Uma mesa em Veneza

Uma mesa em VenezaPT

Rafanaele Damasceno  Em andamento
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
12Capítulos
348leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Giulia e Robert escolhem Veneza para uma periência marcante em suas vidas. Apesar aparentarem ser um casal a primeira vista, olhe para eles novamente, amantes pom tornar-se apenas melhores amigos em meio ao sgaste seu relacionamento. A vida po se tornar mecânica para pessoas o Giulia que não se preocupam em arranjar o famigerado amor da vida, mas às vezes uma italiana intrigante feições suaves, não é apenas uma cliente sentada à mesa praxe do mesmo Café, todas as manhãs. Afinal, nem sempre sabemos quando perremos a convicção que já sabemos tudo, e para Giulia tal ilusão se sfez no convidativo olhar uma estranha veneziana.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
12 chapters
Prólogo
Após tantas pesquisas cuidadosas, já não era novidade para Giulia que ao chegar na charmosa Itália era como estar em algumas fotografias dos livros. Tampouco pôde surpreender-se ao ficar sem fôlego quando chegou em Veneza. “A cidade mais romântica” seu marido Robert disse com um suspiro romanesco, e ainda que pudesse ouvi-lo, Giulia ocupava-se enchendo seus olhos cor de mel de uma beleza tão estúpida como aquela. “Existem mais turistas aqui do que moradores”, Robert continuava a dizer coisas das quais Giulia sabia.Ler mais
A mesa favorita
“Bom dia. Não estranhe minha ausência, saí cedo (não sei que horas você lerá isso) para um passeio sem destino em mente, quem sabe eu consiga alguma inspiração?”.  Giulia havia escrito num bilhete que deixara no criado-mudo para caso de Robert acordar antes de sua chegada. Ela saiu com o notebook contra o peito, mordiscou o lábio inferior, sentia que apesar de o sol aquecê-la, as sombras podiam fazer frio, uma vez que ainda se tratava do início da primavera.Ler mais
Uma variante italiana
Naquela manhã, Olivia entrou no il tuo caffé com um meio sorriso, sentou à sua mesa favorita e pediu o de sempre: cappuccino acompanhado de um croissant com geleia, e num típico italiano questionou para Dante: — Quem é aquela mulher que está sempre vindo pela manhã? — Dante a olhou como se fosse ela uma estúpida. Ler mais
Cappuccino e croissant com geleia
Era uma manhã de quarta-feira, o sol estava caloroso, timidamente a primavera ia tomando seu formato, se reivindicando. Giulia acabava de tomar seu café da manhã no il tuo caffé, sentia-se mais sonolenta do que o comum para aquele horário. Ela bocejou novamente e Olivia sentou-se à mesa dando-a “bom dia”, Giulia nem ao menos havia percebido sua chegada e aproximação.  Saindo de seus devaneios, ela desejou-a “bom dia” de volta e então o que deveria se seguir seria: Olivia tirar a pasta de cor amarela de sua mochila, tirar seus papéis da pasta e
Ler mais
Entre alcachofras e correttos
Naquela manhã de sexta-feira, Giulia acordou mais cedo do que o habitual, que já era cedo, no entanto, não havia preguiça espalhada por seu corpo, nem manha em sua alma, não bocejou, sentia-se vívida, sorriu e então reparou que, aquelas mudanças em sua maneira de acordar devia-se ao encontro que havia marcado com Olivia. Ao entrar no cômodo para convidá-la para um café da manhã “em casa” daquela vez, Robert ouviu-a cantando no banheiro, músicas que ele não compreendia, ela não estava cantando em inglês. Ele franziu o cenho com um sorriso confuso, Giulia fazia aquilo apenas quando estava num estado espi
Ler mais
Beijá-la até esquecer-se do próprio nome
— Claro. Você. — Olivia disse sem demonstrar surpresa com uma voz mais falha do que desejava ao abrir a porta e encontrar Giulia. — Foi divertido para você? — Seus olhos brilhavam em mágoa. — Foi divertido enganar a tonta e sonhadora italiana? Você já não riu o bastante de mim? — Não. — Giulia respondeu quase como se estivesse suplicando. — Você não entendeu bem. Ler mais
As boas intenções de Emily
Emily Jekins era uma bela moça, cabelos ruivos, possuía belas curvas e lindos olhos verdes por debaixo de seus cílios longos de dar inveja, era doce e muitas vezes tímida, tinha uma honra a qual seu pai defendia com grande bravura.  E ainda assim, quando se trata de amor, não há pai destemido algum que consiga proteger qualquer honra. Ela apaixonou-se perdidamente por Lorenzo Bianchi e em meio aos seus suspiros apaixonados, pôde jurar em decreto: era o amor da sua vida! De tudo fez para alcançá-lo e segui-lo, não se importava de dar passos por um caminho pelo qual jamais esteve antes.Ler mais
Programa surpresa
— O que você achou que estava fazendo? — Olivia questionou com seu tom de voz seguro, tão sério quanto sua expressão, assim que sua mãe abriu a porta para atendê-la. — O que você acha que está fazendo? Uma mulher casada, Olivia? Uma mulher casada! — Emily gritou com certo pavor mesclado a obviedade e Olivia bateu à porta atrás de si com um sorriso irônico em seu rosto como quem o entrega para preservar o que resta de sua sanidade.Ler mais
Retomando o controle
Entre o verde que aparentava dividir-se em verde folha e verde sálvia, Giulia caminhou ao seu lado, a luz do sol tocava sua pele e como se fosse ela um espelho, brilhava quase que discretamente, fosse em seu rosto, fosse em seu ombro, os raios de sol tocavam ainda seus cachos como se sempre tivessem aquela intimidade.  Seria Giulia tocada pela luz solar sinônimo de arte exposta? Olivia se sentiu tola ao se fazer tal questionamento, noite passada muito se demorou a dormir. A hospedagem era
Ler mais
Meu ex-amor e velho amigo
— Ora, não faça essa cara! Logo arranjará emprego! — Emily disse tentando soar positiva, mas recebeu um olhar entediado da filha. — Você está falando sério? Já faz três meses que eu estou tentando! E Veneza é um ponto turístico e tanto, ou seja? Deveria ser mais fácil e não mais difícil! — Olivia respondera impaciente desviando seu olhar para o lado esquerdo, sua mãe examinou-a cuidadosamente num curto intervalo de tempo e suspirou.Ler mais