A Diabinha é Esposa do CEO

A Diabinha é Esposa do CEOPT

FannyMotta  Recién actualizado
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
19Capítulos
2.6Kleídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Não, não, não, não... Por que Iuri estar aqui!? O sigo com o olhar até ele chegar ao centro da sala, nossos olhos se cruzam. O que é isso? É diferente do que eu imaginei, seus olhos não me olham de forma fria ou odiosa, mas como se estivessem me vendo pela primeira vez. — Não sabia que trabalhava uma estrela na minha empresa — ele fala e sinto um misto de confusão dentro de mim. — De-deve estar me confundindo, sr. Stewart, não sou famosa, sou apenas uma das muitas funcionárias. Ele não se importa com o que digo e continua: — Quero ser o dono dos seus sorrisos e gemidos. Ele só pode estar querendo se aproveitar de mim nessa situação. Agora que estar por cima e eu por baixo. Ele vai se vingar do que fiz a ele na nossa adolescência assim?

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
19 chapters
Capítulo 1
// Iuri Stewart\\Uma semana antes de voltar para New York, eu sonhei com uma mulher, ela era linda, não lembro exatamente como era o seu rosto, só consigo identificar a cor de seus olhos: Violetas. Eu sinto a falta dela, meu coração quer ver ela, ele grita por ela.Me olho no espelho e ajeito minha gravata, depois pego o relógio em cima da mesa, são exatamente: sete e meia da manhã.Hoje serei apresentado como o mais novo proprietário do império Stewart, ela é uma - ou até a melhor - empresa no ramo da arquitetura e construções, lá trabalha com os mais diversos setores que precisam de profissionais dessa área, a sede fica em New York, mas temos filiais em outras cidades e até outros países. Penteio mais uma vez meu cabelo, pego as chaves do carro e saio para fora da mansão.Perdi minha memória, mas meu pai me c
Leer más
Capítulo 2
// Elisa Benett \\ Acordei sem um pingo de vontade de sair da cama, amo meu trabalho, contudo, ir trabalhar menstruada e de TPM é um saco. Mas preciso do dinheiro, meus pais me deserdaram e eu tenho uma irmã que depende de mim, então preciso lutar para conseguir fazer nós duas vivermos. E dou graças por ter conseguido me formar com uma bolsa cem por cento integral, antes de me formar eu fiz estágio na empresa Império Stewart, e logo formada eu fui efetivada. Por mais que eu tente esquecer, jamais conseguirei tirar da minha mente as atitudes horríveis que tive com um garoto chamado Iuri na nossa infância. Só depois que entrei no ensino médio, eu percebi que o bullying só é engraçado, quando ele não é com você. Me dói tanto lembrar do acidente que aconteceu a ele por minha culpa... As pessoas que se diziam meus amigo
Leer más
Capítulo 3
// Iuri Stewart \\ — O que foi aquilo? — o sr. Jones me questiona quando volto para dentro de minha sala.— Aquilo o quê? — devolvo a pergunta com uma sobrancelha erguida.— Sabe do que estou falando, não se faça de bobo, sabe que é antiético o que está fazendo!— Eu ainda não fiz nada — digo me sentando — Agora pode ir, eu tenho trabalho a fazer — me ajeito de maneira mais confortável na cadeira acolchoada.— Os funcionários começaram a murmurar se você realmente saberia redigir essa empresa que seu pai deu sangue para erguer. — Que pessoas?— Praticamente todas, mas a que mais zombou foi sua secretária. Ela chegou a dizer que você é só um mulherengo e que Deus a livre de seus olhos, que você mais parece um moleque do que um homem de neg
Leer más
Capítulo 4
// Iuri Stewart \\  A semana passou voando, muita coisa para fazer no trabalho, incansáveis reuniões que me deixaram cansado, sempre que chego em casa é só banho e cama. Não encontrei mais com a Elisa, sei que ela vem para o trabalho todos os dias pontualmente e que é uma excelente profissional, mas ficamos em setores tão separados.  Esses dias foram tão corridos que não tive tempo de ir ao seu encontro, nem que fosse para vê-la de longe, trabalhar como CEO e realizar as funções de secretário ao mesmo tempo é cansativo demais. O lado positivo disso é que posso usar ao meu favor, a trarei para mais perto de mim. Eu não parei de pensar nela um só segundo nem quando durmo sua imagem sai da minha mente. A mulher dos meus sonhos agora tem um nome, vou lutar para conquist&
Leer más
Capítulo 5
// Elisa Benett \\       Ando de um lado para o outro no hospital, o relógio de pulso marca três e meia da manhã. Minha irmã agora está sendo preparada para a cirurgia, meu coração aperta. Seus músculos estão atrofiados, mesmo eu pagando uma fisioterapeuta, ainda não é suficiente, o corpo de minha irmã é frágil demais. Ela tinha cinco anos quando o acidente aconteceu, hoje ela está com dez anos de idade. Eu me sinto tão culpada, eu menti para Iuri, na verdade, a gente não estava voltando de viagem, meus pais tinham ido me buscar em uma festa. Mas antes disso, eu tinha desaparecido por cerca de um ano. Eu me formei no ensino médio com dezessete, e não consegui aguentar. Me vi passando por tudo o que fiz Iuri passar, e a culpa por causar o acidente dele sempre me pe
Leer más
Capítulo 6
// Iuri Stewart\\  Enquanto tomo banho penso em como Elisa está agora, no momento eu estou sozinho, não tenho o sentimento de preocupação com ninguém, mas ela tem uma irmã que está a cinco anos em coma e os pais não estão de bem com ela. O que mais ela esconde por trás daquele rosto angelical? — Iuri — ouço a voz do meu avô do lado de fora do meu quarto. — Entre. Visto um roupão, a última pessoa que quero que me veja nu é o meu avô. — Como foi a semana na empresa? Já pegou o ritmo? — entra e se senta em minha poltrona. — Sim. — Me contaram que demitiu o diretor do setor econômico e a sua secretária. — Eles mais atrapalhavam do que
Leer más
Capítulo 7
// Elisa Benett \\ Parece que o mar de calmaria e bons ventos se tornou tempestuoso e revolto me pegando de surpresa. Ao entrar nessa sala, o medo tomou conta de mim e não consegui olhá-lo nos olhos. Mas eu não esperava ouvir tais palavras saindo de sua boca. O que aconteceu com o Iuri de ontem? Cadê aquele seu carinho? Seu cavalheirismo? Sua voz mansa e sedutora? Cadê o seu sorriso de lado? Cadê a preocupação que vi em seus olhos? Ainda lembro do calor de seus braços tentando me confortar ontem.  Onde foi parar tudo isso? O encanto chegou tão rápido e se foi também que nem deu tempo de eu acompanhar. Será que ele se lembrou do nosso passado? Por isso está agindo assim? Mas, se ele tivesse lembrado… Por que estaria me dando um contrato de casamento?  <
Leer más
Capítulo 8
// Elisa Benett \\  Seus lábios pressionam os meus, o susto me faz arregalar os olhos, tento me afastar, mas ele passa seu braço por minha cintura e me puxa para mais perto de si, abro minha boca para protestar, no entanto, ele usa essa brecha para enfiar sua língua e eu não me aguento mais. Me derreto em seus braços e me entrego, é como se eu estivesse à anos no mais árido deserto e ele fosse a gota de água que eu anseio. Meu primeiro beijo dentro em dez anos, e com o meu... Marido! Coloco meus braços sobre seu pescoço e retribuo o beijo da forma mais intensa que já beijei em toda minha vida. Suas mãos grandes apertam meus quadris me puxando para ainda mais perto, sinto um volume duro um pouco abaixo do meu umbigo e isso me deixa ainda mais atiçada, pressiono meus seios sobre o peito forte dele e puxo os cabelo
Leer más
Capítulo 9
// Elisa Benett \\  Impossível segurar as lágrimas, que caem como cascata de meus olhos. Quase tive um infarto ao terminar de ler o contrato, então resolvi tomar um banho para organizar meus pensamentos que ficaram fora de controle. Um duelo se fazia em minha mente, onde um lado gritava: “Volte lá e rasgue aquele pedaço de merda de papel, esse contrato não vale a pena”, o outro gritava por cima: “E o que você esperava? Você não merecia nem tê-lo como marido, ainda acha que ele vai bancar tudo para você. Um lixo ambulante.” — Adivinha qual pensamento ganhou? Pois é...  O que mais me incomodou naquele contrato foi o fato que ele pode me trair como bem entender e eu não tenho o direito de me negar a ele sem um motivo plausível, um motivo que envolva a minha saúde. Mas o que eu
Leer más
Capítulo 10
// Iuri Stewart \\ { /* Depois de Elisa ter saído da sala de Iuri*\ : Droga! Como pude ter sido tão fraco!? O plano era tão simples! Eu não queria tê-la de fato beijado, queria apenas tê-la provocado, deixando-a com vontade de me beijar e não ao contrário, queria que ela fechasse os olhos e avançasse em mim, para eu me afastar e sorrisse de forma sedutora para ela, mas ao invés disso, ela tentou me afastar com o rosto tão corado que quem avançou nela foi eu.  Que grande droga! Isso acabou sendo como uma adaga de dois gumes, e eu me cortei feio. Não consegui resistir aquela boca em formato de coração, que quando mais novo sempre imaginei como seria o gosto, mas ela nunca me deu chance e sempre me esnobava. Agora ela estava a apenas alguns milésimos de distância. Leer más