O OUTRO LADO DA ESCURIDÃO

O OUTRO LADO DA ESCURIDÃOPT

Rafael Zimichut  Completo
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
76Capítulos
771leídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Rafael Mendez é o arquiteto contemporâneo mais badalado do momento, dito por muitos como o novo Oscar Niemeyer, porém, após encontrar sua esposa Sherlley assassinada em sua casa junto com sua filha, foi acusado e caçado pela polícia , porém, em busca de vingança a alguém do passado de sua família, encontrará as respostas que tanto procura, além de sua inocência - pelo menos a inocência de um crime que não cometeu, e não daqueles que ninguém sabe.

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
76 chapters
Prefácio
PrefácioPOR R. B. SILVA  O que o espera no Outro Lado Da Escuridão? Luz branca, anjos cantando? Rafael Mendez com certeza vai rir de você e chamar para um drink.Será um novo camarada.Melhor assim, pois se não for, bem, seu fim será trágico, caro amigo.Rafael Mendez, nosso anti-herói, ou antagonista, como queiram imaginá-lo é um personagem altamente complexo. Quando a história foi se construindo, não saberia como defini-lo, em alguns momentos sentia um ódio tremendo dele, tanta que às vezes queria matá-lo, mas às vezes sentia uma enorme pena.Rafael Mendez vive na corda bamba, completamente cego ao que acontece ao seu redor, nem mesmo sua perspicácia, inteligência e charme foram capazes de livrá-lo de uma perseguição de todos os lados.Ao ler, melhor, de
Leer más
Prólogo
Prólogo   RAFAEL MENDEZ SE VIU cercado por repórteres e sendo bombardeado com as mesmas perguntas que ouvia repetidamente há semanas, não disse absolutamente nada enquanto irrompia pela multidão de repórteres e curiosos, ele apenas colocou seus óculos escuros, deu seu famoso sorriso sedutor e continuou o curto caminho em direção ao seu Mustang Shelby GT500 prateado. Um coro de vozes gritava cada vez mais alto.— Senhor Mendez, por favor, somente uma pergunta.Ele continuou a caminhar na mesma direção sem olhar para qualquer lado nem dar atenção a ninguém, como se o caminho estivesse completamente livre, apertou com força o botão do controle e destravou o carro e entrou o mais rápido que pode, colocou a chave na ignição, respirou fundo enquanto acariciava o volante de madeira como se fos
Leer más
Capítulo 1
Capítulo 1 CUBA – 30 de dezembro de 1958  CAPITÃO GIUSEPPE Ramón Mendez era o segurança particular de Fulgencio Batista Zaldívar há mais de vinte anos, seu braço direito, seu homem de confiança. Participou com ele na Revolta dos Sargentos, e mais de uma vez salvou sua vida durante uma emboscada.  Por sua fidelidade e devoção cega jamais foi esquecido por Batista durante todos aqueles anos em que esteve no auge do comando político do país.Logo após a Revolta o próprio Batista nomeou-se como comandante das Forças Armadas de Cuba com o posto de Coronel, era inteligente e após manipular diversos presidentes conseguiu ser eleito democraticamente. Concedeu ao seu guarda o posto de capitão por ser o mais fiel de todos os homens que lutara ao seu lado. E em todos estes momentos Giuse
Leer más
Capítulo 2
Capítulo 2 RIO DE JANEIRO – 1964  O SALÃO DE FESTAS do hotel Copacabana Palace estava lotado, os convidados eram com certeza da mais alta sociedade, além das celebridades mais badaladas do momento, porém, as estrelas da noite eram alta cúpula da nova política recém-implantada com a derrocada de João Goulart.Entre eles estava a família Viana, conhecidos pelos atos heroicos de seu pai, militar, que lutou bravamente na Itália contra os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Recebeu pela sua atuação e pelos seus atos heroicos no campo de batalha diversas medalhas de honra, ascendeu à carreira não somente pela sua capacidade de liderança, mas também pelas manobras políticas. O TENENTE CORONEL VIANA adorava contar para as pessoas o famoso bordão de Getúlio
Leer más
Capítulo 3
Capítulo 3   GIUSEPPE PEGOU ALGUMAS POUCAS mudas de roupa, abriu o cofre e pegou todas as joias que tinham acumulado, algumas delas herança de seu pai, outras que tirou de famílias como prêmio de guerra.Havia aprendido alguma coisa com seu pai, que além de diplomata, era um italiano judeu, uma combinação pouco comum, mas que ensinou o filho a importância da família e a falta de escrúpulos em fazer o que fosse possível e quase sempre não correto para manter todos seguros e confortáveis, mas para ele não havia nenhum interesse na sua descendência paterna e nem no que ele acreditava.Sua única fé era sua Carmenzita e Batista, mas daquele momento em diante era somente nela.Tudo estava pronto para eles, havia um avião esperando em um hangar clandestino que Batista mantinha em segredo. Segu
Leer más
Capítulo 4
Capítulo 4   O CORONEL ESTAVA OLHANDO atentamente do outro lado do salão e disse para sua esposa:— Será que o Roberto não vai aprontar nada? Esse jantar é extremamente importante, precisamos causar uma boa impressão diante da sociedade.— Acho que até ele tem algum senso de responsabilidade, mas a garota é mais velha que ele, por ser filha de quem é deve ter juízo por eles dois, acredito que o não deixará aprontar nada.— Espero que o pai dela não esteja pensando o mesmo que nós.Tinham conseguido enganar todos os que vigiavam e saíram de fininho durante o discurso infindável de algum político, estavam na lateral do hotel ouvindo a música, a noite estava agradável e não se preocupavam mais se alguém os veria.  <
Leer más
Capítulo 5
Capítulo 5   CARMEN ESTAVA SAINDO ESCOLTADA das instalações militares com o filho nos braços, o dia estava cinza, talvez refletisse seu interior destruído por aquela guerrilha maldita.Ouviu alguns soldados gargalhando e olhou na direção deles, foi quando viu o piloto algemado. Enquanto o soldado empurrava o piloto, que mantinha a cabeça baixa, para um galpão afastado, os outros riam de algo que o soldado dizia, mas ela não conseguia compreender as palavras da distância que estava.— Qual o seu nome? – Gritou ela.Ele olhou com uma expressão quase sem vida, tinha os olhos roxos e o lábio ferido, a roupa suja de sangue.— Esteban Hernandez – ele gritou em resposta e ganhou um soco no estômago que roubou todo o ar.O soldado ao seu lado lhe deu uma coronhada que o fez trope&cce
Leer más
Capítulo 6
Capítulo 6   A FAMÍLIA ESTAVA REUNIDA para o café da manhã e Roberto estava comendo três vezes mais do que era habitual.— Você está bem, querido? – Perguntou sua mãe.— Só com muita fome.— Imagino porquê. – Indagou seu pai imaginando o que haviam feito.— Só não sei porque estou sentindo uma violenta dor no rosto, parece que um trem passou por cima de mim.— Se quiser faço o mesmo do outro lado para lhe refrescar a memória.— Carlos!— Porque o senhor me bateu?O coronel se levantou imerso em fúria.— Você poderia ser como os demais membros desta família? Pessoas decentes, que estudam e trabalham, que dão bom exemplo, sabem se comportar, que não fica dizendo: pô!!! Bix
Leer más
Capítulo 7
Capítulo 7 RIO DE JANEIRO – 1964  CARMEN OLHAVA O FILHO brincar no quintal de sua casa com um sorriso no belo rosto, no início pensou que estaria trocando uma ditadura por outra, porém, acabou percebendo que havia sido uma transição razoavelmente tranquila e feliz. Mesmo tendo passado por incontáveis dificuldades, percebeu que tinha valido a pena para chegar ali e poder ver seu filho crescer. Ninguém sabia do seu passado, poderia ser quem e o que quisesse, aquela era uma chance rara, a oportunidade de ter uma vida nova.Deus foi bom conosco...Seu garotinho, acabara de completar cinco anos, e todos os dias desses rápidos anos que passou ao lado dele se sentiu agradecida. Ela colocou o nome de Esteban Ramón Mendez para honrar uma promessa que fez em uma época há muito tempo passada.Ele era um garoto alegre e
Leer más
Capítulo 8
Capítulo 8   CARMEN E O FILHO foram atendidos por um médico que já estava esperando por eles. Depois de revistar e revirar tudo, deixaram seus pertences ao lado da cama.  Ela tinha acabado de fechar os olhos exausta quando um oficial entrou e disse sem rodeios.— Fala espanhol ou inglês?Ela ainda estava um pouco atordoada com tudo o que tinha acontecido.— Fala espanhol ou inglês, senhora?— Espanhol... – disse como se houvesse saído de um transe – sou cubana, onde estou e para onde levaram o homem que estava comigo?— Você não está em condições de fazer muitas perguntas, moça. Gostaria de saber o que faziam com uma maleta cheia de dólares americanos, para onde vocês estavam indo?— Meu marido era oficial do exército cubano e seguranç
Leer más