SR: TENTAÇAO. Um CEO irritante e provocante...

SR: TENTAÇAO. Um CEO irritante e provocante...PT

Milla Rech  En proceso
goodnovel16goodnovel
9.9
Reseñas insuficientes
17Capítulos
5.1Kleídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Aislan é um Ceo milionário com seus 38 anos de pura teimosia arrogância e prepotência. O que o torna uma pessoa difícil de lidar. Um viúvo amargo e que detesta curiosos. Mas, isso está prestes a mudar quando Henrique, seu melhor amigo, decide lhe dar uma passagem de férias para Natal. Onde Aislan conhece Catleia, uma vizinha escritora super curiosa que o tira do sério. Tudo o que ambos tem que fazer é selar um acordo de paz! Será que irão conseguir?

Leer más

También te gustarán

Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
17 chapters
Sinopse:
Aíslan é um ceo milionário com seus 38 anos de pura teimosia, arrogância e prepotência o que o torna uma pessoa difícil de lidar.Viúvo, amargo, e odeia curiosos.Mas isso está prestes a mudar quando Henrique seu melhor amigo de infância decide dar para Aíslan um passagem de férias para Natal, Rio Grande do Norte! Catléia é uma escritora e por sinal muito curiosa. Uma mulher jovem muito atraente passando as férias sossegada e escrevendo o seu quinto livro. Recentemente perdeu seu namorado em um incêndio o que a fez não sair do luto e se trancar para o mundo e novos sentimentos, mas o que ela não sabe é que sua vida está prestes a mudar quando o vizinho da cas
Leer más
Capítulo um:
Céu nublado e garoa fina. Dezenove graus no verão de Campos do Jordão, São Paulo, Brasil. A baixa temporada na cidade turística é o pior período para a economia local e isso Aislan Albuquerque sente na pele. Dono de uma das mais populares redes de hotelaria, Aislan com os seus 38 anos, tendo 15 deles dedicado a presidência do Hotel Camp Jordan, se vê perdido diante aos tantos percalços financeiros, sociais e pessoais...— Senhor Aislan! Júlio Alcântara está na linha — fala a secretária já entrando.— Carla!  Primeiramente bata na porta antes de entrar e segundo... Eu já exigi que marque horários para eu atender ligações seja de quem for.Leer más
Capítulo dois:
Sábado. Nove e quarenta e cinco da manhã o jato particular da empresa Camp Jordan pousa no Aeroporto Internacional do Rio Grande do Norte. Aislan desembarca na companhia de Skoob, seu cão gigante da raça Dobermann. Pelo preto brilhoso e macio de seu pelo bem aparado e pelo seu porte imponente, vemos que o cão recebe cuidados tão minudentes quanto o dono. Aislan é um cara vaidoso... Muito vaidoso, por sinal. Ele é aquele tipo de homem que não abre mão de exercícios físicos diários. Tem horários semanais marcados em spas, barbearia e manicure. Sim! Ele não nega que pinta as unhas, com base, claro, além de tingir os cabelos regularmente. Os fios brancos não têm vez naquela cabecinha oca... E pensem em um homem cheiroso. É claro que quem o vê não nega que Aislan seja um partidão... Só que é chato, muito chato, enfim... Como o Henrique pensou em tudo, ele alugou um carro esportivo para que Aislan pudesse
Leer más
Capítulo três:
Após secar todo o chão por onde Skoob passou, Aislan tratou de descarregar a bagagem do carro, alimentou o dog, guardou suas roupas e pertences nos armários e aí se deparou com o presente deixado por Henrique. Com um sorriso irônico ele coça a cabeça não acreditando no que o amigo lhe comprou. Ao se ver livre de suas tarefas, Aislan decidiu almoçar em um dos quiosques. A sua vontade era de almoçar a beira mar, mas dirigir depois de uma manhã tensa e cansativa não estava mais em seus planos. Skoob voltou a brincar com as crianças na lagoa, enquanto o saradão se deliciava com uma bela porção de feijão verde, prato típico do estado e nem preciso dizer, né? Foi amor à primeira vista e com direito a um: “Garçom! Traga mais uma porção, por favor.”. Tudo corre bem e
Leer más
Capítulo quatro:
Domingo, seis horas da manhã. Aislan desperta depois de dez horas consecutivas de um sono tranquilo e agradável. Descanso esse que o fez despertar com ânimo e disposição para a sua corriqueira corrida matinal. Higiene pessoal? Ok! Garrafinha d’água? Ok! Smartwatch? Ok! Calça e camiseta? Aaah... Não! O aplicativo marca 26º graus, sendo a sensação térmica de 28º. Uma bermuda, um boné e o par de tênis. Pronto! O nosso amigo está prontíssimo. O Skoob também está no clima e após um breve alongamento, os dois iniciam a maratona às margens da lagoa.A paisagem é exuberante. O céu azul é enfeitado pelos reluzentes raios de sol entre nuvens branquinhas que passeiam depressa empurradas pelo vento.Leer más
Capítulo cinco:
O sol está para se pôr. A maioria dos visitantes já foi embora e os que ficaram se despedem de Aislan e Skoob. A porta da varanda da vizinha está fechada. Aislan lamenta por Luna estar lá trancada com a víbora em forma de gente. Ele não entende como uma pessoa pode ser tão egoísta, furiosa e curiosa também. É muita coincidência ela estar colocando o lixo pra fora bem na hora que ele está para adentrar a casa... Ou não?— Skoob, eu não consigo entender qual é dessa mulher. Ela demonstra me odiar, mas não perde uma chance para ver o que estou fazendo. Bisbilhoteira e fuxiqueira. Deve estar falando mal de mim nas redes sociais. Ela não sai da frente das telas. Quando não é no notebook é no celular. Ela deve estar com os dedos duros de tanto escrever fofo
Leer más
Capítulo seis:
Segunda-feira. O dia já amanhece com alta temperatura. Aislan, aproveitando o bom humor e ainda querendo provocar, levanta mais cedo e faz uma série de alongamentos na beira do lago, se preparando para a corrida matinal. Skoob dorme na varanda. Na casa ao lado, a vizinha que ainda não dormiu e ainda está possessa, se atreve a olhar pela janela e vê Aislan, sem camisa, correndo em volta da lagoa. Tomada de raiva ela decide ir tirar satisfações com o vizinho pervertido. Luna a acompanha lado a lado mesmo seu instinto querendo correr até Skoob para brincar. A cara feia da dona lhe causa medo, então é melhor obedecer. Ao ver a vizinha se aproximar da cerca, Aislan caminha até ela com o sorriso mais irônico que talvez ele nunca tenha dado em sua vida. A vontade dele é de gargalhar, mas se controla e procura ser gentil, ao seu modo, claro.
Leer más
Capítulo sete:
Já é noite e de volta a vila, Aislan estaciona o seu carro no jardim e se dirige para a casa de Catléia ao perceber que as luzes estão acesas e ao imaginar que ela provavelmente esteja acordada. Ele toca a campainha. Dessa vez ela demora um pouco mais para abrir a porta...— Oi! Você veio pegar a foto? Está aqui.— Oh, não. Desculpe, mas eu tomei a liberdade e procurei por fotos suas na internet, quer dizer, do gato e encontrei essa aqui.Aislan entrega uma cópia da foto para ela que observa já com os olhos a lacrimejar.Leer más
Capítulo oito:
Bom dia! Bom dia e o que temos pra hoje? Um Aislan tomando seu desjejum de um lado e uma Catléia dormindo do outro. Terça-feira, mais um dia quente, trinta graus na sombra às nove da manhã.  Aislan já fez sua corrida matinal. Já alimentou Skoob e retirou a sujeira dele deixada pelo jardim. "O que fazer agora?" Pensa ele. Sem opções ele decide dar uma volta pelo bairro em busca de pistas que o levem ao gato. Já perto do horário de almoço ele retorna para casa e se depara com Catléia deitada em uma rede, do lado externo da casa, com Luna deitada no chão ao seu lado e com o notebook em seu colo.— Nada?— Infelizmente não!Leer más
Capítulo nove:
Domingo. O dia amanhece com recorde de temperatura. Dez horas da manhã e os termômetros marcam 32° graus. Aislan com certeza vai tentar uma aproximação com Catléia esperando ver no que dá, campainha acionada. Luna late. A porta se abre. Catléia vestida num vestido longo, amarelo florido. — Oi! Bom dia Aislan!— Bom dia!— Alguma novidade? Tem pistas do meu gato?— Infelizmente não. Por isso eu estou aqui. Amanhã eu vou embora e eu ficarei bem chateado se não encontrar o Finn.<
Leer más