Pronta para Viver

Pronta para ViverPT

Gisele Fortes  concluído
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
30Capítulos
1.6Kleituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Catarina sempre sonhou com um amor e, quando é pedida em casamento pelo juiz da cidade, realmente acredita que essa é a sua chance de ser feliz. No entanto, os seus sonhos vão por água abaixo já na noite de núpcias, quando descobre que o seu casamento é apenas fachada e que ela é uma simples alegoria nas mãos do agressivo e inescrupuloso Heitor Vasconcelos. Depois de uma década de sofrimento e submissão, presa a um marido cruel, Catarina conhece o amor nos braços do jovem Theo Albuquerque. Só que entregar-se a essa paixão avassaladora é arriscado e muito perigoso, representando uma ameaça à integridade dos seus pais e, principalmente, à sua própria vida.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
30 chapters
Prólogo
Prólogo   Catarina   Eu sempre sonhei com um grande amor. Idealizava aqueles romances novelescos, repletos de clichês e banhados por calda de açúcar. Queria as frases-feitas, as declarações cafonas, o fogo incontrolável das paixões desmedidas. E, claro, tudo isso com direito a músicas de fundo emocionantes, igualzinho aos romances das telinhas. Mas, com 23 anos, o máximo que consegui foram uns beijos xoxos e atrapalhados, em uns caras absolutamente sem graça. Nada que me desse palpitações nem despertasse os meus devaneios. É justo ressaltar que a marcação cerrada dos meus pais e o fato de morar em uma cidade pequena também não ajudam muito os meus planos românticos. Enquanto penso na falta de emoção da minha vida, salto do ônibus e ando os dois quilômetros de estrada de terra que me deixam na porta de casa. Todos os dias,
Ler mais
Capítulo 2
Março de 2015   Catarina   Hoje, faz dez anos que me casei com Heitor. Ou seja, é aniversário de uma década em que vivo no Inferno. Desde a primeira noite, ele só piorou. Cada dia mais agressivo, raivoso e desequilibrado. A impressão que tenho é que passa o dia encarnando um personagem e, quando chega em casa, desconta em mim tudo aquilo que foi obrigado a guardar. Algumas vezes, basta olhá-lo para dar início a xingamentos, que logo se transformam em tapas, socos e pontapés. Durante todo esse tempo, sou escrava das suas vontades e sirvo de saco de pancada para as suas frustrações. Pesquisei a fundo e descobri que ele tem o chamado Transtorno da Aversão Sexual, que faz com que as pessoas realmente tenham horror a qualquer contato íntimo. Mas esse é apenas um pequeno problema do meu marido; algo que acontece com muitas pessoas boas todos os dias. A r
Ler mais
Capítulo 1
Março de 2005 Catarina Chega o grande dia. Nem acredito que já se passaram oito meses desde a primeira visita de Heitor. De lá para cá, ele vem me visitar regularmente, sempre cortês, sorridente e bajulador. Elogia a minha roupa, comenta sobre o meu cabelo, quer saber sobre o meu dia.Faz sete meses que ele paga o tratamento médico do meu pai, arcando com todas as despesas do plano de saúde e garantindo as medicações necessárias ao seu bem-estar. Saber disso deixa o meu coração mais leve e faz com que cresça a minha admiração pelo homem com quem vou me casar.Nunca ficamos realmente a sós, e entendo que é por respeito ao meu pai. Ele quer fazer tudo certo, como manda o figurino. Acho que, por essa razão, estou tão nervosa
Ler mais
Capítulo 3
Theo   “Que mulher é aquela?”, penso enquanto chego em casa, completamente embasbacado. Nunca fiquei tão hipnotizado por alguém, principalmente sendo mais velha. E casada. Mas conhecer Catarina foi um alento em uma noite que eu já dava como perdida. Não bastasse termos de nos mudar para este fim de mundo, abandonando a minha vida social e todos os meus amigos, ainda sou obrigado a ir a um jantar na casa do prefeito. Eu me sinto em 1920! Só que o evento cheio de chatices e formalidades reservava uma surpresa e tanto: a mulher mais perfeita que eu já vi. E olha que já vi foi mulher nessa vida. Não é à toa que tenho fama de garanhão, pegador, mulherengo, cafajeste, enfim, o nome que quiserem dar. A verdade é que sou jovem, rico, solteiro e cheio de saúde. Não prometo nada que não pretenda cumprir e nunca, em nenhuma hipótese, engano as meninas. Quem cai na minha cama vem porque quer. E confesso que, ultimamente, eu
Ler mais
Capítulo 4
Catarina          Entro em casa já esperando a agressão. Heitor se aproxima e, em um gesto automático, encolho os ombros. Mas ele não me bate. Apenas segue para o banheiro, toma banho e se deita, parecendo me ignorar.         Eu me arrumo para dormir, mas o sono está cada vez mais distante. Estou agitada e simplesmente não consigo tirar a imagem de Theo da minha cabeça. O porte, o corpo e, sobretudo, aqueles olhos. Imagino como deve ser tocar aquela pele bronzeada, encostar os lábios naquela boca proeminente, sentir o cheiro que o seu suor exala. Quanto mais imagens se formam na minha cabeça, menos eu consigo relaxar. Sinto como se estivesse correndo uma maratona: a boca seca e o coração disparado.         “Ele &
Ler mais
Capítulo 5
Theo   Beijar Catarina é como estar no céu. É mágico, doce e, ao mesmo tempo, quente. Traz desespero, mas também sossego. A sua boca é ainda mais deliciosa do que eu poderia imaginar: carnuda e muito macia. E, quando a sua língua brinca com a minha, quase perco a noção dos sentidos. Tudo que desejo é sentir cada pedaço do seu corpo, beijar cada centímetro da sua pele. Quero que ela sinta prazer com o meu toque e anseio estar dentro dela, inteiro, entregue, completo. Só que, de repente, ela me empurra. Está ofegante, descabelada e com um olhar amedrontado.          – Theo, pelo amor de Deus! Sou casada. E você é apenas um menino. A gente está no meio da estrada, e todos me conhecem por aqui. Já imaginou se alguém me vê? – ela fala, esbaforida, levando a mão à testa.          – Calma, Catarina. Aconteceu porque nós dois estamos sentind
Ler mais
Capítulo 6
Catarina            Chego à casa dos meus pais ainda cedo. Há duas noites, não consigo dormir, mexida com o beijo de Theo e preocupada em ter de ir à casa dele no sábado. Ao olhar o lugar em que passei a minha infância, observo a má conservação da fachada. Está velha e mal cuidada como os seus habitantes, infelizmente. Embora Heitor não deixe faltar comida e remédio para os meus pais, todo o resto fica de fora. Eles não têm qualquer tipo de conforto ou luxo: apenas o básico para que sobrevivam com dignidade.          Encontro papai deitado no sofá surrado da sala, com a pele meio amarelada. Está ainda mais abatido do que na última vez em que o visitei, com olheiras que contornam as pálpebras e lhe dão uma aparência cansada. É como se continuar vivo exigisse dele um esforço sobre-humano, que arranca a sua energia e mina as suas força
Ler mais
Capítulo 7
Theo Fico alucinado pela imagem de Catarina em um vestido cereja, que marca toda a perfeição do seu corpo. O cabelo está mais liso e o rosto tem uma maquiagem leve, que ressalta a beleza dos seus traços. Vou cumprimentá-la com uma certa cerimônia, mas todos os meus instintos querem arrastá-la daquela sala, conduzi-la ao meu quarto e beijá-la por horas a fio. Seguro o ímpeto de tomá-la para mim e finjo uma tranquilidade que, definitivamente, não sinto. *** Passo boa parte da noite espreitando Catarina e tentando achar uma brecha para ficarmos a sós. Quando a vejo caminhando pelo jardim, com uma taça na mão, imediatamente começo a procurar pelo babaca do Heitor. Mesmo sem conhecê-lo direito, alguma coisa me diz que tem algo errado com aquele cara. E não é apenas o ci
Ler mais
Capítulo 8
Catarina Mando a mensagem para Theo e, assim que ele a visualiza, a apago. Faço questão de esvaziar a lixeira e confiro, várias vezes, se me desfiz de todos os rastros. Ainda não acredito que estou fazendo isso; que vou mesmo encontrá-lo no chalé. Sinto um misto de medo e empolgação, com a adrenalina subindo pelo meu corpo e me deixando com um frio gostoso na barriga. *** Chego em casa imaginando como será vê-lo no dia seguinte e projetando mil cenários diferentes. Mas preciso de lucidez: não posso ceder à tentação, pois a minha vida e a dos meus pais estão em jogo. Heitor está calado desde a saída da festa, o tempo todo com o semblante fechado. Alguma coisa no brunch deve tê-lo desagradado e espero, muito, que não tenha sido eu.Ele vai até a co
Ler mais
Capítulo 9
Theo   Fazer amor com Catarina é como nascer de novo. Eu nunca me senti tão vivo, tão ligado, tão feliz. Confesso que hesitei quando vi manchas roxas em seu corpo, mas não quis estragar o momento. Aquele desgraçado deve machucá-la! Depois vou procurar saber o que ele faz com ela e tenho medo de não responder por mim. Mas, por ora, vou me concentrar em adorá-la como ela merece. Quero que a tarde de hoje seja inesquecível.   ***   Já são quase cinco da tarde quando nos despedimos, exaustos e satisfeitos. Eu saio primeiro para não levantar suspeitas e observo tudo à minha volta para garantir que não sou visto. Ando até o carro como se estivesse flutuando, pensando no que acabou de acontecer. Ao mesmo tempo que estou em êxtase, sinto uma pontada por deixá-la para trás, principalmente sabendo que aquele covarde pode atacá-la novamente. Preciso proteger Catarina de alguma forma. O que será que
Ler mais