Não Pode Acontecer

Não Pode AcontecerPT

Xiao Na  En proceso
goodnovel16goodnovel
0.0
Reseñas insuficientes
18Capítulos
305leídos
Leer
Añadido
Denunciar
Resumen
Índice

Existem coisas que sabemos que não podem acontecer. Mas, eu me entreguei a esse tabú, e além de tudo eu a machuquei. Eu não devia amá-la, eu não podia amá-la, e ainda assim a amei. Eu errei tanto, eu a machuquei tanto, e isso me destrói até hoje. Lembro-me de tudo nela, e sei que ainda não sofri o suficiente.

Leer más
Comentarios Deje su reseña en la aplicación
No hay comentarios
18 chapters
Capítulo 1: Lembranças Dolorosas
                As vezes os momentos passam com o vento. Diante de palavras que queimam como o fogo e ardem como ácido ela se foi, deixando-me para trás. Fui perdoado? Sim! Eu lembro que em seu leito de morte, mesmo mais ferida por mim que por seu louco amigo, ela disse as últimas frases: "Te amo, pensei poder-te perdoar antes, mas, a dor de como me roubaste algo precioso foi maior" quase sem voz a escutei prosseguir "Te perdoei porque você me roubar algo me trouxe dois presentes, e porque senti que me amaste verdadeiramente" e por fim, escutei seu último pedido "Cuide bem deles Matheo, meu amor". Ainda assim, por meses joguei-me em meus espinhos de dor, e já no fundo de um poço, a ponto de não puder voltar, escutei a alguém falar e lembrei de sua doce voz. Ainda com meu coração dilacerado seguirei, lembrando quem sou e o que preciso fazer. "Essa é essência de entregar-me a v
Leer más
Capítulo 2: Caminhos que se cruzam (Parte 1) 
  (Narrador onisciente)    É incrível como, mesmo quando você pensa que nunca mais verá uma pessoa, o destino, aquele, que nem mesmo os deuses do Olimpo ousariam contrariar, faz esses caminhos se cruzarem. Seja para que acabe em amor, ou em morte, como Romeu e Julieta. O importante é que, na maior parte das vezes tudo mudou, mas, algumas coisas permanecem as mesmas, acho que é isso que torna um reencontro tão... Inesperadamente esperado? Depois daquele dia, as suas vidas voltaram ao normal. Como Matheo já tinha 16 anos na época terminou o ensino médio um ano depois, e fez o ENEM, começou a cursar Engenharia Civil, mesmo morando em Pernambuco com seus pais resolveu estudar na Universidade Federal da Para
Leer más
Capítulo 3: Seja oficialmente bem vinda prima! (Parte 1)
  Matheo tirou os óculos, colocou uma camisa e desceu para a sala de jantar primeiro, enquanto isso Kamyly estava em seu quarto pensando no que tinha acontecido.    - Cheguei mamãe! - Matheo disse e foi até sua mãe, abraço-a e deu-lhe um beijo na testa.  - Onde está a Kamyly? Ela que tinha ido te chamar - perguntou Katryna.  - Eu estou aqui, por que precisa dela? - Mat
Leer más
Capítulo 4: Cineminha (Parte 1)
  Matheo narrando:    Eram quatro horas da tarde quando estávamos entrando no carro de papai e indo em direção ao cinema, mamãe foi no banco do carona e Kamyly e Eu no banco de trás, claramente eu já esperava isso.   Fomos calados exceto quando mamãe resolvia puxar algum assunto da infância, principalmente do quanto nos odiávamos. Enquanto mamãe falava eu só concordava com a cabeça e olhava para Kamyly, que es
Leer más
Capítulo 5: Aceita Jantar comigo? 
 O tempo passou tão devagar hoje, não pensei que eu iria me encontrar tão nervoso.  - É só um jantar Matheo, nada demais - eu repetia baixinho para mim mesmo a cada dois segundos.  Eu realmente estava muito nervoso, quando olhei o relógio eram cinco da tarde, como uma criancinha ansiosa eu resolvi ligar para Kamyly.  - Por favor, atende - dizia baixinho enquanto o celular só
Leer más
Capítulo 6: É um encontro? (Só se você quiser).
Kamyly narrando: A tensão dentro daquele carro parecia ser mais forte que a de um fio sobrecarregado. Nós parecíamos estar bem calmos, mas estávamos o nervosismo puro, melhor, poderia dizer que estávamos mais nervosos que o próprio nervosismo. - E então, como foi seu dia? - Eu falei para tentar quebrar um pouco daquele clima pesado. - Muito trabalho e o restante você já sabe. - Ele disse, calmamente, mas sem prolongar muito. - E então, por que você resolveu me chamar para jantar? - Bem... A verdadeira razão, você sabe muito bem. Mas, eu disse a papai e a mamãe que queria levar você para jantar como forma de agradecimento, por ter ido me salvar ontem. - Não é para tanto, eu não te salvei, na verdade, você me salvou. - Eu disse e olhei para ele, que prestava atenção na estrada. - Você está me olhando né? - Odeio o tanto que ele me conhece. - Eu não estava olhando você. - Disse enquanto corava de
Leer más
Pecado ou Amor impossível? (Prólogo)
Religiosamente, o pecado cometido sabendo que é um pecado é considerado o pior. Então, eu tenho certeza de que os cometi repetida e incontrolavelmente. Éramos apenas dois jovens na puberdade na primeira vez que o cometemos, não foi muito além de um beijo entre duas pessoas que se odiavam e estavam ligados pelo sangue. Ou melhor, isso foi o que pensamos... Ela sempre foi aquele tipo de criança exemplar, mas eu não via exemplo, eu a olhava e via o medo, um medo de ter novas experiências, um medo característico de ser uma decepção para a família, e sei disso porque compartilhava, ao menos esse último. Leer más
Capítulo 7: Com certeza é. 
  - Diga-me você Kamyly, isso é ou não um encontro?  - Com certeza é, Mr. Bernardi, pois, você não iria me levar para um jantar apenas como agradecimento.  - Então, aceita esta noite como nosso primeiro encontro?  - Depende, o que vamos fazer depois do jantar? Leer más
Capítulo 9: Vocês vão juntos! 
  - Acho que eles ainda não voltaram, vamos aproveitar um pouquinho mais? - Escutei a voz de tio Tauan.  - Eita que a noite deve ter sido boa né pai? - Disse Matheo que estava saindo da cozinha com um copo de água da cozinha.  - Ah! Que susto! - Tio Tauan e tia Katryna gritaram juntos.  - Vocês já voltaram?Leer más
Capítulo 10: Dia da festa 
    O dia antes da tal festa junina chegou, e como na primeira vez que sai com Matheo eu estava extremamente nervosa. Mesmo sabendo que nada poderia acontecer por ter muita gente no local, eu sabia que tia Katryna nos faria dançar forró, como minha avó o fez seis anos atrás, e de alguma forma eu realmente esperava que isso acontecesse, seria, sem dúvidas, muito nostálgico para mim.  - Kamyly? - Escutei a doce e calma voz de tia  Katryna,  era comum que ela me acordasse. - Bom dia flor do dia - Vi seu enorme sorriso no momento em que abri o
Leer más