowen como também a mulher que um dia amou. Sem esperanças, debilitado e contando seus dias para o fim, Alaric decide dar início a uma plano um tanto ousado para alguém a beira da morte; vida. Dafne entra na história sombria do primogênito para transformar o anseio pela morte em vontade de viver.

Leer más

También te gustarán

Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
20 chapters
1
O sol era intenso, e mesmo que os raios causassem certo incômodo com a quentura de meio dia, seus dias já se encontravam nublados a muito tempo e era só questão de tempo até a tempestade começar a ruir. Embora os sintomas derivados escassos, suas visitas ao hospital eram sempre por incentivo de sua mãe ou Cassiel, já que a vida para ele havia se tornado um quadro preto e branco monótono desde a partida de alguém que achou que seria presente por toda sua vida. Não que aqueles que partiram antes se tornaram irrelevantes, mas fora só mais um peso para que afundasse e se encontrasse no fundo do poço, onde muito mal chegava ar e luz.Visto que as crises de ansiedade se tornavam severas, Alaric acabou por se isolar mais do que já havia feito, não era justo com as pessoas que o conheceram a anos atrás conhecessem uma versão desestruturada do que um dia j&aa
Leer más
2
Adentrou a casa de sua mãe sem mesmo bater, visto que era apenas ela e faxineira, não havia problemas em chegar de supetão.Amara tinha conhecimento da doença de seu filho e acompanhava cada exame de perto. Depois de um ano de quimioterapia e transfusões de sangue dolorosas deixando marcas já quase invisíveis em seus braços, havia chegado a hora de novos exames que infelizmente para uma mulher relatavam seu maior pesadelo, mas para Alaric, seria seu descanso eterno, paz pela primeira vez em muito tempo.Chegou na cozinha espaçosa com Cassiel que vinha logo atrás. Não saberia a reação de Amara ao dar a notícia, então qualquer ajuda seria bem vinda caso precisasse ampará-la, afinal, sua mãe não era mais uma adolescente. A chamou aguardando que ela descesse, bateu os dedos na mármore de forma insistente e sabia que sua começava
Leer más
3
Jurava que seu pai não tinha tanta coisa, mas depois que encher o quarto com caixas lotadas de roupa e outras coisas, teve que mudar de ideia. O cheiro peculiar de alecrim de seu pai era inconfundível, o quarto estava dominado. Já era quase dez horas da manhã, não havia ido trabalhar já que se encontrava de luto pelo falecimento do patriarca. Mesmo que viver fosse necessário, Dafne não queria. Algo a instigava a se deitar no chão em meio a tantas roupas, fotos e chorar lembrando de cada uma das lições que seu pai sempre havia passado com maestria. Abandonado por sua mãe logo após o nascimento de Elain, Blake criou as duas da melhor forma que pode, tendo ajudado a mais velha a se formar em Filosofia enquanto Elain só o dava desgosto depois de ter largado o ensino médio assim que descobriram a doença de seu pai.Nunca houve visto o pai se bene
Leer más
4
— E você aceitou ? — Cassiel definitivamente estava surpreso, e isso não era algo que Alaric conseguia com facilidade.      O Rowen esfregou os olhos ainda cansado pela manhã, apoiando o cotovelo na mesa de mármore dando pequenos goles no copo de café que já estava quase no final.— E o que mais eu diria pra ela ? — Indagou olhando os carros que aguardavam no sinal do outro lado da rua — "Não mãe, você vai ficar sozinha porque eu sou egoista".    As tentativas de Alaric de ser irônico sempre se tornavam cômicas.— Acha que ainda vai dar certo mesmo depois das quimioterapias… — Seu melhor amigo, senta
Leer más
5
(...)                  O sol estava quente e Dafne atrasada. Seu telefone só dava desligado e ele não fazia o tipo de pessoa que insistia ligando o tempo inteiro, atraso não era do feitio dela. Teria levantado para bater em retirada, se a inconfundível cabeleira negra presa em um coque não tivesse surgido em meio a multidão na calçada do outro lado da rua.             O sorriso inevitável da morena toda vez que o via estava ausente agora, Cassiel não julgava, ela havia acabado de perder o pai. Mas ainda sim, ele sabia que a confortava com sua companhia, afinal, eram amigos há tantos anos.&nbs
Leer más
6
  O caminho pra casa foi ainda mais rápido. Se despediu de Cassiel antes de passar pelo seu antigo trabalho, lugar cujo lhe dava asco somente de lembrar. Mesmo que fosse seu emprego, ela agradecia internamente por ter deixado aquele asco de lugar, ela não voltaria nem mesmo que Alex beijasse seus pequenos pés.     Barriga de aluguel, mal havia se relacionado com homens em sua vida e já estava aceitando gerar um filho para alguém que ela sequer conhecia. O desespero de estar desempregada havia gritado em sua cabeça, antes tinha seu pai para lhe ajudar no que fosse preciso. Agora era só ela e Elain, mas infelizmente era impossível contar com a irmã até para trancar a casa ao sair. A idealização infantil d
Leer más
7
2 semanas dias depois...       Detestava agulha, isso sim era um fato. Desde criança, desde que se entendia por gente. Cassiel não havia sido claro quando se referiu a entrevista, havia esquecido que seria furada o dia inteiro para exames toxicológicos, hemogramas e muitas outras coisas. Chegou a cogitar que talvez seria filho de um alguém muito mais influente do que ela havia pensado, ou provavelmente um futuro pai muito preocupado com o tipo de mãe que iria gerar seu futuro filho. Concerteza a última alternativa.     A entrevista foi a primeira etapa e Dafne não se lembrava de ter respondido coisas tão estranhas em toda sua vida. Seria c
Leer más
8
   Ainda que estivesse triste pelos últimos acontecimentos, precisava confessar que resquícios de felicidade começavam a brotar em si.        Em sinal de alegria, Dafne soltou os longos cabelos que a deixavam mais jovial do que já era, o vestido preto cobria o corpo formoso, deixando-a com um aspecto mais formal. Assim deveria ser, conheceria o provavel único pai do filho que estava estava prestes a gerar e precisava ser formal, aquele não deixava de ser um trabalho mesmo que fosse algo novo. O dinheiro acordado durante a entrevista seria mais que o suficiente para reformar a casa e vendê-la. O bairro de Atlantic era um tanto perigoso ao redor de Osaka, as guerras de milícias locais eram constantes, o que tornava cada vez mais inviável viver por ali. E
Leer más
9
    De maneira alguma queria parecer uma aproveitadora, mas se Cassiel fosse tão amigo dele quanto ela achava, provavelmente deveria ter posto ele a parte de sua situação, ou melhor, de quase toda a situação. Já que ela havia mentido sobre ter algum outro parente durante a entrevista. Depois da partida de seu pai, aquela seria sua chance de se reerguer em um mundo que parecia ter fechado as portas para ela, mas agora, conseguia olhar pela fechadura e só ela tinha a chave para voltar a abrir os caminhos do sucesso em vida. Talvez um bom emprego, talvez um mestrado, alguns cursos, precisava de uma vida tranquila, já havia passado por problemas demais para alguém tão nova, em tão pouco tempo. Tudo estava quase perfeito.Quase.Poderia estar de forma completa, se Elain
Leer más
10
Tinha vários motivos para acordar feliz, mas havia alguns que ainda a acorrentaram ao fragilizado sentimento de tristeza: Elain. Também tinha seu pai, mas ela sabia que mesmo doente, desejar a vida por ele, era egoísmo de sua parte.      A morte às vezes vinha de escolhas, e como toda escolha, era acompanhada de algumas consequências. As vitaminas para preparar seu corpo para uma iminente gestação lhe davam um sono que antes jamais imaginou que poderia ter, agora ela até mesmo sonhava. Acordava disposta, mas o grande problema era acordar no horário certo. Despertou assustada quando seu cérebro entendeu que algo atrapalhava seu sono, o toque incessante do telefone a assustou o suficiente para o procurar ain
Leer más