A Caçadora do Supremo

A Caçadora do Supremo PT

Rany Silva  Em andamento
goodnovel16goodnovel
0.0
Avaliações insuficientes
9Capítulos
435leituras
Ler
Adicionado
Denunciar
Resumo
Índice

Errar é normal, mas alguns erros podem ser fatais. Damien Birswhilthe, o Supremo Alfa acaba comentando um erro que não devia movido por impulsos irracionais. Damien se ver encurralado pelo medo ao ter seu irmão sequestrado por caçadores. Os dias se passam, e falta de resposta se torna seu pior inimigo. Desesperado e com todos os recursos para encontra-lo se ver buscando ajuda a quem não devia. Valentina, uma caçadora sem escrúpulo e inconfiavel. No entanto, os segredos obscuros que a caçadora os uni por ações do inimigo. Uma guerra iniciara, e Valentina se ver obrigada a escolher um lado entre o menos pior dos seus inimgos. Viver só é impossível, e lutar do lado errado é fatal.

Ler mais

Você também vai gostar de

Comentários Deixe sua avaliação no aplicativo
Não há comentários
9 chapters
Prefácio
Não vai me chamar para dançar? A música que toca e a melodia do inferno, minha preferida As notas suaves são belas, posso sussurrar em seu ouvido antes de te matar?  Nossos passos são sincronizados Um casal perfeito Um casal fatal  Somos maus, somos bons, somos demônios que amam Somos a piada interna um do outro O sorriso imoral Somos um do outro  A música nós chama, não vamos dan
Ler mais
Prólogo
 Em um mundo onde para sobreviver precisa ser forte, a ausência de inteligência se torna fatal. Ter poder e uma mente escassa de sabedoria e mais perigoso do que enfrentar seu inimigo desarmado.           O homem parado diante do seu superior não sabia o que fazer caso o mesmo se descontrala-se, e decide descontar toda sua raiva em em si, sabia que contra o Supremo sua força de um lobo "comum" não seria nada. E amaldiçoado seja aqueles que o empurram para ser detentor de dá tal notícia para seu líder, se morre-se faria questão de voltar para atormentar tais pessoas. — Acho que escutei errado. — Damien repete em uma calma fingida. — Você disse que meu irmão, meu irmão foi sequestrado dentro de minhas terras diante dos melhores lobos por um grupo de caçadores?      As mãos de
Ler mais
1° Capítulo
     Os dias foram passando, se transformando em uma semana de pura angústia. Damien se afundava a cada minuto que passava mais em dor, se culpava arduamente pela situação, por ter dado chance de seu anjo ter sido roubado do seu lar.      O cansaço que dominava seu corpo a cada volta para casa depois de buscas infindável, de mãos vazias e sem pista não fazia que sua mente copia-se seu desgaste físico e para-se se alimentar seus medos. Ela se tornava mais forte e incansável fazendo de seus pensamentos negativos seus maiores desafios para continuar de pé e com esperanças.     As mãos livre dos costumeiros aneis amassam os relatórios com as notícias das outras alcateias, todas inúteis. Os olhos emitiam um desgaste não apenas físico, mas como emocional. A voz já era rouca de gritos e rosnado que emit
Ler mais
2° Capítulo
    Heitor sabia que achar sua irmã seria difícil, mas não tanto. Demorou metade do tempo que deu a Damien apenas para encontrá-la, minutos precisos que poderia ter usado para persuadir-la.     Mas descobrir seu paradeiro se torna um desafio quando usa da magia para se esconder. Pode se encontra em casa, ao mesmo tempo que não, pode estar no mundo dos mortos, ou no humano se passando por um.      — Heitor, sua presença e tão bem-vinda que convido a se retirar e ir pro inferno e não voltar mais. —Valentina pronuncia de olhos fechados, concentrada em sua falsa meditação.    O moreno ignora as frases nada delicadas da irmã. São anos sendo acariciado pela mesma delicadeza que se tornou comum. Estranho seria ser recebido com chá e biscoito, e um beijo no rosto.    Heitor encara as costas da irmã, encantado como mesmo a conhecendo há
Ler mais
3° Capítulo
   A floresta não emitia nenhum som, algo estranho. As copas das arvores altas que inibem a luz, parecem que passaram a esconder os piores segredos. A lua sempre bela decidiu se esconder entre as nuvens e não ser testemunha do que aconteceria. Os animais se mantiveram em suas tocas conscientes que hoje todos seriam as presas fugindo de um predador que não falha.     O choque das botas de couro de Valentina no chão eram suaves, não emitindo ruídos como o caminhar de um felino. No entanto, seus pensamentos eram furiosos praguejando seu irmão em todas as línguas que conhecia o que não são poucas. Sussurrava para o silêncio da floresta que ainda o mataria naquela noite, mancharia suas mãos com seu sangue e faria de seus gritos de dor sua melodia preferida.       Amaldiçoava tê-lo salvado da morte tantas vezes, deveria o tê-lo deixado morrer. Morto não a subjugaria a fazer o que não tem vontade. Seu irmão é tão cruel como a si que m
Ler mais
4° Capítulo
     A maldade de quem busca poder pode ser sem limite, ao ponto de usar uma criança inocente para começar uma guerra e sacrifica-la em um ritual buscando forças para vencê-la. Davien não tinha culpa da cobiça humana, no entanto, seu destino estava a minutos de ser decidido por ela.        Caçadores, a espécie responsável por ditar a “ordem” e preservar a paz, caçando e punindo qualquer um que desvie de tal conceito, está  sendo a primeira a dá motivos para quebrar um acordo e iniciar uma guerra que séculos atrás batalhou para evitar. Contudo, é certo que nem com todos os anos, décadas, séculos os caráter dos caçadores foram moldados para melhor, sendo bem o contrario. Com o passar do tempo seu desejo por exterminar outras raças, ou sub julga-las a suas vontades foi aumentando, ao ponto de formar alianças perigosas e promessas ainda mais.      Entretanto, uma minoria resultado das divisões por
Ler mais
5° Capítulo
      Valentina jamais será o ser humano capaz de trazer paz a algum lugar, sua presença forte e imponente reprimir criaturas com aura francas como de uma criança. Davin a minutos atrás gritava por socorro, mas por seu irmão, ou amigos dele não por alguém com uma presença mais terrível que as bruxas a sua frente.      Sua pouca idade não faz sua percepção de presença mais franca, pelo contrário, sua jovialidade e inocência faz que perceba tudo mais facilmente, principalmente a maldade, ou quando um ser tem mais trevas que luz em sua alma.     Sabia porquê estava ali, tinha passados dias suficientes ao lado daqueles bruxas para saber sua finalidade, ser sacrifício para algum ser do sub mundo em troca de poder para alguém. — Deviam ao menos alimentar a criança ant
Ler mais
6° Capítulo
     A saída da construção subterrânea foi mais tranquila que a entrada, mas bastou que Valentina e Davin se afasta-se alguns passos para a rocha desmoronar se transformando em pó se deixando levar pelo vento, indo procurar um novo local seguro para se formar.— Vejo que sua preocupação para sair inteira era dispensável. — Calian desencosta-se da árvore aproximando-se de Valentina. — Até mesmo a criança esta com todas as partes, um arranhão ou dois, uns traumas aqui e outros ali, mas é a vida.— Se encontra melhor do que imaginava. — Valentina confessa enquanto empurra a criança na direção do demônio. — Ele é todo seu, o leve para o chapeuzinho vermelho.       Mal termina sua frase e começa a se retirar, poré
Ler mais
7° Capítulo
— Seu irmão foi encontrado senhor.       Uma sensação de alívio domina Damien, nunca em toda em sua vida imaginou que passaria por tudo que passou e aguardaria com fervor esse momento onde todo o peso de suas sumiria com poucas palavras.       Aos poucos o redemoinho de escuridão que lhe acometeu nos últimos dias desaparece, a sensação de sufocamento se vai, o medo se torna distante, era como se finalmente acorda-se do seu pior pesadelo e tivesse paz.  — Onde ele está? — Abandona a cadeira atrás da sua mesa aproximando-se do lobo próximo da entrada do seu escritório. — Na sala de estar senhor, porém quero avisa-lo que não esta só, mas acompanhado de uma figura de postura e raça hostil e duvidosa. — O guarda diz enquanto caminha atrás do Supremo, que se recusou a ficar mais um minuto sem ver se o irmão se encontra bem.      Damien não deu ouvidos a seu l
Ler mais