Asan Quo, Guardiões Reais: Tertúlia

Asan Quo, Guardiões Reais: TertúliaPT

Mitch Prieto  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
39Capítulos
687leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Sinopse

Fantasia

Rick seguia uma vida monótona trabalhando em uma empresa convencional após sua separação conjugal, quando fatos estranhos e misteriosos passam a acontecer. Sonhos e sensações de perseguição começam a ser constantes quando Baboo e Joel, amigos que viajaram 252 anos vindos do futuro, o encontram e dizem que eles não têm muito tempo para salvar a raça humana de uma invasão extraterrestre inevitável. Enquanto unem forças com espécies de outro sistema solar para proteger o planeta Terra da futura invasão, acabam despertando o Senhor das Trevas. Agora, eles não apenas terão que salvar a raça humana da extinção, mas terão também que lutar para proteger as outras espécies do maligno Fragor. A renomada equipe de guerreiros descobrirá ao longo de sua aventura que os descendentes dos Senhores daquele sistema solar, quando em posse dos Objetos Reais, ganham poderes extraordinários que os ajudarão nessa incrível jornada.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
39 chapters
Uma Mensagem do Além
Não consegui esquecer...Era final do dia e o sol tinha praticamente se guardado. As coisas já estavam carregadas no caminhão quando aquele velho de cabelos grisalhos, com uma expressão carrancuda nos disse:– Vamos embora!­­Danton e eu subimos no caminhão e partimos imediatamente. Não me recordo para onde nem porque, mas estávamos em um caminhão carregado de coisas e móveis que mobiliariam facilmente uma casa. Aquele caminhão velho, quase que aos pedaços, balançava demais e nos dava a impressão de que poderia desmontar a qualquer momento.Quem era aquele velho? Não fazíamos ideia, mas estávamos seguindo com ele.Poucas quadras adiante tentaram roubar alguns objetos pequenos e mal encaix
Ler mais
Let's Rollets (parte 1)
Quanto tempo você precisaria para destruir tudo em sua vida? Eu precisei de quatro segundos... Quatro segundos foi o tempo que dormi ao volante e sem poder voltar, fiz um belo salto por cima daquela cerca de um metro e meio com um giro de cento e oitenta graus, após ter invadido a pista da contramão. Aquilo pareceu coisa de cinema e para minha sorte não sofri nenhum arranhão. Quando saí do carro e vi o estado que ele havia ficado, quis morrer. Um Volkswagen Gol 1.0 reduzido à sucata, e eu, perdido naquela estrada escura, sem sinal de rede celular ou esperança de alguma alma bondosa que me socorresse. Aquilo – aquele acidente – não me causou danos na carne, mas por baixo dela. Nunca imaginei que a culpa poderia doer tanto... Que pudesse causar estrago tão grande num ponto invisível, não tangível de meu ser.Quando estava a duas quadras do meu destino recebi uma ligação de Léa – a
Ler mais
Let's Rollets (parte 3)
– Ufa! O que foi aquilo?! – Perguntei a Baboo que sai de cima de mim desajeitadamente.– Não eram... São mortons! Eles estão por perto. Seus sonhos invadidos têm muito a ver com a realidade... Acostume-se!– O quê?! E todas aquelas pessoas mortas?! Quem as matou?! – questionei angustiado.– Os mortons querem tomar seu planeta, destruir sua espécie. Você não entendeu? Não querem escravos nem sobreviventes. Eles são criaturas sem emoções, movidos pelas razões que os fazem continuar vivos. O planeta deles está em colapso, por isso buscam outro para habitar. Ou vocês acham que são a única espécie que extrai ao máximo os benefícios de seu planeta, se preocupando ape
Ler mais
Let's Rollets (parte 2)
No dia seguinte, bem cedo, levantamo-nos para deixar aquele Café e, ainda acreditando que iria para o trabalho dar satisfações pelo atraso, pela falta ou algo do tipo, disse:– Baboo, devo que ir até a empresa conversar com meu chefe e avisar meus familiares de tudo isso. Depois podemos seguir nossa viagem, ok?– Não se preocupe – disse ela.– Vocês não se verão tão cedo. Na verdade, é provável que nunca mais veja alguns de seus parentes. A pessoa que sei com certeza que te seguirá nessa jornada será Isabela, que também será preparada. De fato, neste exato momento ela também está seguindo para o "Complexo da Capital" com Joel.– Ela o quê?! Onde está ela?! Quem está com ela?! Se algo acontecer à minha filha vai se arrepender amargamente!
Ler mais
Estamos Ficando Sem Tempo!
Com quatorze anos, apenas um menino como a maioria dos outros, tinha medo do escuro. Acordei após ter um pesadelo, mas não de uma forma qualquer... Muito desperto e com olhos estalados. Não tinha a mínima ideia de qual teria sido o sonho, pois o sonho em si não foi relevante, e sim o acontecimento que veio depois dele. Como de costume meu pai deixava a luz do corredor acesa para meus irmãos menores, caso quisessem usar o banheiro no meio da noite, e naquela madrugada ela também estava acesa. Deitado na cama, só conseguia ver aquele facho de luz no chão próximo à porta, ao qual fitei por algum tempo até que pudesse cair no sono novamente. O que vi? Nada! Mas senti que não estava só. Já sentiu isso? Não podia fechar os olhos por perceber que algo estava ali, próximo a mim. Era sempre vencido pelo cansaço. Foram cinco noites consecutivas ass
Ler mais
Antigo Futuro?! (parte 1)
Acordei com uma sensação estranha no estômago.Ao olhar à frente noto que estamos descendo uma queda d'água! Fiquei desesperado por ver a altura que estávamos caindo, mas logo o Rollet ativou jatos de água que puxava da própria cachoeira, os quais diminuíam a velocidade da queda até o impacto na água ser grandemente reduzido. Seguimos saindo do rio por uma trilha estreita com galhos e pedras que tornavam a experiência um pouco desconfortável.– Que rota interessante você escolheu para nós Baboo? – disse ironicamente.– É um atalho. Relaxa! Logo ficará melhor – disse Baboo relevando minha provocação.Finalmente saímos da
Ler mais
Antigo Futuro?! (parte 2)
Levantamos nós três mais cedo que Joel e Baboo para treinar, e quando eles chegaram à sala de treinamento duas horas depois, estávamos intercalando os exercícios, fazendo-o da seguinte forma: Enquanto dois atacavam um defendia.– Muito bem! – participou Joel.– Notamos que estão realmente envolvidos e com vontade de aprender. Excelente desempenho na defesa corpo a corpo Isabela! – prosseguiu ele.Agora podemos ensiná-los a manusear facas e espadas – comentou Baboo.Enquanto ele ensinava as meninas a manusear a espada, Baboo me ensinava a usar a faca, ou melhor, a adaga que havia ganhado dela. Ela era de fato muito habilidosa. Extraía de mim todo o potencial que nem eu julgava ser capaz de ter, d
Ler mais
Viemos da Terra (parte 1)
Lembro-me de que havia uma parede de tijolos à vista, uma árvore grande e velha e um pouco de grama meio seca debaixo do sol quente. Meu pai e eu conversávamos sobre as dificuldades da vida e de como alguns momentos bons haviam nos marcado. Ele era um homem demasiadamente ocupado para termos conversas como aquelas. Um empresário bem sucedido, de uma fama e caráter desigual, claro, para os outros era grandioso e, para nós, bem, tínhamos um empresário que em alguns momentos se fazia pai. Ele fazia seu melhor.Especialmente naquele momento, divaguei em meus pensamentos numa recordação valiosa. Com um olhar compenetrado e sério me disse:— "Filho, não importa o que você deseje. Um homem não pode fugir do seu destino. Encontre o seu".Nossos olhos contemplaram o que havia à frente. Uma esfera gigante que representava Belácia.<
Ler mais
Viemos da Terra (parte 2)
"Intensa" era a melhor palavra para descrever aquela noite.Acordei algumas horas depois de termos nos deitado, não sabia dizer que horas eram, apenas que era de madrugada. Não vi Isabela. Acordei Léa, e sem muito alarde saímos em busca de Isabela, andando nas proximidades do lugar onde estávamos alojados e... — Olhe, Rick! Um respirador! Deve ser da Isabela! Onde será que ela foi parar? Eles a levaram? Nós não conhecemos essa gente, Rick! Ela é apenas uma menina! — disse Léa completamente preocupada. Eu também estava, mas sabia que não tinha nada a ver com os belacianos.— Léa, vamos continuar procurando — disse sério e muito apreensivo.Encontramos seu respirador em cima de uma mureta próxima a escadaria que saía do terreno do palácio do Governador, mas nada dela. Mais preocupados do que antes voltamos para o aloj
Ler mais
Viemos da Terra (parte 3)
A selva tinha um cheiro estranho.Aquelas árvores, além de vermelhas, eram duas vezes maiores que as árvores históricas da Terra, mosquitos pretos grandes que não picavam, mas tínhamos que os tocar de nossa visão constantemente. O chão úmido era repleto de plantas carnívoras amarelo-mostarda, pequenas, bastava cair em cima delas para que elas devorassem algum de nós.Não sabíamos para qual direção seguir, com aquela escuridão não seria tão fácil encontrar o que procurávamos, então, fomos ao centro da selva. O Ovo de Ezcrat estava lá em algum lugar, mas não fazíamos ideia de onde, portanto, nos separamos em dois grupos para cobrir maior território de procura, mas estávamos sempre na visão uns dos outros.A selva tinha uma pequena inclinação que nos fazia descer indo em
Ler mais