Meu Amante Mafioso.

Meu Amante Mafioso. PT

J.P Andrade   Atualizado agora
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
8Capítulos
709leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Dário assentiu. — Eu cuido da balística. Apenas conte que não viu quem atirou no seu namorado. Ela assentiu rapidamente. Lentamente ele pegou o celular e fez alguns movimentos circulares na tela, um segundo depois ela ouviu o click da porta se abrindo, ela olhou ainda surpresa para Dário, que acenou para que ela fosse. Quando Rosita chegou a porta ele a segurou pelo braço e ela congelou: — Eu a levo em casa, Rosita, quem sabe os perigos que a espreitam esta noite?! Melhor me ter por perto, não acha? Seus olhos azuis reluziam e o coração de Rosita acelerou, ela não sabia ao certo se era de medo ou expectativa, ou talvez ambos.  Rosita Macerata é uma recepcionista que leva uma vida dupla, sua vida muda drasticamente ao sair do trabalho e ser atacada, sua vida é salva pelo misterioso Dário Romano, que naquela noite não estava nos seus planos salvar mocinhas em um beco. De fato, Dário Romano não é um herói, e sim um homem implacável em seus objetivos, nos negócios e no crime, a escolha que ele faz ao apertar o gatilho muda totalmente sua vida, Rosita está muito longe de ser uma mocinha indefesa e fará de tudo para garantir sua sobrevivência na sombria cidade de Belinni. Até mesmo chantagear um grande mafioso!

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
8 chapters
Capítulo 1
Dário sentiu que seu coração iria parar, ele caminhou devagar para a entrada de sua sala de estar e viu gotas de sangue pelo chão, a sala estava completamente revirada com objetos quebrados para todos os lados, indicando uma briga. Mesmo que sua razão lhe dissesse que era tarde mais, ainda assim, ele gritou por sua mãe que não respondeu. Estava até aquele momento estudando para tentar um estágio em uma das maiores empresas do país. Após ligar algumas vezes para casa para avisar que se atrasaria não obteve resposta, isso despertou seus instintos e pegou o primeiro ônibus para casa. Ele continuou caminhando pela cena terrível seguindo o corredor até a cozinha, diversos pratos quebrados e copos. O desespero começou a consumi-lo e não conseguiu mais prosseguir mantendo a calma, começou a correr indo direto para o quarto de sua mãe.A porta estava trancada e a luz apagada.Dário Romano não pensou duas vezes e arrombou a porta, quando a porta de madeira caiu ao chão, ele se deparou com a ce
Ler mais
Capítulo 2
Rosita caiu por cima do corpo e pensou estar morta, apenas abriu os olhos quando sentiu mãos grandes a puxarem do chão, é só quando abriu os olhos percebeu que não estava morta. Sua garganta não havia sido cortada por aquela navalha asquerosa. Ela estava sendo puxada pelo homem que a salvara da morte certa, quando ela olhou para trás viu o corpo de Mário caído no chão com um tiro na cabeça. Ela sentiu que iria desmaiar e quando seus joelhos vacilaram e o mundo começou a escurecer, logo sentiu braços a envolverem e ela não sentiu mais o chão ao seus pés e tudo se desvaneceu quando mergulhou na escuridão da inconsciência... Dário colocou a garota no carro e imediatamente ligou para Francesco, ele não sabia onde a garota morava e não podia leva-la para um hospital e nem envolver a policia nisso, o celular continuou a chamar para o número de seu parceiro, infelizmente Francesco não atendia o telefone. Dário jogou o aparelho no banco do carona e guardou o 38 no porta-luvas, dirigiu para o
Ler mais
Capítulo 3
MESES ANTES DO OCORRIDO NO BECO...Rosita se olhou no espelho do camarim, encarou seus próprios olhos castanhos-avermelhados, após terminar de passar o batom em seus lábios, olhou para seus cabelos caindo em ondas como um mar negro. — Não vai colocar a máscara hoje, Ametista? — perguntou Eva.Rosita suspirou ao ouvir seu nome artístico, então olhou para a mulher de cabelos vermelhos e olhos negros. Ela vestia o conjunto de couro assim como todas as outras. Naquela noite o chefe Gian havia pedido para fazerem a coreografia que Rosita havia usado para passar nos testes para trabalhar no Blue Belle. Rosita se levantou da cadeira e pegou a máscara preta que reluzia em detalhes prateados. Ela encarou Eva e disse:— Seria muita desvantagem para você, Eva. - Eva franziu o cenho parecendo confusa. — Todos veriam que sou mais bonita. — completou Rosita passando pela garota até os cabides de figurinos.O camarim estava cheio com todas as garotas ainda se arrumando para o show daquela noite. R
Ler mais
Capítulo 4
Rosita encarou aqueles olhos azuis enquanto o homem tentava se aproximar dela. Ela não queria soltar a arma, não com a imagem daquele homem atirando em seu ex namorado ainda em sua memória. Não havia nenhum indício de arrependimento em seu rosto, aquele homem estava completamente calmo apesar de ter gritado com ela a pouco. Sua expressão era uma máscara misteriosa, uma incógnita que ela não sabia se gostaria de descobrir. Rosita deu alguns passos para trás, ele a olhou e baixou as mãos lentamente, quando ele ameaçou avançar, ela o advertiu:— Não se mova! Ele assentiu e permaneceu perto da escada.Rosita sentia o efeito traumático do que vivenciara naquela noite, sua quase morte com um homem com quem compartilhou sua cama e seus sonhos, e que agora estava morto e ela nas mãos de seu assassino...De repente sua mão que segurava a arma começou a tremer incontrolavelmente, seus joelhos cederam a fazendo cair ao chão, seu coração estava muito acelerado e ela teve a certeza de que estava
Ler mais
Capítulo 5
Dário acionou o botão de partida de seu Volvo XC90 preto e olhou para a mulher ao seu lado, ela possuía belos olhos verdes-musgo e os manteve no caminho a seguir, ele começou a sair de sua rua e perguntou: — Onde você mora? Rosita olhou para as mãos de Dário e a lembrança dele usando aquelas mãos para atirar em Mário queimou em sua mente a deixando á deriva, somente retornou a si quando ele a chamou pelo nome. — Na rua Iliard 222. Ele assentiu e entrou na avenida Gusmán aumentando um pouco a velocidade, ela percebeu que nunca havia entrado em um Volvo até aquela noite, agora estava em um com um homem que havia a pouco tempo acertado um tiro em Mário. Ela engoliu em seco e alisou sua garganta ainda sentindo o toque frio na navalha que ele usara, Rosita fechou os olhos imaginando o que quase lhe acontecera naquela noite. Se não fosse por Dário que ela não confiava em nada muito provavelmente ela que estaria morta naquele beco fétido. Ela pensou em seu irmão e se seu coração se comp
Ler mais
Capítulo 6
Ela o encarou na luz suave daquele carro. Sua pergunta era clara e inconveniente, no entanto, o que ela disse havia lhe dado abertura para fazer aquilo. Como sempre acontecia, Rosita ficou na defensiva.— Qual a razão para parar o carro?Ele semicerrou os olhos. — Diga, Rosita, você tem preço ou valor?Dário não imaginou que ela o acertaria com um tapa.— Me leve para casa! — berrou.Dário respirou profundamente absorvendo o golpe daquele tapa, ouviu com atenção a respiração acelerada da mulher a sua frente e percebeu, surpreso, o gosto metálico de sangue em sua boca. Ele limpou o sangue com as costas da mão e a encarou. Rosita engoliu em seco quando foi alvo daquele olhar, ela aguardou que ele a machucasse. Dário apenas a encarou, e após alguns segundos daquele silêncio tenso, ele afirmou:— Eu não bato em mulheres. Quando Rosita respirou aliviada, Dário completou:— Mas também não apanho delas. Esteja ciente disso.Ela levantou o queixo e pronunciou:— E eu não sou uma puta.Ele
Ler mais
Capítulo 7
Dário dirigiu de volta a sua casa pensando na mulher que acabara de deixar ir, pensou que poderia ter oferecido dinheiro a ela por seu silêncio mas se deu conta de que ela devia estar agradecida por ele ter aparecido naquele beco, de qualquer forma estava agora mais preocupado com Francesco que ainda não atendia suas ligações, ele conectou seu rádio para ouvir as transmissões da policia, aparentemente já havia encontrado o corpo do sujeito. Dário pegou seu celular e enviou uma mensagem curta em código para Martinelli, ele saberia encobrir aquilo para ele, caso contrário Dário iria expor o que ele fazia no Blue Belle. Após a mensagem fez uma chamada para Giorgio que atendeu no segundo toque. — Chefe. — Alguma noticia de Francesco? Giorgio suspirou e foi nesse momento que Dário soube que havia uma novidade. — O que você encontrou na casa dele? — Havia um bilhete, de suicídio chefe. Dário arrancou com o carro seguindo até o Blue Belle, chegando lá ele reuniu seus homens inclusive
Ler mais
Capítulo 8
Capítulo 7Meu Amante Mafioso Rosita não podia acreditar que aquele ser desprezível contava a um menino de dez anos, que o abandonou na barriga da mãe, que era seu pai daquela forma, invadindo sua casa daquela maneira no meio da noite.Rosita sentiu o corpo da criança estremecer e ele gaguejou ao afirmar:— Não tenho pai.Guido se levantou e passou as mãos sobre as roupas, como se limpasse algo. Então melhorou sua postura e olhou nos olhos do menino, com voz suave, ele disse:— É claro que tem. Eu sou seu pai. E estou de volta.Nem por cima do seu cadáver, pensou Rosita.Rapidamente ela puxou Benito para longe daquele homem, o levando pelo corredor de volta para seu quarto.— Benito, tranque sua porta, eu resolvo isso.O garoto assentiu e fechou a porta, ela ouviu quando ele girou a chave. Rapidamente Rosita voltou para a sala onde Guido já se encaminhava para o banheiro, seus olhos ainda estavam muito vermelhos, mas era nítido que o Spray de pimenta era da pior qualidade. Ela se arr
Ler mais