Inestimável Chefe

Inestimável ChefePT

Nikole Santos  Em andamento
goodnovel18goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
5Capítulos
37leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Verônica sempre foi uma funcionária muito esforçada e por isso, seu velho chefe a tinha como uma joia rara. Mas a aposentadoria veio e com ela um novo chefe, chamado Ricardo. Um homem com todas as qualidades que uma mulher não suporta, ele se estima tanto, que ela sempre o enxergava como egocêntrico. Mas para manter o emprego, Verônica terá que dar muito valor a esse inestimável chefe e entrará em um problemão que irá aproxima-los numa relação que ela nunca esperou ter com ele. Será que em algum momento um amor pode nascer entre esses dois?

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
5 chapters
Perdi meu chefe!
Num salto alto preto, uma saia lápis até a metade da perna num tom grafite e uma blusa social de manga longa com um caimento impecável na cor vermelha, chegou Verônica na empresa Garcia.A empresa Garcia trata de financiamentos de todos os tipos e Verônica, há mais de 5 anos, é a secretária do poderoso chefe desta empresa. O Dr. Garcia, ou como gosta de ser chamado: Seu Garcia.Antes de pegar o elevador, ela passou na cafeteria do prédio e pegou um café para o chefe, como de costume. Ela sempre anda de bom humor, pois o seu trabalho é considerado o melhor de todos. Seu chefe é um senhor muito agradável, que lhe paga 5 salários por mês e ainda lhe dá passes para tudo o que ela precisa. Nunca a tratou mal e ele a chama de "minha jóia rara". Assim como ele, a esposa de seu chefe também é muito gentil com Verônica e ela sempre lhe dá joias e lhe inclui em eventos familiares, sem trabalho extra."O que mais eu poderia querer? Esse emprego é maravilhoso!" — pensou ela, assim que chegou ao a
Ler mais
Mas é muito metido!
Seu Garcia deixou os dois sozinhos na sala e Ricardo fechou a porta.— Primeira regra: Porta sempre fechada.— Ah, e existem regras? — ela perguntou sem pensar.— Claro que existe. — ele se virou para ela. — Eu sei que com o meu tio as coisas são um pouco desorganizadas, mas meu trabalho parte disto: organização. — tirou o copo de café da mão de Verônica. — Obrigado. — ele destampou e sentou-se na cadeira do Seu Garcia.Verônica só ficou observando. "Sinto que esse homem será uma pedra no meu sapato".Ricardo experimentou o café e logo fez careta. — Está frio. — estendeu o copo para ela pegar.— Eu acabei de pegar.— Está frio. Eu gosto de café quente. Muito quente. Vai buscar outro. — balançou a mão para ela sair."Ele só pode estar brincando" — ela o fitou incrédula. O café ainda estava tão quente que ela sentia nas pontas dos dedos, e na boca deve ser mais quente ainda.— Vai logo. — balançou a mão novamente e levantou um espelho pequeno que estava encima da mesa, depois encarou s
Ler mais
Stalkeando pela revista
Verônica chegou em casa exausta e indignada com a mudança que aconteceuna empresa. Ela deitou no sofá da sala e desabotoou os sapatos, enquanto suaamiga Marília se juntava a ela no móvel, saboreando um mousse demaracujá.— Que cara é essa, Verônica? Você sempre chega toda contente em casa.Ela afastou os sapatos do sofá e deitou com os pés pendurados. — Hoje foi opior dia de trabalho que já tive. Seu Garcia se aposentou repentinamente.— Como? Se aposentou?! Mas não faltava mais de 1 ano pra isso acontecer? — ela ficou de queixo caído.— Pois é. Mas ele decidiu adiantar isso e tente adivinhar quem ficou no lugar dele?— Quem?—Você não conhece. E o sobrinho dele, Ricardo. — ela choramingou.— Sobrinho? Deve ser jovem.— Jovem e narcisista. — ela sentou de repente. — Amiga, ele passa o dia inteiro admirando sua beleza em tudo o que sua imagem reflete. Na janela devidro, no elevador, na colher e ele carrega um espelho pequeno no bolsotambém.Marília ficou rindo. — Eita. Esse se a
Ler mais
Hoje a noite promete
Por Verônica:Nos arrumamos para sair para a tal festa. A Marília é do tipo de garotablogueirinha, que se maquia toda, posta… e ela sempre faz a mesma coisa comigo,sempre que nos arrumamos tiramos várias fotos para ela colocar nos seusstories.As pessoas falam que somos muito parecidas e até a confunde como minhairmã, mas não, na verdade somos só amigas. Eu acho que a convivência acabounos deixando parecidas.Usei um shortinho curto jeans, um salto alto e uma blusa de manga preta,bem coladinha no corpo de um tecido era um pouco brilhante, soltei meuscabelos pretos repartidos no meio e coloquei argolas nas orelhas.Estava bem piriguete comparado com o jeito que me visto para ir pro trabalho.Realmente, eu sempre sou bem elegante quando estou na empresa, mas quando saio de lá não gosto de me vestir toda chique e recatada como sempre.— Bora amiga, que hoje a gente vai encher a cara e vem arrastada. — Mary estava muito animada para sair.De vez em quando a gente sai para as festa
Ler mais
Uma noite de prazer
VERÔNICAConversa vai, conversa vem…— Eu tô doido pra te beijar… — Victor sussurrou no meu ouvido e dali mesmo nos entreolhamos e começamos a nos beijar. Eu acho que aquela brincadeira de falar que ficaria com o peixe que caísse na minha rede foi levada a sério pelo meu subconsciente. Em outros momentos não teria a coragem de ficar com alguém.Sofri demais com um relacionamento que terminou depois de anos, mas o beijo do Victor me fez lembrar que nem tudo precisa acontecer debaixo de um compromisso.Quando o beijo terminou, ele encarou meus lábios e deu um sorrisinho. — Seu beijo é muito gostoso.— Humm… quer mais?— Claro. — ele segurou meu queixo e me beijou novamente.Parece que esses dois primeiros beijos nos deixou em transe e um só enxergava o outro pelo resto da festa. Marília? Nem sei onde essa garota se encontra. Fiquei procurando pelo meu campo de visão e nada.— Tá preocupada com alguma coisa?— A minha amiga sumiu.Ele riu. — Ela disse que já ia embora com o meu amigo.
Ler mais