Índice
28 chapters
Prólogo
(Carta de Alana Forgari para a rainha de Montelite) “Inverno de 1516.Majestade,Não pude deixar de perceber o quanto vosso reino está destruído. Creio que precisaríamos de uma nova convocação de guerra. Sei que o caos e a destruição tomaram conta de todos nas redondezas. Presenciei mortes bárbaras de inocentes, pelas mãos do sangue dos Velásquez. Bem,majestade...estamos nos fins da nossa era, eu mesma já estou muito machucada, tanto fisicamente quanto emocionalmente. Sei que foi difícil para a senhora ter perdido mais uma das suas proles( mesmo ela estando presente, não está viva. Sua alma é o que importa e ela já se foi a tempos), e eu compree
Leer más
Capítulo 01
MonteliteAs luzes bicolores dançavam sobre o lago Athena. Corvos sobrevoavam o céu em círculos, emitindo sons estranhos às vezes parecendo tentar travar uma luta aérea. Havia muita neve nos campos de Montelite. Tratava-se de um reino calmo e congelante O inverno lá é rigoroso demais.O lago é uma península do rio Athena que abrange os arredores das florestas de um pequeno vilarejo que encontra-se no reino de Montelite. Nele as nuvens espelham-se de forma mútua assemelhando-se à esboços ou rabiscos de uma criança. O céu deste lugar mágico abriga desenhos de guerreiros, bruxas...basta apenas alguém observar suas nuvens com atenção.No reflexo do lago também havia o par de olhos azulados de Alana. El
Leer más
Capítulo 02
ClérisO príncipe adentra pelo hall de entrada do palácio de Cléris. Em seguida pisa no tapete vermelho enfeitado nas suas laterais com vasos de rosas brancas e pretas. Pelo lado de fora, há um grande alvoroço em torno de uma invasão de suas tropas na noite anterior.-Guntter- ele entra e logo chama pelo mordomo que está distraído trocando alguns ramalhetes de flores de um vasinho de cristal para outro.- Ordene aos cocheiros que preparem cinco dos meus melhores cavalos.O idoso se vira, seus olhos atentos abrigam olheiras na parte inferior.-Perdoe-me alteza, o que disse?O rapaz já irritado, repete:-Ordene ao cocheiro que
Leer más
Capítulo 03
Estelar do SulEnquanto no momento Alana Forgari tenta superar a casa destruída e a morte do pai, o príncipe Nathan Velásquez presencia a crueldade do pai na preparação de um ataque à Montelite.No reino de Estelar do sul,Victor Lolembergh está a pensar em como deve ser a morte. Seus pés calçados com botas escuras enlameadas de barro, sujam o chão de madeira da casa.Encontra-se rodeado de cadeiras cobertas com pele de carneiro e muitos espelhos nas paredes, de modo que para qualquer direção que você virasse, veria o reflexo de si mesmo em um deles.Victor L é um filho de Hades, o Deus grego dos mortos. Ao menos é abençoado por ele, como costuma sempre dizer.Em Estelar do Su
Leer más
Capítulo 04
Montelite De cada lado daquela região fria e com “ar” de guerra, havia um caso diferente. Alana de um lado, Nathan de outro, Victor L de outro.-Mãe a senhora precisa ser forte.- Alana enxuga do rosto da mulher algumas lágrimas. Mas de certa forma era impossível enxugar todas.Helena Forgari não é capaz de responder nada à respeito. Apenas olhava com seu olhar avermelhado os restos do chalé em que viveram.Alana caminha devagar até o que restou do humilde casebre. Alguns vizinhos tentavam ainda conter as chamas ao redor.-Deuses- murmura, depois observa Miguy, a fadinha sentada em seu ombro.Anda mais um pouco, re
Leer más
Capítulo 05
Montelite Alana ouvira comentários a respeito de Stefânia Venax, estavam certamente espalhados pelos ouvidos de todos nas redondezas.Seus olhos azulados encontram os do irmão Alonso por uma fissura de luz das tochas que eram guiadas pelo lado de fora.“Que se abram as portas de carvalho entalhado...Que todo céu dê lugar aos anjos fardados.Que os nobres façam uma mesura à passagem da luzQue as almas podres encontrem o perdão diante da cruz... Recitaram baixinho em uníssono um pedaço do trecho de um poema do qual conhe
Leer más
Capítulo 06
Estelar do Norte  Seis dias depois...Na cela com vista para a floresta,Victor Lolembergh observa com tristeza o balançar das copas das árvores com o vento. Logo um elfo de meia idade abre as trancas,seus olhos experientes fixados no prisioneiro.-Vossa sentença é hoje.O filho de Hades põe-se de pé, aterrorizado.-Eu amo Sophia...eu não a matei, eu não a matei!-Está preocupado demais para quem diz não ter matado nossa princesa.- Ela não assumiu o posto real dos elfos porque escolheu viver comigo em Estelar do Sul. Leer más
Capítulo 07
Estelar do Sul A bruxa anda de um lado para outro, atordoada. Lagartixas caminham pelas paredes de seu casebre, escondendo-se atrás dos quadros. Havia sol ( como sempre) em Estelar do Sul e as nuvens amontoavam-se belos desenhos abstratos no céu.Amanda,com seus pouco mais de duzentos anos,mantinha aparência jovem e imortal de uma feiticeira. Procura com insistência sua pena mágica azul cobalto. Era um segredo seu, o qual guardou por muito tempo. Um objeto mágico perigoso com passado macabro. Não poderia jamais cair em mãos erradas, pois é capaz de mudar o destino das pessoas. Tudo escrito por ela, acabava tornando-se realidade, não importava se eram coisas boas ou ruins. A jovem bruxa poderia mudar uma vida inteira se quisesse.A casa de Amanda era bagun&
Leer más
Capítulo 08
 Capítulo VIII  MonteliteQualquer um no lugar de Amanda e Ulisses ficariam confusos com a confusão que estava acontecendo no momento. A bruxa a fitou, como se estivesse vendo uma louca em sua frente. -Do que está falando? –perguntou. Seu primo também se levantou, com uma expressão desconfiada.-Olha... o importante é você saber que temos uma missão.-Alana explicou. A primeira parte falhou, que era evitar um conflito entre Cléris e Montelite.-Pense bem-Ulisses deu um passo à frente- você acha que este vai ser o único conflito entre esses reinos? Preste atenção... agora que come
Leer más
Capítulo 09
Cléris Logo que alçaram vôo, Alana adormeceu. Nathan estava atento no caminho que seguia, pensando em como convenceria os pais a hospedar a jovem de um reino inimigo em seu castelo.Muitas ideias surgiam em sua mente, mas nenhuma delas parecia boa e convincente o suficiente.Não queria preocupá-la, nem perguntar nada. Ficava se perguntando o motivo dela não tê-lo matado no duelo, já que estava com posse total de dominação e ele, sem proteção alguma. Ela ainda o ajudara a levantar do chão. Mas o príncipe por um lado não queria lembrar de nada que fosse desviar sua atenção dos duelos que participava ultimamente.O vento cortante batia diretamente no rosto de Nathan, que pusera a touca que usava, em Alana.Leer más