Sombras na Lua

Sombras na LuaPT

Alice Marques  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
15Capítulos
534leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Ranielle tinha uma missão na vida, encontrar o assassino do avô. Nessa busca por vingança acaba se associando à criaturas que pareceram sempre erradas do seu ponto de vista. O que ela não esperava de forma alguma, era se deparar com uma rede de mentiras e desafios além de sua compreensão. Venham conosco desvendar as Sombras na Lua.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
15 chapters
Capítulo 1
Três meses depois da partida, Ranielle ainda encarava a janela do trem como se fosse a primeira vez que estivesse passeando pela Europa. Cada montanha tem seu charme e beleza e não é que naquele lugarzinho ainda existiam coisas interessantes a se fazer além de lamentar a morte dos seus. Desembarcou em Madri por volta de dois dias depois da partida. Tomou alguns trens e trocou de passaporte para que seus pais não pudessem mais a rastrear. A vantagem de ser fluente em quatro idiomas era essa, além é claro, que poder e dinheiro que falavam alto para quaisquer ouvidos no mundo.  Uma olhada em seu sobrenome real e portas se abriam mais do que as pernas das prostitutas nas vitrines. Bruxelas foi uma visão interessante de um mundo totalmente novo, enquanto ela encarava algumas coisas e pessoas pelo caminho, nada tirava de sua mente que eu t
Ler mais
Capítulo 2
De quem foi a ideia infernal de viajar nesse inverno? Claro que foi dela. Concluiu isso com certo ardor nos músculos que clamavam pelo calor delicioso de uma lareira aconchegante sentada num sofá de couro.  Depois do primeiro trem e dos comboios de carro, estavam exaustos. Mas, enquanto ela planejava a sua vingança para quando encontrasse a rainha, Matteo estava ocupado com o corpo quente de uma qualquer. Não que a incomode, não se importava na verdade, porém, queria mais foco na missão.  Afinal de contas, não foi fácil salvar o rabo lupino dele, para deixar de lado o seu objetivo maior. Como viajavam sempre de carro ou trem para chamar menos a atenção, demoravam dias numa viagem que de avião seriam horas. As maravilhas de ser de uma fam&iac
Ler mais
Capítulo 3
Louis não era como ela. Ok, isso pode não ser ruim, mas, quando se tem um outro peregrino por perto a intenção de assassinarem um ao outro é incrível. Então, porque estavam se dando ‘relativamente bem’? Sem nem mesmo trocar palavras rosnadas durante o dia? É uma pergunta que ela sempre fazia. Dois meses depois do encontro no trem, ela sabia tanto sobre ele quanto no início. Era um amigo próximo do seu avô, sem muitas raízes em lugar nenhum, mas, conhece gente por todo canto, vive sempre se mudando, é um dos observadores que foi enviado para nos manter sempre informados do que anda acontecendo em todo o mundo.  Na real, ela adoraria enfiar uma bala na cabeça dele,  antes que ele pudesse bocejar quando acorda. Mas, precisava dele. Foi uma das condições de vir &lsq
Ler mais
Capítulo 4
Uma semana... Uma merda de semana... Uma semana de merda... Nessa brincadeira ela ficou quase um mês mais longe da aguardada vingança. Ela sentia seu corpo todo pedindo socorro enquanto olhava pela janela e sentia os músculos latejando sem muita vontade de continuar vivendo. É, ela estava na merda. Seus sentidos registraram a movimentação dos lupinos entrando no galpão com Raoul em seu encalço, ela estava frustrada de não poder sair para caçar e conversar com os gentis amigos não-mortos, mas, seu propósito era maior do que simplesmente torturar vampiros.  Precisava continuar no foco e trabalhar firmemente. Nesse meio tempo, ela não fui capaz de iniciar a transformação por conta própria. Frustração não chegava perto do que sentia naqueles momentos em que eles
Ler mais
Capítulo 5
Os treinamentos continuaram, com a adição do xadrez à rotina e as brigas a evolução era notória. Ela ainda não conseguia vencer Raoul no jogo, mas, continuava chutando as bundas de todos eles durante as brigas. Uma notícia chegou pelo não-morto alguns dias depois, a Encantadora estava fora do radar até mesmo para seus generais há 3 dias e isso os estava preocupando. – Ela não pode ter descoberto sua traição, Raoul. Se você entrou em contato com outros aliados dela e eles também não sabem nada, possivelmente ela só esteja louca ou paranóica como sempre. – Louis tentava ser a voz da razão, mas o outro parecia irredutível. – Se ela desconfiar serão as nossas cabe&ccedi
Ler mais
Capítulo 6
Num início de noite comum, alguns dias depois, Raoul entrou pálido e desgostoso dentro do galpão, seus cabelos estavam eriçados e ele estava com cara de menos amigos que o normal, algo no ar em volta dele estava sugando toda a alegria que ele geralmente tinha. Algo vestia-se nele como uma segunda pele de medo, enquanto seus passos largos iam na direção de Louis. Depois da interação entre a morena e o lupino e da sua prova dos tiros, eles haviam relaxado mais e a deixado descobrir o que era preciso para avançar na caçada pelo garou, o único problema é que ela continuava avançando muito lentamente para o gosto de todos. A carranca no rosto de Louis foi se formando conforme Raoul falava o que tinha vindo dizer, seus olhos pousaram na mulher por alguns momentos enquanto ela fitava o tabuleiro de xadrez pens
Ler mais
Capítulo 7
Antes de entrarem no perímetro de onde estavam, o cheiro desagradável dos vampiros preencheu suas narinas e ela teve que se segurar para não sair correndo atrás da briga. Louis já estava com sua Beretta na mão e uma faca na outra, suas presas estavam postas no lugar enquanto Ran ainda tentava se segurar, mas concluiu que não adiantava tentar. Seus instintos tomaram conta e suas mãos correram para a arma e como era ambidestra, direita ou esquerda não importavam muito.  Seus ouvidos que estavam ainda em desenvolvimento não captaram nada além de uns barulhos de briga esporádicos, mas, eles sabiam para onde ir, o cheiro de sangue estava permeando suas narinas e não era sangue humano. Os vampiros pareciam estar se fazendo de churrasco ou torturando-se para encontrar a princesa. 
Ler mais
Capítulo 8
Seu olhar foi para o reflexo no espelho, na imagem seus olhos que ainda tinham uma cor sangue, viva e mal disfarçada sob o tom castanho. Aquelas duas brigas a tinham deixado elétrica e disparado também uma parte de seu garou. Ela tentou se acalmar, mesmo sendo impossível dada a emoção. Ela não queria identificar o que estava sentindo naquele momento, somente seus instintos estavam tomando conta dela e não era um quadro bonito para qualquer espectador. – Precisamos avisar nosso caro Matteo que ele não tem chance com Carmem, antes que o pobre coitado se desiluda. – Ela estava mais amarga que o habitual e violentamente possessiva sobre eles. A presença dela em suas vidas destoa do comportamento padrão natural tendo apenas seus aliados masculinos em volta, isso a deixou desconfortável e ciumenta.Ler mais
Capítulo 9
A casa modesta era realmente uma boa pedida, com cortinas pesadas e móveis espaçados um do outro, a cozinha era abastecida com carne e para todos os efeitos as bolsas de sangue que Raoul cismava em manter próximo demais dos lupinos aliados. Havia banheiras nos três banheiros dos quartos e tinham mais conforto do que antes, o que não era muito difícil dadas as circunstâncias. Se mudando com Louis apesar de a coisa ter parado nos beijos alucinantes, estava confiante sobre essa nova aliança se formando entre eles. Matteo e Carmem também pareciam próximos mas não a incomodava como anteriormente, a morena acabou concluindo que o seu problema com ela era referente à proximidade de Louis. Eram como uma pequena família feliz vivendo nos subúrbios de uma cidade decadente, ela se sentia bem melhor sobre isso
Ler mais
Capítulo 10
Num desfile de generais à sua frente, estavam todos trajados com roupas pretas, parecia um uniforme em eles e era como se sentiam melhor, como uma unidade. Raoul chegou à pouco, acompanhado de alguns dos membros da alta cúpula de outros líderes dos vampiros. Seus Lordes enviavam forças para combater a vadia enquanto eu me sentia um rato preso entre um bando de gatos meio-mortos e um bando de lobos raivosos. Louis não tirava os olhos dela e desde a primeira vez as coisas estão fluindo bem melhor em todos os quesitos, é como se o sexo entre eles fosse um lubrificante para seu convívio de uma forma geral. Se pegou pensando em sua mãe por esses dias. De acordo com Louis ela ainda está furiosa por Ranielle ter tido sucesso em se manter longe do radar durante tanto tempo antes de vovó pegá-la em Portugal e fi
Ler mais