2 - Reclamada Por Dois

2 - Reclamada Por DoisPT

Cassandra Branca  Em andamento
goodnovel16goodnovel
10
Avaliações insuficientes
53Capítulos
20.2Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Vasco um Werewolf e Alexandre um vampiro, partilhavam o sangue da mesma mãe, apesar de serem diferentes , tanto fisicamente como de personalidade , o sangue os unia como aliados e protetores um do outro. Apesar de se darem muito bem e conviverem muitos anos juntos , nunca pensavam que teriam a mesma companheira . Seria possivel manter a unidade entre os dois, ou uma simples humana acabaria por os separar de vez , os tornando em inimigos mortais? Angela, uma simples mulher que levava a sua vida numa existencia pacifica e sem qualquer sobressalto descobre uma noite que existe realidades que estão fora de qualquer imaginação. Além de descobrir a existência de outros seres que vagueiam a noite como predadores aquando um ataque em uma noite de bebidas com amigas, também se dá conta da existência de dois homens que a deixam com o sangue completamente em fogo liquido. Como podia Angela aceitar os sentimentos que nutre por dois estranhos misteriosos? Pior ainda, como poderia sequer pensar em ficar com os dois, perante uma sociedade intolerante que não aceitava nem mesmo uma roupa fora da época?

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
53 chapters
Capitulo 1
Durante meses, Ana, Raquel e Fátima andavam aborrecidas por não aceitar uma saída à noite só para meninas. Mas mesmo relutante, finalmente decidi que não valia a pena perder a amizade delas por causa disso, e com o intuito de ter algum descanso, acabei aceitando.  Então lá ia eu toda apaparicada e pronta para beber bastante, mesmo que estivesse atrasada. Ser empregada de mesa às vezes não nos dava a chance de sair à hora certa. Pelo menos para ver se esquecia um pouco da realidade da minha vida amorosa. Hoje ia predisposta a me divertir toda a noite. Rir, beber, dançar numa saudável noite com as amigas.  Ler mais
Capitulo 2     
 __ Ângela!!!Ângela!!!!-Raquel grita apavorada ao ver sua amiga completamente inerte. __Meu Deus...-Se ajoelhando ao lado de Ângela, sua voz começa a tremer. __Diz qualquer ..por favor…Ler mais
Capitulo 3     
 __ Temos um problema!-  Alexandre murmura sem deixar de observar as quatro mulheres se afastando __ Um só???-  Vasco levanta  a sobrancelha, apreciando o rebolar de cada traseiro das quatro moças.__   Além de todas serem apetecíveis? -  Ele sorri malicioso, levantando as sobrancelhas varias vezes divertido.__Qual é
Ler mais
Capitulo 4     
 Ainda perplexa, pisco os olhos duas vezes, clareando a garganta, os encarando. __ Desculpem, mas eu disse que não precisavam de me seguir. - Eu falei assustada por ver os dois homens enormes, entroncados, sombrios na minha porta. __Como veem, estou completamente bem. __ Não queremos assustar-te... - Alexandre declara com tom sério. __ Mas precisamos falar.Ler mais
Capitulo 5     
 " Não!!!! "Não podia ter deixado vampiros entrar na minha própria casa. Preparada para correr  dali, os encaro com receio, eles não se moviam, suas expressões suaves não me deixavam com a ideia de que iriam me atacar de alguma forma, mas como poderia confiar? __ Não corres qualquer perigo ... - Alexandre rapidamente declara olhando Vasco que estranhamente se mantinha calado e muito tenso. __Pelo contrário estamos aqui para te protege
Ler mais
Capitulo 6     
 Eu dirigi-me ao frigorífico e peguei na garrafa de vinho verde que só usava para cozinhar. Olhei-a fixamente, não era forte o suficiente, mas teria que servir. Até porque não precisava de muito para ficar logo ébria. Nunca tinha reagido bem a bebidas alcoólicas e bastava pouco para ficar relaxada. "O que eu não daria hoje por um copo de vodka!!! Não teria que pensar tanto nas próximas horas." Enchi um copo de vinho, o copo m
Ler mais
  Capitulo 7     
 No momento em que tranquei a porta e nos dirigimos ao elevador, o meu estômago se apertou. Os meus sentidos já não estavam a cem por cento. Tinha sido má ideia beber aquele copo de vinho afinal. Quando as portas se fecharam comecei a ficar quente, olhei para os dois homens ao meu redor. Desta vez estavam inexpressivos, nenhum me olhava, mas notava a tensão que invadia aquele espaço fechado. Chegamos a porta de saída do prédio sem uma palavra. O silêncio era enervante, mas também era compreensível, não poderíamos falar do assunto que invadia a minha mente nestas últimas horas assim em qualquer lugar. Quando eu me ia a dirigir para a direita, Alexandre agarrou me o braço e congelou com uma expressão que nunca antes tinha visto. Imediatamente fechou os olhos respirou fundo me largando. Ler mais
Capitulo 8   
 Acordei com o som do telemóvel. Estava cansada e num quarto desconhecido. Coloquei a mão na testa e esfreguei um pouco ,a cabeça latejava provocando dor. Era normal, sempre que bebia. Olhei para a tela e sorri. __ Olá Fátima. __Olá Ângela. Queria saber como está
Ler mais
Capitulo 9     
 Eu amaldiçoei por não me ter contido, eu não queria que ele parasse, devia , mas não era isso que desejava. Mas logo senti vontade de desaparecer dali quando vi Alexandre encostado à porta da cozinha nos observando. Ruborizei quando o vi aproximar-se de nós, imediatamente me levantei do colo de Vasco. Ele me segurou pela cintura e me virou de costas deslizando a calça de algodão que usava.  __VASCO... - Gritei , tentando me recompor tanto da excitação como da vergonha de ser despida ali na frente dos dois. Ler mais
Capitulo 10     
 Eu ainda estava ofegante quando Alexandre parou  o beijo. Ele me encarou enigmaticamente , com um sorriso satisfeito, seus olhos ainda negros e suas presas  completamente ameaçadoras. O analisei com calma,  tão diferente de Vasco, no entanto, tão sensual e quente como seu irmão. Se continuasse ali cairia na tentação, não  havia hipótese de resistir. Um sorriso carinhoso surge no momento em que sua mão desliza por meu rosto. "Meu Deus... carinho? Sempre pensara  que podia perder o meu corpo em luxúria, mas nunca o meu coração."  Ofeguei com este pensamento, acabaria me machucando, mais uma vez , seria a &ua
Ler mais