Índice
24 chapters
Prefácio
Tudo começa com a primeira palavra... TUDO! E se a sua vida fosse o branco de uma página esperando para ser escrita por você mesmo, o que você escreveria? Se todos os acontecimentos dependessem da sua permissão para acontecer, você seria o que é hoje? E ao se olhar no espelho, você se orgulha do que se tornou? Talvez o controle que tanto esperamos de tudo nunca nos levem a nada. E se escrever por si só for um salto no escuro para um precipício profundo do qual não temos conhecimento?  Como acreditar que num futuro próximo algo vai parecer estar certo se mesmo no controle ou não, tudo parece tão errado? E se o que tanto você enxerga dentro de si um dia for resumido a nada? E se um belo dia você acordar e perceber que tudo em sua vida era apenas uma grande mentira, que você não passa de uma mera peça do destino jogada num tabuleiro sem volta, e tudo que você achava que era seu tem dono? E se o dono da sua vida não for você? Já se perguntou se tudo não passa de um proposit
Leer más
Capítulo 01
A semana passou rapidamente e eu escolhi um vestido que minha mãe disse ser perfeito. Não vi muita diferença. Tiraram quinhentas fotos minhas, e lá fui eu a caminho da festa.Eu pedi um Uber e esperei, dentro de dez minutos o motorista parou a minha frente. Quando eu entrei notei que algo estava estranho. Dei boa noite; eram apenas sete horas, me sentei no banco do passageiro atrás do motorista. Segui olhando pela janela esperando o meu destino, a faculdade ficava um pouquinho distante da minha casa e eu não quis pegar ônibus. Notei que o motorista seguia por uma rua deserta e aquilo estava me deixando nervosa. Abri minha bolsa discretamente onde eu carregava um spray de pimenta e um estilete.— Eu acredito que o Senhor esteja seguindo o caminho errado. — Falei, observando sua expressão pelo espelho da frente.— Estou no caminho certo. Allyssa Garcia, não é? — Ele ergueu
Leer más
Capítulo 02
Eu fiquei olhando pela janela a nossa rota pelo nada até que apareceu uma casa, e dez minutos depois apareceu outra, até que ele parou o carro no fundo de uma das casas do caminho.— Fique em silêncio. — Ele sussurrou.Descemos do carro com o mínimo de barulho possível e caminhamos pelo escuro até a janela dos fundos da casa. Ele encarou o lado de dentro percebendo que não havia ninguém no andar debaixo, então nos afastamos um pouco para que ele pudesse observar o andar de cima, estava tudo apagado. Ou não tinha ninguém, ou estavam todos dormindo. Um pouco afastado da casa havia um local fechado que parecia ser uma garagem com fechadura normal. Ele tirou um grampo do bolso e abriu a fechadura me dando espaço para que eu pudesse entrar.— Aos dezenove anos vou presa por invadir propriedades. Isso é ótimo. — Ironizei.— Só se
Leer más
Capítulo 03
Senti as lágrimas brotarem no meu rosto e meu coração apertar ao ouvir a voz da minha mãe se despedindo de mim sem saber ao outro lado da linha. Abaixei minha cabeça por um momento, eu não sabia se era aflição ou desespero... Eu estava a ponto de surtar sem saber o que estava acontecendo ao ouvir o som de um carro do lado de fora, levantei minha cabeça lentamente olhando para Gael.— Venha abaixada... — Ele falou sussurrando para mim enquanto se afastava do balcão tomando cuidado para que não fosse visto pelos homens que estavam estacionando.Eu fui até ele como ele pediu e discretamente nós entramos na cozinha.— O que está acontecendo? — A garçonete perguntou ao nos ver procurar por uma porta dos fundos.— Tem dois meliantes lá na frente, eles nos seguiram. Eu acho que querem nos sequestrar. — Gael falou enc
Leer más
Capítulo 04
Gael encostou a cabeça em minha testa e nossas respirações sincronizaram, seus lábios estavam próximos aos meus e eu senti que tudo em mim pedia por um toque mais intenso, mais íntimo. Afastei seus cabelos do rosto para que pudesse o enxergar com clareza com ajuda das estrelas através da janela e da TV. Ele roçou seus lábios nos meus; mas não me beijou. Ao invés disso se afastou de mim e mirou o teto, sua expressão era pensativa!Eu sabia o que ele queria porque eu queria tanto quanto ele. Respirei fundo.— Acho que... Eu preciso mesmo, tomar um banho! — Ele falou se afastando aos poucos como se estivesse lutando para estar perto.— Eu preciso dormir. Você poderia aumentar o ar condicionado? Eu realmente estou com muito calor. — Falei sentando-me na cama.— Tá. Boa ideia. — Ele falou ainda próximo a mim.Por al
Leer más
Capítulo 05
Eu me sentei e ela se aproximou com alguns temperos e enquanto cortava–os, começou a falar.— Bom... Há muito tempo atrás um grupo de cientistas descobriu que a raça humana estaria em extinção, e juntamente com eles o planeta estaria sendo degradado lentamente, até que se destruísse por completo sem possibilidade de restauração. Então; debateram e discutiram entre si e resolveram que a única forma para que isso não acontecesse, seria criando um ser humano perfeito capaz de substituir os seres humanos atuais. Esse grupo de cientistas criou uma sociedade secreta chamada de jupterianos, onde a missão dessa sociedade seria criar um novo mundo com uma nova espécie, e executar toda margem de erro que possa colocar em risco a restauração do planeta. Cálculos e mais cálculos foram feitos até que começaram as fases dos experimen
Leer más
Capítulo 06
Eu peguei o prato e comecei a comer na esperança de terminar logo para poder conversar, garfada depois de garfada fui descobrindo que estava morta de fome. Esqueci que Gael estava ali me olhando e devorei o prato em poucos minutos, finalizando com o copo de suco que estava também na bandeja. Respirei fundo e o encarei.— Podemos conversar agora? — Falei esperando a resposta.— Claro. — Ele falou com um sorriso descontraído.— Como você se sentiu quando descobriu que era apenas parte de um experimento macabro? — Perguntei curiosa para saber a resposta.— Eu já sabia desde o começo, fui criado com os líderes. Éramos como... uma família! Eles nos diziam que fazíamos parte de um plano maior, que iriamos salvar o mundo. Eram bem convincentes, mas eu não sou parte de um experimento! Eu sou mais do que isso, eu sou um ser humano só que cri
Leer más
Capítulo 07
— É... Faz sentido. — Falei sentindo a respiração fugir de meus pulmões enquanto seus lábios estavam tão perto. Aquilo parecia mais uma tortura.— Tenho que ser sincero, você mexe comigo de uma forma estranha e desastrosa...  — Ele fechou os olhos cerrando o maxilar. — Eu não sei se é porque eu estou meio bêbado, mas eu preciso falar. Você tem o efeito de uma droga em mim e quando eu estou com você, é como se um misto de adrenalina completamente selvagem passasse por todo o meu corpo. — Ele sorriu. — Eu não sei por que, mas, eu senti isso desde a primeira vez em que olhei para você.— Gael... — Eu engoli todo o desejo que eu tinha de beijá-lo ali naquele momento.— Ally. Eu... Estou louco de desejo por você. — Ele abriu os olhos e me encarou profundamente. — Desejo! Essa &eac
Leer más
Capítulo 08
Encarei algumas pessoas, rostos felizes perdidos em conversas paralelas noturnas. Aquilo me deixou desconfortável demais, era uma ironia. Mesmo sabendo de tudo eles ainda eram capazes de se divertir. Eu não percebi quando Gael chegou por trás de mim colocando a mão para tapar os meus olhos.— Gael. Eu só conheço você aqui, quem poderia fazer essa brincadeira? — Falei em tom de desânimo.— Estraga prazer. — Ele falou se sentando ao meu lado. Parecia cansado.— Você dança muito bem a nível infantil. — Falei com um toque de deboche na voz.— Eu danço muito bem tá. — Ele me deu língua.— Que horror. — Falei rindo com aquela cena.Ficamos quietos por um momento.— Como vocês podem se divertir sabendo que podem morrer a qualquer momento? — As palavras saíram autom
Leer más
Capítulo 09
Eu nunca pensei que pudesse me apaixonar – se é que posso chamar assim – por alguém, numa situação tão complicada e confusa quanto eu estava agora.Nosso beijo era como um encontro de almas desesperadas! Gael passou sua mão pela minha cintura e me puxou para mais perto, eu cedi ficando o mais próximo do seu corpo quanto podia... Nossos corações batiam num compasso completamente acelerado, nossas respirações se tornaram ofegantes a cada passo em que sua língua passeava pela minha boca. Quando já estávamos sem folego, nos afastamos, dava para sentir o clima quente no ar e eu nunca havia sentido tanto fogo quanto eu sentia quando estava perto dele.— Eu estou sendo desrespeitoso? — Ele perguntou aparentemente preocupado.— Não. — Sussurrei, tentando recuperar o folego que aquele momento havia roubado dos meus pulmões.Leer más